1. Spirit Fanfics >
  2. Reddie amor verdadeiro >
  3. Quando a coragem bate

História Reddie amor verdadeiro - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Quando a coragem bate


Fanfic / Fanfiction Reddie amor verdadeiro - Capítulo 7 - Quando a coragem bate

Com o passar das horas, as aulas do dia foram acabando, só restando apenas uma para a turma dos otários, a aula de educação física, a qual pelo seu problema de asma, Eddie era dispensado, ficando na arquibancada assistindo, enquanto seus amigos corriam pela quadra da escola fazendo os exercícios, Eddie agradeceu por ser dispensado da aula por ter mais um tempo para pensar, seu coração nunca esteve tão confuso sobre o que sentia, o que sabia apenas era que amava Richie e ao contrário do Tozier, Bill admitia que o amava, mas mesmo sabendo disso, e por mais que quisessem ter Richie apenas como seu amigo, seu coração jamais deixaria de bater acelerado quando o assunto era ele, para sua infelicidade, ainda o amava, com o passar dos minutos, o fim da aula chegou e o professor deu fim aos exercícios dos alunos, Richie não perdeu tempo em ir falar com o amigo na arquibancada.

- E ai Eddie, o que achou de mim hoje? - moreno retirou sua camisa encharcada de suor a jogando em seu ombro.

- Você até que tem força pra fazer tudo isso, eu não aguentaria nem o começo - Eddie não deixava de analisar o corpo suado do amigo.

- Tá afim de terminar aquele trabalho hoje?

- Claro, mas tem que ser na sua casa, minha mãe não quer te ver nem pintado de ouro.

- Eu sei bem.

- Ela já não gostava de você mesmo, então não mudou muita coisa.

- Você bem que podia dormir lá em casa essa noite, meus pais vão viajar então a casa vai só nossa, gente bem que podia ter um segundo round da noite de ontem.

- Richie, o que eu disse?

- Eu sei foi mal.

- Mas quem sabe não rola né.

- Peraí você tem coragem de fazer de novo? - Richie tentava esconder sua satisfação em saber que o amigo sentia o mesmo desejo que ele, mas seu sorriso entregava tudo.

- É Richie, sabe, se eu não te conhecesse, diria que você gosta de homem.

- O que, claro que não, eu só acho fazer aquelas coisas, não gosto de homem, sou hetero - mentiu o Tozier.

- Sei - disse o menor com um olhar abatido - agora vai tomar seu banho que você tá fedendo pra cacete.

- Não gosta do cheiro do meu suor?

- Não, sai logo daqui e leva essa catinga com você.

- Só por isso eu vou te dar um abraço - Richie envolveu o menor em seus braços, o fazendo sentir seu suor de mais perto.

- Para Tozier é sério - disse Eddie entre risos com o amigo, olhando bem em seus olhos -  vai logo tomar seu banho tá.

- Tá bom, tô indo - Richie deu um beijo na bochecha do amigo antes de sair - me espera aqui.

- Vê se demora bem muito pra tirar esse cheiro.

- Vai se fuder Eddie - disse Richie mostrando o dado para, seguindo para o vestiário.

Eddie voltou a sentar na arquibancada, aguardando o amigo deixar o vestiário, não parando de pensar no mesmo e em suas últimas ações, ele realmente queria ter algo a mais com ele, a noite anterior havia deixado tudo bem claro, sem contar que ele sugeriu ter sua primeira vez com o Kaspbrak, nunca esteve tão confuso como naquele momento, o tempo passou e todos os outros garotos saíram, exceto pelo Tozier, não aguentando mais esperar e indo ao vestiário ver o amigo.

- Richie… você tá aí? 

- Tô aqui Eddie - disse o Tozier chegando a área dos armários do vestiário, usando apenas uma toalha em sua cintura - o que tá fazendo aqui?

- Você tava demorando então resolvi vir te ver, dá pra acelerar e se vestir logo, quero ir pra casa.

- Tá bom, que pressa - Richie deixou a toalha em sua cintura cair no chão, ficando despido frente ao amigo.

- Richie… - gritou Eddie encabulado com o amigo nu a sua frente, virando de costas para ele - porra cara, avisa tá.

- Eddie até parece que você nunca viu.

- Mesmo assim, eu não quero ver você assim.

