História Redemption - Jikook - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Demônio, Horror, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jimin!uke, Jungkook, Jungkook!seme, Jungkook!top, Kookmin, Lemon, Satelity, Terror, Violencia
Visualizações 230
Palavras 4.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


voltei até rápido, uh?

• espero que gostem desse capítulo, meus iluminados.
• ignorem os erros, eu revisei com sono então algum erro deve ter passado kekeke

boa leitura~

Capítulo 39 - XXXVIII


Fanfic / Fanfiction Redemption - Jikook - Capítulo 39 - XXXVIII

Anteriormente

– Agora, mesmo que aquele maldito nos separe, vamos conseguir nos comunicar. Jeongguk explica outra vez. E não deixem que ele veja isso ou vai ser o fim desse plano. Diz sério e todos concordamos.

[...]

Já fizeram as malas, crianças? Porque vamos ter algumas mudanças por aqui.  Dong deu um sorriso perturbador.

[...]

Agora

Lanço um olhar incerto para todos, remexendo em minhas mãos sem conseguir esconder minha ansiedade para o que vem em seguida.

 Estamos prontos!  Jeongguk dá um passo à frente, exalando confiança e o sorriso de Dong aumenta.

 Fico feliz em saber, filho.  Diz para Jeon e nos encara. Guardas! Levem eles para conhecer suas novas acomodações.  Logo que termina de falar, os guardas cumprem a ordem, avançando sobre nós.

 Ei! Não encosta em mim.  Daehyun tira seu braço das mãos de um dos guardas que olha, sem saber o que fazer, para Dong, mas este está ocupado demais olhando todos como se fôssemos animais de circo e ele fosse o espectador se divertindo muito com o espetáculo.

 Doente.  Resmungo baixo o olhando com ódio.

 Cuidado com a língua, anjo.  Yongguk me repreende e ri, me fazendo lembrar de Dong já ter me dito algo parecido tempos atrás.

 Eu sei andar, porra.  Jeongguk xinga alto quando um dos guardas faz menção de segurá-lo. E ao contrário dele, não faço resistência quando me agarram e me empurram para frente.

 Primeiro os anjos.  Dong ironiza quando passo ao lado dele na porta. Depois somos arrastados pelos corredores até que chegamos em frente à uma estreita porta de metal vermelha.

 O que é isso?  Pergunto confuso olhando para a porta. Não vamos caber aí.  Aponto apenas com a cabeça, já que meus braços estão presos.

 Que ingênuo, Park.  Ele diz rindo, mas pára bruscamente.  Essa porta separa vocês de acomodações muito confortáveis para todos. Individualmente.  Reforça e vejo como minha ideia de sermos jogados em um buraco todos juntos era boba.

Ele faz um gesto e a porta se abre revelando um corredor mal iluminado. Um por um, somos empurrados para dentro do lugar, sendo Dong o primeiro da fila.

Cada guarda nos posiciona em frente à uma porta que logo é aberta revelando um pequeno quarto com um colchão de espuma sobre o chão.

 Você só pode estar brincando...  Digo para mim mesmo e o guarda me empurra para dentro.

 Espero que todos vocês estejam bem acomodados.  Ri secamente. Nos vemos em breve.  Consigo ver que todos estão em seus cubículos também, mas em segundos, a porta de correr se fecha em minha frente.

 Ei!  Bato a palma da mão contra a porta, criando um grande barulho.  Dong!  Grito e logo uma espécie de janela se abre na porta revelando um guarda.

 O que você quer?  Pergunta irritado.

 Falar com o Dong.  Respondo.

 Quem?  Eu podia ouvir o barulho de um rádio ali.

 Ele estava aqui agora mesmo.  Explico, mas ele sequer me olha. Senhor Kim.  Esclareço e obtenho uma garagalhada dele.

 Vai sonhando, garoto.

 Espera!  Chamo antes que ele pudesse fechar a janelinha.  Eu quero conversar com ele, isso não está certo.

 Pensasse nisso antes, criança.  E com essas palavras, ele fecha a janela, fazendo com que qualquer som externo se transformasse em um mero zumbido.

