1. Spirit Fanfics >
  2. Redécouvrir le bonheur >
  3. Brindando a Felicidade

História Redécouvrir le bonheur - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


oi meus amores
mil perdões pela demora, eu não gosto de demorar, mas minha vida é corrida demais.
bom gente reta final dessa fánfic.

Espero que vocês gostem do capítulo que ficou simples, mas está aí .

dedico esse capítulo a Bárbara ❤

eu prometo atualizar bastante enquanto estou afastada do serviço por conta do vírus ( Eu nao estou com o vírus kkkkk, mas é por precaução).


Gente é sério se cuidem viu? os dias tem sido preocupante, mas eu creio que será apenas uma tempestade que em breve irá cessar.

- Lave as mãozinhas
- Passem álcool em gel
- Evitem sair de casa, se não for importante.

beijos meus amores .

Capítulo 38 - Brindando a Felicidade


Ainda no hospital Julieta recebia total atenção dos familiares, eles revezavam para quem iria ficar com Julieta, enquanto Aurélio e Elisa preparavam uma surpresa para ela, e enquanto Camilo dormia como um anjo no bercinho hospitalar ao lado da cama de sua mãe, ela estava descansando calmamente quando ouviu que alguém entrava no quarto, ela despertou achando que fosse algum médico, mas se enganou, era Brandão que estava na porta do quarto sorrindo.

- Oi Julieta, você se sente bem? – Ele perguntou enquanto olhava em direção ao bebê- Como ele é lindo – Observou mais de perto.

- Oi Brandão, eu estou bem Sim, Mariana está no hospital? – Perguntou estranhando a presença dele ali.

- Não, ela está na sua casa com Elisa, para Aurélio vir te ver.

Julieta estranhou, mas não questionou para não prolongar assunto .

- Aconteceu alguma coisa? – Sentou normalmente na cama.

- Não, eu só vim te visitar e dizer que estou muito feliz que você construiu sua família, a vida ela fez um reboliço e hoje por incrível que pareça estamos felizes, eu quero te agradecer por todo tempo que passamos juntos e mais uma vez te pedir perdão, por tudo o que eu te fiz de ruim, hoje o que eu puder recompensar eu recompenso – Ele olhou travesso- Começando por um presente para Camilo – Ele saiu da sala e voltou com um urso enorme – Espero que Camilo goste e se caso ele não gostar, não fale que foi eu que dei – Deu uma risada fazendo Julieta sorrir também.

- Não se martiriza, está tudo esquecido, obrigada por ter vindo me visitar, obrigada pelo presentão e eu te agradeço por vir até aqui, isso é bom, é ótimo saber que estamos amadurecendo, saiba que eu estou imensamente feliz pela família que você deu para a minha irmã, obrigada por cuidar tão bem delas.

Brandão sorriu e depositou um beijo na testa de Julieta ela fechou os olhos sentindo paz em ver que tudo estava bem, mas talvez só até aquele momento por ver Aurélio na porta do quarto observando tudo .

- Oi amor – Julieta falou fazendo Brandão se afastar

Aurélio se aproximou e Julieta gelou achando que ele falaria alguma coisa para Brandão, mas ao contrário disso, ele estendeu a mão para o homem a sua frente e o cumprimentou amigavelmente. Fazendo assim Julieta soltar o ar que ela nem notara que estava segurando por tamanha tensão.

- Boa tarde Aurélio, eu vim trazer esse presente para Camilo – Mostrou o ursão

- Obrigada, pela gentileza – Ele sorriu

- Bom, eu vou indo, vou voltar para o quartel, até mais .

Julieta e Aurélio se despediram e então ele olhou para sua esposa com uma cara nada amigável, ele se aproximou e dando um selinho ele diz .

- Como está meu amor? – Ele sorriu ao ver a cara que ele fez.

