História Red Flames - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Andrea, Beth Greene, Bob Stookey, Carl Grimes, Carol Peletier, Dale Horvath, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Gareth, Glenn Rhee, Hershel Greene, Jessie Anderson, Lori Grimes, Maggie Greene, Merle Dixon, Michonne, Morgan Jones, Negan, O Governador, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Pete Anderson, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Shane Walsh, Sophia Peletier, Tara Chambler, Tyreese
Tags Daryl Dixon, Rick Grimes, Shane Walsh, The Walking Dead, Violencia
Visualizações 630
Palavras 3.310
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 9 - Princesa das Flores


Fanfic / Fanfiction Red Flames - Capítulo 9 - Princesa das Flores

Fazenda dos Greene, Geórgia — 2011.

 

Alexandra Jenner e Rick Grimes se viraram ao ouvirem os sons de um choro desesperado proveniente de Beth Greene. Alec viu Rick virar para Shane com um olhar acusador e compreendeu. Não sabia por que diabos aquelas pessoas escondiam walkers dentro de um celeiro, porém sabia que devia ser um segredo por causa do comportamento altamente previsível de Shane Walsh, que devia ter surtado e matado todos os mortos que continham ali.

— Satisfeito agora? — Rick perguntou ao amigo, entredentes.

Alec levantou as sobrancelhas quando viu Shane passar a mão sobre a cabeça raspada ao encarar o sofrimento dos Greene. Negou com a cabeça se aproximando de Rick e Shane e também do resto do grupo do acampamento que estavam ali, observando a aproximação ofensiva de Rick e Shane.

— Você fez isso? Desrespeitou a casa de alguém que te hospedou com os braços abertos? — Alec disse, perplexa. — Acho que pode contar a eles sobre Otis também, já que nada importa para você, não é? — ela disse acusadoramente, fazendo com que o resto do grupo os encarassem, menos os Greene que estavam afastados ajudando Hershel ainda paralisado. — Carl está curado, Sophia a salvo. Fale, diga a eles o que você fez àquele pobre homem que apenas queria ajudar o garoto.

Shane a olhou, contendo a fúria apenas em seus olhos e se controlando para não ataca-la. Rick o olhava questionador, enquanto ele apenas revirava os olhos e coçava a cabeça freneticamente.

— O que você fez, Shane? — Andrea perguntou se reunindo ao demais.

Alec a encarou.

— Ele matou Otis. — ela disse, enquanto todos arregalavam os olhos. — Pelo menos atirou nas pernas dele para que ele caísse e o deixasse sobreviver. Não foi, Shane? — ela se virou para o homem, levantando uma sobrancelha ironicamente.

Shane balançou a cabeça negativamente, discordando imediatamente de Alec que já possuía Rick ao seu lado exibindo um olhar de desapontamento.

— Vão acreditar nela? — Shane perguntou descrente do via naquele momento. — Na filha do homem que tentou nos explodir?

Alec o encarou em fúria, se aproximando imediatamente dele e apontando o dedo em seu rosto. Estava possessa, ele era a última pessoa que queria ver falando de seu pai. Ele não tinha esse direito, ele ao menos o conhecia para que pudesse julga-lo.

— Se abrir a boca mais uma vez para falar mal do meu pai, vai perder os dentes. — ela disse, ameaçadoramente.

Shane tentou se aproximar dela, a peitando como se ela fosse um gangster prisioneiro de seus tempos de polícia, Daryl porém se aproximou deles, ficando atrás de Shane e o puxando para trás. A tentativa de ataque de Shane a mulher foi interrompida quando a atenção dos demais se voltaram para Beth.

A garota que antes chorava diante o corpo do walker da mãe, agora gritava em desespero ao ser atacada por ela. Beth segurava os braços do walker que tentava sua cara e berrava apavorada, fazendo com que todos corressem em direção a ela para tentar tirá-la de lá.

Rick a puxou pela cintura, tentando livrar a garota do aperto do morto, enquanto Glenn e Shane tentavam puxar o errante para longe dela. T-Dog tentou chutar a cabeça do morto e isso fez com que ele soltasse Beth, porém avançasse sobre ele. A situação apenas foi resolvida quando, com uma enxada, Alec arrancou fora a cabeça da morta que foi parar longe, ainda rangendo os dentes.

— Merda. — Shane disse, observando a cena lentamente.

