História Red Smile - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Amizade, Bromance, Dor, Drama, Irmandade, Itachi, Luto, Naruhina, Narusasu, Naruto, Raiva, Sakura, Sasuke, Sasusaku, Tristeza
Visualizações 96
Palavras 2.286
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Seinen, Shounen

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeira Fic. Por isso, peço perdão por eventuais erros que possam estar na fic.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Red Smile - Capítulo 1 - Capítulo Único

 

Red Smile

(Sorriso Vermelho)

 

O tempo fechou.

Grandes nuvens cinzas dominaram o céu. A chuva não demorou muito para cair, o vento ficou mais forte, e para Sasuke não haveria um clima que melhor representasse o seu estado de espirito naquele momento. Os pingos caiam como facas em seu corpo, ergueu a cabeça olhando para as nuvens, o toque molhado e opressivo da chuva forte o fazia sentir vivo, a sua capa negra já estava ensopada, mas não se importava, ele naquele momento não se importava com nada. Seu coração afundava-se em tristeza, raiva e culpa.

O único som que ouvia era o dos pingos ao tocarem o chão rachado, grandes pedaços de pedra ainda residiam em toda a volta. Tudo a sua volta estava apático, ao seu ver. Os estrondos fortes de relâmpagos soaram entre as nuvens, a cada relâmpago toda a área em volta do antigo esconderijo Uchiha era iluminada, e Sasuke podia ver a extensão de dano que o Amaterasu e o Kirin fizeram em toda a vegetação em volta da montanha feita de andares, nada crescia mais ali, via-se apenas terra molhada e cheia de poças.

Ainda lembrava muito bem daquele dia, o revivia todos os dias, eram pesadelos que aconteciam enquanto estava acordado, talvez fosse uma punição de Kami, para lembra-lo que ele estava vivo e Itachi não. Lembrava de cada jutsu que usaram, cada golpe que trocaram, cada olhar, cada movimento, o gosto de sangue e da dor. Tudo estava gravado em sua mente, e fazia questão de nunca esquece-las, pois era prova de que falhou como irmão, como amigo e como ninja. Aquele lugar marcou sua vida e sua historia para sempre.

Sentia vontade gritar até sua garganta sangrar, vontade surrar alguém, não sabia ao certo se era por raiva dele, ou te si mesmo. A dor o punia a cada segundo que passava ali, mas já estava acostumado com a dor, viveu com ela a vida toda.

Agora olhava para a palma da sua única mão, a mesma mão que outrora matou seu irmão com um Kirin. Estava sentado, as pernas cruzadas, sua espada no chão, encostado na parede que antes dava acesso ao grande salão. O grande símbolo Uchiha pairava sobre ele como uma lua cor de sangue, era como se sentisse todo o legado do seu clã sobre si, observando.

Outra pessoa o observava, Sasuke mesmo de cabeça baixa sabia quem era, seu chakra era inconfundível.

- Você não devia estar assinando papeis nesse momento? – Perguntou Sasuke ainda de cabeça baixa.

- E você não acha que a Sakura-chan vai te dá uma bronca caso você pegue uma gripe?

- Não me responda com perguntas Dobe... – Sasuke olhou para a figura loura a sua frente, a capa de Hokage esvoaçava atrás de si por causa do vento, e estava tão ensopado quanto ele. Seu cabelo, agora curto, colava na testa. Seus olhos mostravam preocupação, mas respeito também. – Odeio isso e você sabe.

- Você odiar não quer disser que não vou fazer só para te irritar. – Um fino sorriso formou em ambos.

Os segundos que prosseguiram foram de total silencio. Naruto ficou parado ao seu lado, porém em pé, ele não iria se intrometer mais do que já estava, por isso ficou calado. Era um momento muito delicado e pessoal, mas Naruto não queria deixar o melhor amigo sozinho, sentiu vontade te tentar ajuda-lo, mesmo sabendo que Sasuke nunca pediria sua ajuda para aquilo. Não sabia o que se passava na mente e nem no coração dele, mas tinha uma ideia. Já passara por aquilo, por esse tipo de sofrimento, o de perder alguém tão especial. Ambos passaram por traumas semelhantes e por isso o Hokage sabia que era o único que podia entende-lo e ajuda-lo, fazer o que ele não pôde fazer quando eram mais novos... Ajudar.

Os segundos de silencio passaram para minutos, a chuva se tornou um pouco mais calma junto com o vento, os relâmpagos tinham cessado, mas ainda podia se ouvir trovões ao longe, o cheiro em volta era de terra molhada. Pequenos córregos foram formados entre as rachaduras no chão, iam em direção a base da montanha onde estavam.

