História Reconstruindo o Coração! - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias 2AM, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens Jackson, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jo Kwon, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Yugyeom
Tags Menção Jikook, Menção Vlisa
Visualizações 42
Palavras 2.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


BOM DIA BOM DIA PERDÃO PERDÃO
desculpem os erros e até lá embaixo (LEIAM É MT IMPORTANTE, OK????)

Capítulo 42 - Triunfantemente


Fanfic / Fanfiction Reconstruindo o Coração! - Capítulo 42 - Triunfantemente

Lisa

Sinto que fiz merda. Uma merda das grandes. Sei que o que eu fiz e o que estou fazendo é algo idiota e que deveria parar agora, mas não poderia e nem conseguiria.

O principal motivo de todos os meus erros está no banheiro agora, tomando banho, após me amar como ninguém nunca amou e eu aqui, deitada na pequena cama do alojamento desse acampamento que até agora só me está dando dor de cabeça, tentando colocar meus pensamentos em ordem.

Depois que eu saí correndo após ter uma discussão com a Yeva e, impulsivamente, bater no rosto dela, eu fugi pro quarto do Bambam e ele apenas me consolou da maneira que sabia. Contei tudo pra ele, mas o mesmo só me olhou com um rosto frustrado e me amou como ninguém sabia fazer na cama.

Eu sabia e ainda sei que ela está certa. Por isso agi daquela maneira.

Ela tem total razão ao dizer que o amor pode cegar as pessoas.

Eu não tinha argumentos para sua afirmação e parti pra violência. Ela e os meus outros amigos devem estar me odiando agora. Ai de mim se eles soubessem que eu saí correndo e vim pra cá correndo, eu seria trucidada.

Há pouco tempo que eu e Yeva nos tornamos amigas, uns meses talvez, mas nesse meio tempo eu senti que encontrei uma amizade que eu posso contar pra tudo, se eu matar uma pessoa lhe pedir ajuda para esconder o corpo, acho que ela faria isso de bom grado (ou me mataria também). Essa personalidade da mesma me fez criar um pequeno sentimento dentro de meu peito e, não apenas uma amizade, algo à mais, não sei se isso deve-se ao fato dela ser a primeira mulher que eu confio (além da minha mãe, é claro). Mas eu sei que se eu não controlar esse coraçãozinho aqui, ele deixará essa pequena paixonite por ela pode se tornar um sentimento incontrolável.

Mas ninguém precisa saber disso aqui.

Ela é a primeira amizade feminina que eu tenho e posso compartilhar tudo o que eu quero. Mesmo sem querer, alguns assuntos são meio constrangedores de falar com meus amigos meninos.

O ponto é: Como vou resolver isso tudo se não tenho nem ideia por onde devo começar à me manifestar? Merda.

Talvez me afastando um pouco do causador de toda essa bagunça, por enquanto até tudo ser esclarecido ou, perdoado.

– Eu não tenho pernas lindas? – gargalhei e assenti. Bambam agora estava desfilando totalmente alheio de roupas pelo quarto enquanto exibia suas, segundo ele, perfeitas pernas longas, dignas de um modelo profissional. Como amo.

– Perfeitas! Sinto até um pouco de inveja – retribuiu meu sorriso. Eu me sinto hesitante pela decisão que acabei de tomar por ter medo de sentir falta desses momentos, simples, mas felizes que temos. Ele negou e vestiu uma cueca limpa e se aproximou da lateral da cama, onde eu ainda me encontrava toda largada com apenas um lençol me tampando. Fez uma trilha de beijos do meu pé até o meu queixo e finalizou com um singelo selar nos lábios. Sorri outra vez com o ato.

– Não deveria, as suas são lindas também – sorri, mas acabei estranhando seu comportamento. Ele quase nunca fica me mimando dessa maneira. Ele nunca foi aquele que gosta muito de dar carinho excessivo e eu nunca foi a que gostou de receber. E vice-versa. Talvez porque ele entenda a grande besteira que eu estou fazendo. Quero dizer, fiz, porque não acho um erro estar com ele. E eu não deveria dramatizar tanto, mas estou. – Não mais que as minhas, é claro.

