1. Spirit Fanfics >
  2. Reconstruindo o amor >
  3. Perguntas

História Reconstruindo o amor - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Preciso que leiam as notas finais, é importante :)

desculpa qualquer erro... Boa leitura :)

Capítulo 20 - Perguntas


Fanfic / Fanfiction Reconstruindo o amor - Capítulo 20 - Perguntas

- Não sei se entendi direito, - ouço minha amiga dizer enquanto já estamos indo para segunda pizza, nada melhor que comer para conversar e eu já estava ficando tonta com tanta confusão na minha cabeça, precisava colocar para fora e quem melhor que minha melhor amiga.

- Vai por mim, você entendeu – digo colocando mais um pedaço em seu prato.

- Quero dar um abraço nela, e também bater nela por ter escondido isso por uma década. To começando a achar que ela já vai pro céu só de ter vindo para o enterro dele.

- Acho que foi mais o lance do testamento, a burocracia sabe, não o sentimento em si – a conversa tinha tomado um rumo mais para o lado de entender moonbyul do que analisar o que sinto, não vou reclamar pois ainda não faço ideia do que sinto.

- Juro, sun. Não parece o dohoon dois últimos anos, acho que ele não achou que moonbyul iria sumir da vida de todos. Não estou defendendo-o – ela já diz assim que me vê olhando para ela não acreditando que estava falando algo bom dele – Ele foi mais baixo do que se quer pensei possível, ele usou a única coisa que poderia mexer com ela, seu futuro.

- Eu não consigo passar pelo fato que ela me deixou, daquela maneira – digo lamentando, gostaria de superar isso, mas está muito difícil.

- Então vamos imaginar que ela tivesse te dito também? – ela me fita, e eu concordo com a cabeça tentando me concentrar para responder seja lá o que for, que acredito que não será fácil. – O que teria feito?

- Teria impedido ela de ir embora – diga na hora e ela me olha como quem diz está vendo porque ela não falou? – Claro, por isso ela não falou mas..

- Sun, ela já fez a escolha dela, e pelo que você me disse tomaria de novo, não tem o que discutir aqui quanto a isso – ela pega mais uma fatia. – A grande questão aqui é o que você vai fazer agora.

Está aí a grande questão que não sei responder, a segunda pizza já estava acabando, fico olhando para a caixa quase vazia e acho que me perdi por alguns segundos.

- Não estou falando que ela estava certa, nem que estava errada, mas... – ela ia ter que ficar falando por que eu não consigo organizar minhas falas – A situação era difícil na sua casa, naquela época, perder a casa, perder tudo sei lá sun, está difícil de julgar a moonbyul aqui e olha que xinguei muito em seu nome.

- Ai hwasa, minha cabeça está uma bagunça.

- Vai ter que ser mais específica que isso, qual a confusão? Vai sun, me fala o que está na sua cabeça, por mais confuso que esteja – ela diz cruzando os braços, e respiro fundo, ela quer a confusão então eu vou falar tudo.

- Ela me deixa louca, é como se tivesse momentos que olho e vejo minha Byul-yi sabe? A Byul-yi de 10 anos atrás que era doida e sensata ao mesmo tempo, que me fazia esquecer de tudo e todos quando estava comigo, que me fez pela primeira e única vez querer ficar com alguém para sempre, ela me era suficiente – digo, olhando para ela eventualmente para ver se estava seguindo meu raciocínio. – Aí tem momentos que olho para ela e vejo a pessoa adulta, que me atrai tanto quanto, mas que se mostra ainda um pouco distante, passamos muito tempo longe Hwasa, eu sei que não sou a mesma Yongsun logo acredito que ela não seja a mesma moonbyul – ela continua me olhando com toda atenção como se fosse uma palestra. – Acho que...

- Acha o que? – ela fala quando não termino minha frase.

- Acho que estou com medo – digo olhando para baixo, odeio ter medo, odeio isso, essa dúvida.

- Porra sun, tudo isso para chegar na conclusão mais obvia do universo? – ela sacode a mão. – Quero saber é do que tem medo, porque ter medo já estava na cara.

- Tenho mede de esperar demais, sabe? – ela nega com a cabeça e respiro – Eu não sei se quero ficar com ela por que quero recuperar o que tínhamos, e se for isso se podemos de fato ter o que tínhamos sabe? Estamos diferentes agora, além disso posso acabar dando uma chance a ela achando que é a moonbyul de antigamente e descobrir uma pessoa completamente diferente, está entendendo?