Rick apenas se aproximou do homem e apontou o dedo em sua cara.

— Terminamos essa conversa depois. — ele disse, e rumou para a casa logo após Hershel e o resto dos Greene.

Shane porém seguiu Hershel e Rick e começou a gritar com o homem, dizendo que ele era irresponsável por ter deixado os walkers nos celeiro, gritando, berrando que ele era iludido, louco por acreditar que aquelas coisas estavam apenas doentes.

— Tire-o da minha terra! — Hershel berrou a Rick, Alec e Glenn que tentavam conter Shane para qie ele não avançasse no idoso.

Maggie surpreendeu a todos quando afastou Shane bruscamente com um tapa no rosto que o fez cambalear para trás.

— Não toque nele! — ela berrou, afastando o pai e o levando em direção a porta da casa. — Você já não fez o suficiente?

Hershel olhou para Rick, seriamente.

— Falo sério. — Hershel disse, antes de fechar a porta. — Fora da minha fazenda.

***

A primeira coisa que se tinha que fazer era recolher os corpos que estavam no chão perto do celeiro. Alec viu que Lori e Rick conversavam ali perto, falando sobre Carl que estava agarrado a Sophia e a Carol a todo momento. Sabia muito bem disso, havia acabado de sair da casa aonde estava examinando o estado da garotinha. Havia tomado o lugar de Hershel nesse quesito justamente pelo homem não estar em condições emocionais.

Lori acenou para Rick e andou em direção a Alec que vinha pelo caminho de terra ajudar Andrea, Shane, Rick e Jimmy a recolherem os corpos. A mulher parou em frente a Alec e lhe deu um sorriso pleno e agradecido, colocando as mãos sobre os ombros de Alec.

— Carl está com Sophia? — Lori a perguntou.

Alec assentiu e sorriu para Lori.

— Agarrado a ela como um carrapato. — ela disse. — Maggie cedeu o quarto de hóspedes para ela e Carol, Carl está com as duas.

— Ela está bem? — Lori perguntou, preocupada.

Alec concordou.

— Sim. — ela confirmou. — Apenas um pouco desidratada e desnutrida, mas nada grave. — ela disse. — Aquela garota é forte. Me salvou de um walker, sabia disso?

Lori sorriu levemente. Alec sabia muito bem a opinião de Lori a respeito do armamento infantil naquela fazenda, e como achava que as crianças, principalmente seu filho, precisavam de tentar ter pelo menos alguma infância. E apesar de pensar isso, estava começando a mudar de ideia, eles precisavam ter um meio de se defender.

Após a mulher se despedir de Alec e seguir para a casa, Alec foi em direção a Rick que conversava com os demais. Haviam decidido em enterrar Anette, a esposa de Hershel e Shawn, o meio irmão de Maggie e Beth. O resto queimariam, e foi com isso que Shane abandonou o local e foi buscar a caminhonete para carregar os corpos.

— Hey, capitão. — Alec chamou por Rick, assim que os outros já tinham começado suas tarefas.

Rick a olhou de cima a baixo. Ela parecia sempre estar com os cabelos emaranhados em um meio coque o um rabo de cavalo mal sucedido pelo fato de vastas mechas ruivas caírem sobre seus olhos e pescoço. Porém essa aparência de desarrumação que ela sempre parecia possuir depois de sair do CDC, não diminuía sua beleza e aparência estonteantemente chamativa.

— O que vai fazer? — ela perguntou a ele, enquanto eles pegavam um dos corpos, ele pelos braços e ela pelas pernas. — Em relação a Shane, quero dizer. Sobre Hershel querê-lo tirar da fazenda e... sobre Otis.

Rick a olhou por alguns segundos, enquanto eles caminhavam e jogavam o walker na pilha que esperava pela caminhonete para ser queimado. Refletia sobre a pergunta da mulher, seriamente, tentando chegar a alguma conclusão para aquele problema.

— Eu sei que não é da minha conta e que Shane é seu melhor amigo, mas... — ela parou no meio da fala, estreitando os olhos, percebendo que não sabia realmente como continuar aquela frase.

— Sim, você está certa, ele é meu melhor amigo. — ele disse. — Por isso vou tentar conversar com ele e botar sua cabeça no lugar. O que ele fez com Otis não pode sair impune, mas...

