1. Spirit Fanfics >
  2. Reencontros -Imagine Kim Namjoon >
  3. Estou ao seu lado

História Reencontros -Imagine Kim Namjoon - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo com muito amor para vocês^^^
Boaa Leitura

Capítulo 11 - Estou ao seu lado


Quero ser para você

Quero ser bem mais do que você espera,

quero ser seu chão a  sua atmosfera,

quero ser o brilho desse teu olhar,

quero ser o sol pra te iluminar.

Quero ser sua eterna primavera,

eu quero ser a metade que te completa,

seu ombro amigo, amor de tantas eras.

Quero ser a brisa que toca seu rosto,

e que te beija sem você  sentir,

seu porto seguro,

no auvorecer te admirar e te dizer sussurrando: te amo.

 

 

Mi-cha On

 

Desde o momento em que aceitei Jungkook como meu marido naquela igreja, estou sentindo como se eu estivesse vivendo em um sonho eterno. A nossa cerimônia, a festa, e a agora, a nossa lua de mel, está sendo tudo perfeito. Como eu sempre quis conhecer Santorini, na Grécia, nós decidimos que seria aqui onde comemoraríamos o nosso casamento.

A nossa primeira noite aqui, foi mágica em todos os sentidos possíveis. Nós já havíamos dormido juntos inúmeras vezes mas aquela noite foi mais especial, tinha mais carinho, desejo, querer e  o principal, mais amor entre nós dois. Foi naquela noite que finalmente  pude declarar Jungkook como meu marido e eu como sua mulher. Já eramos um do outro há muito tempo, sempre fomos, desde o momento em nos vimos pela primeira vez, apenas não sabíamos, ainda.

É impressionante como eu consigo me apaixonar cada vez mais por ele, e como ele também corresponde meus sentimentos. Meu maior objetivo de vida, é poder fazê-lo feliz todos os dias e ama-lo até meu último momento de vida

- Kook, acorda, nós temos que ir! - Tento acorda-lo o balançando, eu queria muito ir na famosa Red Beach, só que Jungkook ainda estava dormindo. Sou surpreendida quando ele me puxa pela mão e me deita na cama, enlaçando minha cintura com seus braços e encostando seu queixo na curvatura do meu pescoço.

- Só mais alguns minutinhos amor, por favor.-  Sua voz rouca pelo sono, faz com que um sorriso nasça em meus lábios

- Já vai dar dez horas, e hoje nós tínhamos que conhecer aquela praia lembra?- A respiração quente de Jungkook deixa meu corpo arrepiado.

- O que acha de ficarmos aqui no hotel hoje?- Pergunta.

- E o que eu ganharia ficando aqui?- Indago e ouço ele sorrir.

- Bom, você ganharia muitas coisas.- Jungkook me vira para ficar de frente para ele.

- Que coisas seriam essas?-  Arqueio a sobrancelha e Kook sorri maliciosamente. De repente ele começa a beijar meu pescoço lentamente e todas as partes do meu rosto, me fazendo gargalhar.

- Você ganharia isso e muito mais!- Kook me encara intensamente esperando por uma resposta minha.

- É, talvez eu escolha ficar por aqui mesmo!- Respondo sorrindo.

 

 

Namjoon On

 

Perfume de lírios, o cheiro que ficou impregnado tanto na minha roupa, quanto na minha mente quando abracei Hana. Confesso, eu não esperava por aquele abraço,  e muito menos que a iniciativa fosse dela. Naquele instante, eu não consegui ouvir nada ao nosso redor, apenas a voz dela me parabenizando, e foi como se eu tivesse ganhado o melhor prêmio do mundo. 

Achei que quando nos separássemos, ficaria  um clima estranho entre nós, porque talvez ela tenha agido por impulso e acabou me abraçando, mas não, ela sorriu e então se despediu quando algum aluno a chamou, mesmo assim eu não consegui parar de sorrir, praticamente impossível não ficar feliz com um abraço vindo de Hana. Minha sorte, foi que todos estavam alegres e comemorando, pois senão, eu não saberia explicar o sorriso bobo que não saia da minha boca. Se eu soubesse que para ter alguma interação vinda da parte de Hana,  teria que interroga-la se queria que eu me afastasse completamente dela, eu já teria feito isso há muito tempo.