Escorrego pela porta e me sento no chão encarando a luz que pende no teto. Respiro fundo e penso no que poderia fazer para sair daqui, mas não encontro uma saída viável.

"Não sei sei ele vai conseguir."

"Sim, ele vai."

"Ele não sabe como se conectar."

O que é isso?

Minha primeira reação é levantar e procurar de onde as vozes estavam vindo. Olho ao redor, mas como esperava, estou sozinho no cômodo iluminado.

"Viu? Ele não entendeu nosso chamado."

 "Jimin?"  Reconheço a voz de Jeongguk no meio das pequenas discussões.

 "Jeongguk?"  Pergunto incerto e escuto sua risada.  "É você?"

 "Sim, estamos todos aqui, Jimin."  Responde e sinto um alívio enorme.

Tinha algumas incertezas sobre esse plano, já que não sei como o compartilhamento de mentes funciona e até agora não sabia como me conectar com os outros.

 "Todos podem me ouvir?"  Pergunto.

 "Sim!"  Yongguk e Yoongi respondem em conjunto.

 "Infelizmente."  Daehyun resmunga e ignoro.

 "Oi, Minnie."  Ouço a voz de SunHee.

 "Você demorou para responder."  Jeongguk diz parecendo preocupado?!

 "Eu fiquei um pouco perdido."  Rio baixo e quase podia sentir Daehyun revirando os olhos, já que ele ainda estava resmungando.

 "Certo..."  Yoongi começa.  "Como vamos sair daqui?" – Dou de ombros e só depois me dou conta que ele não pode me ver.

 "Ainda não sei."  Resolvo responder e trago meus joelhos para perto do meu peito e apóio minha cabeça sobre eles.

 "Nós vamos sair em certo ponto, não é?"  Yongguk pergunta e sem querer apenas assinto. Tenho que me acostumar com isso.

 "Sim, mas apenas três de nós podem sair."  Respondo.

 "Dong pode ser louco, mas não acho que ele vá aprontar mais alguma com a gente. Pelo menos não se a gente não aprontar alguma com ele."  Daehyun diz e tenho que concordar com ele.

Jeongguk, Yongguk e eu vamos ter mais chances para sair de agora em diante, e com certeza vamos usar isso ao nosso favor, já os outros vão continuar seguros o bastante aqui dentro, mesmo que aqui não seja o lugar mais ideal para se ficar.

 "Tenho certeza que Dong já deve ter planejado o próximo truque. Aquele cara nunca pára."  Yoongi diz com um tom raivoso.

 "Você pode ter razão, mas estamos unidos agora. Temos mais força."  Encorajo.

 "Ele ainda pode acabar com a gente na hora que bem entender."  Rebate.

 "Nós estamos juntos nisso, Min, e logo vamos dar o fora daqui."  Jeongguk fala em meu lugar e Yoongi parece se convencer, ou apenas não quer discutir porquê não diz mais nada.

 "Logo algum guarda aparecerá com o jantar. É melhor comerem, aqui nunca se sabe quando será a próxima refeição ou se ao menos terá."  Yongguk aconselha e ficamos em silêncio.

 Hora do trabalho!  A velha porta de metal da minha cela é aberta, relevando o mesmo guarda de antes.

"Acho que tenho alguma coisa para fazer agora."  Penso para informar à todos, sem que o guarda perceba.

 "Aqui também."  Escuto a voz de Daehyun.

 "Eu também."  E por fim SunHee.

"Depois nos falamos."  Jeongguk diz e depois disso não escuto mais voz alguma.

Ande logo, criança. Não temos o dia todo.  O guarda diz impaciente e não tardo à ir até a porta. E assim que saio, vejo SunHee e Daehyun do lado de fora de suas celas também.

Nós três somos levados para fora da solitária e seguimos um caminho até estarmos já na conhecida cozinha, ou mais especificamente; onde tive minha primeira briga com Daehyun. E como na outra vez, Namjoon estava lá para nos supervisionar.

Agora é com você.  Um dos guardas que nos trouxe diz à Namjoon, antes de todos eles deixarem a cozinha. Assim restando apenas nós quatro.

 Podem começar.  Namjoon diz, e antes que possamos fazer alguma coisa, me lembro de algo.