- Estou sim, mas você está pensando demais. Vamos ser simples aqui – ela pega minhas mãos que estavam no meu rosto frustrado – Pelo que você me falou vocês já saíram, e conversaram sobre diversos assuntos não relacionado ao passado – concordo com a cabeça – O que achou da pessoa que estava conversando com você?

- Foi agradável, sei lá, era estranho porque as vezes parecia que estava conhecendo uma pessoa novo aí ela ia e falava algo que me fazia lembrar dela antes, com sai comida favorita que não mudou ou outras coisas relacionadas a gosto.

- Não tem como separar a moonbyul do presente com a do passado sun. – ela diz apertando as minhas mãos. – Você falou uma verdade, todos mudamos, porém ainda temos traços de quem fomos. Aquela moonbyul está lá, mas claro que algumas coisas devem ter mudado, você precisa saber se o que sentem mudou. O que você sente sun?

- É como se não conseguisse ficar longe dela, ela ainda me faz rir que nem uma adolescente apaixonada, mas essa não sou eu, não mais. – digo tirando minhas mãos dela.

- Você se privou de sentir isso esses nãos todos, agora a única desculpa que tinha se foi.

- Como assim?

- Você podia não falar, mas sabia que sempre que saia com alguém você procurava a moonbyul neles e quando não encontrava quando via que não era a mesma coisa, pulava fora. Agora ela está aqui, você não tem a desculpa de não ser a moonbyul. Mesmo assim está tentando usar a mesma desculpa – analiso cada uma de suas palavras e quando faço qualquer movimento de que vou interromper ela me para. – Não tem como voltar no tempo, aceita, não dá. Tem que trabalhar com o que tem, e o que você tem é uma mulher que aparentemente te ama, e sempre te amou, e está pedindo uma chance.

- Não dá para ser tão simples assim.

- Claro que dá, você já não se privou de sentir por tempo demais não?

- Ela tem uma vida lá fora, uma vida sem mim, que garantia tenho que ela largaria tudo e ficaria aqui?

- Não tem, você não aprendeu que não dá para garantir o futuro? – não aguento e me levanto, indo até a sala e me jogando no sofá.

- Não quero me decepcionar, não quero ter meu coração partido de novo, porque realmente não vou conseguir aguentar isso de novo. – digo olhando para cima, meus olhos já estava marejados, finalmente assumo meu medo.

- Aí amiga, odeio te ver assim – ela diz indo até o sofá sentando ao meu lado, deixo meu corpo cair para o seu lado, pousando minha cabeça em seu colo e ela no mesmo instante começa a fazer cafuné que sempre me passou conforto.

            ----- Moonbyul POV -----

Já devia fazer algumas horas desde que me deitei na cama na ingênua ideia que pegaria no sono, quando ouço a campainha, e é preciso que toque de novo para que eu acredite que é verdade. Me levante e caminho até a porta coçando a cabeça, tento não criar expectativas pensando ser yongsun, mesmo assim me decepciono vendo minha irmã na porta, sei que falhei nisso. Ela nem me espera falar nada e sai entrando bufando. Dou uma olhada no corredor para me certificar de que yongsun não vinha e fecho a porta contrariada para encarar uma hwasa furiosa.

- Moon Byul-yi! – ela quase grita fechando seus punhos e já levanto as mãos em rendição – Eu juro que queria te odiar agora por que ainda tenho muita raiva pelo que fez, acredite mas o que o dohoon fez.. – ela vai se acalmando e eu olho para ela de rosto inclinado meio sem saber o que fazer – Você não existe, deixou com que todos aqui te odiassem, ficassem com magoa por conta de uma chantagem. – ela começa a usar os braços para tentar se expressar e vejo que seu humor muda completamente. – Todos esses anos? Por ela? – ela vai se aproximando de mim. Eu concordo com a cabeça devagar e percebo o que quer fazer, ela me envolve em seus braços e finalmente me permito desabar, ela me aperta com mais força quando percebe meu corpo relaxar no abraço.

- Eu não me arrependo hwasa – digo apertando seu pescoço e levantando meu rosto em busca de ar.

- Você não tem jeito mesmo – ficamos naquele abraço alguns minutos até ela me afastar e olhar nos meus olhos que suponho que estejam vermelhos. Ela nega com a cabeça e me abraça apertado mais uma vez antes de me soltar. – Senti sua falta.

