História Redemption - Capítulo 3


Escrita por: e Nemesis_Nikki


Notas do Autor


Hey guys, girls and gays!
Primeiramente eu quero me desculpar pelos vários erros de ortografia e de pontuação, o capítulo já estava escrito há muito tempo e ainda assim não revisei antes de postar. Então, perdonami!

Capítulo 3 - Hey, Smile!


Fanfic / Fanfiction Redemption - Capítulo 3 - Hey, Smile!

"Os miseráveis não têm outro remédio a não ser a esperança"

30 de junho

verão de 2007

Os Woods eram uma família perfeita, um lindo casal com dois lindos filhos. Kennedy Woods era um homem trabalhador e firme, Margareth Woods era uma ótima e carinhosa mãe, Liu era um garoto muito bonito e um exemplo de irmão mais velho e Jeffrey, bom, Jeffrey era um garoto um tanto quanto problemático, mas não menos genial.

Esses eram os Woods de acordo com todos os conhecidos da família.

Mas Jeff sabia que as coisas funcionavam de maneira muito diferente quando as cortinas estavam fechadas

Kennedy era um filho da puta abusivo e alcoólatra, um péssimo marido e um pai pior ainda, só Deus sabia o quando todos naquela casa sofriam tendo aquele ser por perto. Margareth era uma mãe ausente, era do tipo recatada que seguia todas as ordens de seu esposo e parecia não enxergar, ou simplesmente ignorava, os mals tratos contra seus filhos e ela mesma, Liu foi o que mais sofreu com toda essa ausência, houve épocas em que o mesmo mal conseguia se mover por conta das surras que levava de seu pai , muitas das vezes sequer tinham motivo. Os hematomas e cicatrizes se tornaram algo tão cotidiano para o rapaz que ele passou a acreditar que merecia cada soco, cada chute e cada mínimo chingamento que era deferido a si.

Os Woods viviam em uma verdadeira casa de bonecas.

Era uma segunda feira, mais um dia de verão em Milwaukee, e advinha?

As cortinas estavam fechadas.

Kennedy puxou os fios castanhos do cabelo de Jeff, que se assustou com o ato repentino.

Alguém havia tomado a vodka de Kennedy e ele iria descobrir quem foi.

- Seu ladrãozinho de merda! foi você que pegou minha vodka, não foi!?

- E dai? E se eu tiver pego?

Jeff não teve tempo de sorrir com escárnio, seu pai havia batido sua cabeça fortemente no chão o deixando tonto e bastante surpreso por não sentir o sangue escorrer de imediato.

- Seu merdinha! Quem você acha que é para falar assim comigo!?

Jeff tentaria se levantar, mas a tontura não deixava, quando achou que estivesse melhor sentiu um forte chute na região de seu estômago e ali sentiu uma dor tão aguda que o fez soltar um grunhido dolorido.

- Se acha que tem culhões o suficiente para me enfrentar, então também tem o suficiente para aguentar uma boa surra!

Por puro reflexo Jeff conseguiu desviar de outro chute, mas falhou em desviar de um soco certeiro na região já machucada de seu tronco.

Sentiu o gosto metálico de sangue se espalhar por sua boca.

- Kennedy, querido, não pegue tão pesado! Se deixar muitas marcas os vizinhos vão descobrir.

É claro, não era seu filho agonizando no chão da sala que importava.

Quando a tontura passou por completo Jeff conseguiu se levantar e ser rápido o bastante para acertar um soco na boca do mais velho, um soco forte o bastante para cortar seu lábio inferior e o fazer sangrar.

- Eu não peguei a porra da sua bebida e tenho certeza que Liu também não!

Quando o loiro maior iria revidar o soco, Jeff puxou a garrafa vazia da vodka causadora de toda aquela confusão, a quebrou na parede e apontou para seu pai.

- Se colocar mais um dedo em mim, eu juro que isso vai parar na sua garganta!

Jeffrey nunca foi alguém que apanhou calado, nem mesmo em situações como essas.

- David foi quem pegou isso!

- Quem é D...?

- Pergunte a sua mulher!

Isso foi a última coisa que disse antes de se retirar e ir para seu quarto. Já sentia o sangue escorrer por os cantos de seus lábios e esse, definitivamente, não era momento para demostrar fraqueza.

Chegando próximo ao quarto que dividia com seu irmão sentiu a dor em seu estômago ficar mais intensa, se apoiou em uma das paredes do corredor tentando se segurar para não vomitar. Quando finalmente conseguiu entrar em seu quarto, encontrou Liu com as bochechas coradas e olhos lacrimejantes escondido entre as diversas cobertas na beliche de baixo.

- O que aconteceu?

Jeff perguntou sem emoção. Mesmo sendo o mais novo nunca foi de se abalar pelas brigas que ocorriam com frequência naquela casa, sendo muito diferente de Liu.

- Você tá sangrando...- Liu respondeu baixinho.

- Me conte uma novidade.- Jeff revirou os olhos e encarou seu irmão mais velho.- Olha, eu tô bem, ok? Vá dormir!

°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

"O número de mortes confirmadas passou de 200. O governador declarou estado de emergência."

