História Red Rose My Dear - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Ib
Personagens Garry, Ib, Mary, Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 632
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lírica, Literatura Feminina, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Incesto, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Rosas na varanda


Fanfic / Fanfiction Red Rose My Dear - Capítulo 1 - Rosas na varanda

{ Garry Sttulan }

"Oh..olá senhor Rigns, sim poderemos fazer o acordo hoje" 

" O que? Ah sim claro informarei ao meu pai "

" Foi ótimo fazer négocios com você, Boa tarde "

( desliga o telefone*)

Esse atende o celular a cada 5 minutos sou eu Garry, como podem ver eu estou sempre muito ocupado cuidando dos meus afazeres como vice-presidente da impresa Rouse a qual meu pai comercializa rosas, entre outras flores.

- Senhor Sttulan?- escuto a voz da minha secretária Marilette.

- Sim?- pergunto enquanto assino alguns papéis.- Ora...essa oferta de girassoís é muito boa.

- O Senhor Rigns acabou de informar que deseja almoçar com o senhos ás 1:00 em ponto.- avisa a funcionaria.

- Entendo, pode ver minha agenda Marilette?- pergunto a secretária.- Se eu tiver tempo eu vou, diga ao Senhor  Rigns caso eu não tiver tempo, é seu eu tiver diga que eu adoraria.

- Claro, irei providenciar- ela fecha a porta me deixando sozinho na sala cheia de papéis e documentos.

- Essas Túlipas me parecem uma ótima oferta desse vendedor...- penso alto pondo o polegar no queicho pensativo.

- com licença, Garry- era a voz do meu pai que abriu a porta.

- Pode entrar..- digo ainda fitando os papéis.

- Haha..caramba..está mesmo concentrado no trabalho!- ri o mais velho- Mais isso é uma boa notícia...você pode desistir com essa ideia mediocre de se tornar um advogado.

- Nem me venha com essas conversas...- digo sério com o tom das palavras do mesmo.- Já lhe disse que é isso que quero fazer, por tanto não se intrometa na minha vida.- digo enquanto digito mensagens aos nossos patrocionadores.

- Mesmo assim eu não acho isso uma boa ideia.- o mais velho se senta em uma cadeira no escritorio de frente para mim.

- Diga logo o que quer.- falo ainda olhando para a tela do computador.- Eu tenho uma reunião com os nossos patrocinadores ás 1:30!- olho no relógio de pulso.-Nossa já é tão tarde?- era 12: 59.

- Garry, você não acha que está exagerando filho?- pergunta o meu pai vendo que eu estava com pressa.

- Eu estou ocupado afinal, cuidar da impresa toda é bem difícil é algo que um certo alguém deveria estar fazendo agora- olho irritado para o mesmo.

- Tem algo que eu preciso lhe contar...- diz ele.

- Ai não estou atrazado para o meu almoço com o senhor Rigns! Será que poderia me contar depois?- pergunto ajeitando a gravata é pegando a maleta

- Então tabom...- ele desiste

Sai de lá passos rápidos e apressados, afinal eu já estava atrasado, droga o que eu estou fazendo? Pensar só me faz perder mais tempo!

- Ufa...ainda bem que eu já estou chegando- digo respirando- Fellipo prepare o carro.

- Sim, senhor Sttulan- ele me obdesse é prepara o carro- Para onde deseja ir?

- Para aquele restaurante françês La amour.- era uma das elites de Londres o restaurante mais caro e mais sofisticado de Londres.

Assim que chegamos lá fui recebido pelo senhor Rigns, conversamos sobre alguns assuntos do design da impresa, e também sobre a melhoria dos equipamentos de embrulhuniãcgo após realizei a reunião é fui para casa descançar para os meus outros afazeres

Já em casa a manção dos Sttulans, que era gigantesca cheia de rosas azuis que eram a marca da nossa família e impresa a Rouse.

- Bem-vindo de volta jovem mestre- diz uma empregada tirando o meu casaco.

Ignoro a mesma e subo as escadas para ir ao meu quarto, queria fazer mais alguns esperimentos para tingir rosas brancas para azuis, era o que eu mais deseja fazer...as rosas são as flores mais belas na minha opinião que existem

- Ahrg...lar doce lar...terminei a reunião...- me jogo na cama.- Hum...que sono.

- Ué..não abriram as cortinas?- pergunto a mim mesmo, me levantando e abrindo-a

No mesmo instante em que abro elas vejo uma menina de trenças segurando um vaso com uma rosa azul.

...















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...