História Reencontro do Destino - Capítulo 6


Escrita por: e Yukiko

Postado
Categorias Dragon Ball, Fairy Tail, High School DxD, Naruto, Pokémon
Personagens Anko Mitarashi, Ash Ketchum, Carla (Charle), Ddraig, Hanabi Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Issei Hyoudou, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Konan, Konohamaru, Kurama (Kyuubi), Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Shisui Uchiha, Tayuya, TenTen Mitsashi, Trunks, Wendy Marvell, Yahiko
Visualizações 181
Palavras 6.002
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Naruto fica surpreso, quando descobre que...

Em uma rua, eles acabam...

Na Academia...

Capítulo 6 - Novos Amigos


Fanfic / Fanfiction Reencontro do Destino - Capítulo 6 - Novos Amigos

Naquela noite, no quarto do loiro, Kurama (九喇嘛) estava pensativa e ao olhar Naruto, via Ashura, o filho mais novo de seu tou-chan e que adorava, assim como os outros bijuus, que adoravam o filho mais novo de Rikudou e por isso, ela e os outros revelaram as suas formas humanas para ele.

Naruto percebe o olhar de Kurama e pergunta:

— O que houve?

A voz de Naruto a tira de seus pensamentos e recordações, para depois olhar para o seu jinchuuriki.

— É que o olhar do Sasuke, sempre me lembra do Indra e Madara, juntos. É tão estranho.

— Indra?

— O filho mais velho do meu tou-chan. Ele tinha dois filhos. Indra, que havia herdado o seu doujutsu e Ashura onii-chan, que havia herdado o coração do tou-chan, Rikudou, sendo que assim como amávamos Ashura onii-chan, o clã também o adorava. O coração dele, assim como a sua natureza, cativava a todos. O seu coração é igual ao dele, que por sua vez é igual ao do tou-chan. Você lembra o Ashura onii-chan. - ela fala sorrindo.

— Nossa...

— Você o amava, pelo visto.

— Sim. Todos nós os amávamos. A presença dele era como do tou-chan Rikudou. Mesmo com a ordem dele, nos mostramos a nossa forma humana para o Ashura onii-chan e inclusive, eu vivia assumindo a forma humana para ficar juntinho dele no quarto, quando Indra saía da vila para o seu treinamento. É a mesma sensação que tenho quando deito junto de você. - ela fala sorrindo meigamente.

— Você era filhote? Noto que se refere a ele como onii-chan.

— Sim. Nós havíamos sido criados há pouco tempo e sempre chamávamos o Ashura de onii-chan. Eu sentia que eu era especial para ele, que costumava ficar mais comigo e sempre ficava me olhando, mais que os outros. Mal ele aparecia no vale em que ficávamos e todos corríamos para ele, querendo a sua atenção e normalmente, ficava o dia inteiro conosco. - ela fala emocionada, se lembrando da vida com Ashura - Quando ele faleceu, ficamos por várias décadas em luto, assim como foi com o tou-chan Rikudou e nos distanciamos da vila. Ela trazia recordações tristes para nós.

Ele sentiu a alegria imensa dela, quando contava de Ashura e Rikudou, para depois, sentir a dor e tristeza, quando falou que ele morreu.

De fato, Rikudou e Ashura foram muito importantes para ela e para os irmãos dela, já que Rikudou foi um pai para eles e Ashura, o irmão mais velho deles.

— E Indra?

Ele nota que o corpo dela tremer, levemente, de medo, para depois suspirar e falar:

— Ele tinha um olhar malvado e sentia ciúmes do Ashura onii-chan. Além disso, quando olhava para nós, não nos via como seres com sentimentos e sim, algo, como se fôssemos objetos ou se preferir, escravos, já que éramos criações de seu pai. A sua presença era assustadora e somente nos aproximávamos, se Ashura onii-chan estivesse junto. Sempre evitávamos ficar perto de Indra. Nunca falamos dos nossos sentimentos para com Indra para o tou-chan, pois, não queríamos vê-lo triste e muito menos, o Ashura onii-chan. Quando fui controlada por Madara na primeira vez, a sensação que eu tive foi que era Indra. Madara e Indra têm os mesmos olhos, embora fossem doujutsus diferentes e estranhamente similares, no quesito sensação. Inclusive, Sasuke lembra Indra e Madara.

Ele podia sentir o medo dela ao tocar no nome de Indra e de Madara, sendo deste último o esperado, após tudo o que fez contra ela.

Então, o loiro vira para Kurama e a abraça, com ela se aconchegando junto dele, com as caudas envolvendo o loiro, enquanto se acalmava, gradativamente com os afagos carinhosos de Naruto em seus cabelos, sendo que ambos estavam de pijama, com ela adormecendo, feliz, graças a presença e cheiro de Naruto que a faziam se sentir bem, de uma forma estranha, como era com o Ashura, sendo que sabia que o amor que sentiu pelo onii-chan era diferente do amor para com Rikudou, já que todos o viam como um pai amável, carinhoso e gentil, de coração nobre, tal como era o filho mais novo dele, sendo que não entendia o que era o sentimento diferente que sentia por Ashura, sendo o mesmo que sentia por Naruto, atualmente.