- Tá bom - Richie vestiu uma cueca box preta, marcada com seu membro - feliz agora?

- Sim, obrigado.

- Escuta Eddie, eu até que gostei da noite de ontem, você beija bem.

- Você também.

- A gente tá sozinho aqui né? - disse o Tozier com um sorriso malicioso

- Sim, e daí?

- É daí isso… - Richie tomou os lábios do menor com um beijo, que logo foi interrompido pelo mesmo.

- Richie para, a gente não pode

- O que foi, não gostou?

- Sim mas…

Eddie olhava para Richie usando apenas aquela cueca marcada com seu membro, admirando seu corpo exposto para ele, podendo sentir um volume se formar em sua cueca, sentindo um forte desejo pelo amigo, não conseguindo mais controlar suas ações em meio a excitação em que se encontrava, puxando o mais velho para mais perto de si, tomando seus lábios em um grande beijo, pedindo passagem com a língua que lhe foi concedida pelo maior, que ergueu o castanho em seus braços, entrelaçando suas pernas pela cintura do Tozier, que o levou até um armário, encostando suas costas, que Richie também podia sentir um volume se formar em sua cueca.

- O que a gente tá fazendo Chee? 

- Não tá gostando?

- Sim mas isso é errado não, você não é hetero?

- O que isso importa agora, eu só quero você.

- Do que você tá falando?

- Não pensa em nada Eddie, só se entrega comigo, seja meu.

- Richie… que se foda tudo então.

Os dois garotos ficaram se olhando por um tempo, sorrindo, aquele momento era bom, sempre desejaram sentir o beijo um do outro mais uma vez, não perdendo mais tempo, acabando por selaram seus lábios em um grande beijo, que o Tozier pediu passagem com a língua, que lhe foi concedida pelo menor, tornando aquele beijo mais intenso e caloroso, logo, descendo seus lábios para o pescoço do castanho, distribuindo beijos e chupadas, que o castanho acabou deixando escapar alguns gemidos roucos de seus lábios, estando totalmente entregue ao moreno, ainda não acreditavam que aquilo estava acontecendo, aquele era o momento que ambos sempre ansiavam em viver juntos, fazer com a pessoa que ama tornava tudo ainda melhor, ambos desejando que nunca acaba-se, Richie descia suas mãos pelas costas de Eddie, chegando a região onde tanto ansiava chegar, apalpando suas nádegas.

- Espera Richie, já chega disso - Eddie acabou interrompendo tudo, saindo dos braços do amigo, ao ver que poderiam chegar longe demais.

- Mas Eddie tava tudo tão bom…

- Mas eu não quero mais Richie, porra - gritou o castanho com uma certa raiva no olhar deixando lágrimas caírem.

- Eddie desculpa se eu peguei na sua bunda é não gostou, achei que você também tivesse afim transar sei lá.

- Não é isso seu idiota, você acha que é só isso que eu quero, afinal por que você tá fazendo Isso se você é hetero como diz?

- Porque eu… porque eu… - Richie apertou os punhos com o ódio que sentiu com sua falta de coragem - Porque eu gosto de fazer isso com alguém, é bom, não tem nada haver ser hetero não.

- Mas pra mim é diferente Richie, não é só pegação, por mais babaca que você tenha sido comigo, eu ainda te amo.

- Eddie... - Richie tomou os lábios do amigo em um beijo, mas foi interrompido pelo mesmo que ele desferiu um tapa no rosto - desculpa, eu não devia ter te beijado.

- Só diz Richie, diz se você é gay ou não pra estar fazendo tudo isso, diz por favor eu tô te pedindo, diz...

- Eddie… eu não sou gay, eu só gosto disso.

- Você é um cínico, eu vou pra casa. 

- Eddie espera por favor, vamos conversar…

- Richie eu só… eu só quero ficar sozinho Chee, por favor não me procura - Eddie deixou o vestiário correndo entre lágrimas.

Richie deu um chute em um dos armários, descontando a raiva que sentia de si mesmo por não ter conseguindo falar mais uma vez, dizer ao amigo que o amava, desabando no chão do vestiário, caindo em lágrimas, sentido uma grande raiva de si, aquele era momento de dizer tudo, dizer a Eddie que o amava e que queria passar o resto da sua vida com ele, mas a coragem sempre sumia na hora certa, só queria deixar de ser um covarde e poder dizer ao garoto que ama o que sente.

