História Recomeço (NÃO É STONY !!!!!! ) - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Doutor Estranho, Homem de Ferro (Iron Man), Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Dr. Bruce Banner (Hulk), Loki, Pantera Negra (T'Challa), Stephen Vincent Strange / Doutor Estranho, Steve Rogers, Thor, Wong
Tags Bartro, Bruce, Não É Stony, Steve, Strange, Stucky, Thorki, Tony
Visualizações 117
Palavras 1.473
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 19 - Sobre o que eu sinto


Pov's Stephen

Ao correr para a sala de cirurgia eu tive de ter um tempo para me acalmar minhas mãos tremiam assim como as minhas pernas. Eu tava com 47 anos, havia conhecido Tony 29 anos antes e agora eu finalmente tinha saído com ele. Eu o amei em silêncio e segredo por tanto tempo.

Na faculdade ele ficava com algumas pessoas. Só homens e todos eram lindos, bem o padrão do homem com quem se casou. Procurei fotos depois que cheguei em casa naquela noite em que o vi na casa dos pais. Altos fortes, quando tinham barbas, eram barbas bem espeças e fechadasz como barbas de lenhador. Eu era só um cara estranho que passava despercebido. Ele não se lembra de mim, muito provavelmente não se lembra do dia que conversou comigo. Eu estava no gramado, o barulho dentro do prédio estava me deixando doido. Era uma noite linda e estava tendo uma festa de final de semestre da minha turma e com alguns amigos dele.

- Por que não está na festa, Strange ? - questionou Loki Laufeyson que vinha vindo acompanhado do namorado e de Tony. Era um colega de biblioteca - Você precisa ser mais social !

- Barulho demais ! - falei apertando o meu exemplar de O Hobbit por entre os dedos.

- Você precisa se divertir também, querido ! - disse Loki e eu levantei o livro pra ele, como quem diz que já estava me divertindo - Bom, boa noite, Strange !

- Boa noite, cara. Se quiser dormir no nosso prédio, nosso dormitório tem cama vazia ! - disse Thor - Eu também não gosto de tanto barulho !

- Obrigado. Qualquer coisa eu vou sim ! - falei abaixando mais meu rosto ao perceber que Tony me encarava, eu usava aparelho nessa época e meu cabelo estava enorme.

- Posso sentar do seu lado ? - questionou Tony e eu gelei inteiro.

- Po ... Pode ! - falei.

- Boa noite, Tony ! - disse Thor puxando Loki pela mão - Juízo !

- O Hobbit ? Muito bom gosto ! - ele disse. Era tão lindo. Tão cheiroso e meu Deus.

- Obrigado ! - falei tentando arrumar meu cabelo, mas o vento estava me deixando um caos.

- Desculpa o fedor de bebida ! - disse ele abraçando os joelhos - Eu estou um pouco bêbado demais e fiquei tonto !

- Entendo ! - falei arrumando meu cabelo, de novo. Estava sem buchinha.

- Licença ! - Tony diz se aproximando de mim e tirando uma caneta do bolso. Com cuidado ele enrolou meu cabelo e o prendeu em um coque com a caneta - Assim o vento não vai te atrapalhar a ler !

- O ... Obrigado ! - falei sem graça. Meu coração estava quase saindo pela boca.

- Sabe, o barulho é ruim, mas às vezes você vai ter que sair da zona de conforto, sabe ? Todo mundo lá dentro tá meio perdido e deslocado também, eu também tô, mas se isolar nem sempre é a melhor opção ! - ele disse deitando na grama.

- Eu não gosto de muita gente no mesmo lugar !  Falei olhando pra ele.

- Eu também não, mas a gente precisa das pessoas. Precisa ter contato com elas e isso é muito importante pra gente ! - ele disse abrindo a boca de sono - Posso dormir do seu lado ?

- Pode, eu acho ! 

Viramos a noite daquele jeito. Eu sentado lendo e às vezes o observando dormir, e ele dormindo. Nunca mais nos falamos, mas eu tenho a caneta dele até hoje. Com um Stark enorme gravado. Nunca consegui me desfazer dela.

Claro que era uma paixão adolescente de uma pessoa que nunca teve coragem de chegar nele, nem mesmo pra devolver a caneta e ele nunca mais falou comigo, aliás havia me visto muitas outra vezes e nunca pareceu se lembrar de mim. Quando ele foi sequestrado, eu assisti as notícias como se fosse morrer. Estava me recuperando do meu acidente e não podia me mover muito, mas eu estava a ponto de enlouquecer querendo ligar pra alguém que tivesse o número dos pais dele, queria saber de coisas que não eram faladas na televisão, mas eu não era ninguém.

