1. Spirit Fanfics >
  2. Red String (Yoonseok) >
  3. Flashbacks.

História Red String (Yoonseok) - Capítulo 4


Escrita por: e Watermelon_Pie


Capítulo 4 - Flashbacks.


Fanfic / Fanfiction Red String (Yoonseok) - Capítulo 4 - Flashbacks.

Já era tarde da noite e Yoongi não havia jantado. Estava com raiva das acusações da tia e das perguntas do primo. Sua "família" era uma puta de uma bagunça. Era insuportável morar sob o mesmo teto que os dois.

Min Yoongi se sentia péssimo quando seus olhos se cruzavam com os de sua tia. Era como se estivesse amaldiçoado. Sua mãe estava morta; mas ele sempre via ela, caso olhasse para Chaelin por um período maior de tempo. A única diferença entre as irmãs gêmeas era o cabelo; os fios da mãe de Yoongi eram tingidos de castanho claro, e os de Chaelin eram negros como carvão.

O garoto odiava admitir, mas sentia falta de seus pais. Ou melhor, de sua mãe. Estava feliz por saber que um homem como seu pai já não estava mais vivo.

Mas sempre que se olhava no espelho, Yoongi poderia ver o rosto enfezado do pai. Essa era mais uma de suas inúmeras maldições. Porque todo mundo precisava ser tão parecido, naquela maldita família?

Yoongi estava com os cotovelos apoiados sobre a beirada da pia do banheiro. Acariciava uma cicatriz profunda em seu peito e respirava ofegante. Sua cabeça doía como o inferno. E ele sabia o que estava por vir.

{Flashback On}

"Querido, será que você não poderia dirigir com um pouquinho mais de cuidado, por favor?"

A mulher de fios castanhos pediu com um sorriso amarelo e nervoso ao perceber que as mãos do marido apertavam o volante com força e a velocidade do carro aumentava cada segundo que passava. A moça engoliu em seco mas tentou manter a calma para não assustar seus filhos que estavam nos bancos de trás.

Yoongi brincava com seu aviãozinho de plástico. Balançava o brinquedo no ar em ziguezague fazendo um barulho fofo ao tremer seu biquinho adorável.

A bebê de apenas quatro meses, filha mais nova do casal, estava sentada na cadeirinha infantil que fora amarrada ao branco com muito empenho. Esta assistia o irmão mais velho brincando e ria vez ou outra das caretas engraçadas que o mesmo fazia.

O carro se movía cada vez mais rapido.

"Meu amor, dirija devagar. Por favor."

"Omma?"

O pequeno Yoongi chamou assustado quando o carro já estava extremamente veloz. A bebê começou a chorar e seu rostinho se tornou vermelho.

"Está tudo bem, Yoongi, continue brincando. Querido, por favor! As crianças estão ficando assustadas!'

"Omma..."

"Yoongi, aperte o seu cinto! Segure a sua irmã! QUERID-"

BANG!

O carro se chocou contra o acostamento da estrada e rolou morro abaixo, indo parar de ponta cabeça às margens de um rio.

Yoongi sentia algo molhado arder em seu peito. Os olhos do garotinho estavam extremamente arregalados e ele lutava para continuar respirando. Sua irmãzinha não estava mais ali, apenas sua cadeira. Seus pais estavam ambos completamente feridos e não se mexiam.

"Omma? A-appa?"

Chamava baixinho. Não obteve resposta. Yoongi não conseguia se mexer, tamanha era a sua dor. E então ficou ali, sangrando e ofegando, até que caiu no sono.

[...]

— E como era o relacionamento do Sr. Min e da Sra. Lee? — perguntou um homem coreano de traje elegante. Estava de frente para a mulher e seu bebê e parecia anotar algo.

— Era um relacionamento conturbado. — Chaelin disse ainda em choque. Jihoon estava adormecido em seus braços; tinha três anos na época. — Estavam sempre brigando. O marido da minha irmã era... Uma pessoa horrível. 

— Ele batia nela?

— Às vezes. Sim.

— Agora, sobre as crianças. Yoongi e Beomgi; como eles eram tratados?

— Minha irmã amava os filhos. Cuidava muito bem deles e era uma mãe excepcional. Foi ela quem me encorajou a ter o meu próprio filho, Jihoon. — disse com um sorriso.

— E o Sr. Min?

— Nunca vi ele como o pai dos meus sobrinhos. Já cheguei a presenciar ele batendo no menino por motivo algum. Mas na bebê ele nunca encostou um dedo; minha irmã e o filho nunca deixavam. Eles a protegiam a todo custo. — suspirou.

O homem voltou a fazer algumas anotações e Yoongi assistia os dois pela fechadura da porta da sala.

— Delegado, por favor. Não levem o Yoongi para um orfanato. Eu ficarei muito feliz em assumir a responsabilidade de cuidar do meu sobrinho como se fosse meu próprio filho. É um favor que eu devo à minha irmã.

O homem a encarou por um tempo e suspirou, assentindo com a cabeça.

— Tudo bem, Sra. Lee. Podemos conversar mais sobre isso depois.

{Flashback Off}

— Seu monstro... — Yoongi rosnava para si mesmo, se descabelando enquanto estava encostado contra a porta do banheiro. — C-como pôde...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...