História Redescobrindo O Amor Ponto De Vista Joanne Versão Sem Cortes - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 5
Palavras 3.227
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 31 - Capitulo 31


Joanne estava sentada segurando Arthur, ela tinha que admitir estar grávida de quase quatro meses era horrivel pois essa era a época em que se sentia mais sono. E o bebê em seus braços parecia mais acordado do que ela.

- Meu amor se você não dormir vou ter que lhe deixar com o elfo pois eu estou morrendo de sono. - Ela deu um beijo no bebê que sorriu para ela.

- Eu te amo meu amor.

Nesse momento uma coruja entrou e deixou perto dela uma carta, ela pegou a carta e a coruja saiu rapidamente sem esperar a resposta. Ao abrir a carta ela sorriu pois Ronmy estava querendo conversar com ela, em menos de uma hora ela estava arrumada, resolveu colocar um simples vestido preto, sandálias de salto baixo, e os cabelos presos em um simples rabo de cavalo. Ao chegar no cabeça de javali, Alvo a levou para uma mesa que ficava em um canto onde ninguém atrapalharia o casal, dez minutos depois ela sorriu ao ver Ronald Weasley entrando no restaurante ele trazia nas mãos um buquê de camélias roxas, sua flor preferida. Era bom ver que ele lembrava dessa detalhe.

- Boa noite Joanne.

- Boa noite Ronny. Como você está?

- Bem melhor agora que você está aqui. São para você escolhi as mais lindas. - Disse ele lhe entregando as flores.

- São lindas. Estamos comemorando o que exatamente?

- Bem o fato de você ter me perdoado por ter sido um idiota e me convidado para jantar em sua companhia já é motivo suficiente de comemoração.

Joanne olhou para ele um pouco confusa.

- Espera um pouco, como assim convidei você? Foi você que me mandou uma coruja me convidando para jantar.

Nesse momento ela sorriu.

- Acredito que alguém bancou o cupido para nós. Mas quem?

- Olha Joanne eu não faço idéia, mas depois que sai da sua casa naquele dia eu me senti um idiota depois, eu queria ir lá e lhe pedir desculpas mais fiquei com medo de você não me perdoar, afinal eu deveria ter lhe escutado então me desculpe eu sei que exagerei.

- Não, você estava certo. Não é fácil se sentir usado. Mas eu não estou usando você eu realmente gosto muito de você.

Os olhos dele brilharam.

- Eu também gosto muito muito de você Joanne, na verdade eu te amo.

Assim que sentou ele resolveu pedir um champagne mas foi interrompido por ela.

- Eu prefiro um copo de suco.

- Mas é um jantar especial eu queria comemorar com você.

- Ronny eu não posso beber álcool no momento.

- Joanne você está doente? Sabe eu lembro que a Hermione não podia beber nada alcoólico quando ela ficou... - Ele olhou direto para ela. - Você por acaso não estaria ... é ... hum.. - Fale de uma vez!!! - Ela eatava ficando nervosa. - Joanne você está grávida?

Por um momento ela pensou em negar, mas não faria isso. Sempre encarava as coisa de frente e não iria se acovardar agora.

- Sim Ronny eu estou esperando um filho seu.

Depois que terminaram de jantar Joanne pediu que Ronny a acompanhasse até sua casa pois queria lhe mostrar algo. Ao chegarem na casa, foram recebidos pelo elfo que ainda tentava fazer o bebê dormir.

Joanne ia pegar o bebê no colo, mas Ronny a impediu.

- Deixe que eu fico com ele, você precisa descansar.

- Ronny não se preocupe estou bem, só um pouco sonolenta mais isso logo passa vamos comigo para o escritório tem algo que você precisa saber.

Ronny que ainda estava com o bebê no colo olhou chocado para ela.

- E ele sabe? - Disse Ronny acabando de ler a carta que a mãe de Joanne deixou para ela contando quem era o seu verdadeiro pai.

- Não. E peço para que você não conte a ninguém afinal tudo está bem do jeito que está ele tem a família dele e eu agora tenho a minha familia, sabe eu fico feliz em poder estar na vida dele mesmo sendo só uma amiga. Sabe porque você não fica hoje comigo, eu estava morrendo de saudades de você.

- E eu de você. Eu te amo Joanne. - Disse Ronny beijando a morena. - Eu nunca vou lhe deixar, vocês dois são minha família vou marcar um dia para levar você para conhecer minha família. Joanne você aceita se casar comigo?

- Sim. Eu aceito.

Ronny deu um beijo em Arthur e o entregou para Joanne depois se abaixou e deu um beijo na barriga dela que agora já estava um pouco evidente afinal ela estava escondendo com um feitiço.