No dia seguinte, após acordarem, tomarem um banho, se trocarem e comerem o desjejum feito por Kakashi, escovando os dentes em seguida, o jounnin havia avisado que sairia para cumprir uma missão, junto de Nagato, Konnan e Yahiko, sendo que demoraria uma semana para voltar e pediu, encarecidamente, que não vivessem somente de ramen, enquanto que duvidava, piamente, que eles fossem fazer o que pediu, devido ao vício de ramen que ambos possuíam.

Após alguns minutos, o grupo de Nagato se aproxima, cumprimentando o casal e Kakashi, com Konan correndo para abraçar Kurama, que havia se acostumado a ser abraçada.

Eles conversam algumas coisas, até que Kurama contou sobre Indra e Ashura para eles que ficaram surpresos, enquanto que o casal se prontificou a procurar o Hokage, para contarem sobre os filhos de Rikudou, sendo que contaria ao Azuma, assim como contariam para Kazuma, que iria falar a Mikoto.

Então, quando se preparavam para sair, Gai chega, fazendo a pose Nice guy, fazendo todos exibirem gotas na cabeça, sendo que Gai entrou para o grupo que sabia da verdade sobre Kurama e se prontificou a ajuda-los no treinamento de taijutsu, sendo que chorou na história de Kurama e de seus irmãos, se juntando ao grupo que achava a raposa milenar fofa.

Kakashi agradecia o fato que, durante o treino do grupo, Gai não o desafiava, pois, se dedicava exclusivamente ao treino. Confessava que sentiria pena do grupo de gennins que ele pegasse.

— Kakashi! Meu rival!

O ninja revira os olhos e fala:

— Oi, Gai. O que foi?

Ele pergunta, já prevendo o que seria.

— Vamos competir nas missões do último mês! O fogo da juventude arde com o clamor de um desafio! O perdedor vai dar dez voltas por toda a Konoha de cabeça para baixo, usando as mãos para correr! Eu fiz quatro missões e você? - ele pergunta com o seu típico sorriso brilhante.

— Oito missões. - ele fala, após suspirar.

Gai fica estarrecido, para depois fazer a pose Nice Guy, falando com um sorriso imenso e brilhante:

— Este é o meu rival!

Nisso, ele fica de cabeça para baixo e se põe a correr com os braços para dar dez voltas em torno de Konoha, deixando todos os demais com gotas na cabeça.

— É sério que ele vai fazer isso, dattebayo?

— Eu não duvido. Ele parecia bem determinado. - Kurama fala meigamente.

— Kurama-chan está certa. Ele vai fazer isso, acreditem. - ele fala em um suspiro - Não sei o motivo dele, me considerar o seu rival... Bem, tenho que ir. Cuidem-se.

— Até mais, Kurama-chan e Naruto-kun! - Konnan exclama, animada.

— Até mais. - Nagato sorri, se despedindo.

— Quando voltarmos, eu quero ver o quanto melhoraram. - Yahiko fala animado, acenando.

Nisso, eles saem dali, enquanto que Naruto e Kurama, com mochilas nas costas, se dirigem à Academia Ninja.

Conforme passavam em uma rua, Naruto avista uma loja de máscaras e fica fascinado por uma delas. Kurama o segue e ao olhar para uma máscara de gato, ela se lembra de uma das irmãs mais novas, que era muito apegada a ela, a Matatabi (又旅), chamada de Nibi pelos humanos.

Naruto percebe o olhar triste de Kurama e pergunta:

— O que houve, Kurama-chan?

— Me lembrei dos meus irmãos. No caso, de uma das minhas imoutos. A Matatabi, que era grudada em mim.

Naruto se lembrou de quando Kurama contou os verdadeiros nomes de seus irmãos, que o tou-chan deles, deu.

Naruto estava tão triste por Kurama, assim como, sentindo a tristeza dela, que não percebe o vendedor indo abruptamente em sua direção, o empurrado da loja com violência, fazendo-o cair no chão em frente a mesma. Kyuubi se vira para ir até Naruto e é empurrada também, caindo ao lado do loiro.

Ambos viam os olhos assustadoramente frios, sendo que o vendedor fala:

— Sempre está junto dele. Portanto, não presta como ele. Não tem nada para vocês na loja.

Kurama fica cabisbaixa, pois, era culpa dela que Naruto era odiado e por isso, não sentia raiva pelo que aconteceu com ela e ao ver os orbes dela umedecidos, Naruto sente muita ira, enquanto uma multidão se reunia em torno deles, sendo que Shikamaru e Chouji que viram a cena, não entendiam o motivo de Naruto ser tratado daquela forma e agora, Kurama.

Ele se levanta e rosnando, ia golpear o vendedor quando Kurama, ainda sentada sobre as suas pernas no chão, o detém, pois, pelo vínculo do selo entre ambos, sabia o que Naruto faria e os seus sentimentos.

