História Reconquistando o Ex -JiKook - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 33
Palavras 2.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OiOi!! Acho que essa vai ser a att mais rápida dessa fanfic, já que tenho outras para fazer. Aliás, precisava estar att outras :'')

Bom, acontece que como eu disse, eu estava muito animada!

Boa leitura (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

Capítulo 2 - Two


Aliás, quem disse que reconquistar o ex seria fácil? Eu sei que fácil não seria, mas nunca imaginei que seria praticamente impossível.

Agora estou aqui, deitado no meu sofá, no escuro, sem TV ou Wifi já que preciso mandar instalar de novo, quando eu disse que meus pais não me bancam nem me ajudam, eu falei sério! Eles foram embora e levou tudo! Por sorte, meu hyung favorito está aqui comigo, mesmo que seja contra a sua vontade, mas está aqui, consolando seu dongsaeng, com palavras bonitas e acaricias.

Aí, quem eu quero enganar?

-ESCUTA AQUI, JEON JUNGKOOK, VOCÊ PARE DE CHORAR COMO UMA COLEGIAL VIRGEM, OU EU TE ENCHO DE PORRADA! -Vociferou me puxando do sofá, fazendo-me cair de cara no chão. Aí, meu nariz!

-Poxa hyung, eu estou sofrendo! -Disse me levantando, enquanto acariciava meu nariz.

-Está sofrendo por alguém não lhe merece! -O mesmo respirou fundo, e veio até mim, ajoelhando em minha frente.

Ah meu Deus! Ele vai me pedir em casamento!

-Escute-me bem, Jungkook. -Começou, e eu suspirei, encarando suas íris castanhas escuras. -Você está sofrendo por ele, e ele não está nem aí para você. Ele te viu chorando, e não se importou. -Funguei enquanto o ouvia, meu hyung tem razão. E essa verdade doía muito.  -Se você quer reconquistar Jimin, deve ir com calma, não pense que vai conseguir aquele garoto tão rápido de volta.

-O que devo fazer? -Questionei, já parando de chorar. Yoongi sorriu levemente, acariciando meu rosto.

-Bom, tem que fazer assim: Primeiro: não pegue o telefone dele, você sabe que ele só está ligando porque está bêbado sozinho. Segundo: não o deixe entrar, você tem que expulsa-lo novamente. Terceiro: Não seja amigo dele, você sabe que vai acordar na cama dele de manhã, e se você estiver debaixo dele, você não vai supera-lo. -Começou cantarolar, me fazendo suspirar. Desculpa hyung, mas eu quero muito acordar na cama do Jimin de manhã. Então, New Rules não vai colar não.

-Hyung, eu estou falando sério! -Exclamei o fazendo rir.

-Desculpe-me. -Disse rindo, se levantando, e segurou minhas mãos. -Você precisa ir com calma. Lembra como começou namorar Jimin?

-Sim, a gente começou se falar quando eu saí junto com Taehyung, já que Hoseok o convidou, e convidou Jimin. Tae não queria ir sozinho e me levou, para segurar vela, aquele veado.

-Vai com calma com Jimin. Volte ser amigo dele, confidente, até que, quando menos perceber, vocês já estão misturando as meias, Dividindo o mesmo edredom, no guarda-roupa dele tem sua gaveta, no seu banheiro já tem as coisas dele, aquele gloss que ele usa de cereja, ele irá correr pra você, assustado, você será o herói, matador de baratas, e depois de tudo vocês dão risada. Quando você menos perceber, você já terá dado a cópia da chave. Ele vai querer acordar do seu lado toda manhã. Ouvir seu bom dia, um café, croissant. Duas cópias suas correndo num quintal. Ele irá querer vocês bem juntinhos, até ficarem bem velhinhos, bengala e crochê.  –Muito fofo da parte de meu hyung dizer isso, mas a terceira regra não era “não seja amigo dele”?  Se decida ai moço.
 

Mas, claro que não devemos, jamais, esquecer-se do: sexo. Muito sexo, óbvio.