— Ele salvou Carl. — ela completou a frase do homem, dando de ombros. — Foi uma cena feia de se ver, Rick. Não vou negar que eu mesma pensei em mata-lo. Mas pensei em quanto ele estava preocupado com Carl e o quanto ele tinha razão em me dizer que ninguém acreditaria se eu dissesse isso a alguém.

Rick franziu a testa confuso.

— Você achou que nós não acreditaríamos em você? — ele perguntou, um pouco perplexo.

Alec deu de ombros, arrastando outro walker com a ajuda do homem.

— Não é óbvio? Glenn tem Maggie, Andrea é tão iludida com essa fantasia de atirar bem que vive em seu próprio mundinho, T-Dog não confia em mim, e você é melhor amigo do cara, sem falar que você e Lori precisavam se preocupar com Carl. — ela disse. — A minha única opção era Dale, que não poderia fazer nada contra Shane. Então contei para Daryl.

Rick engoliu em seco, tentando entender.

— Por que apenas para Daryl? — ele perguntou.

Alec jogou o walker sobre a pilha novamente.

— Ele é como eu, Rick. — ela disse, suavemente. — Todos acham que ele é uma pessoa ruim por ter o jeito grosso dele, e isso acaba com que deixe ele excluído do grupo. Ele é um forasteiro, assim como eu. — ela explicou, fazendo Rick a olhar atentamente. — Pessoas como nós, muitas vezes são compreendidas como não sendo dignas de confiança.

— Eu confio em Daryl com a minha vida. — Rick respondeu, mais atentamente agora. — E em você também, agora.

Alec sorriu, levemente.

— Eu sei, e obrigada por isso. — ela disse. — Mas devia repensar se confia em Shane do mesmo jeito. — Alec desviou os olhos do homem, encarando o sol a pino com os olhos estreitos. — Eu sei que o ama, sei que tem uma forte ligação com ele. Eu entendo. Mas pelo amor de Deus, não deixe isso te cegar.

Rick agarrou sua mão fortemente, fazendo com que ela o encarasse novamente. Os olhos azuis dela estavam mais translúcidos a luz do dia e as pupilas estavam quase invisíveis por ela ter encarado a luz forte do sol.

— Sabe mais de alguma coisa que ele possa ter feito? — ele perguntou, alarmado.

Sim, era o que Alec queria dizer, se lembrando imediatamente da tentativa de estupro que ele havia feito com Lori no CDC. Porém também se lembrou da mulher, em como ela estava apavorada com aquilo. E como Lori ainda não havia desistido de Shane, havia praticamente o perdoado. Aquilo era um segredo entre Lori, ela e Shane.

— Não. — Alec respondeu.

***

Alec fez uma careta ao sentir o que parecia a centésima flor espetando no seu couro cabeludo. Aquilo provocou uma gargalhada em Carl e um pouco de revolta em Sophia. A garotinha se afastou de Alec, avaliando minuciosamente o trabalho que havia feito com um coque, um penteado cheio de flores e tranças nos cabelos ruivos da mulher.

— Parece que um passarinho fez um ninho na sua cabeça! — Carl gargalhou, quase tombando para trás na grama, aonde estava, sentados debaixo de uma árvore.

Sophia e Alec se entreolharam, estreitando os olhos e gritaram, se levantando repentinamente e correndo atrás de Carl pelo pasto, enquanto o garotinho apenas gargalhava e mostrava a língua para as duas enquanto corria delas. Alec também gargalhava. Aquela poderia ser considerada a parte leve e descontraída de um dia de desastres, e ela não podia agradecer mais por isso.

Os três tiveram que parar de correr quando Dale apareceu no caminho, chamando por Alec, com um olhar sério, mas que ao ver aquela cena, apenas sorriu um pouco, cheio de felicidade ao ver a alegria infantil das duas crianças que corriam e da mulher também.

— Princesa das Flores. — Dale a chamou. — Rick está perguntando por você.

Alec sorriu, se virando para o idoso e deixando com que os outros dois ainda brincassem. Sorriu para Dale e entrelaçou o braço com o estendido por ele, enquanto eles começavam a caminhar em direção à frente da casa.

— Do que Rick precisa? — ela perguntou.

— Hershel sumiu da casa. — Dale disse. — Rick e Glenn vão procurar por ele no bar da cidade. Ele queria saber se você quer ir.

