1. Spirit Fanfics >
  2. Reencontro, divisão e chance - Jikook, kookmin >
  3. A briga

História Reencontro, divisão e chance - Jikook, kookmin - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - A briga


Jeon ainda não tinha me visto, então saio de lá sem fazer barulho algum. Indo até a secretária do Jeon.

– Pode fazer um favor? Se Jeon perguntar algo sobre alguém vier não diga que vim aqui, por favor... – eu já estava quase chorando em sua frente.

– Desculpe...você não merece isso. – dei um leve susto mas não mudei minha expressão. Então ela sabia, tanto que até está me olhando com uma cara triste, eu não quero que as pessoas me olhem assim, não quero que elas sintam pena de mim, oh meu Deus, eu vou acabar desabando aqui mesmo.

– Tudo bem...eu já vou. Tchau. – saio da empresa indo direto para casa. Mas no caminho eu ligo para o Tae.

"Fala praga, funcionou?" – continuo quieto. "Ok, já sei que não funcionou, ele gritou com você não foi?"

"Não tae, ele não gritou. Foi coisa pior... " – ainda não estou acreditando nisso, como ele pode fazer isso comigo? É ele que não me merece ou eu que não o mereço?

"To vendo que a coisa está feia..." – disse Taehyung calmo.

"Poderia vir aqui em casa? Aproveita pra almoçar comigo..." – tento convencer meu amigo.

"Claro...nunca tenho nada pra fazer mesmo." – bom, muito bom, assim não ficarei sozinho e ainda poderei conversar mais com o Tae.

E assim que chego em casa abro a porta e entro, indo para a cozinha vendo a cozinheira lá.

– Oh, suas férias já acabaram? – Jeon tinha dado uns dias de férias e pelo visto já acabou.

– Já sim, senhor Jeon. O senhor não estava aqui então entrei, tem algum problema? – sempre educada, eu sempre digo pra ela não me chamar de "senhor Jeon" porque não gosto de formalidade, mas prefiro não falar nada, pois sei que não vai adiantar nada.

– Não, claro que não. Er...poderia fazer o almoço agora? Meu amigo esta vindo almoçar aqui.

– Claro, senhor Jeon. Alguma coisa em específica?

– Não, faça o que achar melhor, sim?

– Certo. – saio do local indo para a sala, e quando me sentei já escuto a campainha tocar. Então vou até a porta e a abro vendo tarhyung com as mãos na cintura.

– Oiii, chamou, cheguei. – disse ele todo animado entrando de uma vez em minha casa e sentando-se no sofá. – Abre o bico, vai. – então eu o sigo e sento ao lado do mais velho.

– Foi assim: Você tinha dado a ideia de ir lá e levar um lanche pro Jungkook, foi o que eu fiz, dai a secretária estava lá, ela estava com um jeito estranho, estranhei, mas deixei de lado, percebi que ela estava me enrolando, ai eu insisti em entrar lá, e quando entrei vi o Jeon com uma mulher no colo dele em cima do sofá do escritório... – já estava com os olhos marejados.

– Oh...que horror, Chim. – coloca as mãos na boca surpresa. – Não de valor a esses tipos de pessoas, apenas caia o fora.

– Não é tão fácil assim como você pessa, tae. Eu gosto do Jungkook, esse é o problema. Não vou conseguir seguir em frente. – Já estava chorando, é então Taehyung me abraça.

– Claro que vai, Chim, você vai ver. Se você continuar com ele vai acabar sofrendo mais...

– Devo ir embora? – saio do abraço olhando Taehyung.

– Sim, mas primeiro converse com o Jeon. Vocês tem muita coisa pra falar um pro outro, então realize, sim?

– Sim. Mas...acha que vai dar certo?

– Claro, confio em você. – dá um sorriso de lado.

Depois disso a cozinheira me chamou e fomos comer. Nós tiramos aquele clima estranho e ficamos conversando só coisas que aconteceram ultimamente. E logo depois eu e Taehyung estávamos vendo tv enquanto conversávamos. Nossa conversa acaba assim que escuto a porta sendo aberta. Era Jungkook.

– Boa noite. – disse sem nos olhar. Taehyung logo me olhou assustado como se não sabia o que fazer.