Sinto falta daquela mão boba do Jimin pelo meu corpo, eu apertando aquelas coxas, aquela bunda... Ah, aquela bunda! Que delicia de bunda, meu Cristo! Mas, é claro que não é só o corpo que ele tem de gostoso, os beijos são muito bons! Quer dizer, beijo é na boca, e a boca é uma parte do corpo... Mas, os gemidos são ótimos! Ah, não há melhor musica para meus ouvidos, se não ser os gemidos daquele baixinho. Oh céus, estou sendo muito tarado. Mas, Park Jimin não é bom só no sexo, só para deixar bem claro.

Essa narração minha até parece que eu sou ativo. 

O que é?

Eu sou ativo mesmo!

Só que não. 

-E como vou me aproximar dele? –Perguntei, sentando no sofá suspirando. Yoongi ligou a luz, resmungando “Por que está merda está apagada?”. Oras! Para ter um clima! Aish.

-Você precisa de emprego, certo? –Indagou, indo até o sofá, sentando ao meu lado.  Sério que ele me perguntou isso?  Óbvio que preciso de emprego, ele sabe disso!

 MEUS PAIS NÃO ME SUSTENTAM!

 -Pois bem. –Como não respondi aquela pergunta tosca, o mesmo continuou. E se não continuasse, só teria minha resposta quando não tiver mais atrasados no Enem.  Brasil pode estar no outro lado do mundo, mas eu estou atualizado. Minha prima me atualiza sempre. –O barzinho que o Jimin trabalha precisa de funcionários. Ótima oportunidade de você não morrer de fome, e morar em uma ponte cheia de maconheiros, e se aproximar do Jimin. –Realmente, uma ótima oportunidade. Porém, entretanto, todavia, mas, no entanto, contudo, quanto é o salário? Digo, mesmo que seja a oportunidade da minha vida de voltar com meu amado ex-namorado, ainda preciso me sustentar, SOZINHO. Não quero ficar morrendo de fome, morando com maconheiros, ficar gritando “Atenção cadê meu béque?” quando um desgraçado pegar sem minha autorização e ciência.

-Realmente hyung, mas e o salário? –Perguntei mordendo meu lábio, preocupado. Dependendo do salário, não poderei ser amigo do Jimin, para conquista-lo, dividir o edredom, matar as baratas, misturar as meias, ter uma gaveta minha no guarda-roupa dele, ter seu gloss no meu banheiro, dar a cópia da chave, acordar no lado dele toda manhã, dizer bom dia, um café e croissant, ter duas cópias nossas correndo no quintal e ficarmos juntinhos até ficarmos bem velhinhos com bengala e crochê. Estou sendo covarde de novo? Sim estou.

-É o suficiente para você se sustentar. –Respondeu simplista, suspirando. –E então? –Bom já que é assim, vamos trabalhar naquele barzinho e conquistar o Jimin de novo!

-Então, quando começo trabalhar lá? –Perguntei o fazendo rir levemente.

-Temos que falar com Namjoon, ele é o dono. –Ah, claro! Yoongi não poderia me contratar, quer dizer, ele até podia, se ele fosse o dono. Mas, e se ele for o dono, e finge não ser o dono, para ter mais tempo para dormir, e coloca o tal Namjoon no comando, como se esse Namjoon fosse o dono? Isso explicaria muita coisa, já que ele sabe que Jimin trabalha lá, e que ele até se dá bem no trabalho, e no começo teve dificuldade com bandejas. Ou, o Jimin contou para ele.

Ainda acho que é a primeira opção.

-Sabe, Namjoon é meu amigo, então, creio que não vai ser muito difícil você conseguir esse emprego. –Aí, não disse? Min Yoongi é preguiçoso, ele é o dono daquele barzinho.

  -Ah, que sorte que tenho né? –Ri baixo, sendo acompanhado pelo esverdeado.

(...)

