1. Spirit Fanfics >
  2. Reencontrando O Amor - Josh Beauchamp >
  3. Elucidação.

História Reencontrando O Amor - Josh Beauchamp - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Heeey, povo, tudo bom? Eu to bem^^

Espero que gostem do capítulo de hoje ^^

Boa leitura ~>

Capítulo 21 - Elucidação.


Thea O'Conner P.O.V.

A euforia que jorra em minhas veias e atinge minha consciência, camufla a fagulha, não tão pequena, de insegurança que sinto quando estou perto de Josh. Faz tão pouco tempo que o conheço, mas é tão intenso as coisas que vem acontecendo comigo, que me pergunto se o que estou fazendo é o certo.

Josh é legal, tem se mostrado gentiu e atencioso, mas isso não descarta a idéia de que ele ainda é um tipo de estranho em minha vida. Sei que, mesmo sem minha autorização, um tipo de sentimento cresce em meu peito a cada dia, quando me aproximo ainda mais dele, e descubro mais coisas sobre ele.

Mas, mesmo que de certa forma ambos tenhamos demonstrado estarmos entregue a isso, preciso ter certeza se o que eu quero, ele também quer, para que eu não me machuque em um possível, futuro, rompimento. Não posso me envolver com Josh assim, do nada, e talvez depois ser descartada como um objeto quebrado e sem utilidades. Porém, algo lá no funto, no cerne do meu âmago, cria a chama da esperança de que ele não faria isso comigo.  

Ou faria?

Droga de insegurança do caralho!

Então, decido que hoje mesmo irei perguntar, o que realmente, está havendo entre nós dois. Melhor já ter consciência de onde estou me metendo.

Então, quando a mão de Josh aperta novamente minha nádega, interrompo o beijo com um estalo úmido. Nossas respiração irregulares se misturam por causa da aproximação de nossos rostos. Tenho voltade de atacá-lô agora, mas vejo que esse é um tipo de pensamento indecente que nunca tive por ninguém em toda a minha vida, ainda mais por uma pessoa que conheço há menos de duas semanas.

Como sentimentos tão fortes podem nascer em menos de duas semanas?!

Se não quero me machucar por um possível, não provável relacionamento - mesmo que a idéia de entrar em um me assuste - preciso tirar a limpo o que está tendo entre nós dois. Estou tão nervosa com um possível não bem bonito sair de seus lábios, que fraquejo.

一 Er... 一 Começo, mas já não sei mais como continuar. Coloco minhas mãos em seu peito e o empurro levemente para trás, para que ele me possa dar espaço o suficiente para que o ar entre e saía corretamente de meus pulmões. 一 Josh... Eu... 一 Olho para seus olhos e os encontro ajitados, mas com um pingo de curiosidade. Não consigo imaginar Josh sendo um babaca comigo.

O que estou pensando! É óbvio que ele não faria nenhuma sacanagem comigo! Josh é do bem.

一 O que foi?

Dou um passo para o lado e desvio o olhar. Não sei como tocar no assunto, tenho vergonha de Josh, possivelmente, rir da minha cara.

一 Josh, eu preciso saber de uma coisa... 一 Quando estou em uma distância segura dele, volto meu olhar de encontro ao seu.

一 Ahm... Tá. 一 Josh coloca as mãos no bolso da calça e assente, com aquele sorriso ladino que tira a concentração de qualquer um. 一 Pode perguntar, qualquer coisa.

Sinto meu rosto esquentar, mas resolvo falar mesmo assim. De tanta humilhação que já passei na vida, o que é mais uma, não é mesmo? Levar um possivel fora do cara mais bonito do Colégio não é algo de se preocupar. 

Estou rindo de nervo.