O vendedor recuou com o olhar de ódio de Naruto, enquanto que o loiro olhava para a raposa, que estava com os orbes embargados e que pede em súplica:

— Vamos embora. Temos que ir a academia.

Ele torce os punhos e se vira para o vendedor, que ainda está com medo, sendo que olha para os outros, que exibiam olhos assustadoramente frios. Ia falar algo, quando Kurama se levanta e corre dali, o arrastando pelo braço, sendo possível ver as lágrimas dela.

O casal não percebeu que Kazuma e Mikoto haviam visto tudo, estreitando os olhos, sendo que trocaram olhares cúmplices, para depois se afastarem, decidindo que iriam fazer uma visita ao vendedor, a noite.

Kazuma sabia sobre Kurama e a achava, fofinha e uma vítima, assim como os irmãos dela, enquanto que via ela e seu sobrinho como um casal, ouvindo os sinos da igreja, todas as vezes que os viam juntos.

Shikamaru e Chouji foram atrás de Naruto e Kurama, pois, achavam a Kurama fofa e queriam saber o motivo de tal tratamento dispensado a ambos.

Yugao, que havia visto tudo, sentia muita ira do vendedor e ao ver Mikoto e Kazuma se afastando, decidiu que iria conversar com eles, para decidirem um plano de ação contra aquele que ousou empurrar seus amigos.

Ao olhar para o vendedor, tem uma ideia e faz alguns selos, para depois exclamar:

— Kuchiyose no jutsu (口寄せの術 - técnica de invocação) - Nyori!

Aparece uma gatinha pequena e castanha, sendo da cor da madeira, que mia e depois fala:

— O que deseja, Yugao-sama?

— Siga aquele vendedor e procure descobrir algo que o incrimine. Não gosto da forma que ele olha para as crianças.

— Miau! Pode deixar!

Nisso, o pequeno felino salta graciosamente e em silêncio no telhado da loja, passando a vigiar o homem ao se ocultar no vão das madeiras, sendo que a cor dela mesclava-se a cor da mesma, facilitando a sua camuflagem.

Yugao, era uma Anbu e as missões dela, normalmente, envolviam investigações e infiltrações. Ela havia feito pacto com os gatos pela agilidade e o fato de serem silenciosos, podendo ser pequenos, entrando assim em muitos lugares, além de terem uma audição aguçada ao ponto de ouvir os batimentos cardíacos de um rato. Ela tinha outra invocação, a de pássaros para observar do alto, permitindo assim, que seguisse os seus alvos, além de poder invocar o líder de cada uma das suas invocações, sendo que eram grandes e no caso da líder dos gatos, era uma gata imensa de duas caudas.

Então, ela se afasta, passando a seguir o casal.

Kurama corria com Naruto, se afastando do local, até que ele solta a mão dela, que olha para ele, chorando, sendo que fala com a voz embargada:

— Desculpe. Por minha culpa, você...

Naruto a abraça e fala:

— Não tem que pedir desculpa. Você estava sendo controlada e sempre foi usada como uma ferramenta ao longo da história. O único culpado disso é Madara e o capanga dele, pois, você nos contou que não era o cheiro de Madara, embora pudesse sentir um leve odor dele nessa pessoa, indicando que tinha alguma ligação com o bastardo.

— Sim. Mas...

— Não chore, por favor. Se chorar, ficarei bravo. - Naruto fala, exibindo um sorriso gentil.

Kurama sorri também, para depois secar os olhos, concordando com a cabeça.

— Por que não me deixou golpeá-lo e depois, lançar um pouco do seu chakra na multidão para aterrorizá-los, dattebayo?

— O seu sonho é ser um Hokage. Acha que o povo aceitaria um Hokage que já bateu em um civil? Iria ficar marcado em sua ficha. Além disso, nada mudaria. Continuariam a olhar para você dessa forma, sendo que agora, olham para mim, assim. Mas, se você suportou, eu posso suportar. Eu fiquei triste pelo que acontece com você e não pelo que aconteceu comigo.

— Já, eu, fiquei irado mais pelo que aconteceu a você e principalmente pelas suas lágrimas, dattebayo. - ele fala sorrindo.

Nisso, eles se abraçam, até que Naruto exclama:

— A academia, dattebayo!

Kurama fica em choque, para depois ambos saírem correndo dali, sendo que Shikamaru e Shouji estavam atrás deles, com eles estranhando, pois, era Hinata que fazia isso, sendo que naquele instante, conseguiram fazê-la perder o rastro deles ao correrem pelos telhados, deixando a Hyuuga para trás.

Próximo dali, ela suspira ao ver que perdeu Naruto de vista, para depois ir até a academia, segurando uma foto que tirou escondida dele, sendo que rasgou a Kurama da mesma, deixando só o loiro, com ela suspirando e falando, possessivamente:

— Não sei o que você vê nessa garota sem graça. Um dia, será meu. - ela fala acariciando a foto dele.