Os dias se passaram rapidamente, Joanne estava muito feliz, Ronny já havia trazido todas às suas coisas para sua casa.

Ela estava acabando de se arrumar, ela optou por colocar um longo vestido preto que disfarçava sua barriga, e não precisaria usar nenhum feitiço para esconde-la, pois hoje estava mais cansada que o normal, afinal tinha paasado o dia sentindo enjoos, mas ela sabia que logo essa fase passstia, quando Ronny chegou, para a surpresa dela, ele parecia mais feliz do que o normal.

Ela olhou para ele e sorriu.

- O que foi? - Perguntou ela desconfoada. - Parece até que passou uma ótima noite. - Ela o olhou ameaçadoramente. - E se foi assim, sabemos que não fui eu quem lhe deixou tão feliz, passei a madrugada inteira correndo para o banheiro.

Ronny sorriu afinal mesmo estando a pouco tempo morando com Joanne ele sabia que a noiva tinha um humor ácido que lembrava muito o pai, e isso piorava quando ela ficava com ciúmes.

- Sabe que a única mulher que eu desejo é você meu amor. Estou feliz porque acho que às coisas vão começar a melhorar. Vejo que já está pronta. Podemos ir, não quero que o glacê do bolo derreta.

- Que bolo.

- Seu pai, agora já está me tratando melhor e me deu um bolo, ele disse que o bolo traz boa sorte às pessoas que o comem então vou levar para minha mãe o servir de sobremesa.

Joanne deu uma gargalhada afinal queria saber o porque de Snape ter dado o bolo para Ronny pois ela sabia que ele ainda não suportava o ex marido de Hermione.

O jantar havia ocorrido de forma tranquila. Molly e Arthur estavam mais felizes por ver que o filho parecia ter finalmente encontrado um rumo na vida. Mas ainda sim eles foram claros com o filho que eles não queriam o nome da família ser alvo de mais nenhum tipo de confusão. E isso deixou Joanne preocupada afinal não sabia qual seria reação da família Weasley

No jantar estavam Arthur, Molly, Ginna e Harry com os filhos.

Após o jantar Joanne conversava em um canto em particular com Ronny, enquanto Molly começou a servir o bolo para os presentes.

- Já que você quase não comeu resolvi cortar para você o maior pedaço. - Disse Molly entregando para Joanne o bolo.

A medibruxa resolveu não falar nada apenas agradecer mais não estava se interessando pelo bolo nos últimos dias ela não estava se sentindo muito bem. Mas por educação resolveu que comeria o bolo.

Ronny que comia o bolo em sua frente olhou para ela como se tivesse sentindo dor. E o prato em sua mão caiu se quebrando e saiu correndo. Joanne estranhou que os demais membros da família estavam também se queixando de dor e saindo da sala.

Joanne olhou para o pedaço de bolo qie estava em suas mãos.

" Pai acho bom você não ter colocado nada aqui ou vai se ver comigo " - Pensou Joanne enquanto conjurava uma bolsa para colocar o bolo, ela o levaria para o laboratório e então poderia ter certeza se suas suspeitas estavam certas.

A madrugada foi longa, ela passou o resto da madrugada ao lado de Ronny na clinica. O resto da familia Weasley já havia sido medicada e estavam melhor.

Uma enfermeira se aproximou dela.

- Doutora o laudo do laboratório está pronto. - A enfermeira entregou para Joanne um pergaminho que estava com um selo mágico para que ninguém pudesss ler o seu conteúdo.

- Obrigada. - Joanne deu um sorriso fraco.

- Doutora é melhor a senhora ir para casa a senhora está um pouco pálida.

- Não se preocupe. Eu estou bem, amanhã depois de ir falar com o meu pai, eu vou passar o dia inteiro dormindo.

Joanne ao passar pela recepção viu Roberta sentada e notou que ela a olhava de uma forma estranha.

- Bom dia. O elfo disse que ontem você esteve em casa me procurando.

- Joanne me desculpe por ter ido a sua casa, mas eu precisava a alertar sobre o bolo.

- Você sabia?

- Sim. Mas eu não sabia para quem o ministro o daria.

- Não minta, você não gosta do Ronny.

- Joanne eu nunca faria nada para lhe machucar ou machucar alguém que você ame. Se eu fui lhe avisar foi por ficar com medo que isso pudesse custar a vida do seu bebê.

- Como você sabe que eu estou grávida?

- Eu ouvi uma conversa do Weasley com o senhor Malfoy. E estou feliz por você sei que agora sim você está feliz.

- Ta bom. Me desculpe por lhe culpar e obrigada por ter tentando me avisar.

- Você está com uma cara péssima. Nunca a vi tão pálida. Você comeu o bolo?