Vou até ele e lhe entrego o pequeno papel dobrado que estava no bolso do meu macacão. A princípio ele me encara confuso, mas faço um gesto para que ele abra o papel.

 O que é isso?  Daehyun sussurra ao meu lado.

 Um bilhete da Lisa.  Respondo e ele arregala os olhos.

 Você realmente pensou em tudo.  Dou de ombros.

 Qual a relação entre eles?  Pergunto.

 São irmãos.  Ele responde desinteressado, e quase acho graça por loucura ser algo de família nesse lugar.

 Você só pode estar brincando comigo.  A voz alta de Namjoon atrai nossa atenção, e assim que o encaro, vejo que ele esta visivelmente irritado. Que porcaria é essa, Park Jimin?  Ele vem em minha direção, mas Daehyun se coloca ao meio.

 Ei! Calma.  Daehyun tenta o tranquilizar, mas Namjoon parece ficar ainda mais irritado.

 Saia da minha frente, Daehyun. Eu não vou pedir outra vez.  Namjoon olha severamente para ele.

 Tudo bem.  Pego no braço de Daehyun e faço um gesto para ele se afastar.  Qual o problema? Lisa que me mandou te entregar isso.

 Lalisa não está aqui. Dong prometeu que iria libertá-la se eu me mantesse leal à ele.  E não precisei me esforçar muito para perceber o que estava acontecendo aqui.

 Namjoon, você só pode ser burro.  Daehyun interrompe.  Você acreditou mesmo nessa história? Você realmente acha que o Dong iria descartar o único triunfo dele contra você assim tão fácil?  Pergunta e Namjoon não responde.  Ele mentiu para você, e fez você acreditar que se fosse leal à ele, iria libertar sua irmã, mas ele está apenas mentindo e mantendo Lalisa em segredo para poder usá-la contra você quando for preciso. Assim como ele faz com Jeongguk e Jisoo Finaliza.

 Jeongguk não pareceu tão surpreso quando viu Jisoo.  Digo para Daehyun.

 Provavelmente Dong usou o método de chantagem com ele. Duvido muito que essa de "liberdade da sua irmã em troca da sua lealdade à mim" fosse funcionar com ele. – Explica.

 Verdade, faz muito mais sentido manter ela aqui e chantagear Jeongguk. E até Namjoon, mesmo ele não sabendo disso.  Encaro Namjoon que está com um misto de expressões indescritíveis.

Aquele maldito.  Ele diz entre os dentes. Vou tirar isso a limpo agora.  Se vira, mas seguro seu braço.

 Assim você vai estragar tudo, Namjoon.  Digo sério.

 Não se preocupe com isso. Eu só quero me certificar de que ele ainda está mentindo para mim.  E dizendo isso, ele sai da cozinha.

 Acho que temos outro aliado.  Daehyun diz e vai em direção à mesa de madeira no centro da cozinha, e se senta em uma cadeira.  E também temos um tempinho para descansar.  SunHee e eu nos sentamos junto à ele.

Por hora não me preocupo com Namjoon, porque não acho que ele vá ferrar com tudo. Porém, outras dúvidas me atingem.

 Ei, Daehyun!

 O que foi?  Ele pergunta, e SunHee, que estava ao seu lado, nos encara curiosa.

 Qual a história de vocês?  Ele arqueia uma sobrancelha. O que trouxe todos vocês até aqui?

 Acho que temos um tempinho para algumas histórias.  Ele encara a porta fechada.  Vejamos, por quem eu começo?  Olha em volta e encara a criança ao seu lado.  SunHee!

 Certo.  O incentivo a continuar.

 Antes de vir para o Gonjiam, Sunnie sofria de bipolaridade, ou como gostamos de dizer aqui: "Bipolaridade assassina."  Faz aspas e dá uma risada olhando SunHee que encarava o seu ursinho de maneira desconfortável.

 Bipolaridade assassina?  Pergunto e ele assente.

