1. Spirit Fanfics >
  2. Recomeço. >
  3. Estou errada?

História Recomeço. - Capítulo 57


Escrita por:


Notas do Autor


Ooi meus amores.

Capítulo 57 - Estou errada?


- Hey...relaxa. - Digo o olhando, admito que uma parte minha queria o matar por atrapalhar minha possível transa com a Lauren, mas felizmente o lado sensato me domina nesse exato momento. - Me fala o que aconteceu. - Pedro se senta toma mais um gole de sua cerveja e suspira.

- Carol, promete não surtar? - Ele diz e sua voz não parecia mais tão embolada.

- Sim,pode falar.

- Eu me encontrei com ele hoje. - Pedro diz com os olhos fechados.

Minha cabeça rodeava as cenas mais agressivas que eu poderia imaginar que saiu desse encontro dele. Senti a raiva tomar conta de mim, mas que porra? Pra quê ele foi visitar ele? Pedro sabe o quão nojento o Ricardo é, por qual motivo ele iria vê-lo? Ele sabe o quão agressivo ele é...será que ele se esqueceu de tudo? Das noites mal dormidas, das infinitas terapias, dos remédios para ansiedade? Céus!

- Hey...desculpa a demora. - Lauren que não parecia mais tão acabada como antes aparece se sentando ao lado de Pedro. - O quê aconteceu? - Lauren fala me olhando e olhando Pedro em seguida.

Pedro estava quieto seu olhar ainda estava nas estrelas.

- Alguém pode me responder? - Lauren diz. Fecho meus olhos tentando me controlar ao máximo...vamos lá Carolina, pensa bem. Seu amigo provavelmente está mal.

- Eu me encontrei com o Ricardo. - Ele diz de uma vez só, de uma forma tão...calma? Como ele pode estar falando naturalmente sobre?

- Por que isso, Pedro? Ele disse algo? Conversa com a gente. - Lauren diz.

- Eu não sei... Lauren. Ele..

- Não sabe, Pedro? - O interrompi já irritada com isso tudo. - Você se esqueceu de tudo que ele te fez? Esqueceu das terapias? Dos remédios? Das noites que você não conseguia dormir com medo dele aparecer e te machucar ou machucar a tia? Qual a porra do seu problema, Pedro? - Lauren arregala os olhos, provavelmente meu tom já estava alto, mas estou pouco me fodendo, não posso passar a mão na cabeça do Pedro. O mesmo se mantinha de cabeça baixa. - Você se esqueceu da porra da dor que ele causou a todos? Se esqueceu de como foi difícil para a sua mãe se abrir novamente ao mundo? Se esqueceu de quão feliz e aliviada sua mãe ficou quando ele finalmente desapareceu do mapa? - digo já exaltada...eu não posso deixar o Ricardo fazer tudo que ele já fez de ruim novamente...eu não posso. - Não seja egoísta, Pedro! - Grito.

- Carolina, chega! - Ouço uma voz rouca gritar comigo...era Lauren. A mesma estava vermelha e abraçava Pedro que se mantinha de cabeça baixa ainda. - Tem como você não ser babaca por um segundo? - Lauren diz rispidamente me fazendo soltar um riso amargo.

- Você não aumente o tom de voz comigo, Lauren! Você nem sequer esteve aqui quando tudo isso aconteceu... Pedro precisa entender que se encontrar com o Ricardo não irá acrescentar em nada em nossas vidas, e sim piorar elas.

- Assim que você parar de ser tão...bom, egoísta. - Frisa a última palavra. - Eu volto a falar contigo. Vamos Pedro...vamos pra minha casa lá a gente conversa, que tal? - Lauren diz e meu amigo assente e vejo os dois saindo do meu quintal.

Ri amargamente negando com a cabeça, eu estou certa, não estou?

Ricardo só trará problemas a nós todos... E Pedro sabe disso, bom, eu achava isso né.

Lauren pov

Depois do surto desnecessário da Carol eu e Pedro nós encontramos na mesma praça que Charlotte marcava comigo e com as meninas de beber, não sei mas achei melhor essa praça do que ir pra casa com o Pedro desse jeito, o caminho até a praça foi um completamente silêncio, não tinha piadas pela parte do Pedro, não teve ele mexendo freneticamente em seu cabelo o arrumando, não teve nada. Nem uma mísera brincadeira sobre minha pegação com a Carol que por sinal, porra... Ok, foco Lauren! Não é o momento para pensar nisso.

- Desculpa por isso. - Pedro diz quebrando o silêncio.

- Não precisa se desculpar, Pedro. Mas me diz...o que está acontecendo com você? - Ele suspira, arruma seu cabelo e me olha nos fundos dos meus olhos, eu sentia a confusão, medo, arrependimento e dor em seu olhar, Pedro não estava bem... E isso era inegável não admitir.