- Acredite também senti, de todos – digo a guiando para as cadeiras na varanda para conversar.

- Depois de tantos anos moonbyul, não achou que podia ter falado a verdade?

- Não é assim tão fácil, sabia que ia deixar todos chateados e magoados – começo tentando me explicar, sei que não será a última vez que falarei essas coisas, provavelmente a historia se espalharia e eu teria que me explicar para todos – E dou muito sabe – falo me virando para ela e consigo ver pena em seus olhos, odeio pena, então balanço a cabeça e fico olhando para o alto. – Depois de um tempo quando consegui montar uma rotina que não envolvesse ficar pensando em vocês aqui, achei que o melhor seria seguir assim. Na minha cabeça como tinha agido como uma filha da puta, vocês tinham seguido sem mim, então me forcei a fazer o mesmo.

- Ninguém nunca superou 100% sua partida – hwasa falava calma – Sim, ficamos com raiva, não ter ido, se tivesse contado da bolsa, um outro cenário sem a chantagem teríamos, acredito que todos, teríamos te apoiado e dado força para você ir.

- Não duvido disso. Mas... – não consigo escolher as palavras. Hwasa não fala nada, apenas espera. – Mas... eu não queria ir, e eu sabia que, não todos, mas yognsun, krystal, até você talvez, fossem perceber na hora que eu não queria ir. Eu não queria me despedir porque sabia que não ia conseguir ir se falasse com vocês, mas eu tinha que ir. – ênfase no tinha.

- Você sempre teve essa mania sabe – ela diz sinto que está me olhando.

- Que mania? – me viro.

- De tomar os problemas dos outros como seu, e foda-se o resto – acabo soltando uma leve risada que a faz revirar os olhos e me da uma empurrada no ombro.

- Por muitos até que pensaria, mas por yongsun não.

- Eu sei byul, eu sei. Mas sei lá, acho que tudo teria sido tão diferente se você não tivesse ido.

- Mas as coisas não estão ruins. Acho que foi o melhor.

- Você só está pensando na yongsun e mesmo assim será que não teriam resolvido o lance do dinheiro?

- Hwasa eles iam perder tudo, ela não aceitava ajuda da minha mãe, falei isso com ela, acredite foi a única maneira, tinha certeza de que ela ia me superar. – digo mais baixo e hwasa solta uma risada tão alta e fico com receio pelos vizinhos, já passavam da meia-noite.

- Sério moonbyul? Aquela garota era extremamente, completamente apaixonada por você, lambia o chão que tu passava, pelo amor de deus, ela só via você.

- Essa aí era eu por ela, não me leve a mal, sei que ela me amava muito, mas esse nível aí era eu – ela me olha com uma cara chocada que me deixa confusa.

- Vocês eram assim uma pela outra, só que você, só te conhecendo muito, mas muito bem para saber, agora yongsun? Qualquer um a mil quilômetros de distância sabia que ela era doida por você, sério, até de lua dava para ver. Só você, idiota achava que ela conseguiria achar outra pessoa.

- Eu sei que estraguei algo muito especial, mas não me arrependo, falei para ela e falo para quem quiser, faço tudo de novo, para que ela tenha uma vida melhor vou até o inferno.

- Incrível como 10 anos muda tanta coisa, mas outras como sua cabeça dura, não muda nada. – no fim já estávamos rindo disso tudo, a única coisa boa de serem 10 anos entre tudo isso é conseguimos conversar sobre sem estar no calor do momento. Está muito longe no passado para realmente falar como se fosse ontem, vira tudo uma grande análise.

- Moonbyul – ela fala depois de alguns minutos em silencio.

- Diga.

- Você ainda a ama? – ela olha para mim, diretamente nos olhos e me sinto nervosa por responder mesmo não sendo yongsun ali na minha frente.

             ------ Yongsun POV ------

Alguns minutos antes....

Não acredito que hwasa me deixou dormindo aqui, me levento ainda meio zonza, arrumo o cabelo, ou tento, e sigo em direção do barulho que me acordou, acho que foi uma risada, mas quem era escandaloso a esse ponto? Vou me aproximando da varanda, que é ao lado da varanda da moonbyul, a filha da mão da hwasa me deixou aqui para ir falar com ela. Chego na varanda para ouvir a escandalosa da minha melhor amiga dizendo o quanto eu era apaixonada pela moonbyul, e fico que nem um pimentão mesmo elas não podendo me ver.