Nisso, começa a imaginar eles se casando, sendo que faria questão de jogar Kurama para fora do casamento, imaginando o Naruto sendo frio com ela, enquanto abraçava ela, Hinata, como sua esposa, que aproveitaria para humilha-la bastante.

Ela sai de seu sonho, quando percebe que está atrasada para a aula.

Quando o casal chega na porta da Academia, se surpreendem ao verem Gai, passando por eles, levantando uma nuvem de poeira, ainda correndo de cabeça para baixo, os cumprimentando com um sorriso brilhante, sem parar um único minuto.

— Ele vai mesmo fazer isso, dattebayo... - o loiro murmura estarrecido.

— Ele é bem entusiasmado. - Kurama fala, sorrindo meigamente.

Então, o casal entra na sala de aula e suspiram aliviados ao verem que chegaram a tempo e sentam na cadeira, um do lado do outro, vendo em seguida, Shikamaru e Shouji, que entram e se sentam ao lado do casal, mais precisamente ao lado do loiro, enquanto que ambos não entendem a conduta deles.

Conforme o esperado, muitas mulheres sentam ao lado de Sasuke, disputando entre si os lugares, xingando uma a outra, para depois, chamarem a atenção dele, fazendo charme e falando o quanto gostavam dele, sem saberem que nunca conseguiriam que ele aceitasse uma delas ou qualquer mulher, pois, ele era gay, sendo que inclusive, sentia nojo de mulher.

Já, Hinata, foi cercado por vários meninos, que tinham interesse em despertar a atenção dela, pois, fora divulgado que ela seria a futura líder do clã e aquele que se casasse com ela, seria líder do clã Hyuuga, cujo poder e influência, superaram um pouco os dos Uchihas. Eles tinham interesse no poder e riqueza, que um casamento com Hinata poderia proporcionar.

Portanto, eles tentavam despertar a atenção da jovem, sem saberem que seria impossível, pois, ela tinha uma obsessão, beirando a doença, por Naruto Uzumaki, assim como, um ciúme mortal por Kurama.

Shikamaru pergunta ao sentar ao lado de Naruto:

— Vi o que aconteceu na loja. Por que as pessoas o tratam dessa forma? E agora, estão tratando a Kurama também, dessa forma.

Naruto e Kurama se entreolham, para em seguida, o loiro falar:

— Não sei. Eu e Kurama-chan não compreendermos, dattebayo.

— Nossa...

Nisso, eles voltam a olhar para a frente, quando Iruka entra na sala e cumprimenta os alunos:

— Ohayou!

  - Ohayou, Iruka-sensei! - todos falam em usino.

Após ele fazer a chamada, ele se levanta e fala, pegando um livro e abrindo o mesmo em uma página:

— Estudaremos hoje o capítulo dezoito, “O ângulo do lançamento das shurikens (手裏剣)e as trajetórias possíveis conforme a força empregada”. Abram o livro na página quarenta.

Então, o barulho de livros sendo abertos é ouvido, sendo que o sensei começa a explicar, com a maior parte da sala entrando em estado de torpor, imediato, com exceção de Sakura, que anotava freneticamente os dados, de Hinata que anotava também os dados, embora ficasse olhando discretamente para Naruto, que sentia calafrios pela obsessão da Hyuuga para com ele, com Kurama dando tapinhas, confortadores no ombro dele, enquanto ignorava a intenção assassina que a Hyuuga enviava a ela, sendo que ambos não achavam saudável essa obsessão, praticamente doentia e tendência stalker. Shino e Chouji anotavam alguns dados, assim como Sasuke, embora o Uchiha ficasse olhando atentamente para a bunda do sensei.

Shikamaru dormiu, também, ao mesmo tempo em que Naruto.

Kurama estava acordada, sendo que sempre estava animada nas aulas, pois, adorava estar em uma sala de aula como qualquer um, aprendendo coisas novas, sendo que Naruto sorri ao ver a face animada dela e os olhos brilhando, conforme estudava e fazia atividades do cotidiano das pessoas. O sorriso meigo dela o fascinava, assim como o entusiasmo sincero para aprender.

Sorrindo, ele encosta a cabeça na mesa e dorme, sendo o mesmo para a maioria.

Então, após fechar os olhos, o loiro ouve a voz de Kurama, que fala:

— A aula já terminou. Estamos no intervalo. Vamos para o lugar de sempre, após despistamos ela?

— Sim - nisso, ele espreguiça - Não aguentava mais a aula maçante, dattebayo.

— Eu adorei. Aprendi tanto. - ela fala animada - depois eu empresto as minhas anotações, para estudamos para a prova na próxima semana. - ela fala meigamente.

— Podemos estudar com vocês? É um saco estudarmos sozinhos.

Shikamaru fala, sendo que achava Kurama fofa, começando a sentir raiva por tratarem alguém tão fofa e meiga daquela forma.

— Seria legal, dattebayo! - o loiro exclama animado.

