1. Spirit Fanfics >
  2. Recompensa >
  3. Dá beijinho?

História Recompensa - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Mais uma one shot maravilhosa com NingYi porque sim! Eu gostei bastante de escrever ela e eu espero que vocês gostem também. Boa leitura :D

Capítulo 1 - Dá beijinho?


Os Recantos da Nuvem estava em completo silêncio naquele final de tarde quase beirando ao início de uma noite que prometia ser estrelada. Era mais que óbvio que todos os discípulos e jovens mestres estivessem em seus quartos se preparando para dormir, ou se fossem mais ousados, poderiam estar conversando pelos cantos, ou mais provavelmente, poderiam estar em alguma caçada noturna.


Novamente, toda Gusu estava em silêncio, menos é claro, o pavilhão da biblioteca, onde Lan JingYi resmungava pela sabe-se lá quantas vezes desde que começara a cumprir sua punição. Punição essa que ele achava totalmente injusta, sendo que ele não tinha feito nada de errado ou de tão absurdo assim. O que tinha de tão mal nas perguntas que fizera à HanGuang-Jun? Precisava mesmo tê-lo feito copiar mil vezes o livro de Conduta?


Bufando mais uma vez, JingYi murmurou, "Vamos lá, JingYi, só faltam 990 vezes...", ouvindo seu estômago roncar. Ah o que ele não daria por um bom prato de asinhas de frango naquele momento. Só o fato de imaginar as benditas asinhas, sua boca salivava, deixando seu estômago ainda mais irritado.


Próximo dali, Wen Ning perambulava livremente à procura do sobrinho, Lan SiZhui, não o encontrando em canto algum. Com sua aparência mais suave - SiZhui havia feito um bom trabalho animado quando o tio pediu-lhe por uma ajudinha -, ele conseguia caminhar entre outras pessoas sem despertar-lhes algum desconforto diante sua presença, fazendo até mesmo alguns amigos juniores na seita.


Perguntando aqui e ali pelo garoto, recebeu a informação de que ele havia saído com HanGuang-Jun e Wei Wuxian para uma caçada noturna em "família", fazendo-o sorrir com a imagem do pequeno A-Yuan feliz com a experiência. Sentando em um banco próximo à biblioteca - mesmo que não se cansasse ou precisasse descansar -, ele olhou para o céu, observando as estrelas que começavam a aparecer, com os pensamentos distantes, soltando um pequeno suspiro no processo. 


"Ah que fome...", uma voz surgia atrás de si, reconhecendo-a sendo de Lan JingYi, "Vou levar uma eternidade pra terminar isso aqui..."


Curioso, Wen Ning levantou, limpando as vestes antes de encaminhar-se até a porta dando toques gentis, e recebendo um murmúrio como resposta. Ao entrar, percebera que era mesmo JingYi, em uma posição estranha enquanto tentava manter a caligrafia decente ao que escrevia. Ele já ouvira falar que "parada de mão" era uma das práticas de punição da seita Lan, mas não imaginava que um dia veria alguém realizando-a em sua frente. 


Wen Ning, "Lan JingYi?", perguntou se aproximando sutilmente, não querendo atrapalhá-lo ou assustá-lo com sua presença repentina, "Porque está aqui?"


Surpreso, JingYi lhe direcionou um olhar, tentando manter o equilíbrio, "Ge...", cruzando seu olhar com o do tio de seu amigo, ele parou, recompondo-se, "Wen Ning? Eu... HanGuang-Jun me puniu por algo bobo...", reclamou baixinho, se fosse ouvido por alguém e suas palavras chegassem à Segunda Jade de Lan, seria punido novamente - era proibido falar pelas costas dos outros -.


Sentando-se próximo ao outro sem perceber a leve mudança que causara, Wen Ning perguntou, "Pelo que foi punido?", sabia que poderia estar sendo invasivo demais, mas, sempre fora curioso, o que poderia fazer sobre isso? E, "algo bobo"? Que tipo de coisa boba poderia ter resultado ao garoto em sua frente, uma punição de.... Copiar mil vezes um livro?


Lan JingYi sempre foi do tipo que falava na cara o que precisasse ser falado e tinha muitas curiosidades como qualquer garoto de sua idade, infelizmente, ele acabou perguntando aquelas coisas para a pessoa errada, por isso estava ali. A barriga resmungando ora baixo ora mais alto denunciando sua fome ainda se fazia presente, atraindo os olhos do "temível" General Fantasma para a região de onde vinha o barulho.


Wen Ning, "Está com fome?", o tom preocupado não passou despercebido pelo outro, que trocando de mão, balançou a cabeça confirmando, "Hm... Espere aqui!", saindo da biblioteca deixando para trás JingYi que mesmo se quisesse, não poderia ir à lugar algum sem terminar as 778 cópias que faltavam ainda.