Ouço moonbyul, falar de como me amava e um sentimento de nostalgia toma conta de mim, realmente ela não era de expor sentimentos falando como a maioria, mas eram nas coisas pequenas que eu sabia que ela me amava e muito, desde o dia em que voltamos do nosso tempo, quando decidimos que éramos namoradas de fato, nunca duvidei do seu amor, até o dia do adeus. Não queria, mas no fundo duvidei, duvidei se o amor dela era assim tão forte, mas era melhor acreditar que ela estava mentindo do que acreditar que o amor que sentia por mim era fraco para aguentar a distância. Eventualmente a dúvida venceu e comecei a acreditar nisso quando ela não respondia minhas mensagens ou ligações a única coisa que nunca se encaixou na história era o porquê de afastar todos e não só eu, mas do que adiantava ficar levantando teorias que nunca seriam respondidas.

- Eu sei que estraguei algo muito especial, mas não me arrependo, falei para ela e falo para quem quiser, faço de novo, para que ela tenha uma vida melhor vou até o inferno.

- Incrível como 10 anos muda tanta coisa, mas outras como sua cabeça dura, não muda.

Sim ela sempre foi cabeça dura, com tudo especialmente em proteger os outros, sacudo a cabeça para voltar para conversa quando escuto hwasa perguntar se ela me ama. Os segundos até que uma reposta venha parecem horas, dias, começo a sentir nervosa, quero sair dali, tenho medo da resposta, mas preciso saber, a curiosidade matou o gato e vai me matar aqui, mas o pior, o pior é não saber se quero que ela diga sim ou não.

Se ela me amar, será que consigo corresponder? Se ela dissesse não? Seria um alívio, uma tristeza? Que inferno, ela fez tudo isso por mim, me deu uma vida tranquila financeiramente, mas o preço disso foi muito caro, acabou me destruindo por dentro, destruiu meu coração, coração que sempre foi dela.

A ouço se mexendo na cadeira, meu coração começa a bater mais forte e chego mais perto da parede para escutar melhor, por que estou me descobrindo uma sadomasoquista de primeira aqui, se é para sofre então tem que ser direto né? Meu corpo já não me obedece a minha mete, na verdade desde que moonbyul voltou, sempre que estou perto dela o corpo ganha, mente fraca. Meus olhos se arregalaram quando ela volta a falar.

- Se eu a amo?

             ------ Moonbyul POV ------

- Claro que amo, sempre amei, a questão nunca foi essa – digo apoiada na sacada da minha varanda, olhando para minha irmã que parece pensar sobre o que eu disse.

- Qual é a questão então? – ela descruza e cruza as pernas.

- A questão é que não dá para continuar de onde parou, é simples não dá, é muito tempo, o sentimento está aqui, mas não dá para começar um relacionamento como se nada tivesse acontecido, acredite eu adoraria – friso bastante essa parte – Que isso fosse possível, mas não é. Consequência das minhas escolhas, convivo com isso a 10 anos, e conviverei para sempre – me viro para encarar a noite.

- Entendo que a situação não se resuma a apenas amar, amar ou não, porem tem que concordar que é a parte mais importante.

- Será?

- Claro moonbyul, o que você vai fazer com o que sente? Vai falar para ela?

- Pedi uma chance a ela, ela não me respondeu, só me afastou. Acho que já é resposta suficiente não? – digo com tristeza na voz, sei que hwasa percebeu isso.

- Dê tempo a ela, ela nunca teria pensado no que te fez ir embora, nenhum de nós na verdade, a cabeça dela está um turbilhão.

- Estou dando o tempo e ela irmã, na verdade tempo é o que mais tenho aqui, não é? Um pouco menos de um ano no mínimo.

- E no máximo? – ela pergunta com uma sobrancelha levantada, mas é simples, com yongsun, se ela me aceitar, se eu conseguir chegar perto do que eu tinha, do que eu larguei, claro que fico.

- Para sempre.


Notas Finais


Bom, estou um dia atrasada de postar, mas é que estou com problema familiar, minha vó está bem doente... é acho q já sabemos oque pode acontecer. Se eu demorar pouco mais para atualizar não desistam, pois voou tentar vir aqui pelo menos duas vezes na sema.
Espero que tenham gostado do capitulo. obrigada pelo carinho até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...