一 Josh, já tem quase uma semana que estamos nessa situação... 一 Engulo a seco e tomo coragem para continuar. Não sei expressar com palavras a sinceridade que meu coração pede para trasparecer. 一 Nós ficamos, nos divertimos, você me levou para sair, foi legal. Mas... 一 Hesito quando sejo o sorriso de Josh desaparecer lentamente, mas não me deixo abalar, ou pelo menos finjo que isso não me surge efeito. Será que ele me acha uma ridícula em tocar nesse assunto? Ahm... Foda-se. 一 Mas eu preciso saber o que, realmente, está tendo entre nós dois... 一 Aponto de mim para ele, e vejo Josh se aproximar sorrateiramente. 一 Não tenho medo de admitir que estou gostando de você, mas eu preciso saber, e ter certeza, de que você não está apenas me usando como um passa tempo, sabe? Não que você tenha demonstrado ser esse tipo de cara, mas mesmo que fosse, não quero me envolver com você só por diversão, e depois sair machucada. 一 Me desato a falar e Josh para de se aproximar, o rosto banhado em surpresa. 一 Preciso saber se o que está havendo entre nós dois tem algum significado para você...

Espero uma reação sua. Seu rosto se molda em uma máscara em branco, sem feições. Josh parece aéreo, como se pensamentos e memórias invadisse suas olhos, agora opacos. Ele fica indiferente, e eu me sinto uma ridícula por ter me exposta a ele, novamente.

Sinto meu peito apertar quando vejo que não terei uma resposta. O sentimento de rejeição me machuca, tenho vontade de correr e chorar. É bobo da minha parte, sofre por alguém que conheço há menos de um mês, mas tenho a leve sensação de que o conheço a vida toda, o tempo suficiente para que uma refeição seja algo dolorosamente negativo para mim.

一 O que temos, Josh? 一 Faço a pergunta final, com um fio de voz, quase à beira das lágrimas. Mas não tenho tempo para desespero, pois ele parece sair do torpor, e quando me olha, seus olhos brilham e um sorriso cresce em seus lábios.

Josh retira as mãos de dentro dos bolços da calça e vem para perto de mim. Prendo a respiração quando ele molda as laterais do meu rosto com as palmas de suas mãos. O seu silêncio me sufoca ao limite, me causa uma inquietação que tenho voltade de quebrar com um grito angustiado.

一 Nós temos um ao outro. 一 Sua voz chega ao meu ouvido e me causa sensações estranhas.

Sinto meu peito se aquecer.

一 Como assim? 一 Franzo as sobrancelhas e solto o ar que prendia nos pulmões.

一 Quando você precisar de algum apoio, ajuda, eu estarei lá para te consolar. Vou te animar quando estiver triste, vou brigar com você quando bagunça meu cabelo durante os beijos... Vou te irritar quando estiver alegre. 一 Ele fala com os olhos vidrados nos meus. 一 E quando eu precisar, você estará lá, para me ajudar, não é? 一 Pergunta e eu assinto lentamente, mesmo não tendo totalmente entendido sua explicação.

Josh dá um passo para frente, limitando nossa distância por dois passos. Suspiro aliviada quando percepo que Josh realmente não seria um babaca comigo.

一 O que eu quero te dizer, Thea, é que eu gosto mesmo de você, de verdade. 一 Me explica quando vê que não entendo sua explicação. 一 Desde o momento em que eu foquei meus olhos em você, na festa a fantasia, no primeiro dia de aula, venho sentido coisas que nenhuma garota me disponibilizou sentir antes, a não ser Luna. Depois da morte dela, meu coração se congelou, ele mesmo criou uma barreira para que nenhum outro sentimento me afetasse, para que eu não tenha nenhuma possível decepção novamente. 一 Abaixa o olhar por um instante, mas logo o levanta. 一 Só que, quando eu estou com você, sinto que pouco a pouco essa barreira vai se dissipando. E cada vez eu me sinto mais entregue, mas, eu ainda não tive a coragem de assumir nada, porque tenho medo de que isso possa me machucar futuramente. Igual quando você mesma tinha falado que não quer ser usado como brinquedo... Mesmo que me doa lembrar do passado, eu quero ficar perto com você. Mesmo que não seja pela eternidade, eu quero ficar junto com você. Eu sei que você não é nenhum mau, mas mesmo que fosse, eu ia querer ficar com você... É como se eu não podesse parar, mesmo que tentasse.

As palavras de Josh ecoam por minha cabeça, suas palavras me pegam desprevinida. E eu não sei como reagir perante essa sua, desajeitada, declaração. Ele me entende, quando penso que, o que estamos vivendo, está acontecendo com muita rapidez.