Alec o encarou, assentindo em concordância quase que imediatamente. A mulher estava relativamente feliz em Rick tê-la considerado para aquela tarefa junto a ele. Sabia que ele estava demonstrando a confiança que sentia por ela.

— Claro que vou. — ela disse. — Rick e Glenn estão aonde?

Dale sorriu.

— Estão na casa falando com Maggie e se preparando. O carro estava na frente da casa. — ele disse. — E Sophia, como está ela? Vejo que ela e Carl estão se apegando a você.

Alec sorriu abertamente. Ficava feliz que as crianças dali gostassem dela. Por muito tempo havia odiado crianças pelo simples motivo de que não havia sido permitida a ficar com a sua. Mas quando o grupo de Rick havia chegado ao CDC e Carl Grimes caçoado de seu nome, seu sorriso inocente e sua simpatia havia a acertado como uma flecha de um cupido. Ela havia se apaixonado.

— Você não sabe o alivio que senti quando encontrei aquela garota, bom velhinho. — ela disse com um sorriso. — Eu apenas pensei em como tudo iria melhorar a partir dali, mas...

Dale apertou a mão de Alec, entendendo o que ela queria dizer. Sobre o surto de Hershel e Rick tendo que se forçar ao perigo mais uma vez, tudo por causa de Shane que nem menos se sentia culpado por nada ou havia apoiado a ideia de que Hershel deveria ser salvo.

— Você fez bem em contar para todos sobre Shane, minha querida. — ele disse, a confortando. — Temos que ser cautelosos.

Alec baixou o olhar por alguns segundos, suspirando profundamente.

— Eu não sei. — ela disse. — Estou com medo por Rick. — Alexandra confessou. — Sei que ele ama Shane como se fosse um irmão, porém desconfio que ele não seja o mesmo de antes. Ele pode ser perigoso, principalmente para Lori. — ela disse essa última parte quase em um sussurro.

Dale deixou com que um dos cantos de sua boca se erguesse em um mínimo sorriso triste. O homem também tentava pensar nessa possibilidade, na recuperação de Shane por meio da amizade que ele possuía com Rick, porém após o que ele havia passado com Shane naquele dia. Depois de todas as ameaças que ele havia recebido daquele homem ao tentar esconder as armas dele, não acreditava em recuperação alguma, apenas o achava perigoso.

— Rick é inteligente e um bom líder. — Dale garantiu. — Saberá o que fazer.

Dale apenas se despediu dela com um sorriso quando eles chegaram em frente a casa e foi em direção ao seu trailer. Alec suspirou, ouvindo alguma discussão que ocorria entre Lori e Rick do lado de dentre e se recostou no carro que já estava de frente para a casa, apenas esperando pelos ocupantes.

— Alexandra. — ouviu uma voz feminina e suave a chamar e olhou para trás.

Se tratava de Carol Peletier vindo em sua direção hesitantemente. Alec sorriu minimamente acenando para ela, como se a encorajasse a se aproximar e isso funcionou, Carol foi em direção a ela muito mais rápido.

— Tentei te procurar mais rápido, mas você parecia entretida com as crianças. — Carol disse. — Preciso te agradecer pelo que fez pela minha filha. Ela está viva graças a você.

Alec sorriu para Carol.

— Eu estou viva por causa dela. Ela me salvou de walker. Sophia é uma garota forte. — Alec respondeu. — Não precisa agradecer por nada Carol, eu fico feliz por tê-la encontrado a tempo.

Carol sorriu, indo em direção a Alec e a abraçando fortemente. Se afastou dela alguns segundos depois, sorrindo para a mulher ruiva, emocionada com o que ela havia dito sobre sua filha. Sobre como ela era forte.

— Mesmo assim. — Carol continuou. — Eu só tenho o que lhe agradecer.

Alec sorriu, e se pôs a analisar a figura da mulher durante alguns segundos. A olhava categoricamente, a avaliando de cima a baixo, quando decidiu falar com ela novamente, alcançando a parte de trás de seu cinto, tirando um revolver que estava preso ali.

— Só há um modo de me agradecer propriamente. — Alec disse, e estendeu o revólver para Carol que o olhou quase em pânico. — Você precisa aprender a se defender, Carol. Não apenas por você, mas por Sophia.

Carol sorriu envergonhada e negou com a cabeça.

— Não sei como usar uma dessas, não sei ser forte, lutar...

