História Red And Blue - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Jellal Fernandes
Tags Erza, Jellal, Jerza, Jerza Fanfic
Visualizações 55
Palavras 2.212
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIIII PESSOINHAS!!!
Tive um surto e resolvi escrever essa one-fic
Não tenho muito o que dizer aqui então espero que gostem!

Capítulo 1 - Capitulo único- Quando eu te odiava eu te amava


– Nem vem Lucy, eu não vou nessa festa, vai ter um monte de adolescentes bêbados, e eu não to afim de beber, sei lá, arruma outra coisa para fazermos hoje anoite, podemos ir ao cinema ou ao parque, festa do pijama sei lá tudo menos festa!– Disse me sentando no sofá e ligando a TV.
 

– Nem vem.– Ela pegou o controle e desligou a TV. – Não quero passar minha noite de sexta enfurnada em casa.

– Que pena, mas o tio Jude disse que você não pode sair sem ser comigo.– Disse mostrando a língua.

– Não vamos sair! Vou chamar o Natsu e o Jellal pra virem aqui pra casa, já que eu não vou poder sair– Disse Lucy, Ah, mas não vai mesmo, não quero ter que aguentar aqueles dois trogloditas na minha casa.

– TÁ nós vamos para a festa, mas a senhorita nem ouse beber!– Falei isso e subi as escadas para me trocar.

– Sim senhora!!! hihi. –  Lucy Heartofilia, você me paga.

 

[...]

 

– VIU NÃO ESTA SENDO DIVERTIDO?!– Tínhamos que gritar para uma escutar a outra, de tão alto que o som estava.

– NÃO VEJO GRAÇA NENHUMA EM NÃO PODER ESCUTAR MEUS PRÓPRIOS PENSAMENTOS.

– MAS VAI VER GRAÇA AGORA,  OLHA PRA TRÁS. – Quando olhei para trás vi a última pessoa que eu queria ver no momento. Jellal Fernandes.

– O QUE ELE FAZ AQUI?

– TALVEZ ELE SÓ QUERIA CURTIR UM POUCO– O DJ parou de tocar a musica animada e começou a falar  no microfone.

– Agora que tal vocês dançarem com alguém que seja especial no coração de vocês?– E começou a tocar uma musica lenta, eu fui me sentar em umas das cadeiras que ficava perto do bar, começando a escutar a primeiras melodias de Mercy- Shawn Mendes.

– Uma garota tão bonita como você não deveria ficar sentada ai sozinha.– Uma voz surgiu atrás de mim.

– Que cantada barata Jellal, esperava mais de você, quer saber, não, não esperava. – Disse já me levantando para ir para outro lugar.

– Me da uma chance, pelo menos vem dançar comigo, não sou tão ruim como você pensa.– Eu só posso estar doente pelo o que eu vou acabar de fazer. 

– Ok, vamos dançar.– Segurei a mão que ele estendeu para mim.                                                                                                                                 

Você me tem nas mãos Nem sabe o tamanho do seu poder

Eu estou a cem pés de distância

Mas eu caio quando estou perto de você

Você me mostra uma porta aberta

Depois fecha ela na minha cara

Eu não aguento mais 

Começamos a dançar, a musica estava mais lenta do que ela realmente é, eu e Jellal estávamos muito próximos um do outro, nossos rostos quase que se encostavam.

Estou pedindo Amor, por favor, tenha piedade de mim

Pegue leve com meu coração

Mesmo que não seja sua intenção me machucar

Você continua acabando comigo

Você poderia, por favor, ter piedade, piedade do meu coração?

Você poderia, por favor, ter piedade, piedade do meu coração? 

Eu dirigiria a noite toda

Só para ficar perto de você, amor De coração aberto, veja Me diga que não estou louco

Não estou pedindo muito Só que você seja honesta comigo

Meu orgulho é tudo o que tenho

Ele me rodou e depois me puxou de volta, me fazendo ficar a centímetros de distancia dele, dava para para sentir sua respiração forte e seu coração descompensado. 

Estou pedindo Amor, por favor, tenha piedade de mim

Pegue leve com meu coração

Mesmo que não seja sua intenção me machucar

Você continua acabando comigo

Você poderia, por favor, ter piedade de mim?

Sou uma marionete em suas cordas

E mesmo que você tenha boas intenções

Eu preciso que você me liberte

Você poderia, por favor, ter piedade, piedade do meu coração?

Você poderia, por favor, ter piedade, piedade do meu coração?

 Consumindo todo o ar dos meus pulmões

Arrancando toda a pele dos meus ossos

Estou preparado para sacrificar a minha vida

Eu faria isso até duas vezes, com prazer

Consumindo todo o ar dos meus pulmões

Arrancando toda a pele dos meus ossos

Estou preparado para sacrificar a minha vida

Eu faria isso até duas vezes, com prazer 

Eu queria beija-lo, beijar aqueles lábios rosados e sentir o fresco ar de menta que ele exalava, ele estava meio corado,  tão fofo e sexy, com aqueles cabelos azuis bagunçados, a camisa de botão aberta na parte de cima, e o rosto corado com os lábios entreabertos.