Na verdade, ele tinha capacidade para aprender a matéria, apenas lendo. Não precisava estudar, sendo que Kurama também era inteligentíssima.

Ele adorou o fato que agora tinha amigos da sua idade, além de Rock Lee, que era treinado pessoalmente por Gai, já que não conseguia usar ninjutsu, com exceção dos básicos, sendo que não conseguia usar o bushin no jutsu (影分身 - técnica do clone) e nem o de Kawarimi no Jutsu (変わり身の術 - técnica da substituição).

Eram amigos também de Kasumi, que apesar de ter ninjutsu, era cega e por isso, não poderia ficar na Academia.

Portanto, tinha aulas particulares com a sua mãe adotiva, Mikoto, sendo que ela e Lee eram muito unidos.

Kurama havia revelado que estava treinando uma técnica para fazê-la voltar a enxergar, sendo que precisaria treinar mais, antes de fazer a técnica nela.

Shikamaru fala, sorrindo:

— Então, está combinado. Vamos comer os nossos obentous (お弁当 - marmita) e vocês?

Chouji pergunta, pegando nada menos do que três marmitas enormes, fazendo todos ficarem com gotas na cabeça, com exceção de Shikamaru, que estava acostumado com a quantidade.

O casal percebe que eles se esqueceram de fazer as marmitas e quando iam falar algo, Kazuma surge na sala, entrando, sendo que os alunos estavam saindo e ele fala:

— Naruto e Kurama-chan, aqui estão os seus obentous.

— Obrigado, dattebayo!

O loiro fala emocionado pegando a marmita, com Kurama sorrindo, se aproximando, enquanto agradecia com um sorriso meigo.

— Foi você que fez? - Kyuubi pergunta, sorrindo.

— Dessa vez não. Apesar de ter feito curso para ser Chef de cozinha, pois, amo cozinhar, dessa vez, foi a Mikoto quem preparou. Ela tem uma mão excelente. Sempre competimos na culinária. O tempero dela é único. Além disso, ela tem uma mão excelente para obentous fofos, digamos assim. Nos concordamos que ela irá fazer o obentou de vocês, sendo que terão que almoçar conosco. Se depender de vocês, só irão comer ramen.

— “Obentous fofos”? - Kurama pergunta curiosa.

Kazuma afaga paternalmente a cabeça da raposa milenar e fala, sorrindo:

— Você irá descobrir, Kurama-chan.

Sakura passa por eles e fala, indignada:

— Como a senhora Mikoto-san pode fazer obentous para esses dois? Ela só deve fazer ao Sasuke-kun, que é filho dela.

— Cale a boca, testa grande. Mikoto-san faz para quem ela quiser. Além disso, eles formam um casal fofinho. - Ino surge, repreendendo Sakura, enquanto sorria para o casal.

— O que você disse, sua porca? - Sakura pergunta.

— Acho que vou falar para a sua mãe sobre a sua boca suja, Sakura. - Kazuma fala seriamente - Acredito que ela não vai gostar de saber, devido ao cargo que ocupa.

A rosada gela, conforme olha para o adulto que a censurava com o olhar, percebendo que a ameaça era real e suando frio, ela fala:

— Por favor, não fale nada.

Nisso, sai correndo dali. Ino fica preocupada, mas, Kazuma fala, sorrindo:

— Pode ir. Fique tranquila. O termo que ela usou era pejorativo.

— Muito obrigada, senhor.

Ela fala, saindo dali, para depois ambas gritarem no corredor:

— Sasuke-kun! Espere por nós!

Kazuma revira os olhos e fala:

— Esse espirito fangirl é irritante. O pior é que muitas são como elas.

— É problemático. - Shikamaru fala se aproximando.

— Bem, eu tenho que ir. Tenham uma boa aula.

Nisso, ele desaparece em uma nuvem de fumaça, para depois o grupo sair.

Após alguns minutos, Shikamaru e Chouji estavam juntos do casal, que sentava em galhos de árvore, comendo calmamente as marmitas, com Kurama e Naruto ficando emocionados ao compreenderem o termo obentous fofos, pois, foram feitos de tal modo que pareciam desenhos, graças a disposição, forma e cor dos alimentos, com ambos os obentous, exibindo uma imagem de uma raposa fofa.

Shikamaru e Chouji perceberam os olhares emocionados e o Akimichi pergunta:

— Nunca tiveram um obentou enfeitado?

— Não. Sempre montamos normais. - Kurama fala, emocionada - É a primeira vez que eu vejo. É tão lindo.

— Põe lindo nisso, dattebayo.

O casal se põe a comer com pena, pois, era tão lindo e ficaram tão emocionados, que demoraram para começar a comer, enquanto conversavam.

Então, a conversa é interrompida, com os gritos das fãs de Sasuke, que estavam em volta dele, oferecendo os seus obentous, sendo que Sakura e Ino se sobrepunham as outras, empurrando uma a outra, pelas testas, se xingando.

— Essas idiotas... daqui a pouco, o sinal vai tocar e terão que engolir a comida, dattebayo. - Naruto fala com um sorriso divertido ao imaginar a cena.