– Boa noite... Chim, eu acho que eu já vou, ok? Deu a minha hora. – taehyung levantou imediatamente então me levantei o seguindo até a porta. Quando chegamos ele disse num sussurro:

– Boa sorte...

– Obrigado...obrigado por ter vindo Tae. Adorei você ter vindo aqui. – agradeci sussurrando. E logo a frase disse mais alto para que Jungkook escutasse. Fecho a porta e vou direto para o sofá, vendo Jungkook com uma cara não muito boa, ele estava sentado no sofá com as mãos no queixo, olhando para o chao a sua frente.

– Sabe as horas, Jimin? – engulo seco.

– Desculpe...perdi a hora. – me sento no sofá ao seu lado.

– Você só sabe pedir isso, não é? Você nunca muda. – altera na voz.

– Você também nunca muda. Me trata como um lixo todos os dias, você mal fala comigo. Acha que é assim que trata um marido? – alterei na minha voz também, com um pouco de medo.

– Eu trabalho, Park, diferente de você que fica nessa casa o dia todo fazendo coisa inútil. – ele está de brincadeira não é? Trabalhando? Ele quis dizer transando né?

– Trabalhando? – dou um riso irônico, e Jeon continua calado. – Transando, você quis dizer não é? Você pensa que eu sou idiota? Que eu não percebo as coisas? EU NÃO SOU IDIOTA, JUNGKOOK. VOCÊ NÃO ME ENGANA. – Me levanto do sofá parando em pé em sua frente. Jungkook agora me olhava com os olhos arregalados de boca aberta, assustado com o que acabei de dizer.

– Você foi no meu trabalho? – ele então levando ficando maior que eu.

– FUI, EU FUI E VI TUDO COM OS MEUS PRÓPRIOS OLHOS. VOCÊ COM UMA MULHER SE PEGANDO NO SOFÁ. – estava começando a ficar com medo.

– QUEM DISSE QUE VOCÊ PODERIA IR?

– Ah, eu fui um idiota por ir lá levar lanche com a maior felicidade pro meu marido achando que ele iria voltar a ser como antes. Eu fui um idiota. Não achei que você iria fazer isso, não mesmo, você me desepsionou, Jeon.

– Que bom que sabe. Você é um idiota, sempre foi. Não percebe que eu não quero saber de você mais? Não percebe que fazendo minhas vontades te deixa mais idiota do que já é? Sabe que você é? Um I-DI-O-TA. Nem pra satisfazer alguém você serve, deveria aprender com a minha amante, ela sim é me- – o interrompo com um tapa na cara, aquilo foi humilhação pra mim. Eu nunca ouvi tanta merda na minha vida. Quem ele pensa que é pra falar assim comigo? Pode ser meu marido, mas não deveria falar assim comigo.

– Você é outro idiota, você perdeu minha confiança, Jungkook. Achei que você fosse fiel a mim, mas estava enganado, não é? Me trai a quanto tempo?

– Isso não importa, o que importa é que tudo o que nós tivemos foi um casamento arranjado, você sabe que passou a validade não sabe? Ou você é burro e não soube? Fala sério Park, achou mesmo que eu tinha sentimentos por você? Se iludiu sozinho.

– Eu soube SIM da validade, continuei porque gosto de você ainda, eu sou um idiota, eu sei, não precisa esfregar na minha cara. – Por que ele fez isso comigo? O que eu fiz de errado. – Sabe o que eu vou fazer? Ir embora, não quero olhar mais na sua cara. – Ando até e porta e a abro.

– E nunca mais volte... – sussurrou Jungkook.

– Claro, com o maior prazer. – eu estava já chorando. Como Jeon teve coragem de fazer isso comigo? De esfregar na minha cara que sou ruim de cama, que eu mesmo me iludi e tudo mais? Por que assim? Merecia isso?

Saio de casa e vou direto para casa de meus pais.

Eu nunca pensei que iria passar por uma situação dessas, nunca mesmo. O que o Jungkook fez foi coisa idiota, EU sou um idiota por ter continuado com ele. Não pensei que depois de anos estaria indo para casa do meu pai, depois de uma briga.

Chego lá e bato na porta, e quando abre. Vejo ela.

– Oi mãe. – a encaro séria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...