– Obrigada, eu acho – me espreguicei e fiz que ia levantar, mas fui impedida. Eu estava num conflito mental. Seria certo eu me afastar dele até as coisas melhorarem e eu me resolver com todo mundo ou eu deveria continuar como as coisas estão?

– Lalisa? – ele só diz meu nome assim quando quer me repreender. Voltei pra realidade e percebi que estava ignorando (totalmente sem querer) o que ele me fala.

– Doce, você me ama mesmo? – eu perguntei de repente e ele franziu o cenho, pegando uma das minhas mãos ao mesmo tempo.

– Por que essa pergunta tão de repente? É claro que amo – sorriu e me roubou um beijo rápido.

– Me ama ao ponto de me esperar o tempo necessário? – sua confusão se intensifica pela minha mudança repentina de assunto.

– Depois de tudo o que fiz e esperei, você ainda tem dúvida? Depois de tudo o que passamos e da quantidade de tempo que eu e você esperamos por voltarmos ainda tem dúvida? É claro que eu te amo, se eu não te amasse realmente eu já teria desistido de voltar contigo à tempos! – era essa a resposta que eu esperava.

– Então eu quero dar um tempo – ele arregala os olhos e balança a cabeça para os lados, negando. Eu balanço a cabeça para e cima e para baixo, afirmando. – A sua espera terá que durar mais algum tempo.

Narradora

Yeva estava se sentindo tão frustrada consigo mesma por não ter conseguido sair sem ter a última palavra, o ponto final. Sentia que seu enorme orgulho havia sido esmagado e forçado a ser engolido goela abaixo ao sair da sala da diretoria. O seu único consolo é que conseguiu livrar os amigos da enrascada. Imagine se todos fossem expulsos dali? O quão épico (e ao mesmo tempo vergonhoso) seria todos entrando dentro de uma van preta após o maior trote já presenciado naquele acampamento?

Bom, isso vai mesmo acontecer.

Deixe-me explicar o que aconteceu antes, após e depois da nossa querida Yeva ser convidada educadamente a se retirar daquele estabelecimento (insira um enorme sarcasmo aqui).

Lá estava Lisa, chorando as pitangas no colo de Seokjin enquanto o mesmo escutava suas lamúrias e acariciava o cabelo da garota. Lisa contou tudo ao Jin, mesmo ele sabendo boa parte da história por meio de Jungkook, a parte que ele não sabia é que Lisa havia pedido um tempo com seu amado e queria a amizade de volta da sua ex-futura-antiga-atual amiga e paixonite reprimida não assumida.

– Eu vou dar um jeito nisso pra você, flor – Jin com sua calmaria milenar teclou em seu celular por alguns minutos e logo após isso, um Hoseok e um Tae levemente irritados aparecem na porta do quarto do casal NamJin e escutam parte de que já sabiam, como o resto dos amigos, e do que ainda não sabiam.

A brilhante ideia de Hoseok foi trocar de quarto com a garota de rosto todo inchado (vulgo Lisa) pois se ela ficasse no mesmo quarto que Yeva era perigoso a relação das duas piorasse ainda mais. Hoseok fez aquilo também com a intenção de "dormir" no mesmo quarto do namorado.

Só não contavam que quando ela fosse buscar seus pertences, fizesse ainda mais cagada. Mesmo Lisa não querendo, acabou sendo grossa com a amiga porque mesmo sabendo que ela estava certa, havia sentindo-se um pouco magoada pela forma que as verdades foram "jogadas" na sua cara. Meio rudes.

Lisa quase foi enterrada viva quando disse ao Hoseok e ao Tae que à encontraram no corredor após fechar a porta do quarto e, após também, a discussão com sua colega de quarto.

– Vai embora logo antes que uma bomba exploda o quarto e a culpa seja sua – Lisa franziu o cenho pela frase não ter muito sentido e Tae deu de ombros, ele falava aquelas frases aleatórias pra causar um impacto, não pra fazer sentido.