Nisso, Kurama e os outros concordam com a cabeça, não conseguindo ocultar os sorrisos de diversão ao imaginarem a cena.

— As mulheres são problemáticas. - Shikamaru sentencia.

E como Naruto previu, o sinal tocou, sendo que eles já haviam comido, assim como os demais meninos da academia e algumas garotas.

Já, as fangirls de Sasuke tiveram que engolir a comida, rapidamente, enquanto o Uchiha se afastava calmamente dali, sendo possível ver o sorriso cruel e de igual escárnio ao ver muitas passarem mal por comerem rapidamente.

Após voltarem à sala de aula, Iruka fala, pegando uma prancheta, para depois falar:

— Todos se dirijam a área de treino da Academia, pois, iremos praticar um pouco.

Nisso, todos saem e no campo de treino da Academia, ele fala:

— Hoje praticaremos o manuseio de Shuriken (手裏剣) e darei pontuação a todos. Deixarei alguém demonstrar primeiro.

Kiba começou a pedir, enquanto Akamaru latia loucamente na cabeça dele, inclusive saltando.

— Deixa eu ver... - ele fala olhando para a prancheta - Eu escolho Shino.

  Todos olham para o Aburame, que apenas fala tranquilamente:

  - Iruka-sensei, sua escolha foi errada. A razão é que dos métodos de luta, o clã Aburame utiliza basicamente os insetos parasitas que vivem em nosso corpo. E a utilização de Shurikens não está...

Todos já estavam passando mal com a explicação, piorada com o fato de verem insetos passeando pela face dele, enquanto que Kurama murmurava assustada no ouvido de Naruto:

— Espero que dentre os insetos dele não tenha pulga. - ela fala desesperada, ao imaginar sendo atacada por pulgas.

  - Já chega! - o sensei exclama, não aguentando mais, se recuperando.

  - Naruto, mostre-nos.

O loiro se aproxima com Kurama torcendo para ele, sorrindo meigamente, fazendo ele corar levemente, sendo que muitos garotos invejavam mortalmente Naruto, que ignorava estoicamente o olhar homicida dos outros que achavam o loiro sortudo por ter uma menina meiga, fofa e linda, sempre com ele.

Então, enquanto Naruto pegava as shurikens, começa um murmúrio, com muitos surpresos pela escolha do sensei não ter sido o Sasuke primeiro e sim, o loiro, pois, em várias salas de aula, quando tinha um Uchiha, eles sempre eram escolhidos, primeiro.

Já, Sasuke, murmura:

— Patético.

— Como o professor não escolheu o Sasuke-kun primeiro? Tinha que ser o Naruto? Ele não é nada perto do Sasuke! - Sakura falava queixosa em um tom irritado, pois, não suportava que ninguém superasse o Sasuke.

A seu ver, ele devia ser sempre o melhor.

Nisso, o fã clube de Sasuke concordava com Sakura, começando a criticar o Naruto, assim como, o chamando de perdedor e que não era nada perante o Uchiha e pela primeira vez na vida, Ino não se sentia bem, apoiando as outras, pois, achava Naruto e Kurama um casal fofo.

Chega a comentar, mas, fracamente e sem o entusiasmo das outras.

Claro, ainda era fangirl do Sasuke, mas, não conseguia criticar tanto o Naruto.

Kurama controlava para não rosnar ferozmente ao ouvir o que falavam, mesmo em murmúrios, graças a sua audição apurada, pois, não gostava que criticassem o seu Naruto, não compreendendo o sentimento possessivo dentro dela em relação ao loiro.

Então, o Uzumaki fala mentalmente a raposa:

“Não fique assim, Kurama-chan. Não precisa ter raiva. Vou fazer algo que será pior do que qualquer surra e que será humilhante ao Sasuke, que se acha o maioral.”

“Estou ansiosa para ver”

Kurama sorri, enquanto que Naruto se posicionava, se concentrando, se lembrando das aulas particulares no campo de treinamento abandonado, sendo que precisava ter a mente e o espirito calmo que permitia ver tudo de forma plena, sendo que treinava meditação, também.

Habilmente, dispara as shurikens, consecutivamente, com o fã clube de Sasuke e do mesmo, já imaginando a cena de todas as shurikens errando o alvo.

Porém, ocorre um silêncio absoluto, quando todas acertam, milimetricamente, no mesmo ponto, cortando umas as outras.

Iruka já esperava o resultado, pois, acompanhava o treinamento de seus amigos, de Naruto e de Kurama no campo de treinamento abandonado.

O silêncio absoluto se instaura, até que todos os garotos, com exceção de Sasuke e Kiba, cumprimentam Naruto, entusiasmante, sendo que estavam extasiados pelo que viram, pois, era um feito incrível ao ver deles, considerando a idade e o fato de estarem na Academia.

Naruto corava frente aos parabéns e elogios, enquanto que as fangirls de Sasuke fuzilavam Naruto, com exceção de Ino, que sorriu, discretamente, sendo fugaz e que durou pouco, para que as outras não vissem.