 Durante seu período de escola, todos os alunos próximos à Sunnie começaram a aparecer com hematomas pelo corpo. Óbvio que a professora tentou descobrir quem estava fazendo isso, mas ninguém falava quem era.  Faz uma pausa e encara a garotinha que ainda estava desconfortável.  Até que algumas crianças tomaram coragem e contaram que era SunHee quem as machucava. Alguns dias depois, todas as crianças que a entregaram para professora, foram encontradas mortas.  Meus olhos se arregalam. E eu ficaria mais surpreso se já não tivesse ouvido uma história parecida com essa vinda de Yoongi, quando ele me contou sobre SunHee. É como se duas pessoas totalmente diferentes morassem dentro de SunHee, ou ela apenas finge ser boazinha para fazer essas coisas. O que eu acho mais plausível.  Daehyun ri e SunHee o encara extremamente irritada.

 Hm... E Yoongi?  Mudo o foco de SunHee.

 Yoongi sofria da Síndrome de Capgras, uma doença onde ele acreditava que seus conhecidos foram todos trocados por pessoas fisicamente idênticas à eles. E como resultado, Min Yoongi matou toda sua família e amigos, ou no caso, os "impostores."  Ele faz aspas com os dedos.

Fico tentando imaginar um Yoongi dessa forma. É realmente estranho.

 Agora é minha vez.  Daehyun me traz de volta à órbita assim que faz menção à ele mesmo.  Eu sofria com Delírio de Fregoli, que é um pouco parecido com a doença de Yoongi, mas no meu caso, eu achava que pessoas conhecidas por mim estavam disfarçadas de outras e que elas viviam me perseguindo. Realmente ridículo.  Faz uma careta. Resultado; quando eu estava voltando da universidade acabei matando um grupo de estudantes que eu julgava serem conhecidos meus disfarçados enquanto me "perseguiam."  Encara a mesa velha como se relembrasse.

Hm! Então ele também matou pessoas.

 Jisoo!  Daehyun diz.  Ela foi a primeira a parar aqui, e tinha uma síndrome chamada de Alice no país das Maravilhas. Ela enxergava a realidade totalmente distorcida, e foi mandada para esse lugar após tentar se mutilar dizendo que partes do seu corpo estavam crescendo e diminuindo drasticamente. Igual ao conto de Alice mesmo.  Dá de ombros.

 Ah.. E o Jeongguk?  Pergunto e fico um pouco apreensivo com a resposta que ele pode dar.

 Jeongguk sempre foi um mistério. Ele nunca nos contou o motivo de ter parado aqui, ou sobre sua vida do lado de fora.  Revira os olhos. Mas assim que ele entrou aqui, Dong o diagnosticou com Prosopagnosia; uma doença onde a pessoa não reconhece o rosto de outra, mesmo já tento visto ela diversas vezes. E isso serve para familiares em geral, o que até faz sentido.  Me encara pensativo. Talvez ele tenha matado Jisoo quando teve algum surto desses. Talvez ele não tenha reconhecido ela, e por isso matou a própria irmã.  E eu realmente tenho que concordar que essa pode ser uma possibilidade viável.

 Yongguk?  Pergunto.

 Assim como Jeon, ele também é um mistério. Sempre foi muito na dele, e nunca se misturou com os demais pacientes, a não ser para brigar com o Jeongguk ou quando nos juntamos no plano que deu errado.  Suspira. E assim como fez com Jeongguk, foi Dong quem diagnosticou Yongguk.

 E qual foi o diagnóstico?  Me inclino sobre a mesa, ainda mais curioso.

 Transtorno de personalidade Antissocial. Uma pessoa que sofre disso tende a ter falta de obediência à leis e normas, mente muito, engana e manipula pessoas para sua própria diversão ou lucro, tem o comportamento impulsivo, tem alta irritabilidade e agressividade, não liga para sua própria segurança e nem para a dos outros, é irresponsável e não sente remorso.  Meus olhos se arregalam com tanta informação.

 O Yongguk?! Mas ele não parece ser assim!  Falo ainda tomado pelo choque.

 Sim! Mas vai saber, né?! Eu particularmente não acredito nisso, até porquê a gente não sabe quais conceitos Dong levou em conta para "diagnosticar" Yongguk e Jeongguk.  Dá de ombros.  Se quer saber a minha opinião...  Daehyun também se inclina sobre a mesa.  Eu acho que esses diagnósticos são tudo uma farsa, e que o Dong inventou tudo isso apenas para encobrir algo maior.  Depois de dizer isso, ele volta à sua posição anterior.

