História Reencontro - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lgbt, Romance
Visualizações 1
Palavras 1.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Capítulo Dois


 

Mas não, isso é bem real, e ela esta aqui de pé na minha frente, os efeitos que ela causava em mim, não mudou, bom mudou, mas pra pior, só a voz dela já me deu um calafrio.

Ela continua linda como sempre, mas seus cabelos estão mais curto agora, seus olhos azuis da cor do oceano realçando sua beleza, é, ela continua fodendo com o meu psicológico.

Não sei quanto tempo fiquei encarando ela, quando me vi por si já estava indo atrás da Barbara, agora que eu iria ir embora de qualquer jeito com ou sem ela.

- Bea espera, por favor, vamos conversar.

Continuei andando com ela atrás de mim, tentado me alcançar, meu Deus como essa garota mexe comigo.

- Bea, por favor. – Ela disse quando conseguiu chegar ate mim e segurar meu braço.

- Não temos nada pra conversa Natasha.

- Temos sim, e você sabe disso, cinco anos, com certeza temos. Meu Deus como eu senti saudade disso. – Disse fazendo carinho em meu braço.

Não vou consegui resistir a ela se continuar aqui, preciso respirar, tomar um ar fresco, um em que a mulher que eu amei, amo e sempre vou amar esta junto, não quero me magoar de novo.

Mas uma ferida que ela causar em mim não sei se aguento. Cada toque que ela faz em meu braço causa mais arrepios na minha espinha.

Ela esta subindo a mão ate chegar na minha nuca, e droga, isso é jogar sujo, ela sabe meus pontos francos, não vou aguentar por muito tempo aos encantos dela.

Com movimentos suaves ela se aproxima de mim, suas mãos se move para o lado do meu rosto, uma de cada lado, seu polegar direito percorrendo meu lábio inferior.

Ela me olha com desejo, isso esta estampado em seu rosto, eu preciso do toque dela, ela sempre foi meu vicio, a droga que eu experimente e nunca mas consegui deixar, e ela sabe disso.

Mesmo tendo passado varias na minha cama sempre foi ela, nunca teve outra, ela é a dona do meu coração, mesmo com tudo que aconteceu.

- Bea...

Meu nome saindo da sua boca em um suspiro pesando estava acabando comigo, minha calcinha com certeza esta encharcada.

Ela olhava no meus olhos e descia para meus lábios, fez esse vai e vem varias vezes ate acabar a distancia entre nossas boca de uma vez.

Como eu senti falta dessa boca, ela tem um beijo suave com gosto de morango, uma coisa que é bem interessante, pois ela não come morango.

Da primeira vez que beijei ela perguntei se ela estava usando batom com sabor de morango, ela falou que não e logo em seguida já perguntou o porque, respondi que ela tinha gosto de morango, nisso ela disse que comia todas as frutas menos essa.

O toque do meu celular me fez desperta do transe que é beija ela, me separei dela com ela mordendo meu lábio, peguei meu celular do bolso sem nem ver quem era e já atendi

- Alô

- Uau, que beijo, fiquei ate com vontade, e isso que você não queria vim, não esquece de pega o numero dela, você esta precisando transa.

- Serio? Me ligou pra isso Barbara? Vai procurar o que fazer.

- Ei não, bom também, mas me ligaram do hospital, o Dylan est...

- O que aconteceu com ele? Ele esta bem? Já estou indo. – Digo já alterada. Mas que merda, odeio quando o Bryan não liga direto pra mim para falar sobre o Dylan.

- Espera ele esta bem, apenas que te ver, o Bryan falou que ele não quer dormi, quer que você coloque ele pra dormi.

- Tudo bem, já estou indo lá, você vai continuar aqui?

Percebi que o rosto da mulher na minha frente mudou quando disse que já estava indo embora.

- Acho que vou continuar mas um pouco aqui, quem sabe fica com essa gata que esta na sua frente.

- Fica longe dela Barbara, esta me entendendo – E lá se foi minha paciência de novo. – E você também vai embora, agora estou te chamando com medica e não sua amiga.

- A qual é Bea, porque? Por causa dessa mulher o que eu fiz, aposto que você não vai passa do beijo mesmo.

- Sou sua residente, e acima de tudo sou dona do hospital, vamos agora.

- Droga, ok estou indo.

***

Não falei com a Bah pelo caminho inteiro ate o hospital, sei que ela não faz ideia que aquela era a Tasha, mas nossa, só de pensa em uma das minhas melhores amiga tocando a mulher que eu amo.

Depois que terminamos, coloquei em um anuncio que queria dividir meu apartamento, apenas mulher, pois acho que homens não consegui deixa as coisas organizada, são poucos que consegui.

Foi nesse mesmo ano em que ela entrou no hospital e acabou indo morar comigo, dividíamos o apartamento com mais duas garotas.

Elas não ficam muito lá, não que a gente fique, é bem corrido nossa vida no hospital, mas passamos mas tempo no apartamento que elas.

Nosso ap tem dois quarto, um banheiro por quarto, cozinha, uma sala enorme, pois tirando meu quarto é o lugar que mais gosto em uma casa, então peguei um que tinha uma bem grande.

Eu fico no mesmo quarto que a Bah, ate porque não faria sentido se não fosse com ela, nem falo direito com as garotas.

Então como foi depois do termino ela não conhece ela, sabe da existência dela, mas não faz ideia de como ela é.

Ela me ajudou muito, nos primeiros anos eu era uma babaca então ela nem ligava, mas com o tempo ela viu que era só uma forma de eu não me machucar de novo, então começou a me ajudar. Virávamos a noite acordada, eu contando minha historia e as vezes chorando e ela me ouvindo , como a melhor amiga que eu poderia ter.

Não demoramos muito para chegar de volta no hospital, a casa a onde estava acontecendo a festa era perto, então chegamos rápido.

- Me desculpe por te falado com você daquele jeito, sou sua amiga e não sua mãe, e posso ser sua chefe, mas sou aqui dentro, não lá fora.

Ela apenas respondeu um ok e entrou pela grande porta do hospital.

Droga, preciso fazer ela me desculpa.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...