História Reeducando o coração - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Choi Siwon, Heechul, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk"
Tags Donghae, Eunhae, Eunhyuk, Heechul, Hyukjae, Romance, Sichull, Siwon
Visualizações 94
Palavras 3.021
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Yo! Quanto tempo não? Me perdoem de coração pela demora, este ano está sendo muito corrido para mim e por isso estive bastante ausente. Mas agora lhes trago este capítulo, ele é mais como um capítulo "divisor de águas", espero que gostem! Boa leitura  <3

Capítulo 4 - 004 - Pequeno trinco no gelo


Sinto minhas pálpebras leves e abro os olhos lentamente. Meus músculos tensionam denunciando que à muito tempo estou deitado na mesma posição.

Pisco algumas vezes pois a luz que adentra o quarto é incomoda à meus olhos.

Ao passar o olhar vagamente pelo quarto vejo o rosto de Heechul, desvio o olhar para o teto e não pronuncio uma palavra sequer.

-Você está bem? -ele pergunta e fecho os olhos calmamente.

-Eu não sei. Eu não estou sentindo nada...

-Não está conseguindo se mexer? -ele vem até mim ficando próximo.

-Não é isso...É como se...Eu não sinto nada...Não sinto dor, não me sinto bem, mal, triste, nervoso...Simplesmente não sinto nada...

Um silêncio se instala no quarto e sinto uma leve pressão sobre minhas pernas, olho para baixo e vejo uma perna sobre a minha, viro o rosto e vejo Donghae a meu lado na cama. Seus longos fios negros estavam desgrenhados e sua boca levemente aberta.

Fico um tempo encarando-o.

-Heechul, o que ele está fazendo aqui...? - sinto uma leve dor na cabeça.

Me sento na cama encostando a costa à cabeceira da cama. Levo a mão à minha cabeça e fecho os olhos.

-Eu não sei como posso dizer isso...-apenas ouço a voz de Heechul, sem abrir meus olhos. -Você provavelmente deve se lembrar que foi à uma festa com Sungmin certo? Depois de um rolo, que prefiro que Kyuhyun ou Sungmin te explique, te trouxeram, você vomitou e começou à dizer coisas desconexas e sem sentido. E bom...Donghae não saiu do seu lado daí em diante.

Ouço tudo aquilo e abro os olhos fitando algum lugar à minha frente, tento me lembrar do que ele diz mas nada, me lembro apenas da festa, de ter dançado, ter bebido bastante e nada mais.

-Eu disse coisas desconexas? Que tipo de coisas...?- fito Heechul e ele coça a nuca.

-Não era nada demais. Bobagens...-ele diz enfiando as mãos nos bolsos e por algum motivo não sinto segurança no que diz.

Me levanto e caminho até o banheiro, sentindo agora uma pequena dor nas pernas. Direciono o olhar à minha cama e logo após à Heechul.

-Tire ele da minha cama. -fecho a porta do banheiro.

Apoio minhas mãos na pia e me olho no espelho. Pareço ter sido atropelado umas três vezes seguidas.

Faço minha higiene e ao sair do banheiro nem Heechul e nem o garoto estavam mais no quarto. Vou para a cozinha e me deparo com Sungmin que estava sentado à mesa.

-Bom dia Hyuk.

-Bom dia...-me sento à sua frente na mesa mas não relo em nada. Eu simplesmente não sinto vontade de comer, o que me deixa preocupado, eu nunca na minha vida fui capaz de recusar comida.

-Você precisa comer. -ouço a voz de Siwon atrás de mim e logo depois ele junto de Heechul e Donghae se sentam à mesa.

O garoto me fitava com um sorriso nos lábios, não o retribuo, o encaro de volta mas sem expressão alguma.

Todo mundo na mesa parecia me fitar. O silêncio estava instalado por todo o apartamento sendo possível ouvir apenas a respiração das pessoas ali na mesa o que já estava me irritando.

-Porque todo mundo está me olhando assim? -franzo o cenho. -E você garoto, para de sorrir para mim, qual o seu problema?  -gesticulo com as mãos. -Eu não gosto de você, e seu sorriso é muito feio!