— Tem que aprender. — Alec a interrompeu. — Nós estamos no fim do mundo, não pode se dar ao luxo de apenas ser uma dona de casa e se contentar com isso.

Carol baixou o olhar durante alguns segundos, engolindo em seco.

— Meu marido, Ed, ele me protegia no começo. — ela disse. — Pelo menos eu pensava que protegia.

Alec a encarou, entendendo o que a mulher queria dizer. De uma vítima de relacionamento abusivo para outra, a mulher ruiva pôde finalmente entender o porquê dos olhos de Carol conterem tanta tristeza, tanto abatimento e opressão. O marido a devia bater, a oprimir, humilhar e a coibir ao medo. Alec nunca sentiu tanta raiva de um morto desconhecido.

— Aonde está ele? — Alec perguntou, suavemente. — Seu marido?

Carol a olhou.

— Morreu quando nosso acampamento foi atacado. — ela contou.

Alec sorriu, se aproximou de Carol e pegou sua mão, colocando o revólver na mão da mulher que imediatamente estranhou o contato com o objeto. Porém quando Carol ameaçou a se afastar, Alec apenas apertou mais ainda as mãos da mulher.

— Ele não era nada. Você é melhor do que ele. — Alec disse. — Você é uma mulher, não uma empregada. Vai aprender a se defender, pegue aulas com Rick e Shane. Você vai ser capaz de proteger sua filha. Você é forte. E quando se tem essa força, pode-se fazer qualquer coisa.

Carol tomou a arma nas mãos e abraçou Alec pelo pescoço, fechando os olhos e deixando com que algumas lágrimas escorressem por suas bochechas. Alec a abraçou de volta, contente por poder ajudar. Ela já havia passado por aquilo, não tanto quanto Carol, mas ainda sim possuía uma história bem difícil.

— Obrigada. — Carol sorriu, e se virou em direção a campina aonde Sophia e Carl ainda brincavam.

Alec sorriu, cruzando os braços e voltando a se recostar contra o carro, ainda observando Carol guardar a arma no cinto da calça e andar em direção a filha e a abraçando com felicidade. Apenas desviou os olhos daquela cena quando ouviu o barulho da porta da frente se abrir.

Rick Grimes passou pela porta com um olhar sério, seguido por Glenn e Maggie que se despediam com beijos na varanda. O xerife a encarou, a percebendo ali e sorriu quando viu o emaranhado de flores em seus cabelos.

— Um passarinho fez um ninho na sua cabeça? — ele perguntou, bem-humorado, apesar de tudo que estavam enfrentando naquele momento.

Alec se desencostou do carro e revirou os olhos, porém também se controlava para não rir.

— Tal pai tal filho. — ela resmungou, se lembrando que Carl havia dito algo extremamente parecido. — Me respeita que de acordo com o Dale eu sou a Princesa das Flores. — ela disse, erguendo o queixo.

Rick apenas negou com a cabeça, andando em direção ao carro e abrindo a porta do lado do motorista.

— Rick. — Alec o chamou, tentando tirar uma flor do cabelo, sem sucesso.

O homem a encarou e andou em direção a ela, a ajudando a desembaraçar o cabelo, enquanto olhava ironicamente para ela.

— Você tem uma arma para me emprestar? — ela pediu e viu o olhar confuso do homem. — Eu acabei de dar a minha para Carol.

Rick se afastou, a olhando surpreendido por alguns segundos, porém feliz ao saber que a mulher finalmente havia começado a tomar o interesse em querer se defender. Retirou a Colt Python da cintura e entregou a ela, Alec estreitou os olhos, hesitando antes de pegar. Aquela era a arma preferida de Rick.

— Tem certeza? — ela disse, desconfiadamente.

Rick assentiu, indo em direção ao banco do motorista quando viu que Maggie e Glenn havia finalizado as despedidas.

— Tenho outro aqui. — ele disse.

Alec acenou em agradecimento abriu a porta de trás do carro, entrando no veículo, enquanto Glenn ia para o passageiro da frente. Rick olhou para Glenn e Alec atentamente enquanto os dois se acomodavam em seus assentos.

— Estão prontos? — ele perguntou.

Alec suspirou, enquanto Glenn assentia.

— Vamos lá, policial amigo. — ela disse.

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Próximo capítulo, muitas tretas!
Até o próximo!
Comentem e favoritem!
- Duda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...