- Eu falei com o Ricardo hoje a noite. - fechou seus olhos e suspirou. - Na verdade eu estou falando com ele há alguns dias já, ele que me manda mensagem e eu somente respondo, 100% das vezes eu sou o maior grosso eu juro - Se apressou em dizer. - Ele me ligava, inclusive aquele dia que na apresentação da minha mãe ele me ligou e eu surtei com ele...mas não sei dizer algo me fez querer ir vê-lo, sabe? - Ele diz e eu assento. - Mas no meio da nossa conversa eu me lembrei de como ele foi um péssimo pai, das coisas que ele fez e me disse e surtei com ele novamente, não me arrependo...depois disso tudo o Tyler conversou comigo...ele é maneiro, só tá um pouco afobado. - riu negando com a cabeça e eu franzi o cenho...quem é Tyler? - Ah, Tyler é um cara que eu conheci...ele foi legal comigo. Me ajudou e tal, dei alguns conselhos pra ele, mas depois que ele saiu Ricardo me mandou mensagem novamente e sabe...eu me senti estranho, angustiado sentia uma vontade de sair gritando e quebrando tudo. Uma tristeza enorme percorreu meu corpo, e eu desmoronei, entende? Bebi mais e fui parar lá na casa da Carol sendo o maior empata foda. - Disse negando com a cabeça e rindo amargamente. Eu o olhava com tanta preocupação...eu não conheço esse tal de Ricardo mas pelo o pouco que eu sei e julgando como todos passaram a agir após sua volta já é o suficiente para entender 100% o tipo de homem que ele é. - Pode falar Lauren, surta comigo, grita mas não fica com essa cara de preocupação como se eu fosse um garotinho que se perdeu da mãe no supermercado.

- Eu não vou gritar contigo, Pedro. - Digo e ele ri amargamente.

- Sério...? Vamos lá, eu sei. A Carol estava certa pensa bem...eu sabia de tudo e mesmo assim fui falar com ele, que tipo de filho eu sou? Eu fui falar com a porra do homem que agredia minha mãe inclusive eu.

- Não...eu achei completamente desnecessário a Carol gritar contigo daquela forma...você está passando por problemas e bom, pessoas machucadas tendem a acabar tendo algum tipo de contato com quem as machucou. - Falo me lembrando de Charlotte e toda sua história com Jhonny. - Uma parte sua queria ouvi-lo, ver como ele estava, encará-lo ou sei lá o que. Mas lá no fundo você sentia que era isso que você queria e tudo bem. Nós somos assim. - Digo sincera. Pedro suspirou e me surpreendeu com um abraço apertado, o mesmo passou a chorar descontroladamente em meu ombro. - Shii...está tudo bem, ok? Você não é um monstro por ter ido se encontrar com ele. Você não tem culpa de nada, tá bom? -Pedro se afasta e riu em meio as lágrimas.

- Droga, estou parecendo um garotinho que se perdeu da mãe no supermercado. - Riu mais ainda em meios as lágrimas e eu o acompanhei, Pedro consegue ser bem bobo quando quer.

- Agora posso te dar um conselho?

- Deve! Estou perdido. - Ele se apressa em dizer e eu somente soltei um som nasal baixo.

- Não vou te obrigar a nada, por que você tem seu direito de conversar mais com ele e entender o porquê ele era tão nojento contigo e sua mãe...mas se afaste dele, Pedro. Esse homem me cheira a confusão. - Ele suspirou pesadamente e assentiu.

- Eu sei disso...eu só...precisava, sabe?

- Sei, não estou aqui para te julgar muito pelo contrário...quero te ajudar. - Digo sincera.

- Porra, você falou igualzinha a uma psicóloga. - Disse rindo e me arrancando uma risada também.

- Eu sendo toda amiga companheira, te passando os conselhos e você aí zombando do meu momento terapeuta. - Digo fingindo estar brava e Pedro ri altamente.

- Você me ama, olhos verdes. - Disse convencido me fazendo rir.

- Conta comigo sempre, viu?

- Claro! E você também. - Disse e me abraçou.

Peguei um cigarro que estava no bolso da minha jaqueta e o ascendi. Pedro me olhou e fez uma careta negando com a cabeça e disse:

- Seu câncer no pulmão tá vindo de bike. - Disse me fazendo rir.

- Relaxa, eu só fumo quando estou nervosa...me ajuda a aliviar. - digo simples.

- Cada um com suas manias autodestrutivas, né?! - Disse e eu assenti. - Posso perguntar algo?

- Pode. - Digo tragando mais de meu cigarro.

- Qual é o seu passado Lauren? - Sua pergunta me pegou completamente desprevenida, e traguei mais do meu cigarro e soltei lentamente a fumaça novamente.

- Já que você quer tanto saber... - Digo jogando o cigarro no chão e pisando no mesmo.

E ali contei tudo novamente, sobre Charlotte, Emily e Alisson. Pedro ouvia tudo atentamente em alguns momentos o mesmo gritava falando que ia matar Jhonny e Emily ato que me fazia rir...Pedro é louco.

- Caralho olhos verdes! Que bando de cuzão...essa Charlotte parecia ser uma boa pessoa mesmo. - Ele diz compreensivo. - E me desculpa por aquilo na pizzaria, não sabia.

- Relaxa, não tinha como você saber mesmo...eu me fechei e não contava pra ninguém, só contei sobre pra Carol.

- Entendo...eu estou aqui pra tudo ok? Se quiser eu posso até bater nesse Jhonny.

- Olha eu aceito bater no Jhonny. - Digo rindo

- Posso mudar de assunto de repente novamente? - Disse.


Notas Finais


Como estamos?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...