É óbvio que o sorriso do garoto não é tão feio, mas ele ainda me incomoda.

-Hyukjae...Ele cuidou de você quando você estava vomitando e gemendo de dor na cama, então não seja tão idiota.

-Eu não pedi para que cuidassem de mim. -dou de ombros, pego um pedaço de bolo mesmo sem estar com a mínima vontade de comer e o enfio na boca. -Aliás, um morador de rua ser médico é uma piada em tanto não? -digo com dificuldade pelo bolo que eu estava a mastigar.

-Ele não é mais um morador de rua Hyukjae.

-Ah claro, eu esqueci que ele é seu novo filho adotivo, com o cavalo aí. -digo com um sorriso gengival.

Todos voltam a me olhar silenciosamente.

-Mas qual é o problema de voces hoje? É algum complô contra mim?

-Acho que o coração de alguém está começando a derreter...-ouço um resmungo baixo e arqueio minha sobrancelha.

-O que disse Heechul?

-Nada, nada...Vê-lo acordar assim de bom humor é tão incomum.

-Isso é porque Sungmin hyung está aqui. -me inclino e puxo uma das bochechas de Sungmin.

-Hyukjae eu não gosto que faça isso. -ele revira os olhos e afasta minha mão.

-Bom, está tudo muito bom mas estou atrasado para a faculdade. -Heechul se levanta e limpa a boca com um guardanapo.

-Também já vou indo. -Siwon se levanta acompanhando Heechul. -Até mais tarde!

-Fiquem bem e não façam nada de errado. -Heechul e Siwon caminham para fora da cozinha em direção à porta.

-Fiquem bem e não façam nada de errado.- o imito revirando os olhos e fazendo voz fina. -Ei! Heechul! -me levanto correndo até eles. -Quem vai cuidar desse garoto? -aponto para a cozinha. Me referia ao garoto peixe e Heechul sabia.

-Você. -ele diz como se fosse óbvio.

-Eu não vou- penso em retrucar mas sou interrompido.

-Ele passou três dias ajudando a mim e Sungmin à cuidar de você então não ouse não cuidar dele. É o mínimo que você tem que fazer.

Faço um bico enorme e reviro os olhos.

Siwon e Heechul saem e me viro para para a porta da cozinha onde já estavam Sungmin e o garoto.

-Tudo bem, alguma idéia do que fazer...? Onde estão meus cigarros...? -procuro pela sala e não os encontro, sequer o cinzeiro que sempre ficava em cima da mesinha central estava ali.

-Desde quando você fuma? -Sungmin pergunta confuso e espantado ao mesmo tempo.

-Desde que percebi que isso me acalma quando estou nervoso.

-Então você está nervoso agora?

-Não. -o fito e ele tinha uma expressão de "ué" no rosto, balanço a cabeça negativamente e arqueio uma sobrancelha. -Eu gosto de fumar, por fumar mesmo. Força do hábito, entendeu agora hyung? -puxo uma de suas bochechas.

Meu celular faz o barulho de notificação e vou até o sofá o pegando, era uma mensagem de Kyuhyun avisando que viria aqui. Estranho a mensagem repentina pois Kyuhyun nunca avisa quando vem para cá, e raramente ele vem, pois Heechul e ele não são lá grandes amigos, vivem se "bicando".

-Kyu está vindo para cá, vou pedir para que ele traga alguns filmes para assistirmos...-comento digitando uma mensagem para Kyu.

Desvio o olhar para Sungmin e este parecia tenso com o que eu havia acabado de dizer.

-O que foi Sungmin?

-Nada...Não foi nada...Vem Hae. -ele puxa o garoto até o sofá à minha frente e se sentam.

Sungmin parece ter ficado tenso ao me ouvir falar que Kyu viria aqui, ou talvez tenha sido algo da minha cabeça. Mas por via das dúvidas esclarecerei isso mais tarde.

Sem iniciar um assunto o local fica totalmente silencioso, até que Sungmin se manifesta.

-Porque não gosta dele? -o fito confuso e ele aponta com a cabeça para o garoto.

Paro para pensar sobre aquela pergunta. Realmente, porque o odeio tanto?