Nós tivemos uma aproximação um pouco significativa, aos poucos, eu consegui sentir que aquela barreira entre nós foi quebrando, ela parecia se sentir a vontade ao meu lado, tivemos curtas conversas sobre alguns livros de gostávamos. Mas, parece que a relação entre ela e o Jin também estava evoluindo, eles chegavam de mãos dadas, no estacionamento aqui do colégio, quando eu estava indo embora, os vi se beijando. E aquela cena doeu em mim, mais do que eu podia reconhecer.

Mas não era só eu que estava de certo modo incomodado com eles juntos, muitas vezes, percebi Lia abaixar a cabeça e respirar fundo, quando Jin e Hana estavam por perto. E um desses momentos foi hoje, em uma prova em que Lia e Hana competiram, Hana perdeu e Jin foi até ela, a abraçou e deixou um beijo em sua testa, me senti estranho com aquela cena, porque eu que deveria ter feito aquilo, já que somos da mesma equipe. Vi Lia saindo da quadra na hora e decidi ir atrás dela. Ela estava sentada em um banco no corredor olhando 'para o nada'.

 

- Momento ruim?- Falo ao me aproximar e Lia olha pra mim com os olhos arregalados. - Desculpa se te assustei!-  Exclamo.

- Sem problemas!- Ela sorri.

- Posso me sentar?- Lia assente e eu me sento ao lado dela. - Por que não está na quadra junto comemorando a sua vitória com sua equipe?-  Pergunto.

- Não sei, precisava respirar um pouco.- Ela responde e volta a olhar pra frente.

- Seria invasivo da minha parte, se eu dissesse que eu sei que você gosta do Jin?-  Questiono e Lia me encara surpresa.

Co-como sabe disso?- Me pergunta abaixando o tom de voz, provavelmente com medo de que alguém escute.

- Primeiro, não precisa se preocupar, ninguém vai vir aqui em cima agora e bom, eu fiquei sabendo pelo Taehyung, mas queria ter certeza e você acabou de me dar ela.- Respondo e Lia pende a cabeça para trás.

- O Jin também sabe?- Em seu tom de voz dava para perceber que estava preocupada.

- Acho que não, ele não comentou nada para mim, pelo menos.- Respondo.

- Pelo menos eu não sou tão transparente.- Ela comenta e eu sorrio.

- O verdadeiro motivo de você ter vindo para cá foi por causa do abraço do Jin e da Hana, não é?-  Questiono.

- Vai adiantar alguma coisa se eu negar?- Ela sorri.

- Eu vou entender que você não quer conversar sobre, e te deixarei em paz.- E eu faria isso mesmo, se ela não quisesse, eu não a forçaria afalar.

 - Sim, foi por causa deles que eu vim para cá. Sabe, desde que Hana chegou, eu percebi que Jin havia se interessado, eu só não queria admitir para mim, mas aos poucos eles foram se aproximando e agora estão juntos. Você pode não acreditar, mas mesmo que pouco eu estou contente por eles, porque dá para ver de longe o quanto a Hana faz bem para o Jin e acima de tudo e até do meu próprio sentimento, eu o quero feliz, mesmo que não seja ao meu lado. Amar é isso né?-  Fiquei estático com as palavras de Lia, ela estava certa, quando se ama, é como se o bem estar fosse o único objetivo fosse o bem estar do outro.

- É, amar é isso mesmo.- Exclamo e também pendo minha cabeça na parede.- O mais engraçado, é que eu sei muito bem a sensação que você tem quando vê eles juntos.-

- Como assim?- Lia questiona.