Dias depois e muito ciúmes por parte de Lisa por Yeva ter encontrado Minji, sua amiga de tempos, lá estava Lisa novamente, no quarto com Yoongi. Este que estava pouco se importando com os acontecimentos ao seu redor, só queria um pouco de paz e descanso daquela vida que ele possuía em uma cidade grande.

E agora, no mesmo dia e no mesmo horário que a queridíssima monitora chegou e chamou Yeva para uma "reunião". Taehyung entrou de uma vez no quarto, fazendo a porta bater na parede e um estrondo alto, acordando Yoongi, que tirava um cochilo maroto depois de acordar.

– Acho que tem algo que você poderá fazer por Yeva, Lisa! – ele pronunciou aquilo já a puxando para fora do quarto e explicando que tinha 99% de certeza do motivo da amiga ter sido chamada lá. Até porque, fora culpa dele mesmo por não ter escondido direito o objeto após usá-lo. Explicou também o que iria fazer e que, caso fosse preciso, assumiria a culpa para salvar a amiga ou compartilharem do gostinho da expulsão.

E ah, Jimin e Jungkook, que estavam um pouco mais bravos com Lalisa do que os outros já a desculparam, mas mesmo assim ainda não aprovam as atitudes da amiga. Namjoon concordou com Jin e acabou percebendo que era besteira ficar com raiva por algo tão relativo em comparação com a amizade de tempos deles.

Todos, sem exceção alguma, até Yoongi, ficaram surpresos ao constatar que a amiga havia assumido a culpa sozinha e, ainda por cima, defendido os direitos do casal TaeSeok de se amarem publicamente sem ninguém os olhando de uma maneira estranha. Taehyung quase chorou, aplaudiu e gritou ao mesmo tempo, mas isso iria estragar o plano e eles seriam descobertos antes da hora. Num amontoado de oito amigos, eles observaram a garota dar uma lição de moral na monitora preconceituosa e eles abusarem do poder.

Muitas coisas para usar como chantagem.

Quando perceberam que a amiga estava prestes a sair da sala, completamente irada e frustrada, saíram correndo que nem loucos. Mas quando viram que ela havia tomado outra direção, entraram na sala sem pedir permissão e soltaram a bomba de uma vez:

– Ou vocês entram num consenso e não expulsam a Yeva ou nós iremos expor tudo o que fizeram e a relação de vocês pra todo acampamento – Lisa acusou.

– O que está havendo com essas crianças hoje, hein, Marcos? – Yoon debochou e recebeu oito pares de olhos sendo revirados em sincronia. Todos assumiram a culpa com o trote, até mesmo Lisa que não havia participado da proeza.

Acusações e discussões depois, Taehyung tendo que ser segurado pra não avançar no pescoço da monitora, alguns palavrões e gritos também, acabou-se por uma decisão ser tomada:

– Tudo bem, vocês serão convidados a se retirar com a querida amiga de vocês – Senhor Marcos concluiu. – Mas serão muito bem-vindos na próxima expedição, com a condição de tudo o que foi falado aqui não saia daqui. Assim está bom? – suspiros foram dados em respostas, mas todos acabaram cedendo. Era uma "boa proposta". – Estão liberados. Amanhã a van virá buscar todos nesse mesmo horário. Façam uma boa viagem – e esta foi a deixa pra se retirarem. Tae mesmo à contragosto por não ter deixado um arranhão na cara da velha arrogante, saiu da sala, mas após sair não se conteve em abrir a porta da sala e colocar apenas a cabeça para dentro e pronunciou:

– Vê se troca esses monitores irritantes que ninguém gosta por outros mais simpáticos, porque se eu voltar aqui e certas lacraias ainda estiverem aqui, eu não segurarei minha língua e espalharei boatos sobre essa espelunca – piscou e a cabeça de Lisa apareceu logo à baixo da cabeça do Kim.