Eddie chegou em seu quarto, jogando-se em sua cama, caindo em lágrimas, só queremos chorar e nada mais, não parando de pensar no moreno um único minuto, porque ele fazia isso consigo, porque ele o beijava se não era gay, porque, e mesmo depois de tudo que el3 fez, seu coração sempre seria dele.

As horas do dias foram se passando depressa, logo a noite chegou, Richie estava em seu quarto olhando algumas fotos em seu celular, em que estava com Eddie, sorrindo enquanto pensava no amigo, sentindo um certo aperto no peito em pensar que poderia ter estragado tudo e poderia perder o amigo mais novo, deixando lágrimas caírem de seus olhos com a tristeza que sentia.

- Richie nós… está chorando filho? - disse a mãe do garoto ao ver lágrimas caindo de seus olhos.

- Não é nada mãe.

- Bom, eu só vim avisar que eu seu pai estávamos saindo, mas isso não importa agora, está realmente bem filho?

- Estou, só quero ficar sozinho.

- Me conta o que está acontecendo Richie?

- É que eu gosto de uma pessoa, e ela também gosta de mim, mas eu não tenho coragem de dizer o que eu sinto.

- É o Eddie não é?

- O que, como sabe? - disse o garoto nervoso.

- A foto no seu celular.

- Ah droga, mãe eu…

- Richie, está tudo bem, eu não me importo que seja gay, você é meu filho, e eu te amo.

- Está tudo bem filho - disse a mulher acariciando os cabelos do filho - eu e seu pai sempre soubemos é já conversamos várias vezes sobre isso.

- Por que nunca disseram nada?

- Queríamos deixar você se sentir pronto para nós dizer, seu pai também não se importa, somos seus pais e sempre iremos te apoiar.

- É muito bom ouvir isso.

- Você ama esse garoto não ama?

- Sim, mais que tudo nesse mundo.

- Então não acha que ele merece saber?

- Acho.

- Então não fica parado Richie, vai lá dizer pra ele filho.

- Vou mesmo, obrigado mãe.

Richie abraçou a mulher mais uma vez, as palavras de sua mãe eram o que precisava ouvir para tomar a coragem de que precisava, pegando seu carro, seguindo para residência do Kaspbrak.

Eddie estava fazendo sua lição de casa em sua escrivaninha, mas estava difícil, sua mente não parava de pensar no Tozier um único minuto, ele era sempre que. tomava seus pensamentos, não queria pensar nele, mas era difícil, jogando seu lápis na parede descontando sua raiva, Eddie estava numa mistura de sentimentos, como amor, tristeza e raiva, só um garoto no mundo o fazia sentir tudo aquilo, Eddie foi tirando de seus pensamentos ao ouvir um barulho vindo da janela de seu quarto, não sabia o que era, até ouvir mais uma vez e ver que jogavam pedra em sua janela, deixando sua cadeira para ver quem poderia ser, mas já imaginava quem seria.

- O que que Tozier? - disse Eddie ao abrir a janela, encontrando o moreno.

- Quero falar com você, pode descer?

- Não sei, minha mãe não vai deixar eu sair a essa hora.

- Quem disse que ela precisa saber, não vai demorar, é só um minutinho.

- Mas você ao menos pode me dizer o que você quer antes?

- Eu preciso te contar uma coisa, mas pra isso tenho que te mostrar uma coisa, você vai entender quando ver, então, você vem?

- Tá bom eu vou - Eddie foi até porta de seu quarto tranca-la, não querendo correr risco de sua mãe entrar em que quarto e não encontrá-lo, depois indo até janela,  descendo devagar, sendo pego pelos braços do moreno - obrigado.

- De nada, vamos de bicicleta, tudo bem pra você?

- Tá, eu vou pegar a minha.

- Tudo bem.

Richie ficou parado em sua bicicleta frente a residência dos Kaspbrak esperando o amigo, que logo voltou com sua bicicleta, que os dois começaram a pedalar, Richie corria a toda enquanto o menor estava lutando para acompanhá-lo, Richie não parava de rir do amigo que estava suando para alcançá-lo.

- Fala sério Chee, vai devagar - gritou o castanho, ofegante.

