História Recuperando a fama com MC Dodo; Dojae - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Haechan, Hendery, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Taeil, Taeyong, Ten, Yuta
Tags Dojae, Jaedo, Jaesung, Johnil, Johnten, Nocha, Nohyuck, Tendery
Visualizações 45
Palavras 1.275
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um capítulozinho do metaleiro pra vcs

Capítulo 8 - Estrelando Maria do Bairro


Fanfic / Fanfiction Recuperando a fama com MC Dodo; Dojae - Capítulo 8 - Estrelando Maria do Bairro

Minha vida parece uma novela mexicana, e nem é brincadeira. Eu estive reparando nisso recentemente e vendo que realmente é verdade. Se não for igual uma novela mexicana então é igual uma novela da Rede Globo. Veja bem: Eu estou levando minha vida normalmente, quieto e na minha, mas certo dia acontece um algo bem fora do comum, meu amigo passa meu contato para um cantor de funk falido e de repente eu estou na casa dos meus pais com o ser em questão em um almoço.

Após o jantar e todas as mil vergonhas que José Doyoung Severino Gomes Kim (que eu descobri chamar assim quando ele assinou o contrato comigo e anotou seus dados) me fez passar, decidi que era melhor ir embora. Mal me despedi dos meus pais, apenas deixei a casa acompanhado do garoto de cabelos azulados. 

Estávamos no meio da estrada quando Doyoung decidiu encher o meu saco. 

— Nossa parça, eu sei que vacilei, mas eu nem comi. Quero um rango! — Ele disse reclamando. 

Rangi os dentes. — Você chamou minha família de estranha na frente deles, derrubou água em mim, disse coisas estranhas na frente dos meus pais, pediu para ir no banheiro e entrou no quarto da minha irmã e saiu de lá dizendo que não queria ver ela pelada não. Doyoung você acha que ainda tinha direito de comer alguma coisa? — Gritei tudo que estava entalado na garganta.

— Ah, pois então me deixe descer que eu também não mereço carona. — Ele começou a fazer birra.

O conheço há apenas um dia, mas já notei que ele é digno de protagonizar a novela das oito.

— Para o carro! — Ele gritou de novo e então parei e o vi descer. 

Estalei a língua no céu da boca. — Como vai voltar pra casa? — Perguntei o olhando pela janela aberta.

— De ônibus, pelo menos lá eu posso ficar olhando pela janela enquanto reflito sobre a vida! — Gritou e o vi andando na calçada para longe.

Dramático dos infernos.

Posteriormente eu apenas fui para meu apartamento que ficava no centro da cidade e alimentei meu cachorro: Max, um rottweiler de um ano. 

— Quem é a coisa mais pitica do papai? — Falei com voz de nenê com meu cachorro enquanto fazia carinho em sua cabeça e o via abanar o rabo feliz. — Isso mesmo, você, bonitão do papai! — Fiz mais um carinho e me levantei. — Credo, eu sou retardado.

Balancei a cabeça e abri o freezer, peguei uma lasanha congelada e coloquei no microondas. Enquanto isso comecei a me lembrar de como Doyoung falava de comida o tempo inteiro, será que ele é esfomeado? Sei que ele está atualmente morando com um amigo meu, Johnny, então será que ele não dá comida para o menino? 

Mandei algumas mensagens para meu amigo, perguntando a respeito do que o cantor de funk costumava gostar de comer no café da manhã, mas ele não me ajudou com nada. Guardei o celular, peguei a lasanha e fui andando até o sofá, porém eu ouvi um estouro de fogos de artifício, me assustei e com isso deixei a lasanha voar pra longe.

Que saco.

Fui até a área de serviço, peguei um pano com água e fui limpar a sujeira que havia feito. Acabei comendo um pão com manteiga mesmo. Dei uma caminhada com o Max e quando tornei para dentro do apartamento eu tomei um banho e fui me deitar. Mas quando eu fechava os olhos tudo que eu via era: José Doyoung Severino Gomes Kim. 

Abri os olhos assustado. — Mas que merda… — Falei para mim mesmo.