" Haviam dezenas e dezenas de corpos espalhados pelas ruas."

" O pânico se espalhou quando a informação de que o verdadeiro Jeff the killer resolveu vir a público."

"... Nós iremos adotar as medidas necessárias para proteger nossos cidadãos."

" As rebeliões continuam pelo 6 dia consecutivo, o governo está assustado com violência usada pelos cidadãos."

" Dois dos chamados " Creepypastas" foram presos e executados em praça pública."

" Um grupo chamado como caçadores alegou responsabilidade sobre as duas mortes."

" A caça às bruxas enfim começou!"

" Sabemos o quão difícil está sendo para o estado e cidadãos de Wisconsin, na verdade o país inteiro entrou em crise durante esses meses dolorosos, sabemos o quão aterrorizante é sair de casa com receio de ser atacado por esses malditos criminosos. Lembre- se, há sempre uma luz no meio da escuridão, lute conosco... procure a luz. Confie nos caçadores."

23 de Setembro,

Outono de 2015

" Até quando a polícia vai esconder esse garoto? Jeffrey Woods matou, torturou e fez várias outras atrocidades com nossos cidadãos inocentes e agora as pessoas que deveriam defender seu povo apoiam esse criminoso!

Nós os caçadores iremos reestabelecer a paz novamente, iremos caçar Jeff e qualquer outro que apoie seus crimes.

Lutem conosco, procurem a luz e Deus estará a seu favor!

Somos os caçadores."

Jeff olhou para TV sentindo sua cabeça doer. O que merda aquela situação havia se tornado!?

Os caçadores estavam loucos para ter sua cabeça e a situação nas ruas pareciam somente piorar. Os moradores de Milwaukee não sabiam mais o que fazer, a caça às bruxas estavam matando mais inocentes do que os próprios criminosos.

- Eu avisei que seria uma péssima ideia você se expor!

A voz ecoou grave pela sala se estar.

- Eu só não aguentava mais levar a culpa de tudo...

Jeff sussurrou ainda olhando fixamente para TV agora desligada.

- E resolveu algo?

Em outras épocas Jeff estaria satisfeito com tudo isso, satisfeito por ser temido e por ter sua arte reconhecida, satisfeito por ter se tornado o causador do caos. Mas isso foi antes da delegacia, antes da sua família, e provavelmente, antes de Randy.

Sua cabeça doía como o inferno e seu corpo queimava por conta da febre alta. As crises também não o ajudavam e, com certeza, essa era uma péssima hora para se estar sozinho.

Sozinho.

Perambulou pela floresta sozinho sem ter para onde ir ou para onde voltar. Matou sua família, vizinhos e mais um bando de pessoas que não dava a mínima, isso aos 13 anos de idade. Se lembrou da dor, do cansaço e de seu corpo implorando por descanso, mas nem isso havia o feito parar.

E isso durou 4 longos anos

Quatro anos sentindo seu corpo pedir um pouco de descanso e sua mente gritar por ajuda. Quatro anos matando e destruindo somente para descarregar a raiva que sentia daquele mundo fodido. Foram a porra de quatro anos ouvindo gritos desesperados por misericórdia de pessoas tão medíocres quanto ele. E então, quatro anos destruídos em menos de alguns meses.

A sensação de êxtase, a deliciosa sensação de vingança foram apenas momentâneas comparadas com os anos de medo, culpa e sofrimento.

" Mas isso teria válido a pena? Ou foi apenas mais uma grande perda de tempo?"

E quanto mais ele pensava nisso, mais uma parte dele clamava por mais sangue, mais tortura, mais e mais diversão. Enquanto ele mesmo se sentia enojado e com raiva de seus próprios desejos.

- Eu sou a porra de um covarde!

- Não! Você é somente uma criança assustada com as consequências de seus próprios atos.

Smile falou enquando se deitava no sofá de tonalidade cinza. Jeff olhou para o Husky sem sentimento nenhum em seu olhar.

Simile era um Husky que além de sorrir, também tinha a (assustadora) incrível habilidade de falar. Jeff não sabia se essas características eram uma alucinação ou se o cachorro por completo não existia realmente.

A chuva lá fora parecia piorar, não se lembrava de uma tempestade assim há muito tempo. As luzes vermelhas e azuis refletiam sobre a janela de vidro de sua sala.

O barulho lá fora era enlouquecedor.

Smile se levantou do sofá, tendo seus movimentos acompanhados pelo olhar do humano, se aproximou da porta de entrada sentindo que havia algo estranho.

- Garoto...

- O que?

- Se esconde!

Bastou somente essa frase e Jeff escutou passos e vozes se aproximando do apartamento onde morava. A porta foi basicamente esmurrada pelos seres que estavam do lado de fora.

- Garoto, AGORA!

A porta foi aberta com extrema violência, Jeff ainda estava na sala quando quatro pessoas armadas invadiram seu apartamento e começaram a atirar. Smile conseguiu arrastar um dos atiradores para fora da sala, o matando após literalmente o devorar.

Jeffrey desarmou um dos caçadores, atirando no mesmo com sua própria arma o matando de forma quase instantânea. Os outros dois se dividiram entre tentar segurar o garoto e o desarmar. Jeff empurrou um deles com os pés e se debateu para que o outro o soltasse.