- Como você é fraco Eds.

- Você pode ao menos me dizer onde estamos indo? 

- Você vai ver… olha chegamos.

- Não acredito que me trouxe aqui - Eddie não acreditava que o amigo havia o levado para o lugar onde revelou seus sentimentos a ele, Eddie podia se ver ali, correndo em sua bicicleta chorando, querendo sumir do mundo, jamais se esqueceria - você só pode gostar de brincar comigo.

- Eu sei que você não gosta daqui, mas eu precisava te trazer aqui pra mostrar um coisa e te falar algo importante.

- Então tá, pode falar. 

- Antes senta aqui, encosta sua bicicleta e senta aqui comigo 

- Tá - os dois deixaram suas bicicletas encostadas na madeira que estava ali, depois sentando-se na grama ao lado um do outro, sem saber o que dizer torcendo para o outro quebrar o silêncio, até que a coragem bateu no castanho - agora pode me dizer porque aqui Richie.

- Tá bem Eddie - Richie respirou fundo, estava com coragem e não iria se acovardar, iria dizer tudo ao garoto que tanto ama - nessa ponte algumas pessoas escrevem o seu nome com o da pessoa que você gosta, olha pra esse agora.

- O que é isso, R mais E, o que significa? - disse Eddie sem entender o que era aquilo escrito na madeira.

- Depois que você saiu naquele dia, eu chorei muito, me senti um verdadeiro merda pelo que eu fiz, por ser um covarde e não ter dito a verdade, então escreve isso como uma forma do amor que eu sinto por você.

- Amor… 

- Eu mandei você embora naquele dia porque você era gay… mas não devia ter feito aquilo, sabe o que eu devia ter falado quando você disse que amava?

- Richie, você tá dizendo… que você…

- O que eu devia ter dito era que eu te amo, eu te amo Edward Kaspbrak.

Richie tomou os lábios do seu amado em um grande beijo, que apesar da surpresa, correspondeu ao beijo de imediato, um beijo cheio de amor dos dois envolvidos.

- Richie… eu te amo.

- Eu sei, eu também te amo, sempre te amei.

Richie tomou os lábios do menor novamente em um beijo mais intenso, era diferente beijar Eddie, e o mesmo valia para o castanho, não sabiam o porque, era o amor de ambos que estava mais envolvido do que nunca, saber que aquele amor era recíproco tornava aquele beijo ainda melhor, cheio de paixão, o Tozier pediu passagem com a língua que lhe foi concedida pelo menor, tornando aquele beijo mais intenso e caloroso, cheio de amor, com o tempo o ar foi se fazendo falta, os fazendo interromper o beijo, enquanto recuperava o fôlego, os dois ficaram se olhando enquanto sorriam, nunca imaginaram ouvir um eu te amo um do outro ao mesmo, aquilo estava sendo incrível, mas logo o clima de amor foi quebrado pelo menor que apresentou um olhar entristecido.

- Eddie o que foi?

- Porque você não me contou antes Chee?

- Porque eu… eu tava com medo 

- Porque você não queria que soubessem que você era gay não é verdade?

- Bom sim é.

- Eu já suspeitava que você gostava de mim naquela época, você sempre me tratou diferente dos outros, me fez acreditar que você gostava de mim, por isso confessei o que sentia por você, em vez de você dizer que me amava, você mentiu pra mim Chee.

- Eddie desculpa por isso.

- Eu achava que era porque você era preconceituoso… você gostava de mim e mesmo assim me disse tudo aquilo Chee.

- Eddie por favor me perdoa, eu sei que eu errei muito, eu sofri por isso, eu me odeie todos os dias.

- Eu tenho que ir…

- Eddie por favor não me deixa aqui… - Richie estava entre lágrimas tentou impedir que o garoto o deixa-se, agarrando seu braço.

- Me larga… - gritou Eddie, jogando o Tozier não chão em prantos - me desculpa Chee… eu não queria…

O Kaspbrak subiu em sua bicicleta, pedalando a toda velocidade, deixando suas lágrimas caírem por onde passava, o mesmo acontecia com Richie, que continuou na ponte chorando, só queria que as coisas tivessem sido diferentes no passado, que a coragem que sentia hoje, tivesse lhe batido anos atrás, só querendo chorar por mais umas vez ter perdido seu grande amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...