1. Spirit Fanfics >
  2. Reencontro >
  3. Capítulo dois

História Reencontro - Capítulo 2


Escrita por: Alvinegra-

Capítulo 2 - Capítulo dois


Fanfic / Fanfiction Reencontro - Capítulo 2 - Capítulo dois

Quando penso em ti, é como se o mundo chovesse flores. Borboletas voassem à nossa volta, tudo fica mais esbelto, tudo é  simples.—Renata Alves. 

 A mulher se olha no espelho pela décima vez–e, novamente, trocou o vestido.—resolveu ir espontânea,  uma calça jogger e camisa do Palmeiras, com nome e número de Gabriel Menino.

 Optou por um tênis verde água. 

Estava em chamada de vídeo, com sua mãe, a mais velha deixou uma pequena lágrima cair, ao saber do primeiro encontro da filha.

Evidentemente, evoluiu muito, nem se importa mais, com o fato da mais nova sair com um jogador.

O que ela realmente quer, é a felicidade da palmeirense. O futebolista buscou a garota, no apartamento dela.

Quando a viu, ficou alguns minutos admirando a beleza da baiana.

–Você está muito bonita.—Os olhos do rapaz cintilavam. 

Girou a jovem, segurando em seu dedo, analisando-a melhor. 

Após o feito, abraçou ela, Luiza sentiu o cheiro daquele perfume gostoso. 

E, na verdade, queria morar em tal abraço. 

Juntos caminharam até o elevador e, ao descer, prontamente foram para fora do prédio.

O carro está estacionado bem em frente. 

Menino fez questão de abrir a porta do automóvel, para a amiga. Apenas sorriu simpática. 

No caminho foram ouvindo músicas da playlist da palmeirense, descobriram que tem o mesmo gosto musical.

Juntos ficaram cantando, enquanto não chegavam. 

Demorou cerca de quarenta minutos, para finalmente chegarem ao Paris 06.

Malu pediu um prato com o nome de Raphael Veiga, um dos seus xodós, além do Menino. 

–Então, quero te entregar algo.

O rapaz deu à jovem uma pulseira, com acesso ao Camarote do jogo, na final do Paulistão.

–Sua presença será de extrema importância.

–Gabriel!—Proferiu entusiasmada.–Esse é o melhor presente que já ganhei em toda minha vida, obrigado.

 –Por nada, acredita em uma possível virada? 

–Claro, somos Palmeiras, desistir não faz parte do nosso vocabulário. 

–Falei de você para minha mãe, ela quer muito te ver. 

–Também estou com saudades dela, lembro quando fizemos trabalho em sua casa, perguntou se eu éramos namorados, me achou muito simpática e bonita.

–Bem lá no fundo, ela queria que fosse, acredite.

–Na real, eu também. Era completamente apaixonada por ti, naquela época. Escrevia tudo em meu diário, sobre o quão lindo ficava quando estava concentrado, ou como jogava bem, até mesmo o capricho em seus cadernos, sua letra era muito bonita.

–Posso te contar um segredo? Também sempre fui apaixonado pela senhorita. Apenas não sabia como demonstrar, ficava com uma pulga atrás da orelha, me perguntando se sentia o mesmo por mim. Tô feliz, esse reencontro serviu para colocar os pingos nos is. Quero muito conhecer a nova Maria Luiza, se permitir.

–Óbvio, afinal, o novo Gabriel parece muito interessante. 

–Fica muito mais bonita assim, usando verde. Combina muito contigo. 

Continuaram conversando sobre diversos assuntos, até finalmente irem embora.

Nenhum queria se despedir, a noite foi muito agradável. Claramente uma das melhores, para eles. 

Maria temia que desse tudo errado, acabou acontecendo o contrário. 

Ficou sorrindo feito idiota, ao adentrar em sua residência, estava radiante. 

Mariposas em seu estômago faziam uma imensa festa. 

Abraçou um dos travesseiros, pensando no jogador. 

Parecia mais uma adolescente bobona, apaixonada. 

Domingo, 03 de Abril. Allianz Parque.

Malú estava nervosa, andava em círculos, estava no camarote, com a família do jogador.

Quase roendo todas as unhas, o jogo já estava rolando, passavam mil e uma coisas na cabeça da mulher. 

Até Gabriel Menino mandar a bola pra rede, a mulher explodiu radiante cantando o hino, junto com todos presentes no local.

Beijou o escudo em sua camisa, mostrando o orgulho de ser palmeirense.

O jogador fez um coração apontando para a torcida, ao comemorar.

Veiga dez minutos depois, fez o segundo.

Navarro tratou de fazer o terceiro, um golaço digno de Puskás. 

Por último, foi a vez de Rony deixar o dele, finalmente conseguiu fazer seu gol de bicicleta. 

O placar final, ficou quatro a zero. O Palmeiras conseguiu reverter os gols, que havia tomado na primeira partida.

De longe, dava para notar a euforia de Luiza, estava ligada no duzentos e vinte, pulando para todo canto, enquanto grita é campeão.

Quando pisou no gramado, foi atrás do amigo, ao vê-lo com a taça, ficou ainda mais encantada. 

Gabriel largou o objeto, para pegar a moça em seu colo.

–Fiz um gol pra você, viu? 

–Claro, meus parabéns. É merecedor de tudo isso. Aliás, obrigada, adorei o jogo. 

–Lembra do nosso combinado? Um gol, por um beijo, não esqueci. 

Se beijaram ali mesmo, na frente de todos, sem se importarem com nada.

Era apenas eles e milhares de pessoas felizes, comemorando mais um título para o clube alviverde. 


Notas Finais


Aqui a parte final da one, tomara que eu exploda, eu nunca escrevi sobre um título do rival, Malu você me paga kkkkkk, te amo. @_Alerquina_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...