一 Thea, eu tenho medo de me envolver de novo, tenho medo de te amar e te perder depois, eu tenho medo de me entregar. E eu não sei se consigo retribuir totalmente... 一 Josh acaricia minha bochecha com o polegar, seus olhos varrem meu rosto com atenção, nervosos. Ele me faz ver seu medo apenas com o olhar que me lança neste momento. 一 Só não toquei neste assunto antes, porque fiquei com medo de que você poderia escapar por entre meus dedos, entende? 

O que digo logo em seguida, foi por impulso, mas não me arrependo, pois foi o mais sincero possível. As palavras sairam diretamente do meu coração.

一 Você não vai me perder, Josh. Eu não vou embora, só quer... 一 Coloco minhas mãos em seu pulso, forço ele a tirar suas mãos de meu rosto, para que eu tenha mais concentração na conversa.

Josh interrompe minha fala.

一 Você ficaria comigo, mesmo com essa minha insegurança, com meu coração quebrado? 一 Josh desvia o olhar e dá um passo para trás, ele toma distância e se vira de lado para mim. Ele tenta me mostrar seu real 'eu'.

Sinto meus olhos arderem e meu nariz pular. A frequência cardíaca almenta a cada palavra que sai de sua boca. Minhas mãos soam, ansiosas para tocá-lô. Essa é a pergunta que eu mesma faria para ele, não esperava o contrário.

一 Você me esperaria? Você espera eu me consertar? Me tornar inteiro de novo? 一 Josh não espera uma resposta minha, e se aproxima novamente. Ele parece desesperado por ser asseito. 一 Porque eu não posso te dar algo que quero muito, mas que não sei mais como realizá-lo. Você me espera, Thea? 一 Seu rosto para a sentimetros do meu, e eu fecho os olhos com força.

Um nó se forma em minha garganta e eu tenho uma vontade subta de chorar horrores. Ele está me dando uma chance para que eu possa consertá-lô, ele está se entregando à mim, definitivamente. Ele está confiando em mim.

一 Me deixa entrar, Josh? 一 Abro os olhos e aponto para seu coração, que consigo sertir retumbando depressa, vejo Josh engolir em seco.

一 Ele ainda está quebrado, Thea. Ele pode te machucar com os cacos pontiagudos, você precisa ter cuidado. 一 Ele segura meu pulso e leva minha mão até o canto do próprio rosto, onde me faz moldar sua lateral com a palma aberta.

一 Eu te ajudo com a reforma. 一 Falo e o vejo fechar os olhos, com um leve sorriso nos lábios, que não chegam aos olhos.

一 Você deveria esperar um pouco mais, só para ter certeza de que é isso mesmo que quer... 一 Ele me olha com atenção, procura vestígios de incerteza, e para seu alívio, ele não acha.

一 Mas eu não quero esperar. Eu quero ajudar, recolhendo caquinho por caquinho...

一 Então por onde devemos começar? 一 Seu sussurro chega aos meus ouvidos em uma prece melancólica.

一 Eu acho que... Devemos começar pelo alicerce. 一 Falo e o arranco uma leve gargalhada.

Ele se afasta de minha mão, e antes que eu sinta a falta de sua pele contra a minha, Josh rodeia minha cintura com os dois braços e me tira do chão, afogando os rosto na curvatura do meu pescoço.

Meu coração ameaça chegar em minha garganta, usar ela como um elevador e vazar para fora da minha boca, para dançar no chão da biblioteca. Aperto mais Josh contra meu corpo e também afundo meu rosto em seu pescoço, recolhendo o possível de seu aroma amadeirado que me inebria.

Você é teimosa, sabia? 一 Escuto seu sussurro ao longe, abafado por minha pele.

Consigo sentir meu coração acolhido com todo o seu carinho. Sorrio com os olhos afogados em lágrimas não derramadas.

• • •

Ao sairmos da biblioteca, já passava das oito da noite. Não demos mais nenhum afago, apenas trocamos algumas palavras reconfortantes e fomos para o refeitório jantar. Não consegui comer minha lasanha totalmente, meu pensamento voava para Josh e eu na biblioteca. O alívio de não ter levado um fora me consomia, e só conseguia disfarçar o sorriso bobo nos lábios pois vez ou outra eu ocupava a boca com macarrão.