– E eu vou ajudar com as provas – balançou o celular na frente do rosto e após isso bateram a porta da sala, fazendo um toque de mãos e um bater de cinturas divertidos. Não saiu como esperado, mas sim, melhor.

[...]

E noutro dia, acordaram cedo, ainda sem contar nada pra Yeva que também não contou nada, só disse que teria de ir embora mais cedo do acampamento por conta de alguns imprevistos. Até do próprio namorado a garota omitiu o que lhe ocorreu de verdade.

Mal sabia ela que todo mundo sabia e, que, teria uma saída mais que épica dali. E que também poderia voltar na próxima vez se quiser.

Ao pegar seus pertences, se despediu rapidamente do namorado com um beijo longo (isso é o rápido pra eles, na verdade). Só deu um aviso rápido para os outros amigos que já estava indo, porque segundo ela, eles iriam se ver daqui à algumas semanas, não precisava de cerimônia.

Quando ela chegou ao hall do lugar e todos à encaravam, se sentiu muito constrangida com a quantidade de olhares direcionados à mesma e procurou o motorista que à levaria. Encontrou até com Minji que pediu seu número e ela deu de bom grado, quem sabe elas não voltem a ser amigas como nos velhos tempos?

– Senhorita Yeva? – uma mulher de meia idade à chamou e ela olhou para a mulher recém parada a sua frente e deu um sorriso sem jeito. "Graças à Deus não vou viajar sozinha com um homem, minhas preces foram ouvidas!". – A van está esperando vocês – franziu o cenho. – E por falar nisso, onde estão os outros? – essa era a deixa para o pessoal aparecer. Com suas malas e com direito até à óculos escuros, chegaram triunfantes no hall, junto ao olhar de todos, Minji se afastou ao ser levemente empurrada pelos ombros de Lisa (sem ninguém perceber, é claro).

– O que diabos vocês estão fazendo? – perguntou quase gritando Yeva e teve suas duas mãos entrelaçadas. De um lado Jungkook e, surpreendentemente para ela, do outro, Lisa.

– No caminho te explicamos – Lisa sorriu e deu um beijo rápido na bochecha de Yeva. Ela sorriu espontaneamente.

– Vamos? – a motorista sorriu admirada com a interações dos jovens à sua frente. Se lembrou de quando era assim e sentiu um pouco de saudades de sua juventude.

Todos assentiram, até mesmo Yeva meio confusa, e conseguiram, finalmente, sua saída triunfante.


Notas Finais


bom, primeiramente me perdoem pela demora, a idiota aqui pensou que já tinha atualizado todos os capítulos prontos e, agr q fui ver, ainda não AAAAAA, vcs podem me cobrar em mensagens aqui e (pra quem é do grupo) no whatsapp quando eu demorar gente, até me xinga-- Mentira, xingar não, eu sou sensível. Mas podem me cobrar que se eu tiver esquecido (tô esquecida de uns tempos pra cá).
SEGUNDAMENTE (?) os capítulos prontos acabaram, e agora? Agora infelizmente não terá atualização todo dia (pra falar a vdd, nem tava tendo mais né pq eu sou enroladissima e não estava sendo responsável). Eu até comecei a escrever o próximo cap (TÔ ANSIOSA!!!!!!!!!) mas ele tá pequeno demaaaaais ainda, só 300 palavras :( mas eu vou "fabricar" aquele xuxuzinho rapidinhooooooooooooo
TERCEIRAMENTE (????): estou tentando encontrar um dia fixo, mas não acho q iria conseguir seguir o dia pq vcs me conhecem né, aí fica difícil. Mas vcs preferem q eu atualize de dia ou de noite (madrugada) pq assim eu posso cumprir, e talvez, SÓ TALVEZ, postat no final de semana.
Mas não sei.
Qual o melhor horário e dia pra vcs?
link do grupo no whatsapp pra vcs conversarem comigo e me ameaçarem (mentira): https://chat.whatsapp.com/8TtbGcMF6WsHpGUv0tLedX
AGORA VOU ALI COMER PQ TÔ CAGADA DE FOME


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...