- Você sabe que dia é hoje? – Perguntou Sasuke, sua voz fraca tirou o amigo ao lado de seus pensamentos.

- Sim, sei. É o aniversário de Itachi. – Pequenas imagens do Uchiha mais velho vieram na mente de Naruto.

- Sinto muita saudade dele. – Confessou.

- Sei que sente. – Suspirou e sentou-se ao lado dele.

- Às vezes tenho sonhos com ele, nesses sonhos é tudo como está hoje, com a diferença dele estar vivo. Kakashi o tinha perdoado legalmente pelos crimes que cometeu, ele tinha se tornado novamente habitante de konoha e depois o seu conselheiro mais fiel. Ele estava em todas as fases de crescimento da Sarada, sendo o Pai que eu nunca pude ser para ela. Ele era o genro perfeito para a Sakura. Era lembrado não como um ninja renegado, mas como salvador de Konoha. E além de tudo, ele estava comigo, vivo. – Ao pronunciar a última palavra, Sasuke tinha fechado, e cravado as unhas, na palma da mão.

Naruto apenas escutava, o amigo não era muito de conversar, por isso o deixaria se expor o máximo que pudesse limpando a alma com palavras. Fixou o olhar no horizonte vendo toda a paisagem, montanhas, florestas e mesmo sem ver conseguia imaginar os pequenos lagos que faziam parte dela.

Pequenas gotas de agua caiam das pontas do seu cabelo e iam parar no seu colo ou rolavam pelo seu rosto. Olhou para o amigo e percebeu que o mesmo acontecia, com a diferença de que a parte do cabelo de Sasuke que escondia seu Rinnegan estava grudado em metade de seu rosto, isso lhe dava o ar de mais obscuro e fechado do que já era.

- Mas também ás vezes sinto raiva dele. – O olhar de Sasuke estava tão vazio, seu rosto não demonstrava nada. Falava com Naruto, mas parecia estar falando com ninguém. – Ele podia ter me falado. Talvez tudo fosse diferente se ele tivesse falado para mim desde o começo sobre tudo. Eu não sei se iria entender no momento, mas uma hora a ficha ia cair e eu não teria me esforçado tanto para ir em direção a escuridão, á vingança. Eu me tornaria forte para lutar contra Danzou e não para lutar contra meu próprio irmão. Sinto amor, e ódio de vez enquanto por ele. Aquele egoísta idiota poderia ter me falado logo e talvez tudo pudesse ser diferente.

- Foi a escolha dele. É verdade, talvez as coisas andassem para um caminho diferente, mas os pés que o conduziriam seriam os mesmos, os seus. Você continuaria sentindo ódio, não de Itachi, mas dos conselheiros e do Sandaime, e talvez até de Konoha. E esse mesmo ódio te levaria a escuridão do mesmo jeito... – O louro recostou-se na parede. O amigo não o olhava, mas sabia que estava atendo ao que dizia. - A receita seria diferente, mas o prato no final seria o mesmo.

Sasuke suspirou como resposta, não sabia ao certo o porquê de estar revelando todas essas coisas, mas quanto mais falava mais sua alma era limpa, era como se os pesos que levava consigo fossem sumindo. Não se sentia melhor, porém se sentia mais leve. Era um assunto que nunca compartilhou com ninguém, e pretendia morrer com tudo isso entalado, mas conhecia Naruto o suficiente para confiar nele, confiaria sua vida e de toda a sua atual família no melhor amigo se fosse necessário e sabia que ele não o decepcionaria. Além do mais, Naruto conhece tão bem o sentimento de perda, que ele provavelmente era um dos únicos a entende-lo.

- Ele moldou você, o preparou, sabia? – Era mais uma afirmação do que uma pergunta. Sasuke olhou para ele sem entender.

- Como assim me preparou?

- Não há como proteger se não estiver preparado, não há como entender o próximo se você nunca passou por aquilo que o outro passou. Ele sabia que um dia você estaria protegendo Konoha, foi para isso que ele se sacrificou. Ele queria que você entendesse o ódio, e conhecesse a escuridão, para um dia você aconselhar, proteger e salvar aqueles que tentem trilhar o mesmo caminho de vingança. Pois você como ninguém sabe que quando se entra, dificilmente tem volta, o final desse caminho é a morte. O mesmo final de Madara, Obito e tantos outros no mundo ninja. – Conseguia-se ver que as palavras mexeram com o Uchiha, sua expressão era de pensativo, mas tão rápido com apareceu a expressão sumiu e deu lugar a mesma de sempre, vazia.