Quando já estava no quarto, deitada na cama, resolvo ler algum livro online no celular, e "Hold Me Tight" me parecia uma boa opção. Entre algumas fofuras dos capítulos já lidos, Sina aparece no quarto com o celular pendurado na orelha, a expressão risonha ao possível.

一 Tá bom, depois te ligo... Tchau! 一 Sina encerra a ligação e vem até onde estou. 一 Oi!

一 Oi. 一 Apago o ecrã do dispositivo e o deposito sobre o criado-mudo. Então, fixo minha atenção em Sina, que se senta bem à minha frente.

一 Como você está? 一 Fala e me olha prender o cabelo em um coque folgado.

一 Eu estou bem, já tem alguns dias que não sinto mais nenhuma dor. Parece que sumiu de vez.

一 Isso é um alívio. 一 Sorri e coloca uma mexa loira de cabelo atrás da orelha. 一 Não gostava de te ver se encolhendo pelos cantos com dores.

一 Se você não gostava, imagine eu, que sentia na pele. 一 Brinco e sorrimos. 一 Acho que posso viver uma vida normal daqui em diante.

一 É. 一 Sina abaixa a cabeça, mas logo a levanta. 一 Ahm... Vai ter uma festa na sexta à noite, eu estava pensando em ir. O que acha de ir comigo? Só nós duas, sem nenhum menino, só eu e você? 一 Sugere reseosa. Ela sabe que não sou muito fã de festas, mas se esforça para tentar me mostrar que daqui há alguns dias, vou ser de maior, e poder sair para badalar, como ela sempre quis desde quando me conheceu.

Penso em asseitar seu convite, mas não sei bem o que fazer dentro de uma festa com muitas pessoas, porque, meio que eu sou aquela típica gatota antissocial que não sabe mexer o esqueleto durante a música mais agitada que soa. Porém, não posso ficar me escondendo por muito tempo, assim como minha mãe fala, tenho que aproveitar a vida enquando ainda sou jovem, porque depois fica mais complicado os momentos disponíveis aparecerem.

一 Tá, eu vou... 一 Suspiro e Sina arregala os olhos, um sorrindo rasgando seu rosto. 一 Porém, não quero que a senhorita fique bêbada e me faça passar vergonha.

一 Pode deixar, vamos na festa apenas para nos divertir e conhecer mais gente. 一 Pisca um olho. Quem vê acha que Sina é solteira e que pode pegar todos, mas quem conhece, sabe que isso só é a animação dela falando mais alto.

一 Aham... Enquando esse dia não chega, temos que estudar. 一 Afasto as cobertas do meu corpo e me levanto da cama, indo até o closet. 一 E agora eu vou tomar uma banho, hoje quero dormir cedo. 一 Recolho minha toalha e ando até o banheiro, vejo Sina levantar da minha cama e andar até seu lado do quarto.

一 Você sempre certinha... 一 Balança a cabeça e sorri. 一 Continue assim. 一 Diz e eu acabo soltando uma leve gargalhada.

一 Aham. 一 Depois de fecho a porta do banheiro, me dispo e entro no boxer.

No tempo em que repouso meu corpo debaixo d'água, fico relembrando da minha conversa com Josh. Sei que a morte da namorado pode ter sinto algo ruim na vida de Josh, mas estou disposta a ajudar ele no que for previso. Sinto que o que acontece comigo e com Josh não é nada momentâneo, como se o que partilhamos tende a ser algo mais real do que qualquer romance de filmes.

Mas tem aquele porém. Tudo está indo tão rápido. Como vou explicar para minha mãe que estou tendo sentimentos por um garoto que conheço há menos de duas semanas? Ela certamente vai dizer que esse sentimento está acontecendo com tanta intensidade, porque ele é o primeiro cara com que eu me envolvo. E meu pai? Devo falar para ele? Ele até pode ser um pai distante, mas ele gosta de mim. Meu pai é muito protetor e, principalmente, ciumento. Acho que seria mais inteligente falar para ele só se realmente algo concreto acontecesse entre mim e Josh, que não é o caso. Melhor não preocupar a cabeça do velho com algo que nem eu mesma tenho certeza de que irá para frente.