- Aurélio, que susto – Colocou a mão no peito – Eu achei que teria suas crises de ciúmes

- Eu estou tão feliz que nem passou pela minha cabeça isso – Ele se aproximou dando um beijo nela – E eu sei que você ama somente a mim – Depositou um beijo na bochecha dela

- Não é nenhum pouco convencido – Sorriu fechando os olhos ao sentir ele cheirando seu pescoço – Eu estou acamada e indefesa e você está me torturando com esses beijos – Ela respirou fundo quando ele sugou seu ponto pulsante novamente do pescoço.

- Calma meu amor, é só um carinho – Ele sugou subiu o lábio inferior dela

- Aurélio para – Ela pedia com os olhos fechados

- Eu não estou fazendo nada – Ele segurou Julieta pela nuca e abocanhou os lábios

Eles se beijavam lentamente naquela tortura, pois estavam a tanto tempo sem fazer amor e mesmo assim não podiam se tocar deixando seus corpos ansiosos para quando fossem se encontrar de novo. Os lábios de Aurélio chupava os de Julieta, suas línguas sentiam o gosto um do outro, a saudade batia na porta e Julieta queria mata – la o mais rápido possível.

Suas mãos ansiosas segurou a gola da blusa de seu marido, como se implorasse para ele não sair dali, mas ele precisava, pois Camilo choramingou chamando a atenção do casal .

Com os lábios vermelhos Julieta separou – Se de Aurélio e foram dar atenção para o menino. Aurélio rapidamente pegou seu primogênito no colo e cheirando os cabelos do garotinho, sorriu entregando para a mãe que já tinha os braços estendidos a espera da criança.

Julieta amamentou Camilo observando cada traço de seu filho, ele era tão lindo, ela parecia uma outra pessoa, parecia que o gosto de viver se multiplicou, ela estava imensamente feliz.

Na Mansão Cavalcante Mariana e Elisa davam os toques finais do quarto de Camilo que não tinham terminado de arrumar, por conta que não sabiam que ele viria antes, Aurélio enquanto esteve em casa fez os ajustes mais pesados e as meninas estavam terminando, Julieta teria uma surpresa quando chegasse , estava tudo muito perfeito, digno de um príncipe.

Depois que terminaram de arrumar o quarto elas desceram para ajudar Helena com as crianças. A senhora estava com Abgail no colo, enquanto Alexsander e Helena brincavam no chão, as três crianças estavam espertas, já engatinhavam e deixavam suas mães de cabelo em pé, indo para os 8 meses de nascidos eles traziam alegria para casa e suas mães não podiam estar mais satisfeitas por terem sido presenteadas com aquelas bolotinhas.

Os dias se passaram e o dia de Julieta sair do hospital chegou , ansiosa para ir para casa com Camilo e desfrutar da paz que emanava o seu ser, ela se arrumava no banheiro, enquanto Mariana arrumava Camilo. Ela ao sair arrumada, causou surpresa em sua irmã.

- Nem parece que você teve um bebê a três dias atrás – Sorriu largamente – Você está linda Julieta

- Obrigada Mari – Ela andou pela sala devagar para não se esforçar e olhou para a irmã novamente – Eu estou feliz que está aqui.

- E eu estou feliz de estar aqui com você – Pegou na mão de sua irmã

- Você também se sentia assim, meio sentimental? – Perguntou para a irmã

- Muito, é normal não se preocupe – Alisou o rosto de Julieta – Agora vamos, que Brandão nos espera lá fora.

- Queria tanto que Aurélio viesse

- Aurélio está na empresa, estava atarefado, a noite vocês conversam – Sorriu acalmando a irmã.

Elas saíram do hospital, juntamente com as enfermeiras e entraram no carro com Brandão. Durante o trajeto Julieta pensava no quarto de seu filho que não tinha terminado, teria tempo, o importante é que ele estava ali em seus braços.

Quando o carro de Brandão adentrou os portões da Mansão Cavalcante, Julieta respirou o ar puro que aquele lugar representava para ela. Mariana pegou Camilo no colo e Brandão ajudou Julieta a andar até a porta da casa, e quando ela abriu a porta ela foi recebida por todos que fizeram de sua vida os dias felizes.