 Oh, por favor, tenha piedade de mim

Pegue leve com o meu coração

Mesmo que não seja sua intenção me machucar

Você continua acabando comigo

Você poderia, por favor, ter piedade de mim?

Sou uma marionete em suas cordas

E mesmo que você tenha boas intenções

Preciso que você me liberte

Eu estou te implorando por piedade, piedade (Do meu coração) te implorando, te implorando, por favor, amor

Eu estou te implorando por piedade, piedade (Do meu coração) ooh, te implorando, te implorando

E finalmente Jellal quebrou a distancia que havia entre nós e me beijou, foi um beijo sofrego e necessitado, ele botou suas mãos na minha cintura, e as minhas foram para seus cabelos os puxando para mais perto de mim, tivemos que nos separar por falta de ar, depois que nos separamos ele sorriu.

– Vem!–  Ele me puxou até a  saída da boate e me levou até seu carro e abriu a porta para eu entrar. Já estava amanhecendo.

– Para onde vamos?–  Perguntei

– Eu não faço a minima ideia, mas vamos ver até a onde a gasolina aguenta – Ele disse rindo.

– Você não pode dirigir! Você bebeu– Mesmo que tenha sido só uma cerveja, eu me preocupo com minha vida.

– Calma eu nem estou bêbado haha– Porque eu fui entrar nesse carro?–  Jellal para o Carro! 

–Porque? Vamos fujir para algum lugar que não tenhamos que fazer o que os outros mandam!

– JELLAL PARA O CARRO VAMOS BATER!– Nem deu tempo de parar o carro e batemos no poste.

– ERZA!!– Jellal gritou.

– Calma eu to b-bem

– Desculpe.

– "DESCULPE" NADA  DA PROXIMA VEZ QUE EU FALAR 'PARA O CARRO' VOCÊ PARA O CARRO E NÃO DEIXA ELE BATER!!!– Gritei estressada, abri a porta do carro que estava todo amassado, e sai, eu não faço a minima ideia de como saímos ilesos .

– A onde você vai?

– Pra casa, eu nem deveria ter saído dela essa noite!–  Disse olhando pro céu que já estava azul, como os cabelos desse maldito azulado.

– Pelo menos vamos ficar um pouco na praça, só um pouco – Disse fazendo um biquinho fofo. Como eu odeio ele.

– Tá eu fico só um pouco depois eu vou pegar um táxi e vou direto pra casa. 

– Como você quiser.–  Disse sorrindo, e que sorriso lindo.

Nos sentamos em um banco e ficamos em silencio por um tempo, até eu quebra-lo.

– Sobre o beijo, e-eu queria dizer q-que q-ue, e-eu.. Eu queria dizer que eu te odeio!–  Ele arregalou os olhos.– Eu te odeio com todo o meu amor!– Vi ele sorrir, mas eu estava toda corada, quando eu olhei nos olhos dele pude ver o que eu sentia por ele.

– Entendo.. Vem vou levar você pra casa.

– Só Isso?– Perguntei indignada.

– Te dou um beijo quando chegar na porta da sua casa.– Ele disse e eu corei, ele riu.

E assim fomos para casa. quando cheguei em casa tomei uma bela bronca dos meus pais por ter saído da boate sem falar nada e  ter deixado todos preocupados, mas quer saber ?! Valeu a pena.

[...]

Jellal On

Dês que ela se declarou para mim nos começamos a ficar e já tinha se passado uma semana, e cada dia que se passava eu ia me apaixonado mais e mais por ela.

– Ei Erza vamos para o parque de diversões? Hoje é o ultimo dia e eu quero muito ir!– Disse animado 

– Claro, só vou pegar minha bolsa.– Ela disse e subiu as escadas, um tempo depois ela voltou e fomos para a garagem.

– Vamos, eu dirijo– Disse pegando a chave das mãos dela.

– Nada disso, não quero que bata meu carro.– Depois disso ela pegou as chaves da minha mão e foi pro banco do motorista, já ligando carro, e logo em seguida eu entrei também 

Logo chegamos ao parque, tinham vários brinquedos, eu estava louco para ir na montanha russa.
Mas  aparentemente uma certa ruiva estava um pouco tímida ou melhor com medo. Haha.

– Ei, ta tudo bem!– Disse sorrindo gentil – Vamos na montanha russa!!!!

– NÃÃÃÃÃOO!!!–  Gritou mas eu ignorei, logo estávamos na fila para montanha russa, o bom era que a fila não estva tão grande já que a maioria estava com medo de ir na mesma.

– Não seja fresca, vamos, não vai doer nada.– Depois que eu disse isso entramos em um dos carrinhos e o carrinho começou a subir quando chegamos no topo ele foi a toda velocidade pra baixo.

SOCORRO EU NÃO AGUENTO MAIS EU QUERO DESCER!!!!!