- Na verdade só um pequeno pedaço, nada que possa prejudicar meu bebê.

Joanne entrou na sala de Snspe ela abriu a pirta viu a porta e a bateu com brutalidade.

- Vamos Severo eu quero uma explicação. - Disse Joanne em um tom baixo e calmo.

- Não sei do que está falando. Por que não se senta? Se quiser algo para beber eu mando trazerem um suco para você.

- Você já mentiu melhor. - Ela sorriu e ao olhar para ele sem ação ela sorriu sarcasticamente. - Severo eu trouxe para você um pedaço de bolo, sabe ele traz sorte para quem come mas eu acho que você já deve ter comido afinal Ronny me contou que você que o deu.

- Joanne acho que ele deve ter sonhado porque eu daria um bolo para ele.

- Então porque você não come esse pedaço de bolo afinal ele traz sorte não é. Aqui está o laudo do laboratório consta que nele foi colocado uma forte poção com efeito de laxante. Severo eu nunca esperaria isso de você, essa sua brincadeira foi longe demais várias pessoas comeram o bolo já imaginou o que teria acontecido se eu o tivesse comido um pedaço grande? Eu pensei que você fosse um homem justo e ontem eu vi que você não tem limites, você nunca assume o que faz, eu nunca mais quero falar com você.

Snape pode ver a fúria nos olhos da mulher à sua frente. E também notou que ela estava com os olhos cheio de lágrimas. Antes que ele pudesse pedir desculpas ela saiu e bateu a porta furiosamente.

Ao sair da sala ela se encostou na porta, lágrimas começaram a cair de seus olhos, ela estava muito triste com a brincadeira do seu pai. - Nesse momento ela se lembrou que tinha que entregar para Lucio o atestado médico que um medibruxo havia assinado atestando que o ruivo ficaria pelo menos uma semana afastado do trabalho.

Ela respirou fundo e então resolveu seguir para a sala de Lucio, mas antes que pudesse sair da recepção, ela sentiu uma forte dor na barriga, e levou às mãos até a barriga pois a dor estava insuportável.

Roberta que olhava para Joanne correu para ampara-la.

- Você não deveria ter vindo, eu sabia que você não deixaria a história do bolo quieta.

- Não é hora para me repreender, eu só preciso ir embora para casa, e descsnsar um pouco.

- Não quer que a leve para a clínica?

- Não. - Joanne começou a suar frio quando notou que algo quente estava escorrendo, ela não quis nem olhar para baixo pois sabia o que estava acontecendo. Ela estava perdendo o bebê. Joanne acabou desmaiando.

Roberta agrdeceu a todos os deuses quando viu que Lucio Malfoy olhava para a cena confuso.

- Senhor que bom que está aqui por favor a leve para a clinica, eu tenho que conversar com o ministro.

Visão Do Lucio

Lucio aparatou com Joanne na clínica ele não podia negar estava apavorado por ter se metido naquela situação, mas ele não podia se recusar em levar Joanne até a clínica.

Ao aparatar com ela na clínica foi barrado por uma enfermeira que ficou pálida ao ver quem estava em seus braços. Lucio pode sentir que ela estava muito quente, e despertou ainda em seus braços.

- Eu nunca vou te perdoar pai. - Dizia ela já delirando.

A enfermeira logo conjurou uma maca e saiu em disparada com Joanne.

Lucio ainda estava chocado com tudo aquilo, ele voltou imediatamente para o ministério, tudo que ele queria era saber o que havia acontecido.

Ele olhou curioso para Roberta que havia saido da sala de Snape.

- Então o que houve para fazer com que ela chegasse a esse ponto.

- Porque não pergunta ao ministro, eu sou apenas assistente dele e não quero fazer fofoca. Eu disse a ele que fui com o senhor a levar até a clínica e que estava tudo bem afinal eu não gosto de ter pensamentos negativos. Como ela está?

- Não sei, eu a deixei lá. Um milhão de coisas está passando em minha mente, e realmente tenho que falar com Severo e ver o que está acontecendo.

Lucio bateu na porta.

- Entre.

Ao entrar ele olhou para Snape e viu que o homem sentado parecia um pouco perdido em pensamentos.

Snape saiu de seus pensamentos quando olhou para Lucio e viu que a roupa do bruxo estava manchada de sangue.

Lucio acompanhou o olhar de Snape e então percebeu que havia esquecido de se limpar.

- Você pode me fazer o favor eu sai e não estou com a minha varinha você pode limpar minha roupa.

Snape pegou sua varinha e rapidamente a roupa de Lucio não estava mais manchada de sangue.

- Severo o que aconteceu?