- Hana foi meu primeiro amor Lia, mas naquela época, nós não conversávamos, não me declarei, comecei a namorar Yuna, Hana viajou e depois de anos, ela volta  e então minha vida vira de cabeça para baixo. Me fazendo questionar todos os  meus sentimentos.- Desabafo.

- Eu nem sei o que falar Namjoon, então você ainda gosta dela?- Indaga e eu sorrio.

Está aí o meu maior dilema, eu não sei se eu estou gostando dela, ou se são as lembranças do passado vindo à tona. Porque sinto que tudo mudou, nós não somos mais os mesmos de antes e agora, também tem o Jin, ele é meu amigo e eu não acho certo se eu começar a gostar dela, já que seria como traição  à ele.- Respiro fundo ao terminar de falar.

- Mas foi você que gostou dela primeiro não foi?- Lia pergunta.

- Só que ele não sabe, já eu sim, eu sei que ele gosta dela.- Respondo.

- Espera aí, você não é praticamente casado com a Yuna?-  Suspiro e afirmo para Lia. - Pelo que estou vendo, a sua situação é bem mais complicada que a minha.- Nós dois sorrimos com o que ela fala.

- Obrigado por me informar. - Falo ironicamente.

- Disponha, sempre que precisar é só falar!- Lia responde sorrindo.

 

...

 

 

Nós ficamos em segundo lugar na gincana, a equipe de Jin saiu como vencedora. Foi bastante divertida essa semana de brincadeiras no colégios, os alunos amaram, mesmo que alguns não fossem da equipe que ganhou. Ouvi muitos falando que queriam que tivesse mais vezes, e acho que isso pode acontecer, pois nessa terça, ao final da gincana, o diretor Dong falou que essa foi a primeira de muitas que ainda teriam na escola, quando escutaram isso, foi um algazarra, todos começaram a gritar e pular em comemoração, e por incrível que pareça, nem  Dong e nem Yume, reclamaram, pelo contrário, os dois estavam rindo da reação dos alunos.

 

...

 

Eu tinha acabado de sair  do banho, estava secando meus cabelos, quando percebi que tinha começado a chover. Imediatamente fui atrás do meu celular para ver se tinha alguma menagem ou ligação de Hana, mas nada, não tiinha nenhuma mensagem ou ligação perdida. Fiquei agoniado, e se ela estivesse entrado no transe de novo e não conseguiu ligar para mim? Eu deveria ir até lá? Mas eu disse que só iria se ela me chamasse e precisasse de mim. Será que o Jin está com ela?

- Droga.- Exclamo irritado por não saber o que fazer.]

- O que foi Nam?- Yuna aparece no quarto  e eu tento me acalmar, porque tudo o que eu menos quero agora é que ela descubra que eu estou assim por causa de Hana, nós começaríamos a discutir com certeza.

- Nada de mais.- Respondo e visto uma calça moletom cinza e uma blusa branca.

- Hum, vem jantar, a comida está pronta.- Ela fala e sai do quarto.

 

 

Eu estava sem fome, a chuva tinha engrossado e Hana não tinha me dado nenhuma notícia, a cada minuto eu olhava o celular, e Yuna já estava começando a ficar curiosa.

- O que está acontecendo Namjoon? Você não larga esse celular por um minuto.-  Yuna exclama e na mesma hora, um relâmpago ilumina o céu e segundos depois um estrondo se faz presente no céu. Meu coração se aperta ao pensar em Hana sozinha nesse momento. -Você não me respondeu.- 

Quando eu ia responder Yuna, meu celular toca e vejo número de Hana na tela. Atendo o telefone na mesma hora.

''- Vem pra cá, por favor!''-  Ouço ela falar e me levanto indo atrás da chave do carro.

''- Se acalme, eu já estou indo.-'' Respondo e ela desliga.

 

Pego minha blusa de frio e as chaves que estavam no quarto, quando volto para a sala Yuna me para.

- Pra onde que você está nessa chuva Namjoon?- Questiona.