Enquanto eu estava tendo um surto, Erza estava rindo e se divertido.
quando descemos da montanha russa eu estava enjoado e tonto, enquanto Erza estava pulando alegre pedindo pra ir de novo.

– Temos que ir de novo!!!

– Mas eu não vou mesmo, eu quase morri!–  Disse, eu quase morri mesmo.

– Ué foi você que disse que não doía hahah.– E ela ainda ri de mim!

– Que feio Erza, não ria de mim– Sussurrei no seu ouvido e ela estremeceu.

– Mas é tão divertido zoar com a sua cara haha.

– Eu avisei para não rir de mim.– Agarei ela e comecei a fazer cócegas nela, ela ria que nem uma hiena, depois de um tempo comecei a destribuir beijo estalados pelo seu rosto e ela ainda estava rindo.

Eu parei de beija-la e fiquei olhando ela no fundo dos belos olhos castanhos- avermelhados e ela segurou meu rosto 

– J-Jellal..– Ela estava com o coração batendo rápido e com respiração descompensada–  E-Eu t-..

– JELLY!!!–  Uma voz feminina que eu não sei de quem é mas me parece familiar, me chamou por um apelido que ninguém usa a não ser a Erza e minha irmã Levy.

Olhei para tás e eu vi quem eu menos esperava ver Ultear minha ex namorada, ela veio em minha direção correndo.

– U-Ultear?! O que você faz aqui?–  Não vou deixar essa vadia estragar o que eu tenho com Erza, já foi difícil a superar quando ela foi embora sem dizer nada, e agora que eu finalmente superei e vou seguir minha vida ela aparece.

– Voltei pra cidade! E agora podemos ficar juntos de novo Jelly.

 – J-Jellal.. quem é ela?–  Erza estava tremendo um pouco.

– Erza, ela é uma pessoa que não tem mais nada a ver comigo!–  Disse sério olhando no fundo dos olhos dela.

– Que isso Jelly! Não foi isso que você me disse na mensagem a três dias atrás.

Não deu tempo de falar nada Erza saiu correndo com lágrimas nos olhos.

– PORQUE DISSE ISSO?!? EU NUNCA TE MANDEI UMA MENSAGEM!!!– Gritei – QUER SABER POR QUE VOCÊ NÃO VAI EMBORA DE NOVO COMO VOCÊ FEZ DA ULTIMA VEZ!

– PORQUE EU TE AMO!! – Não posso acreditar nisso!!

– Mas eu amo a mulher que acabou de sair daqui chorando por culpa sua! faça um favor para mim e  vá embora!

Depois que disse isso fui atras de Erza o carro dela ainda estava no estacionamento e ela estava dentro dele. Entrei no corro sem ela perceber, se ela visse que eu estava no carro iria me expulsar e diria para eu sair dele então é melhor ele estar em movimento, e no banco de trás para ela não me empurrar do carro.

Eu sou um  gênio!!!

Ela começou a dirigir e quando estávamos perto de uma praia eu comecei a falar.

– Eu sei qu..– Ela tomou um susto e bateu o carro num poste que ficava perto de um hotel.

No desespero eu fui ver como Erza estava, se ela tinha se machucado ou algo do tipo. Mas por sorte estava tudo bem ela só tinha um arranhão na testa.

– VOCÊ É LOUCO?! É A SEGUNDA VEZ QUE BATE O CARRO!– Gritou no meu ouvido.

– Mas dessa vez quem bateu foi você!– Disse me defendendo. 

–  PORQUE VOCÊ ME ASSUSTOU!!– Aparentemente eu atraio acidentes de carro.

Ela saiu do carro e começou a andar até a praia e eu a segui.

– Espera, vamos conversar.– Pedi.

Ela se sentou na areia da praia olhando o céu que estava vermelho pelo por do sol, tão vermelho quanto seus cabelos.

– Seja breve.– Disse seca.

– Erza.. eu nunca mandei mensagem nenhuma pra Ultear enquanto estávamos juntos.– Disse me sentando junto com ela.

– Como vou saber se isso que esta falando é verdade?– Perguntou com uma voz melancólica.

Peguei no rosto dela e aproximei ela de mim.

– Porque eu te amo, sempre te amei, até quando eu te odiava eu te amava .– Disse isso isso com lagrimas nos olhos. 

– Eu também sempre te amei, mesmo quando eu te odiava eu te amava. –As lágrimas que antes tinham parado de cair pelo seu rosto corado voltaram. E sem pensar eu a beijei com todo o meu ódio que sempre foi amor 

– Erza Scarlet você aceita namorar com esse incrivel idiota imperfeito?

– Eu sempre aceitaria, por mais que eu te odiasse te amando.

Mesmo nossa historia tendo começado com ódio ele se transformou em amor, ou ele só nunca foi ódio.

 

 


Notas Finais


Eu espero que tenham gostado pq eu to a horas escrevendo isso
desculpa qualquer erro mas é que eu não to afim de revisar agora haha

Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...