Ela varreu os olhos pela sala sorrindo feliz com a surpresa e encontrou Elisa e Darcy com os gêmeos sentados no sofá, Petúnia em pé ao lado de Mercedes que também se encontrava no local para receber a sua menina que ela cuidou por tanto tempo, Cobrado e as Helenas estavam em pé também sorrindo para sua amada menina. Seu sorriso se alargou quando ela viu que pessoas de longe também estava ali, Jorge e Amélia se encontravam no recinto e lá estava ele o amor da sua vida, o homem que limpou suas lágrimas, que a resgatou e que a fazia imensamente feliz.

Seus olhos cheios de lágrimas não conseguia conter a emoção de ver todas essas pessoas ali, ela andou lentamente para o Centro da sala e então foi recebida com abraços calorosos e parabenização sobre o Nascimento de Camilo.

- Aurélio me contou sobre seu parto e eu tô passada – Amélia ajudou Julieta sentar- se – Você foi muito forte, eu quero muito ser também, estou com medo.

- Eu também estava Amélia , mas quando chega a hora de nascer nada impede – Sorriu- Sua barriguinha está linda – Passou a mão – Vou sentir falta da minha.

- Eu não vejo a hora de nascer – Brincou – Estou apenas de 3 meses

- Meu Deus Amélia, e você descobriu a pouco tempo – Ficou surpresa

- Eu não tinha sintomas, então nunca que imaginaria e também estava tão focada em outra coisa que nem notei que minhas regras tinha parado .

- Eu também não tinha sintomas, se não o meu desmaio, também não iria saber.

Amélia pegou Camilo no colo apreciando o garoto, enquanto os demais conversavam com Julieta. O almoço de boas vindas foi servido, em uma mesa grande com variedades de comida eles estavam reunidos. Julieta chamou a atenção de todos.

- Eu queria prepor um brinde, sei que a bebida que estou não condiz com o evento – Todos riram por ela estar bebendo suco – Mas eu quero brindar mesmo assim, quero brindar a esse novo ciclo de se inicia em minha vida, de ser mãe, pelo meu esposo que eu tanto amo que me proporcionou ser mãe e ser esse esposo maravilhoso, quero brindar pela minha família que está aqui reunida, que sempre esteve ao meu lado, que me ajuda a cada instante e quero brindar a Helena, essa mulher que chegou em pouco tempo e já conquistou nossos corações, fez meu parto – Ela se emocionou – E o melhor de tudo tem feito meu pai feliz – A Helena – Ela levantou o copo.

Á mulher ficou emocionada ao ver todas aquelas pessoas com os copos estendidos falando o nome dela. Com lágrimas nos olhos todos estavam emocionados, o novo dia tinha chegado.

Quando a noite caiu, todos foram para os seus lares, exceto Jorge e Amélia que ficariam hospedados ali. Julieta subiu devagar para o segundo andar enquanto Aurélio subia com Camilo e Jorge com as malas.

Ela olhou para a porta do quarto de Camilo e então se lembrou que não tinha aquela plaquinha azul na porta.

- Quem comprou essa plaquinha? – Perguntou a Aurélio que já estava com um sorriso travesso nos lábios .

- Abra a porta – Sugeriu Aurélio

Julieta abriu a porta e as emoções voltaram, o quarto de Camilo estava muito lindo, todo pintado e decorado, melhor do que ela imaginou que seria, ela observou cada detalhe do quarto e se perguntou como conseguiram terminar em três dias.

- Está tão perfeito – Ela limpou as lágrimas – Eu nem sei como agradecer – Ela depositou um selinho em Aurélio – Eu te amo, obrigada por tudo .

Aurélio sorriu e Julieta passeou no quarto absorvendo tudo dele, estava maravilhada, ela pegou Camilo do colo e colocou dentro do berço que o acolhia perfeitamente.

[...]