JingYi viu o mais velho sair correndo daquele jeito fofo por conta dos músculos ainda rígidos - mesmo que já tivesse feito grande melhora com os anos -, e voltando logo depois com uma bandeja que ele nem queria saber como havia conseguido, já que havia horário para o jantar. Talvez ele tivesse usado o fato de ser um convidado, tio de um dos discípulos mais proeminentes e amigo de Wei Wuxian que nada mais era que parceiro de cultivo de HanGuang-Jun, à seu favor. 


Quando teve a bandeja posta em sua frente, JingYi sentiu a boca salivar ao ver seu prato preferido - asinhas de frango com molho levemente picante - ao lado de outras coisas como uma tigela de sopa e alguns vegetais. Levado pela fome, ele saiu de sua posição, sentindo a cabeça girar levemente pelo tempo em que ficou com ela abaixada. 


Lan JingYi, "Isso... Isso é pra mim?", não queria parecer convencido, mas lembrava-se de ouvir algo sobre ele não precisar comer, então, de qualquer maneira, preferiu perguntar só pra ter certeza, vendo-o confirmar com o que parecia ser um sorriso em seus lábios, "Obrigado!"


Wen Ning sorria, daquele jeitinho dele mesmo, enquanto via JingYi começar a comer como se não houvesse se alimentado por horas - o que poderia ser verdade também -, "De nada!", respondeu, puxando um lencinho das vestes e inconscientemente limpando um pouco do molho que havia sujado o canto da boca do garoto, "É... Porque mesmo HanGuang-Jun te puniu?"


Não sabendo se a leve quentura em suas bochechas fosse pelo cuidado consigo ou pela lembrança das perguntas, JingYi esperou mastigar bem o pedaço de frango que comia, bebendo um gole da sopa para facilitar, antes de responder em voz baixa, "Eu... Eu perguntei ao HanGuang-Jun qual era a.... A sensação de beijar alguém que a gente gosta...", surpreso, era assim que Wen Ning se encontrava por dentro - já que por fora sua expressão não mudava muita coisa -.


"Vo-Você gosta de a-alguém?", geralmente Wen Ning só gaguejava quando ficava nervoso com algo, e de tanto que isso acontecia, os outros sempre conseguiam descobrir o que se passava com ele, "É do... A-A-Yuan que você gosta, JingYi?"


Lan JingYi, "Não...", a certeza e mínima hesitação em sua resposta era o suficiente para sentir que ele dizia a verdade, terminando a última asinha de frango antes de continuar, "SiZhui gosta do Líder da Seita Jin... Mesmo que ele negue um milhão de vezes, é fácil notar o jeito que ele olha pra Jovem Dama..."


Pensando, Wen Ning começou a achar que ele pudesse estar gostando de alguma das novas discípulas que haviam entrado recentemente para a seita. Só a mínima ideia de vê-lo com alguma delas em um relacionamento além da amizade, fazia algo em seu peito doer, mesmo sendo impossível que ele sentisse qualquer dor física. Seria seu lado emocional, a lembrança do que seria a dor de um coração partido, lhe atormentando?


Wen Ning, "E... Você perguntou só isso para ele?", ainda achava uma tremenda bobagem ser punido por uma pergunta desse nível, "Não é possível que só com uma pergunta dessas ele pudesse te punir..."


Lan JingYi terminava de comer, limpando qualquer resquício que pudesse ter sobrado em seus lábios, olhando para a pilha de papéis espalhadas pela mesinha e chão, "Na verdade, eu também perguntei como era beijar um garoto, já que ele é casado com um...", ele estava apenas enrolando com as respostas, não tinha coragem de dizer-lhe abertamente qual era sua verdadeira vontade.


Mesmo que SiZhui tivesse descoberto uma noite quando por infortúnio de JingYi - que costumava falar dormindo -, havia se declarado em sonho para o tio do amigo, tio esse que estava ali agora, bem em sua frente, cuidando-o e até alimentando-o, causando uma tremenda confusão de sentimentos em sua cabeça. Estava na cara que ele não ia falar mais nada sobre aquilo, tampouco esperava a pergunta que o outro fizera.


"Você... Nunca beijou?", não que pudesse julgá-lo, porque ele mesmo também nunca havia sequer segurado as mãos de alguém romanticamente falando, quanto mais trocar alguns beijos. 


"Não..."


JingYi já havia voltado para sua punição - agora com a barriga ligeiramente bem forrada graças ao seu "amor platônico" -, ele sentia que poderia terminar todas aquelas cópias em pouquíssimo tempo. Como havia acabado de comer, não seria uma decisão muito boa se ele voltasse a fazer parada de mão, tendo assim que continuar escrevendo em sua posição normal, sendo minuciosamente observado pelo Wen.


Lan JingYi, "E você?", perguntou sem tirar os olhos do papel em sua frente.


"Não também..."