- Será que dá para você simplesmente morrer, moleque? Facilitaria muito nosso trabalho.

O assassino teve seus fios de cabelo puxados para trás. Sentiu um soco forte em seus estômago soltando um gemido dolorido, soltando a arma por conta do susto.

- Para...

Jeff sussurrou sentindo seu corpo tremer, a febre por si só fazia já tinha o deixado o bastante fraco. Sentia vários socos serem deferidos em seu corpo e rosto, o aperto em seu cabelo ficava mais forte e agora o homem que lhe segurava tinha um canivete apontada para sua garganta.

- Olha só... Você parece uma vadia falando desse jeitinho.

O cara que lhe batia rosnou as palavras com um sorriso malicioso em seus lábios.

- É difícil acreditar que alguém como você tenha causado toda essa confusão.

O que lhe segurava sussurrou em seu ouvido e depois lambeu sua bochecha pálida, ouvindo o garoto grunhir e tentar virar o rosto fazendo a canivete cortar levemente seu pescoço.

O outro homem riu com escárnio vendo o desespero tomar conta do assassino.

- Sabe Josh, acho que o gatinho está começando a ficar assustado.

Josh - O que segurava Jeffrey - levantou o sua camisa preta até o começo de seu peito, passando o canivete pelo seu abdômen observando o sangue escorrer pela pele, literalmente, branca.

O moreno fechou os olhos de íris cristalinas com força, ouvindo os homens rirem com seu desespero. Estava doente, fraco e agora machucado e sangrando.

- Sabe, Chris. Acho que deveríamos nos divertir um pouquinho com esse gatinho assustado, não acha!?

Jeffrey não teve tempo de raciocinar o que foi dito, apenas sentiu a lâmina afiada do canivete atravessar sua barriga e ouviu o homem a sua frente gritar em desespero.

- QUE PORRA É ESSA!? TIRA ESSE CACHORRO DE PERTO DE MIM!!!

Tudo o que se ouviu agora foram gritos, tiros e rosnados, Jeff estava estava no chão abraçando se próprio corpo sentindo a poça de sangue se formar abaixo de si. Foi tudo muito rápido, quando o garoto finamente tomou consciência do que estava acontecendo, pegou a arma que havia deixado cair no chão e atirou na cabeça de um dos homens, provavelmente Chris, deixando Smile matar o outro.

Sabia que viriam mais caçadores e que precisavam sair dali o mais rápido possível. Smile, por incrível que pareça não tinha sequer um arranhão, já o humano sentia sua força vital se esvair de seu corpo.

- Smile...

Sussurrou/ gemeu o nome do ser a sua frente. O cachorro se virou para ele, seu focinho estava coberto de sangue e aquele sorriso macabro que daria pesadelos em qualquer um. Por um segundo o assassino teve um leve receio sobre seu companheiro.

- Garoto...

O ser falou no mesmo tom baixo que o humano. Ele havia devorado um daqueles caçadores, os outros dois ele havia brutalmente mutilado.

Jeff tentou se levantar, mas seu corpo fraquejava. Todos os seus sentidos gritavam perigo, eles precisavam sair do lugar, mas não tinham para onde ir.

- Saia daqui!

- Você não me dá ordens, garoto!

Seu tom de voz era uma mistura de sarcasmo e raiva que parecia escorrer por sua boca juntamente com o sangue dos caçadores.

- O que custa fazer o que mando ao menos uma vez!?

O garoto sussurrava todas as palavras, não tinha força nem para discutir.

- Minha liberdade.

O ser se aproximou do garoto deixando seu focinho próximo ao rosto do humano.

- Vocês humanos têm uma péssima mania de superioridade, então me ouça, garoto: Não sou seu bichinho de estimação e você não pode me dar ordens. Não venha querer bancar o herói para cima de mim, não vou te deixar aqui para morrer, entendeu?

O menino não respondeu, apenas limpou sua boca que estava suja com o líquido vermelho vibrante e tentou se levantar mais uma vez, dessa vez sendo ajudado pelo cachorro.

Saíram do apartamento e foram em direção a floresta, a cidade estava movimentada demais e corriam o risco de encontrarem mais caçadores pelo caminho. Jeff cambaleava e se apoiava nas árvores enquanto adentravam a floresta densa, Smile ia ao seu lado, apenas seguindo o humano.

- Vamos encontrar a loira?

O ser perguntou se referindo a Lynda Albert.

- Não... Vamos procurar a Jane.


Notas Finais


Em uma parte bem específica do capítulo eu acabei me inspirando ( na verdade eu só copiei e colei aqui mesmo)
Em uma cena do comecinho de The last of us, quem já jogou ou viu gameplay vai identificar.

A minha querida Nemesis-Nikki tinha escrito uma cena onde o Jeff conhecia o dog aí, mas a anta aqui apagou sem querer. (O que é uma pena, já que a cena estava realmente muito boa)

Enfim, espero que tenham gostado 💚💚
By: Satxnz ( tenho uma quase certeza que escrevi essa merda errada)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...