-Eu não sei. Eu só não gosto dele.

-Você sabe que isso não faz sentido não é?

-Ele era um morador de rua e Heechul o trouxe para cá mesmo sendo um desconhecido, passou por cima da minha opinião e pintou o cabelo dele em cima da minha camiseta preferida...

-Hm...Você me deixa confuso. Há dois dias você acordou brevemente e falou algumas coisas estranhas...-Sungmin sorri fitando o chão.

Me lembro que quando acordei Heechul disse que falei coisas desconexas e quando o perguntei o que falei ele disse que eram bobagens. Provavelmente não eram.

-O que eu disse de tão estranho? -pergunto curioso. Mas antes que Sungmin pudesse me responder a campainha toca. -Ah, deve ser o Kyu. -me levanto indo abrir a porta.

-Está melhor jae? -Kyu entra batendo em meu ombro.

-Como sempre. -dou de ombros. Fecho a porta e caminhamos para a sala. -Ah, evil, esse é o meu amigo...-

-Já nos conhecemos...Sungmin, como está?

-Bem, obrigado.

-Ah, eu havia esquecido da festa...-digo coçando a nuca. -E esse aqui é o protegido de Heechul.

-É, eu já o conheço também, presenciei a cena do beijo medicinal. Uma cena muito fofa tenho de admitir, daria uma bela cena de novela das nove.

-Como? -pergunto confuso.

-Vamos assistir logo ao filme? -ele se joga no sofá ao lado de Sungmin.

-Espera, Kyuhyun, do que você está falando? Que beijo?

-Ninguém te falou nada? -ele aponta para as pessoas presentes ali na sala. -Aliás, você não se lembra?

-Não. E, não também.

-Jae, você estava louco. Foi muito...Ai! -estranho seu grito e o fito o questionando silenciosamente, mas a voz de Sungmin se faz presente.

-Vamos logo assistir esse filme Hyuk, senta aqui. -vejo Sungmin se afastar de Kyuhyun e o mesmo se aproximar mais.

-Eu trouxe alguns filmes de terror e uns de comédia. -Kyu diz com os dvd's na mão e vejo Sungmin pegar sem nenhum pouco de gentileza de sua mão. Isso não era algo que se via todo dia, Sungmin sendo mal educado.

-Scooby-Doo. -Sungmin me estende o DVD.

-Mas nós nem votamos...

-Donghae concorda comigo.

-Mas ele nem fala Sungmin!

-Mas você não gosta dele, se ele falasse do seu lado é que ele não iria ficar. -ele diz obviamente.

-Eu concordo com seu amigo, Jae. -Kyu diz e arregalo os olhos.

Me dou um belisco no braço para ver se estou mesmo acordado. Kyuhyun nunca gostou desse tipo de filme, ele gosta de filmes de terror e Scooby-Doo é um filme tão...infantil?!

-Porque todos estão estranhos hoje? -passo a mão em minha cabeça confuso. Até mesmo eu não estou me reconhecendo hoje. -Cadê meus cigarros...? -digo caminhando até meu quarto e finalmente acho em uma gaveta ao lado da cama um maço. Vou até a cozinha e acendo o cigarro, logo depois voltando para a sala.

Eles já estavam a assistir o filme. Eu não estava prestando atenção, apenas fumava e olhava para um lugar fixo.

De repente uma frase vem em minha cabeça em meio à meus devaneios.

-Os pontos estão a se soltar...-digo em voz alta sem sequer perceber.

Logo após a frase lembro de algumas cenas estranhas. Lembro de hyuna, de eu ter ido à casa de Sungmin, a festa de Kyu, depois disso só me lembro de ver o rosto de Sora à minha frente, era algo brilhoso, tudo a sua volta estava desfocado era como se só ela estivesse ali, mas logo depois vejo ela olhando sorrindo para Donghae, o garoto de rua este que também me olhava sorrindo.

Isso me intrigou, porque ela estava sorrindo para o garoto? É verdade que ele me lembra ela, na verdade, seus olhos me lembram Sora. Mas não consigo entender, tudo isso foi um sonho? Eu a vi mesmo? Seria possível?  Ela queria me dizer algo, mas o que seria?