Ao terminar o banho, saio do banheiro e vou até o closet. Quando já vestida, caminho até minha cama, me deito e cubro todo meu corpo com o edredom macio. Estico o braço e pego o celular que jazia sobre o criado-mudo, abro a janela dos livros online e continuo minha leitura.

Do outro lado do quarto, nem Sina nem Savannah ocupa espaço.

Onde elas estão?

Dou de ombros e foco totalmente minha atenção no livro, onde capturo uma frase que chama minha atenção.

"Você pode confiar em mim?"

***

Josh Beauchamp P.O.V.

O céu escuro e enfeitado de estrela prende minha atenção no momento. Será que estou fazendo o certo com Thea? E comigo? Faz tempo que coloco o bem estar de outra pessoa na frente da minha, e vejo que até isso é motivo de dúvida. O que há comigo?

Suspiro, balançando a cabeça.

一 O que faz aqui fora ainda? 一 Uma voz feminina soa logo à minhas costas. Não preciso me virar para saber de quem se trata.

一 Nada de mais. 一 Olho novamente para o céu, fixo o olhar em uma constelação que sempre admirei.

一 Posso me sentar? 一 Ela aparece em meu campo de visão e aponta para a grama, ao meu lado.

Assinto e não demora para Any se sentar, com seu ombro resvalando no meu.

一 Faz tempo que está aqui? 一 Pergunta, e de soslaio capturo sua silhueta arrumada.

一 Não muito. 一 Franzo o senho.

一 Ah.

O que eu mais queria no momento era ficar sozinho e refletir sobre o que conversei com Thea hoje, porém, empecilhos sempre aparecerão e nos tirará preciosas horas, durante nossa jornada, que muitos chamam de vida. Afinal, o que quero, discretamente dizer, com essas palavras não tão filosóficas, é que Any acabou de chegar no tempo em que quis raciocinar minha preciosa vida, em paz. Não que a presença dela seja um incômodo, mas é que justamente agora quis ficar só. Suponho, não com muita certeza, que só me agradaria com uma visita repentina agora, se fosse a de Thea.

一 Você tá calado. 一 Informa o óbvio.

一 É. 一 Sorrio enviesado.

一 Tem algo errado, né? 一 Se vira para mim, e finalmente foco minha atenção nela.

Percebo que Any está bem arrumada, seus cachos bem moldados e brilhantes. A roupa bem alinhada ao corpo curvilíneo, consigo sentir seu aroma de morango daqui de onde estou.

É. 一 Dou de ombros, para a sua respostas.

一 Você, realmente, não está para conversa hoje, hein. 一 Bufa falsamente indignado. 一 Qual o motivo para te deixar assim? É a caloura, né? Eu bem q... 一 Interrompo sua fala.

一 Primeiro, não chame a Thea de caloura, ela tem nome. Segundo, se estou calado, é porque não quero conversar, e terceiro, não é da sua conta o que me deixa assim. 一 Enumero com os dedos da mão, continuando com o rosto sem expressões.

一 Caramba, Josh! Eu venho aqui conversar com você, e só levo patada. 一 Any contorce o rosto em uma careta de incredulidade e se levanta. 一 Desculpa se te incomodei.

Bufo.

一 Any, me desculpa. 一 Me levanto e seguro em seu braço, quando ela começa a andar. 一 Tive um dia estranho, hoje.

Any bufa e puxa seu braço, recolhendo do meu toque, logo ela cruza os braços e revira os olhos.

一 Se teve um dia "estranho" e agora está mau humorado, não venha descontar seu estresse em mim.

一 Tá... 一 Me sento novamente. 一 Só te tratei assim porque precisava pensar um pouco, e você chegou bem no momento.

Any assente com a cabeça e se senta ao meu lado novamente. Ficamos em silêncio, ela respeitando meu espaço, e eu o dela. Sempre gostei disso em Any, ela não é de insistir muito.

Já devia ter passado uns quinze minutos, quando persebo que Any está um pouco inquieta ao meu lado. Olho-a de soslaio, e não demora para ela corresponder o olhar.