Mais alguns segundos de silêncio e Sasuke retrucou:

- Mais isso não tira a minha culpa. Eu matei ele, matei meu próprio irmão, aquele que me amou e nunca deixou de amar, e eu lhe devolvi com o jutsu mais forte que possuía na época, o Kirin. – Falou enquanto encostava a cabeça na parede dura, os olhos fechados se direcionavam para o céu. Na sua mente flashbacks apareciam. Num momento estava com toda a carga de chakra da natureza raiton na mão, com um enorme dragão, todo feito de puro raiton, pairando sobre si e sobre toda a montanha e esconderijo. No outro momento, via assustado e abalado seu irmão tocando sua testa com os dois dedos da mão, sangue descia de sua boca e olhos, como um pequeno córrego carmesim, todo o seu corpo estava ensanguentado e cheio de feridas, mas mesmo assim morreu sorrindo, um sorriso vermelho, morreu como o herói que era e doía no Sasuke lembra-se disso, porque naquele momento mesmo assustado, o olhar que dirigia ao irmão mais velho era de ódio.

Aquele toque tinha mais significado do que um simples, “eu te amo irmão”. Daria tudo para senti-lo novamente tocando-lhe a testa.

- Você o matou? Tem certeza disso? – Perguntou Naruto.

- Absoluta, da mesma forma que tenho certeza de estar vivo.

- Eu não acho que você o matou.

- Você acha que não? Quer ir comigo depois ver o corpo dele lá no distrito Uchiha? – Continuava com os olhos fechado e com a cabeça encostada na parede.

- Para mim, você o libertou! O libertou e livrou de toda a tristeza, magoa, dor, ódio, sofrimento, solidão e escuridão que lhe sobreveio ao aceitar o dever de exterminar o próprio clã. Não conheci Itachi tão bem quanto você, mas tenho certeza que depois de tudo que ele fez, paz era tudo o que ele queria e desejava. Você deu essa paz a ele, essa foi a sua retribuição. Ele lhe amava e morreria por você se fosse preciso, foi o que aconteceu, não aqui, mas naquele dia em que teve de matar todo o clã e família, Itachi morreu naquele dia, para que você não morresse em uma possível guerra civil. Ele morreu naquele dia, e você apenas o libertou do fardo que tinha na alma e coração. – Um sorriso de canto triste apareceu no rosto do moreno.

- Pensar dessa forma talvez seja melhor. – Retrucou.

- É a mais pura verdade. E Itachi não morreu em vão por outro motivo. Sarada, Boruto e todos os outros dessa nova geração, são o legado dele. Ele se sacrificou para que eles viessem a nascer, principalmente a Sarada, pois ela é o futuro do clã Uchiha que o Itachi desejava, um futuro onde os Uchihas sejam respeitados não como o clã do ódio, mas o clã que protege a paz e o amor, porque ninguém ama como um Uchiha. Vocês são meio chatos, mas dá para aquentar. – Um olhou para o outro e após alguns segundos riram, algo que não tinha passado pela cabeça de Sasuke nesse dia... rir.

- Obrigado, Naruto. – O agradecimento pegou o Hokage de surpresa.

- De nada, Sasuke. Não sou o Itachi, mas já disse que você é o laço mais próximo meu de um irmão, então sempre conte comigo. – Retrucou dando um dos seus famosos sorrisos, e estendeu o punho para o amigo que não demorou para responder dando um leve soco no punho, era um comprimento que aprenderam a fazer agora como adultos. – Agora levante e vamos voltar, eu pago o saquê hoje.

- Finalmente você vai pagar. Você diz isso sempre, mas nunca paga.

- Tenho culpa se o dono quando me vê faz questão de ser por conta dele? Você devia agradecer por ter um amigo com tantas vantagens!

- E que vantagens são essas?

- Ora, você não paga o saquê, recebe as melhores missões, deixo você ir sozinho nelas, assim você fica com toda a grana da missão, não encho seu saco quando você demora nas missões e fiz o seguro cobrir todo o custo da reconstrução da sua casa depois da Sakura ter deixado ela em pedaços.

- E eu até hoje não disse a Sakura que era você usando Henge no Jutsu com a minha aparência quando éramos mais novos, naquele banco perto da Academia – Retrucou Sasuke. – O que você acha que a Sakura vai pensar ao saber que você a enganou e a fez de boba? – Naruto arregalou os olhos para o Uchiha a sua frente, ambos já em pé, e com um sorriso envergonhado respondeu:

- É, parece que estamos quites!

A chuva já tinha cessado e o sol deu o ar da graça quando Sasuke e Naruto iam em direção as escadas que passam por dentro da montanha de andares onde ficava o esconderijo dos Uchihas.

Sasuke olhou para o céu e viu o sol, seus raios bateram em sua testa, era como se pudesse sentir os dedos do irmão o tocando no mesmo lugar como fazia outrora.

- Obrigado, irmão.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...