Os dias passavam e com eles completava um mês desde o Nascimento de Camilo, a rotina do casal estava a milhão, Aurélio como um marido atencioso, cuidou corretamente de Julieta e como também era um papai babão, as madrugadas era por conta dele, já que Julieta cuidava a parte do dia todo. O corpo cansado de Julieta pedia descanso, mas ela a todo momento ficava atenta aos barulhos de Camilo.

Era de madrugada quando Julieta acordou assustada e não encontrou Aurélio ao seu lado, ela então se levantou e foi em direção ao quarto de Camilo e encontrou os homens de sua vida conversando, Aurélio conversava com seu filho como se ele estivesse entendendo e Camilo balbuciava sorrindo para o pai, o coração de Julieta esquentou de alegria ao presenciar tal cena e para não atrapalhar resolveu voltar a dormir.

No segundo mês de Camilo, Julieta já estava acostumando com o ritmo, sua irmã e Helena sempre compareciam a mansão para ajuda – la, enquanto Elisa administrava a empresa e passava os relatórios para Julieta sempre que podia, tudo estava se encaixando e ficando ainda mais perfeito.

No terceiro mês de Camilo, seus pais já sentiam falta um do outro, os corpos clamavam por carinho, eles focaram tanto na criança que não se deram conta que precisavam dar atenção um ao outro, mas agora era impossível não sentir a falta já que eles não podiam se ver que a vontade surgia na hora.

Aurélio tinha acabado de colocar Camilo no berço e foi deitar – se com sua esposa, ele sabia que ela aquela hora já estaria dormindo, mas ao chegar no quarto teve uma surpresa, ela estava sentada de camisola o esperando.

- Ainda acordada? , Você está bem?

- Sim, estou – Ela levantou indo em direção dele – Eu estou apenas com saudades de você – deu um selinho nele – do seu toque, dos seus beijos, você percebeu que já faz mais de 3 meses que não nos beijamos direito?

- Sim, e você não sabe o quanto eu sinto falta de você, mas eu respeito seu tempo, eu só quero seu bem estar, sabe disso – Ele começou a beijar o pescoço dela – Está tão cheirosa – Ele inalou o cheiro do pescoço e apertou a cintura dela.

Julieta gemeu sentindo as mãos de Aurélio apertar seu corpo, sentiu falta disso, ela sempre gostou da forma como as mãos dele era grande e ágil, ele sabia o tanto certo que podia apertar aquele corpo pequeno sem machucar. Ele enfiou os seus dedos nos cabelos sedosos dela e apertou trazendo sua boca para colar na dele.

Os lábios se tocaram matando as saudades, suas línguas se encontraram fazendo aquela dança sensual, o beijo era lento e excitante, eles estavam aproveitando cada minuto se entregando ao desejo que os corpos imploravam por sentir.

Aurélio levado pelo desejo levantou Julieta fazendo ela entrelaçar suas pernas ao redor de sua cintura e desesperado, ele encostou ela na porta e prensou seu corpo contra dela fazendo ela sentir a sua dureza entre as pernas, ela virou os olhos ao sentir a fricção que fez em sua parte intima, ela apertou as costas dele e um respirando o ar do outro, eles se beijaram novamente, enquanto ainda de roupa eles se apertavam sedentos.

Mas como tudo que é bom dura pouco, eles ouviram o choro de Camilo, Julieta fechou os olhos sabendo que sempre seria assim. Aurélio desceu o corpo dela e sorriu , ela retribuiu o sorriso e deu outro beijo nele.

- Pode deixar que eu vou

- Tudo bem, eu vou tomar um banho gelado – Sorriu ao ver o estado que ficou.

Julieta seguiu para o quarto de Camilo e o pegou no colo

- Eita meninão, você atrapalhou seus papais – Cheirou os cabelos do nenê – Vale a pena cada esforço por você, meu amor .

Julieta sentou na cadeirinha de balanço e colocou Camilo para dormir, ciente de que Aurélio não escaparia depois disso. 


Notas Finais


até a próxima ❤

quarto de Camilo- https://images.app.goo.gl/uxyvtxH3GjNQ5umT7


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...