一 Eu sei que quer me perguntar alguma coisa. Vai lá, pode perguntar. 一 Digo e vejo um sorriso tímido se formar em seus lábios.

一 Você me conhece bem... 一 Diz e abaixa a cabeça. 一 O que você está tendo com a Thea? Estão namorando?

一 Estava demorando muito pra você me perguntar isso. 一 Sorrio e coço a ponta do meu nariz. 一 Eu e a Thea estamos nos envolvendo... 一 Deixo a frase morrer quando vejo a careta que Any faz.

一 Tem certeza que é só um "envolvimento"? 一 Faz aspas com os dedos, e eu franzo o cenho. 一 Dá de ver na tua cara, Josh, que o que você e a Thea tem, é mais que um simples envolvimento. 一 Any sorri torto e continua. 一 Eu vejo como vocês dois agem dentro da sala de aula, o modo como você faz carinho nos cabelos dela. Não parece nada menos do que dois namorados trocando afagos dentro de um ambiente público.

一 Mas, não estamos namorando... 一 Any me interrompe.

一 Desde o dia em que te conheci, nunca tinha visto você fazendo coisas que faz com a Thea. No máximo, Josh, você ignora as garotas que dão em cima de você, não o contrária. Eu sei que você está gostando, de verdade, dela... Não pode deixar ela escapar por algo que te aconteceu no passado, tenta ignorar essas coisas e investe de vez nela.

一 O problema é que não é tão fácil como parece...

一 Então deixa ela te ajudar. 一 Any suspira e se levanta. 一 Eu sei que não tenho nada a ver com o que você tem com as garotas que fica, mas eu realmente espero que, o que você está fazendo, seja para o seu bem e o dela. 一 Encerra seu discurso de moral e sai, me deixando sozinho no escuro.

Essa é a mesma Any que eu conheci há dois anos atrás?

E pela primeira vez desde quando vi Any, sou capas de dizer que ela tem ração. Está na hora de trocar os papéis, passar para a próxima página e seguir em frente. Sei que vai ser complicado, mas o que me custa tentar?

Levando do chão, ao qual estava sentado, e bato as mãos na calça, retirando os fiapos de grama que grudou. Me dirijo até os dormitórios e vou para o meu quarto, preciso de uma boa noite de sono.

Já dentro do quarto, encontro Noah e Sean dormindo em suas respectivas camas. Ando até o closet no canto do quarto e recolho minha toalha; em seguida adentro o banheiro. Ao terminar meu banho, me jogo na cama e me embrulho até o pescoço, fecho os olhos e espero o sono tomar conta do meu corpo cansado.

***

Respiro rapidamente, soergo o corpo na cama e abro os olhos.

Ei, tudo bem, só foi um pesadelo. 一 Escuto a voz de Luna soar ao meu lado, e a olho. 一 Vem cá. 一 Ela abre os braços e me convida para deitar em seu peito.

Me estico de onde estou e engatinho até o quanto da cama onde ela repousa, em seguida aconchego minha cabeça sobre seu seio esquerdo, afundando meu nariz em sua pele exposta, para poder capturar o máximo de sua fragrância almiscarada.

Quer me contar o seu sonho? 一 Luna começa um leve cafuné no topo da minha cabeça, enquanto fecho os olhos para poder me deleitar às suas mãos.

Eu não faço ideia do que sonhei, mas as palavras voa por minha boca a fora, como se realmente, no meu sonho, eu tenha tido um pesadelo.

Sonhei que levaram você de mim. Nós dois estávamos em Ottawa... 一 Sorrio triste. 一 E apareceram vários homens de terno preto, te recolheram e nos separaram. 一 Paro de falar, as lembranças do sonho não vinham em minha memória, mas as palavras saiam da minha boca com relutância. 一 Ainda bem que foi só um sonho, não aguentaria passar mais dois dias sem te ver.

Ninguém vai nos separar, eu sempre estarei aqui, para você...

***


Notas Finais


Fiquei um pouco receosa se postava esse capítulo, kkkkk mas agora já foi kkkkk

Eai, o que acharam?

Novidade que ninguém perguntou: Neste capítulo, a Thea lê um livre "Hold Me Tight"... e esse é um novo livro que vou postar^^

~Milbjs ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...