 Quando vi que ele se casou, eu estava fazendo minha segunda especialização. Me lembro de ter sido um dia triste pra mim, com direito a muito vinho e uma ressaca de dois dias. Eu chorei muito. Eu me sentia um idiota por ainda gostar dele e por ainda sentir algo por um cara tão foda e bonito que nunca seria nada meu.

Tony era genial na faculdade com seus projetos e programas de softwares e eu sentia que ele estava perdendo muito tempo trabalhando com melhorias em armas. Mesmo que fosse pra empresa do já famoso Howard Stark, eu sabia que ele tinha potencial de muito mais.

Eu estava surtando durante a cirurgia, mas como sempre. Eu fui bem. Eu tinha um histórico perfeito de cirurgias, principalmente as mais difícies e complexas e eu tinha orgulho disso. Havia levado o que Tony me disse naquela noite como lição. Eu precisava das pessoas e era por minha equipe ser muito perfeita que meus resultados eram perfeitos.

Assim que a cirurgia terminou, após longas seis horas de reconstrução, eu encontrei um Eddie já com sua roupa de academia com cara de quem quer saltar em alguém e contar um rio de novidades. Pedi que me esperasse enquanto eu tomava um banho e colocava outro uniforme, só que limpo dessa vez e o chamei para minha sala.

Ele estava muito empolgado com Bruce. Me contou do que se tratava o caso e não só pelo caso ser semelhante ao seu, mas por estar muito interessado em Bruce como pessoa. Isso era óbvio. Eddie é um safado, e eu já imaginava que ele fosse se interessar por Bruce por gostar de homens mais velhos, mas não imaginava que fosse se interessar por uma segunda personalidade de Bruce, porque eu nem sabia que ele tinha.

Contei a ele sobre meu interesse em Tony, desde o começo. Nunca tinha contado pra ninguém, mas da mesma forma que eu guardava o segredo dele, ele podeira guardar o meu.  Pensei que ele fosse debochar de mim, mas ele foi tão compreensivo e obstinado me falando que eu tinha que ficar com Tony, que tinha que lutar por ele, fazer ele entender que eu gosto dele e que eu tenho interesse nele. Falei que eu nunca fui muito corajoso e ele disse que a vida estava dando uma chance tanto pra mim quanto pra ele, porque não era a toa que Tony e Bruce tinham vindo parar em nossas vidas, aliás nada é em vão.

Eu pensei em deixar pra lá, mas tive que concordar com ele ao voltar pra pegar meu celular e ser avisado dos resultados de Tony terem ficado prontos. Ele tinha razão em fazer exames tendo sido traído, sabia bem quais eram os exames que ele tinha pedido mesmo não querendo ser invasivo, mas Marie fala demais. Mandei mensagem pro Eddie perguntando se eu fazia aquilo já que assim como eu, ele estava de folga e foi ele quem me deu coragem. Eu estava disposto a demonstrar todo o meu interesse em Tony. Levasse quanto tempo fosse preciso, aliás eu esperei por 29 anos, porque não posso esperar mais alguns meses ?

Enchi meu peito de coragem e liguei para ele. Chamou uma vez e ele não atendeu. Liguei a segunda e veio a voz sonolenta e meu Deus, como daria  tudo pra acordar ao lado dele e ver ele com cara de sono. Ele demorou um pouco pra vir atender a porta com uma samba canção e uma blusa larga de pijama, o cabelo bagunçado, mas isso foi bom porque eu e minha imaginação tínhamos pensado nele dormindo nu, e mesmo assim, ele com aquela roupa não eram muito saudáveis ou santos de pensar. 

A blusa do pijama estava do avesso, ou seja, ele havia vestido ela na pressa, mas eu não comentei nada.

Para a minha alegria, ele aceitou ir caminhar comigo e aceitou as roupas de presente e elas ficaram perfeitas nele. Maria, sua mãe ao me ver fez questão de me chamar pra tomar café com eles, mesmo que eu já estivesse de pé desde as quatro e já tivesse tomado café, eu fiz questão de aceitar. Ela fez questão de dizer que gostava muito de mim e que fazia gosto de me ver com seu filho e eu cheguei a me engasgar.

Convidei Bruce pra vir com a gente, mas ele entendeu que era um convite mais por educação e disse que era melhor que fossemos sozinhos porque ele tinha que mandar alguns e-mails. Quem manda e-mail em um sábado pela manhã ?








 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...