 Tipo o quê?  Quase dou risada por pensar que tempos atrás, Daehyun e eu estávamos praticamente nos matando aqui. E agora estamos trocando teorias.

 Eu não sei. Deve ser alguma coisa entre os três.

 E quanto a Lisa e Namjoon?  Me lembro dos dois que faltavam.

Apenas funcionários. Nada de especial.  Fala desinteressado.  Mas e você, Jimin? Por que veio parar aqui?  Pergunta curioso, e até mesmo SunHee, que estava irritada e quieta esse tempo todo, me olha.

Eu apenas tive a infelicidade de vir aqui algumas vezes por curiosidade, e Dong garantiu minha estadia. Eu não sou louco.  Suspiro.

 Será?  Daehyun me olha desconfiado.  Dong não colocaria alguém aqui dentro sem motivos. E também, eu posso fazer um diagnóstico especial sobre você.  Cruza os braços e eu reviro os olhos.  Sabe, eu cursava psiquiatria, posso muito bem fazer seu diagnóstico.

 Ah é? Então vá em frente.  O encorajo.

 Transtorno de personalidade Histriônica.  Ele volta a se inclinar na mesa. Uma pessoa que tende à ser paqueradora ou sedutora, gosta de ser o centro das atenções, usar roupas provocantes... Hm, aqui dentro não, mas lá fora aposto que era assim.  Faz uma pausa para rir. Tem o discurso raso, impressionista, tem a apresentação pessoal dramática e excessivamente emocional, é sugestionável por outros e superestima a intimidade de suas relações sociais.  Sorri vitorioso no final.

 Daehyun está certo. Você é mesmo assim, Minnie.  SunHee se manifesta, como se fosse um verdadeiro adulto.

 Sabe, Jimin, desde que ganhamos essa nova "vida."  Faz aspas com os dedos.  Dong passou a controlar nossa loucura. Hoje não somos um terço dos loucos que já fomos um dia, e se não fosse por esse controle que Dong mantém sobre nossa sanidade mental, você nunca iria ter uma conversa desse nível com qualquer um de nós.  Sinaliza entre nós três.  Seria algo impossível.  Nega com a cabeça, rindo sem humor. Mas você pode ver que ainda existe alguns pacientes bem loucos por aqui, e a minha teoria é que Dong controla apenas os piores entre os piores... E você também é um deles.  Aponta para mim.  Eu realmente tenho medo só de pensar se algum dia Dong decida abrir mão desse controle, ainda mais sendo os tipos de criatura que somos hoje.  Por alguma razão, eu fico tenso ao ouvir suas palavras.  Mas por outro lado, se isso acontecer, você realmente poderá ver quem é verdadeiramente. Bem, isso só por um curto período de tempo, antes de todos nós nos matarmos.  Pisca para mim.

 Hora de voltar.   Namjoon aparece me assustando.

 Como foi lá?  Daehyun pergunta.

 Ele estava mentindo.  Responde com raiva.

 Disso nós já sabíamos.  O loiro revira os olhos.

 Eu quero acabar com aquele maldito.  Diz por entre os dentes e me assusto com tamanha raiva vinda dele. Logo alguém que procura se manter estável em situações extremas. 

 Nós podemos te ajudar.  Daehyun lança um sorrisinho esperto para mim e logo entendo o que ele quer dizer.

 O que vocês querem dizer com isso?  Namjoon olha confuso entre nós dois.

 Longa história. Pouco tempo.  Daehyun diz simples, mas Namjoon não perde a expressão confusa.  Temos a solução exata para seu problema, basta confiar em nós.  Namjoon o encara pensativo.

 Tenho que pensar melhor sobre isso e vocês têm que ir agora.  Namjoon pega em nossos braços.  SunHee!  Chama e nos leva de volta à solitária.

 Tenho certeza de que a Lisa vai ficar muito feliz em te ver.  Falo e Namjoon faz uma careta quando pronuncio o nome da irmã, e ele fecha a porta de metal, a trancando em seguida.

