História Red Rose (Monsta X) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Jennie, Jisoo, Joo Heon, Ki Hyun, Lisa, Min Hyuk, Personagens Originais, Rosé, Show Nu, Won Ho
Tags Beautiful, Black Pink, Hentai, Hyungwon, Jennie, Jisoo, Jooheon, Kihyun, Lisa, Minhyuk, Monsta X, Romance, Rose, Shownu, Wonho
Visualizações 40
Palavras 950
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU SOU A MONBEBE MAIS FELIZ DESSE PLANETA ;u;
Gente, esse capítulo era para ter saído amanhã, mas O MONSTA X GANHOU O 1ST WIN e eu estou muito feliz ;-;
Não cabe em mim tanta felicidade, eu estou tão orgulhosa dos meus filhos, que venham muitos 1st e muitos outros prêmios. Que eles não parem de nos encher de orgulho e de produzir esses hinos maravilhosos. Essa é só mais uma etapa, o sonho ainda não acabou, ainda temos muitas metas para bater... HOO! MONSTAX!
...
Boa leitura, espero que gostem ^^

Capítulo 5 - Seu Alvo Foi Clarisse


Fanfic / Fanfiction Red Rose (Monsta X) - Capítulo 5 - Seu Alvo Foi Clarisse

- Luizinho – Chamou, acabei rindo um pouco, acho que nunca iria me acostumar com isso – Posso te fazer uma pergunta?

- Pode.

- O que fez com aquela flor que lhe dei?

- Replantei, floresce sozinha agora, por tempo limitado, mas está lá... Brilhando sozinha em meio às outras – Respondi e ela apenas assentiu com um movimento de cabeça – Porque quer saber?

- Não é nada – Respondeu olhando as mãos, que ainda esbanjavam pequenos cortes de espinhos.

E pela primeira vez em uma conversa com Clarisse, olhei em volta, percebendo as pessoas passando, algumas com olhares curiosos, outras simplesmente presas na rotina de olhar para frente, algumas com seu olhar julgador me encarando.

Provavelmente parecíamos doidos, desocupados sentados aqui, mas a verdade é que o que eu mais queria era ter algum tempo para ficar sentado na grama, apenas pensando na vida, ou melhor, não pensando em nada.

Acabei soltando um risinho, olhei para Clarisse que ainda olhava a rua e os carros, cutuquei seu ombro de leve, fazendo a mesma se virar e, por algum motivo, ao me ver, mais uma vez seu sorriso perfeito voltou e uma risada doce se formou ali.

Agora éramos dois doidos, desocupados, rindo um do outro, como se no mundo não houvessem problemas, como se tudo fosse motivo para sorrir, como se essas risadas fossem a maior felicidade que alguém poderia ter.

...

O carro de meu pai chegou e eu me despedi de Clarisse, que como sempre, se esforçou para se adequar ao costume coreano de reverenciar. Entrei no carro e o motorista me levou até em casa.

Empregadas, cozinheiro, motorista, mordomo pessoal. Eram essas as minhas companhias durante o dia, algumas vezes Wonho dava o ar da graça de aparecer por aqui, mas ele odiava se sentir vigiado e aqui em casa até às paredes tinham ouvidos.

Fui para meu quarto e me joguei na cama, haviam deveres para fazer e atividades extras, que meus pais insistiam em mandar todos os dias, mas me permiti ter outro momento de ócio e... Me lembrar daquele sorriso, aquele sorriso caramelo, aquele sorriso açúcar, aquele sorriso de Clarisse.

- O que estou fazendo? – Perguntei aos ventos.

- Wonnie – Chamou Jennie, minha irmã mais velha, do lado de fora.

- Entre – Falei me levantando e pegando os materiais.

- Como foi o primeiro dia? – Perguntou descontraída.

- A mesma coisa de sempre, Noona – Respondi entediado – Quer dizer, conheci uma pessoa.