A frase volta em minha cabeça.

Os pontos estão a se soltar.

O que essa frase poderia significar? Sora estava tentando me dizer algo? Mas o que seria? Teria relação com o garoto...?

Em meio à pensamentos não me dou conta quando o garoto se aproxima de mim, até que sinto sua mão tocar a minha, e em um reflexo tiro minha mão de perto da sua. Sinto novamente algo sobre minha mão e agora olho para o garoto esse possuía uma expressão a qual não fui capaz de identificar.

Olhando para minha mão vejo um pedaço de papel. Olho desconfiado para o garoto.

Desviando o olhar vejo Kyuhyun deitado no ombro de Sungmin e Sungmin encostado ao braço do sofá, ambos dormiam.

Abro o papel em minha mão e me surpreendo. Era um desenho, de Sora. Um desenho perfeito, exatamente igual à foto que eu tinha no quarto. Suspiro e sorrio sem perceber.

O garoto me fitava curioso, desvio o olhar para ele e fico à fita-lo por alguns segundos,  entre esses segundos via nos olhos do garoto os olhos de Sora novamente, os cabelos do garoto eram tão compridos que por vezes tampava seus olhos, em um ato impensado, levo a mão aos seus fios os afastando de seus olhos. Eu queria olhar mais para aquelas orbes, elas me prendiam de tal forma que eu sequer conseguiria explicar caso alguém me perguntasse.

Não querendo me deixar levar por aquele desenho e as cenas absurdas que vi tiro a mão do rosto do garoto e me levanto um pouco confuso.

-Eu ainda não gosto de você Donghae. Não tente me agradar...

Ele me fitava do mesmo jeito de antes. Parecia não se abalar, ou sequer estava me ouvindo.

Fito o desenho de Sora que ele havia me dado mas não o devolvo, fico a fitar o papel por um longo tempo e acabo o dobrando colocando no bolso.

Não querendo ser totalmente mal educado com o garoto o fito e dou um leve sorriso. Este abre um enorme sorriso para mim, o que me faz agora sorrir espontaneamente sem sequer perceber, seu sorriso era contagiante, querendo ou não .

Balanço a cabeça negativamente e caminho para a cozinha, volto para trás e chamo o garoto com o dedo indicador, este vem até mim e me segue até a cozinha.

Não posso deixá-lo morrer de fome, Heechul me mataria.

-Olha, esqueça tudo o que aconteceu ali entendeu? -aponto para a sala, o garoto apenas retribuía ao meu olhar, sem expressão, como a maioria das vezes. -Você não está me escutando não é? -digo frustrado e o garoto continua imóvel. -Tudo bem, você não irá contar para ninguém mesmo, você não fala. -dou de ombros e vou até o armário pegando algumas coisas. As coloco em cima da mesa e aponto para que ele fosse comer.

-Come. -digo e ele fica me olhando com sua caderneta na mão. Eu já estava impaciente de ter de ficar falando com o vento.

Pego a caderneta de sua mão e tento desenhar um boneco de palito comendo. Viro o desenho para ele apontando que era ele, logo após aponto para a mesa.

Ele pareceu entender, pois ergueu as sobrancelhas e sentou-se à mesa. Fico a observa-lo comer até que algumas vozes me interrompem.

-Ya! Saia de cima de mim seu tarado! -era a voz de Sungmin, caminho na ponta dos pés e fico atrás da parede à escutar a conversa dos dois na sala.

-Aigoo...Eu só estava com a cabeça encostada em seu ombro...

-Eu não me esqueci do que você fez comigo no dia da festa, então não chegue perto de mim.

-Mas eu não fiz nada! Eu nem peguei em você! Bom, talvez eu tenha pegado, mentalmente, mas isso não vem ao caso.

-Você é louco! Não fique perto de mim!

-Ah qual é? Vai me dizer que eu sou tão feio assim? Sou mais bonito que o Jae, ele parece um macaco, e eu obviamente sou mais bonito.

Cerro os olhos. Eu pareço um macaco? Me aguarde Kyuhyun.