São quase meia noite, e eu aqui, encarando meu celular, querendo falar com meus amigos, mas estou sem créditos, e sem wifi. Desgraça de vida, hen. Cê é louco.

Deixei o aparelho de lado, e comecei encarar o teto branco. Eu acho que deveria pinta-lo. Ficaria mais legal. Ainda tenho que pensar o que vou fazer no quarto de meus pais. Talvez, deixarei o quarto para meus rituais satânicos, caso eu não consiga conquistar Jimin por conta própria, o Satanás poderia me dar uma ajudinha.

Credo, o que eu estou pensando? Preciso ir para igreja.

Se eu fosse um Power Ranger, qual eu seria? PARTIU FAZER TESTE! Ah, é, eu não tenho internet para fazer um teste.

É o fundo do poço mesmo, hen.

TÉDIO.

 Nossa. Como meu teto é lindo. Maravilhoso. Mas, ainda acho que devo pinta-lo.

 E foi decidindo que cor que eu vou pintar meu teto, que eu dormir.

(...)

Eu estava dormindo tranquilamente, em minha caminha macia e confortável, até que tomo um susto danado, com alguém tocando a campainha desesperadamente. Porra senhor Zhang, por que diabos teve que deixar esse ser humano (futuro falecido humano) entrar? O certo não seria ligar para mim? Ou, talvez fosse aquele velho chato do senhor Choi. Isso, se aquele matusalém ainda é vivo. Ou, a velha louca da senhora Lim.  Vou apenas ignorar, vai que o fulano vai embora, né? Errado. Eu não consigo, estou curioso para saber que é o filho da puta, que nunca viu uma campainha na vida, e não para de apertar aquele caralho de botão. Ah, faça mil favor! Vai assoprar flauta, porra.

Levantei-me, descalço mesmo, porque eu não sou obrigado a calçar um chinelo, para andar no meu apartamento. Não gostou de ser recebido com um cara com um macacão do Pikachu, descalço? Vem pagar minhas contas então, cacete. NÃO SOU OBRIGADO ME VESTIR ADEQUADAMENTE NO MEU APARTAMENTO, SE EU QUISER EU FICO PELADO MESMO, COMO EU FUI CONCEBIDO AO MUNDO. Até que não é uma má ideia.

Abri a porta com minha cara de bunda murcha, encarando aquele ser na porta. Não era o matusalém, nem a velha louca. Era o embuste exageradamente feliz, cujo seu nome é Kim Taehyung, que, por mera coincidência é meu melhor amigo.

-Mas que pijama é esse? –Está é a forma que este animal cumprimentar alguém. Criticando suas vestes.  –E que cara de quem foi mal comido é essa? Credo. –Não escutem esse embuste, eu não sou comido, eu como. Aqui é ativão, macho alfa.

 -Deve ser porque eu estava dormindo, e você me acordou em plenas dez horas da manhã, em um domingo! –Disse irritado, dando passagem para o loiro entrar, fechando a porta.

 -Já era para você estar acordado, vagabundo! –Gritou se jogando no sofá. –Vá se arrumar, nós vamos sair.

-Taehyung, eu nã-.

-Qual a senha do wifi? –Bufei, e aquele embuste riu. Ele sabe como eu odeio ser cortado, mas parece que faz isso por prazer.  NÃO SOU OBRIGADO ATURAR ISSO. Na verdade, sou sim.

-Taehyung, eu não tenho Wifi. Não tenho TV a cabo, não tenho nada! Eu estou pobre, duro, sem grana, sem nada. –Respondi pausadamente, para ver se aquele louro entende de vez minha situação atual. Não só atual, mas passada também, já que meus pais raramente me davam uma mesada, e para eu ter dinheiro para alguma coisa, tinha que pedir, dando detalhes bem detalhados para conseguir sequer quarenta wons, e provavelmente futura situação, já que faz um bom tempo que tento ganhar na loteria e não consigo.