 "E aí, Jimin? O que vocês conseguiram?"  Yoongi pergunta logo quando me sento no colchão. Cruzo minhas pernas e encosto na parede.

 "Entreguei o bilhete para o Namjoon, mas ele disse que vai pensar." – Respiro fundo quando percebo que não tivemos avanço nenhum em relação ao plano. Tenho que resolver isso de vez com o Namjoon, porque agora só depende de mim.

 "Relaxa, ele vai participar."  Ele tranquiliza.

 "Não é como se ele tivesse outra opção"  Yongguk completa e concordo com ele, mesmo que ele não possa ver.

 Luzes apagadas em dois minutos.  Um guarda avisa, abrindo a pequena janela.

 "Até amanhã, Minnie." – SunHee diz e sorrio.

 "Parece que eu tenho que dormir agora, certo?"  Pergunto.

 "É melhor."  Yoongi responde e um por um, todos se despedem.

Me deito no colchão encarando o teto, mas logo as luzes se apagam e sou vencido pelo cansaço rapidamente.

***

Desperto do meu sono ao sentir uma mudança drástica no ambiente. As luzes se acendem e a porta é aberta, causando um grande barulho.

 Levanta, garoto!  Um guarda me espera na porta enquanto outro vem em minha direção. Ele me puxa pelo braço para que eu fique em pé. Meus movimentos ainda estão lentos por ter acordado de repente, então ele apenas me empurra para fora dali sem resistência alguma.

Sou arrastado pelo corredor até a parte externa atrás do sanatório e me deparo com um pátio de cimento coberto por folhas secas e franzo o cenho. O vento era frio e arrastava as folhas de um lado para o outro gerando um ruído baixo e constante.

 Por que me trouxe aqui?  Pergunto, mas não presto atenção na resposta porque vejo Jeongguk ali. Ele pegava as folhas com um bastão cumprido e pontiagudo e por fim, colocava-as dentro de um saco e durante a maioria do tempo, ele lutava para manter seus fios fora dos olhos devido ao forte vento.

 Jeongguk?  O chamo e quando ele me vê, parece tão confuso quanto eu.

 Comece o trabalho.  O guarda manda e fecha a porta atrás de mim.

 O que você está fazendo aqui?  Jeon pergunta e me aproximo dele com os braços cruzados tentando me cobrir do frio de alguma forma. Precisamos conversar.  Ele começa.

 Não faço ideia, mas isso não parece um castigo.  Observo e ele concorda, me estendendo um bastão.

 Porque esse não é o castigo.  Diz e o encaro confuso.  Dong não te mandou aqui para catar folhas no frio esperando que você tenha uma pneumonia e morra.  O que ele diz me faz engolir em seco, mas ele ri.

 Por que ele me mandou então?  Ele respira fundo.

 Dong já sabia que estávamos tramando alguma coisa, mas o que ele não tinha conhecimento até então, era que estávamos juntos nessa e agora que ele descobriu, está fazendo de tudo para nos separar de alguma forma enquanto fazemos o trabalho sujo dele. Mas o que ele não percebeu é que, mesmo separados, conseguimos fazer isso funcionar.  Aponta com o queixo para algo atrás de mim e olho para lá, encotrando o mesmo guarda de antes nos vigiando pela janela. Finja estar ocupado.  Diz e assinto, seguindo o que ele estava fazendo antes.

 Então quer dizer que ele não desconfia de nada?  Pergunto e ele nega. Mas e esses castigos? Não era suposto não nos encontrarmos?

 Talvez isso seja apenas obra dos guardas. Eles colocam dois de nós juntos em uma tarefa para não precisarem disponibilizar outros deles para vigiar.  Explica e sorrio, percebendo que de uma forma ou outra estamos conseguindo seguir com o plano.

 Parece que tudo está dando certo, mas ainda não temos Namjoon, Lalisa e Jisoo.  Ele me encara quando falo o nome de sua irmã.