Era só o que me faltava agora, começar a gostar de uma pessoa como ele: um completo desmiolado. Mas é que ele é tão bonito, e o sorriso dele é algo que eu nunca vi antes. Quero dizer, apesar do gênero musical que ele gosta, o tipo de roupa maluca que ele usa (ou os relógios maiores do que os do Faustão), ainda assim ele é tão bem de aparência.

O rosto dele parece ter sido esculpido pelos anjos, mas veio o demônio e colocou aquela personalidade estranha.

A voz dele também não era algo normal. É suave e de fato linda de se ouvir e eu vou estar mentindo se falar que dentre esses pensamentos eu nunca pensei em como seria ele chamando meu nome, mas ele também consegue fazer eu ter uns pensamentos de que ele é um bebezinho fofinho e me dá vontade de abraçar e apertar ele o tempo todo.

Para que eu sou gótico.

Mas vai que ele não é tão ruim assim? E se por debaixo de todo aquele drama e gosto musical ruim existir alguém legal de verdade? Eu nunca saberei se não tentar. 

Ou talvez não tenha nada.

É melhor não tentar, esquece isso Jaehyun.

[...]

Acabei pegando no sono enquanto discutia comigo mesmo, acordei com Hendery me ligando para chorar as pitangas e agora eu estava marcando de levar o Doyoung até uma padaria que tem aqui perto de casa. Inventei que queria falar com ele sobre as músicas, mas na verdade só quero alimentá-lo. 

— Espero que ele não passe vergonha hoje. — Falei enquanto me despedia do Max e ia até meu carro.

Logo mais busquei o Doyoung no apartamento do Johnny e segui até a padaria em questão. Nos sentamos frente a frente em uma mesa perto da janela e ficamos esperando alguém vir atender.

— O que rolou as músicas? Deu ruim? — Ouvi Doyoung perguntar, mas ignorei fingindo estar olhando o cardápio. — Eu vou ter que gravar de novo? Caralho Jaehyun me responde eu sou ansioso! 

Abaixei o cardápio. — Eu só queria te alimentar. 

— Que? 

— Que? — Forcei uma tosse e levantei a mão. — Alguém por favor pode nos atender?! 

Ele me olhou torto. — Você é realmente um mano estranho. 

— Me respeita. — Exigi e vi uma moça de avental se aproximar de nós. — Eu quero um pedaço de bolo de nozes por favor e você, Doyoung? 

Ele me olhou meio apreensivo. — Acho que quero bolo de nozes também.

— E o que mais? — Questionei enquanto a mulher anotava o pedido.

Ele pareceu ficar surpreso. — Hã, eu posso escolher mais de uma coisa? — Concordei com a cabeça e ele sorriu largo, parecia uma criança. — Então eu quero um quindim também, uma tapioca de leite condensado com morango, um pão na chapa e um café com leite! 

Caraca, brother, ele é um dragão.

A mulher anotou tudo e saiu dali. — Como você consegue comer tudo isso? Bom, deixa pra lá. Chegou bem em casa ontem? 

— Ai que chique meu empresário se preocupa se eu cheguei bem em casa. — Ele zombou. — Chegar eu até cheguei, mas depois de uns minutos eu fiquei segurando vela no sofá. 

Espera.

O Johnny estava com quem em casa ontem?

— Por que? Seu amigo estava com alguém? — Questionei curioso, arqueando uma sobrancelha.

Ele concordou com um “aham”. — O cremoso dele dormiu lá ontem. E eu finalmente descobri quem é o safado. — Ele contou meio irritado. Olhou para um lado e para o outro e começou a se inclinar na mesa. — Não que eu seja fofoqueiro, mas confiando aqui em você empresário, meu amigo que é o John, conhece? 

Mais do que você imagina.

— O rapper? Conheço. — Banquei o cínico.

— Ele está namorando com o Ten, ex do Hendery. — Contou como se fosse muito importante para ele. 

Eu até ia responder o Doyoung, falando que eu de certo modo já sabia, mas ouvi outra pessoa falar. 

— MC Dodo? É você mesmo?! — Me virei e então dei de cara com um Lee Donghyuck vindo em direção a nossa mesa.

Se isso não é uma novela mexicana eu não sei o que é.


Notas Finais


É AGORA QUE A JIRIPOCA PIA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...