O rapaz queria muito poder gritar e se arriscar, mas o medo de ser rejeitado e piorar a relação amigável que tinha com o outro era grande demais, mantendo-o em seu lugar, tentando controlar seu conflito interno. Depois daquela noite, quando SiZhui voltasse, ele com certeza pediria ao amigo para tocar-lhe "Purificação" ou até mesmo o "Som da Lucidez", já que tinham efeitos relaxantes em quem os ouvia. Com o pulso levemente dolorido, ele parou por um segundo, suspirando frustrado por não conseguir se concentrar.


Wen Ning percebeu o desempenho de JingYi decair aos poucos, tentando decidir se o que pensava era certo ou não, ainda mais se considerasse a diferença de idade entre eles - mesmo JingYi já tendo chegado à maioridade -, era difícil para seu pobre coração que nunca sequer havia se apaixonado por alguém em toda sua vida, aceitar que sentia algo pelo Lan. Como que ele, o "General Fantasma", poderia sequer pensar na hipótese de se apaixonar por alguém? Ainda mais sendo alguém da renomada e respeitada Seita GusuLan? Porque alguém se apaixonaria por ele? Eram coisas que ele pensava e quanto mais fazia isso, mais quieto ficava.


"Você já morreu uma vez, A-Ning! Não tem mais nada a perder se tentar, eu acredito em você e desejo do fundo do coração que seja feliz, que assim como eu, tenha alguém que te ame também!", as palavras de Wei Wuxian brilhavam em sua mente, fazendo-o tomar alguma atitude, depois ele pensaria nas consequências de seus atos.


Wen Ning, "Você... Hm... Nós..", batendo mentalmente em sua face, ele se forçava a continuar, deveria ser mais corajoso, "Se você quiser, nós podemos..."


Largando o pincel no apoio, JingYi estava surpreso, as bochechas vermelhas pela proposta, "Você... Faria isso?", perguntou vendo-o confirmar ao mesmo tempo em que se aproximava, debruçando-se sobre a mesinha com cuidado para não estragar todos aqueles papéis que já estavam em processo de secagem da tinta.


Aquilo nem de longe poderia ser considerado um beijo de verdade - simplesmente nada mais era do que um selinho demorado -, exibindo a inexperiência dos dois naquele assunto, mas ainda assim sendo proveitoso. Estavam nervosos, não sabiam onde colocar as mãos, não sabiam se saíam por detrás da mesa que os atrapalhava, não sabiam nada, suas mentes simplesmente ficaram em branco. Isso tudo com apenas um mísero selinho. Corado, Wen Ning se afastou aos poucos, ambos com os olhos ainda fechados, tinham medo de que se abrissem, aquilo poderia não ter sido real.


Wen Ning, "Isso... Isso foi...", o coitado estava tão atordoado pelo primeiro beijinho com o garoto que gostava, que nem conseguia terminar uma frase direito, abrindo os olhos e encontrando o olhar do outro preso ao seu, um sorrisinho tímido brincando em seus lábios.


"Isso foi bom...", JingYi respondeu, coçava a nuca ao passar a língua suavemente pelos lábios como se pudesse absorver o gosto do outro, mil e uma coisas passando em sua mente. Então era assim que alguém se sentia quando beijava quem gostava? Como se houvesse inúmeras borboletas em seu estômago, a vontade imensa de jamais parar e se jogar sem medo nos braços desse alguém ignorando todo o resto? JingYi estava levemente apaixonado, e ele não conseguia esconder.


Wen Ning também não estava muito diferente, sentia-se ansioso, querendo provar novamente o sabor delicado daqueles lábios macios, queria também poder segurar sem medo sua cintura e deixar ali uma carícia sutil. Queria tanto, mas não podia, não quando alguém ainda tinha uma punição para terminar. Mesmo com a vontade que sentia, ele era justo e não gostava de descumprir as regras, principalmente as de Gusu.


Ele podia ver claramente o desejo nas ações tímidas de JingYi em sua frente, que não sabia o que fazer, se permanecia onde estava ou se realmente se jogava no outro afim de outros beijos. Fingindo estar sério, Wen Ning o advertiu, balançando a cabeça levemente, "Quantas cópias ainda faltam?"


Lan JingYi suspirou, até tinha esquecido aquela punição ridícula, "775...", o leve beicinho que fazia quase o desmontava, mas ainda permanecia sério, "Eu não aguento mais, Ning.. Dá beijinho? Eu quero outro..."


Próximo do que seria uma risada, Wen Ning não aguentou, deixando um sorriso maior surgir nos lábios pela manha do garoto, levando a mão até o rosto alheio em uma leve carícia, depositando em sua testa um singelo beijinho, "Se terminar o que falta sem reclamar, eu te dou uma recompensa..."


Notas Finais


Eita que eu ainda morro com as minhas próprias histórias kkk o que acharam? Espero que tenham gostado, hm? Obrigada a quem leu até aqui... 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...