 Mas você pode ir até elas ainda, certo?  Confirmo e ele olha para onde o guarda estava.  O cara saiu, temos dez minutos antes que ele volte pra checar como estamos.  Ele joga seu bastão no chão e faz o mesmo com o meu, segurando minhas mãos. Observo assustado, tudo acontecer rapidamente.  Rápido, Jimin. Não temos muito tempo.  Fala rápido demais apertando minhas mãos. Respiro fundo afim de me concentrar e sinto o vento ao redor de nós, mas nada acontece. Abro os olhos e vejo que ele mantém os seus fechados.

  Jeongguk?!  O chamo e ele abre apenas seu olho esquerdo.

 Já chegamos?  Pergunta esperançoso, mas nego e ele abre o direito.  Por que?  Me olha esperando uma resposta, mas não sei dizer o que acabou de acontecer. Ele solta minhas mãos e começa a se afastar.  Maldito Resmunga.

 Jeongguk!  O chamo, mas ele não se vira.  Jeon Jeongguk, me escuta!  Vou atrás dele e seguro seu braço, o obrigando a olhar para mim.  Podemos tentar de novo.  Ofereço, mas ele vira o rosto.

 Não, isso não vai dar certo.

 O quê? O que não vai dar certo, Jeongguk?  Tento fazer com que ele converse comigo, mas ele vai para dentro, batendo a porta ao entrar.

Fecho os olhos com força para tentar me acalmar. Logo agora que tudo parecia estar entrando nos eixos entre a gente.

***

 "É, eu já disse. Não deu certo."  Repito pela terceira vez para Yoongi.

Depois que Jeongguk saiu, o guarda voltou para me buscar e me trouxe de volta para a solitária e desde então, não sei onde Jeon se meteu.

 "Isso é muito estranho."  Yoongi divaga.

 "Pode ser que Dong tenha descoberto e deu um jeito de impedir que vocês fossem para o outro lado."  Daehyun argumenta.

 "Acho que se ele tivesse descoberto, não estaríamos aqui agora."  Digo pensativo.

 "Você tem razão."  Concorda.

 "Onde está o Jeongguk, Minnie? Você disse que ele estava com você."  SunHee pergunta.

 "Gostaria de saber também." – Murmuro em resposta com sinceridade. Seria tão mais fácil se ele converssasse comigo ao invés de sumir.

 "Acho que posso te levar até lá de novo."  Yoongi oferece.

 "Claro, isso seria ótimo."  Tento soar um pouco mais animado, mas meus pensamentos estão todos em Jeongguk nesse momento.

Tudo volta a ficar em silêncio e me "desconecto" deles, ouvindo apenas minha consciência.

Apóio minha testa contra os joelhos e me permito ficar assim, apenas criando paranóias em minha cabeça para me deixar ainda mais maluco.

Risadas abafadas são ouvidas do lado de fora e levanto minha cabeça vendo sombras passando por baixo dela, indicando que quem quer que seja, está de passagem.

 Jeongguk? – Pergunto incerto para a figura alta parada no canto à esquerda. De princípio me assusta, e todas as paranóias construídas por mim antes, vem à tona e o primeiro pensamento que tenho é que ele vai gritar comigo.

Oh, ele vai gritar tanto comigo.

Tenho certeza que ele veio até aqui para despejar toda a raiva que ele sentiu de mim por fazê-lo ver Jisoo de novo, afinal, ele ficou totalmente sem reação ao vê-la e mesmo que ela tenha o convencido a participar do plano, não quer dizer que ele ficou contente com o reencontro. E tem mais, eu me intrometi completamente na vida dos dois sem nem sequer pedir permissão, eles têm um passado tão conturbado e eu simplesmente me meti no meio disso tudo.

E agora que olho o acontecido por esse lado, dou total razão para ele gritar comigo, afinal, eu gritaria comigo também.

 Olha, Jeongguk, eu entendo que você esteja bravo comigo e tem total-

 Obrigado.

 O quê?!  Minha voz sai estranha me fazendo tossir um pouco. – O que você disse?  Tenho que perguntar de novo para me certificar de que ouvi isso mesmo.

Ele se aproxima de mim e segura meu queixo me fazendo encará-lo.

 Obrigado por me ajudar, Jimin. De verdade.


Notas Finais


esse capitulo tá melzinho na chupeta mas o próximo- 😋😋😋

até outro dia
-satelity


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...