-Você está na merda, hen. –Jura? Nem tinha percebido. Respirei fundo, lembrando que ele era meu melhor amigo, e já me ajudou muito, eu preciso de um melhor amigo, para desabafar. Ele é uma boa pessoa, meu confidente, companheiro.

Taehyung tem que se foder e acabou.

(...)

Taehyung, eu te amo, que muitas coisas boas aconteçam em sua vida.

-Vamos comer algo, Jungkook? –Perguntou, assim que pagou as compras. Já faz duas horas que estamos fazendo compras no shopping. Sim, em pleno domingo estamos comprando. Já que algumas lojas fecham às duas horas, ainda temos mais duas horas para andar, e comprar mais.

O lado de bom de você não ter míseros um won no bolso, é que você tem um Kim Taehyung, que pega o cartão de crédito da mãe, e sai com você para comprar roupas. E não precisa ter dinheiro, já que está sendo bancado pelo melhor amigo. Eu amo o Kim Taehyung.

Saímos da loja, sorridentes, até que esbarro em alguém, fazendo minhas sacolas e as sacolas do fulano cair. Credo, esse povo não enxerga não? Me abaixei, e quando fui pegar a sacola, acabei vendo uma mão pequena e fria em cima da minha, com alguns anéis. Subi meu olhar, reconhecendo aquela mãozinha. Meu coração parou.

Tive um enfarte e morri.

Acabou.

Mentira, não acabou não.

Com lápis de olho, um gloss fraco, que deixava seus lábios fartos rosados e um pouco brilhoso, cabelos ajeitados e vermelhos, em suas orelhas tinham brincos.  Cada dia mais lindo, o tempo não passa para ele. Aish, quem lê isso parece que sou um velho de setenta anos. Gente, eu só tenho dezoito anos, tá?

-J-jungkook... –Murmurou baixo, olhando-me nos olhos. Claro, eu sustentei o olhar, sorrindo levemente.

-J-jiminnie... –Gaguejei bem baixinho. Ah, era tão bom sentir aquela mão geladinha na minha, encarar aquela íris negras de novo, sentir seu hálito de hortelã.

“-Vai com calma com Jimin. Volte ser amigo dele, confidente, até que, quando menos perceber, vocês já estão misturando as meias, Dividindo o mesmo edredom, no guarda-roupa dele tem sua gaveta, no seu banheiro já tem as coisas dele, aquele gloss que ele usa de cereja, ele irá correr pra você, assustado, você será o herói, matador de baratas, e depois de tudo vocês dão risada. Quando você menos perceber, você já terá dado a cópia da chave. Ele vai querer acordar do seu lado toda manhã. Ouvir seu bom dia, um café, croissant. Duas cópias suas correndo num quintal. Ele irá querer vocês bem juntinhos, até ficarem bem velhinhos, bengala e crochê.”

Meu hyung tem razão, não posso beijar o Jimin agora, preciso ir com calma. Aliás, ele está com outro. Tudo tem seu tempo.  Eu demorei dois meses para abraçá-lo, depois, mais quatro meses para lhe dar um simples selinho. Fui ignorado por três semanas inteiras, e então, eu consegui ficar com ele. Depois duas semanas começamos a namorar.  Agora, eu não preciso me mudar, agora que eu não vivo com meus pais, eu posso seguir minha orientação sexual livremente, talvez nem tão livre assim, mas, não preciso escondê-lo.

Sim, eu tenho tempo. Posso espera-lo.

Só não sei quanto tempo minha esperança durará.


Notas Finais


Gente, pelo amor de Deus, quem nunca ficou no tédio, sem internet, olhando o teto querendo pinta-lo? Ok, tirando a parte de querer pintar o teto, quem nunca?
Mas, eai, e esse encontro dos dois? Será que vai mexer com o Jiminnie ou ele vai ficar tacar um foda-se gostoso? E como será o Kook trabalhando no barzinho com ChimChim?
Uuuuh ~~ ~
Bom, agora vou att minha outra fanfic, boa noite ∩(︶▽︶)∩


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...