- Um amigo novo? – Infelizmente Jennie tinha o péssimo hábito de ficar com meus amigos, então sempre que tem alguém novo, ela fica rapidamente interessada.

- É uma garota nova, ela é legal – Falei dando de ombros.

- Hmm – Percebi o tom malicioso em sua voz e desejei nunca ter aberto a boca – Ela é bonita? Quantos anos ela tem? É divertida? Quando vai nos apresentar? Já beijou...

- Noona! – Protestei – Eu namoro, e não importa se ela é bonita ou não, eu gosto da Lisa.

- Eu guisti di Lisa – Murmurou – A garota é uma criança, isso não vai dar certo, e você deveria aceitar isso. Viva sua vida, não pode ser o filho perfeito para sempre.

- Essa é minha vida, estou vivendo – Eu sabia que Jennie só queria me ajudar, mas eu estava feliz assim, ou me iludia o suficiente para acreditar fielmente nisso.

- Tudo bem – Deu de ombros – Mas ela é legal pelo menos?

- Ela é incrível, parece uma criança – Respondi sem conter o sorriso.

- Sei... – Disse satisfeita – Eu vou trabalhar agora, beijos, até a noite.

- Beijos.

...

Seria muito estranho se eu dissesse que esperava que Clarisse viesse logo me cumprimentar no dia seguinte? Com certeza seria, mas era isso que eu esperava. Fantasiei em minha mente, ela me vendo em meio a dezenas de estudantes, ela levantaria o braço o mais alto que podia, acenaria com entusiasmo, nossos olhares se encontrariam e riríamos sem motivo, então nós aproximaríamos e ela reverenciaria com seu jeito fofo e esforçado.

Óbvio que nada disso aconteceu, ao chegar no campus com Hoseok, fiquei procurando por ela, corria os olhos por todos os cantos do jardim de entrada, mas nada de Clarisse, não consegui conter o suspiro.

- O que foi? – Perguntou meu amigo, seus olhos brilhavam de curiosidade.

- Nada – Respondi indiferente e, como se ele não existisse, fui para minha sala.

Terça-feira, mais dois dias para a festa. Ainda estava em meus planos chamar Clarisse, mas temia que ela recusasse, por algum motivo estava nervoso em chama-la. Eu sou bem patético, acabei rindo de mim mesmo.

- Já falou com ela? – Perguntou Jisoo, me assustando.

- Não faça isso! – Gritei, ela riu.

- Chamou ou não chamou?

- Não, vou chamar hoje – Disse, tentando convencer a mim mesmo.

- A gente pode tentar conversar com ela hoje – Dei de ombros, fingindo para mim mesmo que tanto fazia falar com ela ou não – Tudo bem então, vou para minha sala.

Acenei e ela logo saiu, olhei no relógio e ainda faltavam dez minutos para começar a aula, a sala já tinha alguns alunos, mas devo admitir que não muito de fazer amigos. Eu tinha Hoseok e Jisoo, nunca fiz o tipo popular.

Me levantei e decidi andar pelos corredores. Foi então que finalmente a encontrei, Clarisse estava encostada na parede, conversando com um garoto, um garoto que eu já conhecia, quer dizer, já havia o visto pelos corredores.

Como se fosse difícil de ver um cara de cabelo rosa andando pelos corredores, ele simplesmente chamava muita atenção, era quase impossível para ele passar desapercebido e acho que essa era sua intenção, pois vivia cercado de amigos, sempre conversando com alguém. Dessa vez seu alvo foi Clarisse.

Porque isso me incomoda tanto?


Notas Finais


Luizinho é meu neném 💙
Todos são na verdade ;-; 💙
Só consigo pensar no 1st, desculpa gente, não vou conseguir encerrar decentemente 💙

Obrigada a todos que estão lendo, desculpem pelos erros 💙
Até Sábado ^^

💙CORES AZUIS💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...