Snape contou para Lucio o que havia descoberto e quando o loiro viu que a história havia terminado ele disse.

- Eu desconfiei sobre isso duas vezes. Uma foi quando você estava doente por causa da picada de Nagini, uma vez eu fui lhe visitar e ao chegar perto da porta ouvi ela chorando e te chamando de pai, mas eu não liguei afinal eu sempre soube que você nunca a viu como mulher, e a segunda foi quando eu vi o registro do bebê que ela adotou?

- Lucio honestamente o que tem de mais nessa certidão?

- Você não leu antes de aasinar? - Não. Eu confio nela o suficiente para saber que ela não me faria assinar nada que pudesse me prejudicar o que aquela louca aprontou?

- Ela colocou o nome do bebê de Arthur Severo. - Lucio sorriu. - Severo você sempre me provocou dizendo que eu fui um pai babão e quando me tornei avô eu estava pior. Você se tornou um pai mais babão do que eu, olhe para você agora está com seis filhos, e infelizmente perdeu uma se não estaria com sete filhos, e daqui alguns dias já vai ser avô de duas crianças. A sua genética é ótima amigo se eu fosse você começava a se prevenir ou daqui um ano vai ter mais um filho. - Lucio sorriu e Snape o olhou com ódio.

- Lucio eu estou preocupado com aquela insuportável que é minha filha. E você me faz uma brincadeira boba.

- Não é brincadeira Severo o aparecimento dessa sua filha é a prova que você quer ganhar da família Weasley. E por falar em Weasley você vai ser sogro dele.

- Lucio não me provoque saia daqui.

Lucio se levantou e saiu não podia negar às vezes seu amigo perdia a calma muito rápido.

Após quebrar alguns objetos de vidro os lançado contra a parede ele sabia que agora seu auto controle estava de volta e ele poderia finalmente fazer o que estava planejando.

Antes de sair ele colocou às coisas no lugar.

Ao aparatar na entrada da clinica, ele lançou em si próprio um feitiço para que ficasse invisível.

Não demorou muito para que ele finalmente encontra-se o quarto onde Joanne estava. Ele entrou e não gostou do que ouviu.

Joanne estava deitada em uma cama totalmente inconsciente em sua mão tinha um cateter com algum remédio. Ao lado da cama Ronny Weasley estava em pé e olhava preocupado para o medibruxo.

- Se acalme senhor Weasley como eu disse o pior já passou, ela não está mais sangrando mais a febre dela não baixa. Então é melhor que ela fique sob o efeito do sedativo, eu não sei o que a levou passar tanto nervoso mais não quero correr perigo dela acordar e ficar nervosa, afinal se ela voltar a sangrar não vai haver mais nada que eu possa fazer para ela segurar o bebê.

- Ela está assim por minha culpa ela passou a madrugada inteira ao meu lado.

- Não senhor Weasley ela está assim porque deve ter passado algum nervoso, durante a madrugada às enfermeiras a virão e disseram que tirando o cansaço ela estava bem. Então vou o deixar com ela por apenas cinco minutos. Depois vou proibir às visitas ela precisa ficar só. - O medibruxo saiu do quarto e então Ronny se aproximou de Joanne.

Ronny pegou uma de suas mãos.

- Meu amor eu só quero que você fique bem, eu não vou poder ficar aqui mas eu não vou sair da sala de espera até você acordar. - Ronny deu um beijo em sua testa, e tirou do bolso uma corrente de ouro branco, nela tinha um pingente de uma serpente e uma espada, que Snape reconheceu, era uma gargantilha de família, essa gargantilha ele havia dado para a mãe de Joanne no dia em que sairam para jantar.

Ele esperou o ruivo sair do quarto e então retirou o feitiço.

Ele se aproximou de Joanne e deixou sua dor finalmente transparecer. Ele se sentou em uma cadeira que estava perto da cama, e então segurou uma das mãos dela, e então pode sentir que ela estava ardendo em febre.

- Eu nunca imaginei que você pudesse se encolver com o Weasley, se eu soubesse eu nunca teria pedido a você um favor como o que eu pedi, eu não sei explicar mais eu sempre gostei de você, no dia que eu a salvei de morrer só fiz isso porque eu sabia que se algo lhe acontecesse eu nunca me perdoaria, agora eu entendo o porque, e agora você não imagina como eu estou preocupado, eu sei que eu sou o culpado de tudo isso, e mesmo nunca admitindo eu errei, agora tudo que eu desejo é que você melhore e possa me perdoar. E se também não conseguir fazer isso mesmo asssim vou dar um jeito de sempre te ver feliz.

Ele deu um beijo na testa testa e passou a mão sobre os cabelos negros dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...