Naruto se junta a Kurama, comemorando.

Após Iruka acalmar todos, sendo que Sasuke olhava com ódio para o Naruto, enquanto que Hinata olhava com ódio para Kurama, o sensei fala:

— É a vez de Kurama.

Os garotos da sala, com exceção do fã clube da Hinata, fã clube do Sasuke, Sasuke e de Kiba e de Akamaru, que não gostavam do odor dela, começam a assobiar, fazendo a raposa corar.

Ainda corada, sendo que os meninos, remanescentes, achavam a raposa, ainda mais fofa, corada.

Kurama se adianta, sorrindo timidamente e pegando as shurikens, para depois se concentrar, as lançando, fazendo a mesma coisa que Naruto fez, quando todas acertam, milimetricamente o mesmo ponto, cortando umas as outras, deixando todos estarrecidos, para depois o pessoal comemorar, fazendo Kyuubu corar intensamente, sendo que Naruto não gostou dos homens, que não faziam parte do fã clube da Hinata, abraçando a sua Kurama, embora não compreendesse o sentimento possessivo dentro dele, enquanto se controlava ao máximo para não rosnar, frente ao fato dos demais meninos, a abraçarem.

Iruka e os outros amigos do casal haviam notado o sentimento que ambos sentiam um pelo outro e acharam fofo, já imaginando os sinos da igreja tocando, quando o casal se entreolhava.

Como a raposa andava com Naruto, as fangirls e Sasuke olhavam com raiva para ela, que se desvencilhava dos braços dos outros garotos, para depois voltar ao lado de Naruto, que lhe deu os parabéns.

Após Iruka acalmar, novamente, os seus alunos, ele olha para a prancheta e fala:

— Sasuke, é a sua vez.

O Uchiha andava de forma orgulhosa, exibindo um sorriso arrogante no rosto, enquanto pegava as shurikens e se preparava para atira-las.

— Sasuke-kun é o melhor!

  - Eu gosto de você, Sasuke-kun!

O fã-clube dele, sendo que Sakura e Ino eram as mais entusiasmadas, praticamente saltando, começando a torcer, assim como as outras, que também confessavam que gostavam dele.

Naruto e Kurama reviraram os olhos, assim como os demais garotos e algumas garotas, não mais do que três, que não faziam parte do fã clube dele, sendo uma delas, Hinata, já que ela tinha uma obsessão doentia pelo loiro.

Sasuke era tão arrogante, que em vez de fazer o que havia treinado por duas semanas, decide tentar fazer o mesmo que Naruto e Kurama fizeram, pois, por ser um Uchiha, se achava melhor do que todos, com exceção de outro Uchiha, sendo que detestava o fato de não poder usar o sharingan, completamente, ainda. Ele achava que por ser um Uchiha, conseguiria usar a técnica, perfeitamente, sendo que mal via a hora de despertar o seu sharingan.

O resultado não poderia ser diferente, se alguém utiliza uma técnica que não treinou, exaustivamente, antes. Duas shurikens acertam o alvo, com o resto caindo no chão.

Sasuke torce os punhos, irado, enquanto que o fã clube dele e os outros estão surpresos e por isso, ficam em silêncio, até que Sakura fala:

— Sasuke-kun só estava nervoso. Inclusive, acredito que Naruto e Kurama trapacearam de alguma forma. - ela fala o final com a voz mais confiante.

Nisso, o fã clube todo concorda menos Ino, que achava que não houve nenhuma trapaça, enquanto que os outros alunos, com exceção de Sasuke e Kiba, não conseguiam conceber que tal besteira foi dita.

— Sakura está certa. Detesto admitir, mas, se Sasuke, que é um Uchiha, não conseguiu, como Naruto e Kurama podem ter conseguido? - Kiba fala com Akumaru latindo em concordância.

— Se eu, que sou um Uchiha, não consegui, não tem como Naruto e Kurama terem conseguido. - O Uchiha fala, arrogantemente.

— Não acredito que ouvi tamanha besteira. - Shino fala.

— O que disse?

— Por acaso, acham que o seu professor não perceberia que foi um truque ou trapaça? - Iruka fala seriamente - Acham que se fosse mesmo uma trapaça como Sakura falou, eu não teria percebido? Naruto e Kurama conseguiram o resultado de forma honesta. Não vou tolerar acusações infundadas na sala de aula. Sakura e todos que concordaram com o que ela disse inclusive Kiba e Sasuke ficarão de castigo, escrevendo trinta páginas, pelo menos, da história de Konoha, desde os seus fundadores.

Nisso, todas ficam estarrecidas e começam a argumentar, assim como, choramingar, com o professor falando ameaçadoramente:

— Posso dobrar. Desejam isso?

Sakura e as outras ficam brancas, acenando negativamente com a cabeça, para depois começarem a chorar, sendo que Kiba e Sasuke estavam cabisbaixos, enquanto que Uchiha e Kiba torciam os punhos.