-Não é questão de ser bonito! Eu não gosto de homem. Eu gosto de mulher!

-Já tentou com algum homem?

-M-Mas é óbvio que não!

-Então como sabe que não gosta se nunca provou? Eu posso ser sua cobaia se quiser...-ouço aquilo e rio indo até até sala e os pegando no flagra. Kyuhyun estava inclinado sobre Sungmin no sofá que tentava a todo custo o empurrar.

-Hyuk, não é nada do que você está pensando! -Sungmin diz empurrando Kyuhyun e andando até mim.

-Eu não pensei nada. -digo levantando as mãos para o alto me inocentando.

-Esse seu amigo está tentando me corromper! -Sungmin se esconde atrás de mim e rio daquilo.

-Ele só quer te pirraçar...Não ligue para o Kyu, ele é um imbecil mesmo.

-Eu ainda estou aqui!

-Eu estou te vendo. -digo dando de ombros. -Vamos, venham comer alguma coisa.

-Você está estranho, é o Hyukjae mesmo? -Kyu me cotuca e o dou uma cotovelada.

-Mas é óbvio seu trouxa. Quem mais seria?!

-Huumm...Não, não. - Kyu acaricia seu próprio queixo balançando a cabeça negativamente e o fito confuso.

-Não não o que?

-Você está muito estranho depois de tudo o que aconteceu, não me diga que o coração de gelo do todo poderoso Hyukjae está começando a derreter?...

Ouço a mesma frase pela segunda vez no dia e pergunto a mim mesmo se estou deixando de ser tão frio como era, mas é claro que não, é impossível.

-Não diga idiotices Kyuhyun! De onde tirou isso?

Ele apenas da de ombros.

-Veja você mesmo como está agindo. -ele se senta à mesa e começa à comer.

Ouço o barulho da porta e presumo que Heechul chegou.

-Donghae, Hyukjae não te maltratou não é? -ouço os gritos de Heechul pelo corredor e reviro os olhos.

-Estamos na cozinha, sua besta. -digo em voz alta para que o mais velho ouvisse. Logo ele chega à cozinha e me dá um tapa na nuca.

-Me respeita Hyukjae.

Quando ele vê mais pessoas na cozinha, Kyuhyun para ser mais exato, Heechul faz uma cara infezada.

-Você por aqui Kyuhyun?

-Vim fazer uma pequena visita ao meu grande amigo, e ver se ele precisava de algo. -percebo os olhares de Kyu em direção à Sungmin e balanço a cabeça rindo.

-Sei. -o mais velho que não era bobo logo percebeu os olhares de Kyu para Sungmin e arqueou uma sobrancelha. -Que seja. -ele dá de ombros. -Hae! Eu trouxe algo para você, é perfeito! Venha!

Heechul vai até o garoto o puxando e o leva da cozinha.

Me sento à mesa junto com os outros e conversamos sobre assuntos aleatórios enquanto comemos.

Mais ou menos uma hora depois já estávamos na sala assistindo um programa de variedades qualquer.

-Lhes apresento o novo Donghae. -ouço Heechul falar e quando me viro para fita-los fico quase de boca aberta com o que vejo.

Ele havia cortado os fios longos do garoto, seus cabelos agora estavam mais curtos em um corte moderno, eu conseguia agora ver seus olhos perfeitamente. Heechul havia comprado uma camiseta larga preta com uma caveira na frente que o garoto usava e uma calça de couro extremamente colada.

Mesmo que eu o odeie e queira negar o garoto está lindo.

-Ficou muito bom! -ouço a voz de Sungmin.

-Realmente, está bem melhor. -Kyu concorda.

-O que achou Hyukjae? - Heechul se dirige à mim e por um pequeno período de tempo o garoto sorri para mim.

-Está bonito...-digo fitando o garoto e acabo pensando em voz alta.-  Muito bonito...


Notas Finais


Este capítulo foi como uma divisor de águas, como eu disse nas notas iniciais, no sentido de que o verdadeiro "caminho" da fanfic começa a partir daqui.
Espero que tenham gostado! E se quiserem eu gostaria de saber o que acham, comentem para mim hm? Beijos e até logo! ^-^ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...