Sasuke olhava com raiva para Naruto e Kurama, sendo que naquele instante, ao olhar nos olhos de Sasuke, ela podia jurar que havia visto, antes de Madara, Indra, com os dois, mesclando-se, sendo que isso sempre acontecia quando olhava para ele, desde a primeira vez, na casa de Mikoto.

Claro, era um pensamento estranho e igualmente descabido, pois, estavam separados por milênios e séculos, com Madara ainda vivo.

Mesmo sabendo de tudo isso, não conseguia ignorar, sendo que era uma sensação que persistia nela.

Kurama abraça o braço de Naruto, procurando instintivamente o loiro, que fornecia as mesmas sensações que tinham em relação ao seu falecido onii-chan Ashura, com Hinata estreitando os olhos para o casal.

Como Shino não usava shuriken, só insetos, havia ficado em um canto, sozinho, esperando os colegas terminarem.

Naruto e Kurama notaram que ele era solitário, assim como o loiro já foi, sendo que ele conhecia perfeitamente a dor da solidão e de ser excluído.

Portanto, junto de Shikamaru e Chouji, que já haviam feito o exercício, se aproximam de Shino que fica surpreso por eles não o evitarem como os outros, sendo que começam a conversar com ele, até o final do treino, com o Aburame ficando imensamente feliz.

Após meia hora, a aula termina, sendo que os melhores foram Chouji, e Shikamaru, sendo que Naruto notou que Shikamaru poderia ter alinhado as shurikens e não, meramente, acertar o alvo. Mas, sabia que ele era folgado e que não se importava em se mostrar.

Das mulheres, Ino foi a melhor, pois, pelo menos, a maioria das shurikens acertou uma parte do alvo.

Naruto percebeu que Hinata havia se dedicado mais a olhar com raiva para Kurama do que se concentrar e o resultado não podia ser diferente. Ela errou a maioria, somente acertando dois, se igualando aos outros, tal como Kiba, que errou o alvo, somente fixando duas shurikens, também, pois, tal como Hinata, se concentrou mais em sentir raiva de Naruto e de Kurama, do que se concentrar no exercício, sendo que o fã clube dela, formado por meninos interesseiros, a apoiou e procurou justificar que ela estava nervosa, tal como foi com o Uchiha.

Iruka anota a pontuação de todos, para depois fazê-los entrar na sala de aula.

Shino é surpreendido, quando Naruto pergunta, assim que entram na sala de aula:

— Quer se sentar conosco?

O Aburame fica estarrecido, processando o pedido, até que fala, sendo possível, perceber a emoção em sua voz:

— Sim.

— Então, venha, dattebayo.

Shino nota o sorriso de Kurama, Chouji e Shikamaru, passando a segui-los e após pegar o seu material na carteira isolada no fundo da sala, passa a sentar ao lado de Chouji, surpreendendo os demais alunos, pois, achavam o Aburame nojento.

Claro que nunca falaram isso em voz alta, pois, o último que ousou falar algo, foi coberto por milhares de insetos, fazendo ter alergia pelas picadas deles.

Naruto convida Shino para estudar com eles, a tarde, sendo o pedido prontamente aceito por ele, enquanto que o loiro e Kyuubi, mandariam clones para contar tudo o que falaram a Kakashi e aos outros.

Enquanto isso, Iruka foi até a sua mesa, pegando um livro e falando a todos, após se recuperar da surpresa ao ver os novos amigos do loiro e de Kurama, ficando feliz ao ver que Shino não estava mais sozinho:

  - Abram o livro de vocês de ninjutsu, no capítulo vinte e três “Os diversos usos do Bushin e suas aplicações no dia-a-dia”, página quarenta e dois. Depois iremos para o capítulo quarenta e três, “Os diversos usos dos Bushins e as suas aplicações nas missões básicas”.

Conforme o esperado, enquanto que Kurama estava entusiasmada com a aula, sendo que se estivesse com as suas caudas para fora, elas estariam abanando de forma indecente, tamanha a felicidade que sentia, sorrindo imensamente, conforme se dedicava a prestar atenção nas aulas, o loiro se põe a dormir, com ela sabendo que como sempre, Naruto pediria as suas anotações.

Ao olhar para ele, sorri ternamente, ficando surpresa ao ver por alguns minutos, a face de Ashura, quando deitava na sua pelagem, relaxando durante o dia e permite se perder por alguns minutos na recordação de seu onii-chan e das longas horas que ficava junto dele, sentindo-se imensamente triste, quando ele precisava voltar a vila, sendo o mesmo para os seus irmãos, embora soubesse que a tristeza dela era ainda maior.

Sorrindo, ela volta a prestar atenção na aula, assim como alguns, que resistem ao poder sonífero da aula, sem saber que a Hyuuga decidiu usar o seu fã clube para o seu plano, uma vez que eles estavam ávidos para chamar a atenção dela que sorri malignamente, ao sonhar com o seu plano tendo êxito, enquanto encontrava uma utilidade para eles.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...