- Yuna,  me dá licença, quando eu chegar, você pode fazer quantas perguntas quiser, mas agora eu quero que saia da minha frente.- Tento me controlar ao máximo, mas estava sendo impossível, Hana estava precisando de mim e Yuna não colaborava com o pouco de paciência que eu ainda tinha.

- Não, você vai me falar agora.-  Ela mesmo determinada a me tirar do sério, não é possível.

- Eu falei que eu vou dizer quando chegar, agora me dá licença Yuna, eu não quero me exaltar com você.-  Eu falo e então sem dizer mais nada, ela simplismente sai da minha frente.

 

Vou direto para a garagem e dou partida no carro. As ruas estavam praticamente vazias, além de ser um pouco tarde, todos estavam se prevenindo da chuva forte que estava tendo. Chego no condomínio dela e porteiro me deixa entrar, eu já vim aqui muitas vezes visitar Jin, ele já me conhecia. O prédio todo estava sem luz, e eu deduzi que foi por causa da chuva, me desesperando ainda mais por causa de Hana.

- O senhor veio visitar o Jin nessa chuva?-  O síndico do prédio questiona assim que eu apareço no saguão.

- Não, eu vim por causa da Hana, o senhor poderia me falar qual é o apartamento dela?- Pergunto.

- Me desculpe, mas não posso lhe falar, ela não me avisou que o senhor viria até aqui.- Ele responde, e eu até entenderia, seu não estivesse precisando urgentemente ir ajudar  Hana.

- Por favor senhor Yeong, ela me ligou e  disse que precisava de mim, só não me falou qual era o apartamento, o senhor me conhece sabe que eu não faria nada de ruim com ela nem com ninguém.- Eu já estava começando a ficar estressado.

- Deixa eu ligar para o apartamento dela então.- O senhor pega o celular e disca o número dela, mas depois de um tempo ele desliga.-  Ela não me atendeu, não vou mesmo poder lhe dizer.-  Passo minha mão no meu cabelo o levanto para trás, em uma tentava falha de me acalmar.

- Senhor Yeong, Hana tem fobia a chuvas fortes e com trovões, ela me ligou para poder vir ficar com ela, então por favor, só me fala qual é o apartamento dela.- Tive falar, talvez assim ele deixasse.

Depois de pensar, o síndico decidiu que iria junto comigo para saber se era verdade, como estava sem luz, nós fomos pela escada. Chegando em frente ao apartamento, eu bato na porta, mas não tenho resposta nenhuma, até ver que a porta estava encostada, o senhor Yeong que estava ao meu lado, disse que era melhor não fazermos isso, mas eu não me importei, se Hana havia deixado a porta encostada, era porque queria que eu entrasse.

- Hana!- A chamo quando entro dentro do lugar, mas novamente não obtenho nenhuma resposta, ela não estava na sala, nem na cozinha.

- A senhorita Hana não está em casa, é melhor irmos embora.- Yeong fala, mas eu finjo não escutar e vou para os corredores  para tentar achar ela.

Na última porta quando abro, eu a encontro, do mesmo jeito que estava na escola, mas agora ela estava em sua cama.

- O que ela tem?- O senhor fala assustado quando a vê.

- Ela fica assim por causa do medo, eu sei como ajuda-la, agora  que  já viu que eu não estou mentindo, poderia sair?- Eu falo.

- Sim,  desculpe por não ter acreditado no que disse, se precisar, é só me chamar.- Ele então vai embora.

 

Eu tiro minha blusa de frio que estava molhada e então me aproximo lentamente de Hana. Sento ao seu lado na cama.

- Hana, eu cheguei, estou aqui, olha pra mim.- Falo e acaricio seu rosto, tentando enxugar suas lágrimas, mas ela não diz nada.-  Hana, você me chamou e eu vim, estou aqui junto com você, basta olhar pra mim.-

- Nam-Namjoon?- Sua voz embargada pelo choro me destrói por dentro.

- Sim, sou eu, você não está sozinha.- Ela então me abraça e começa a chorar.

 

Ao mesmo tempo que me sinto aliviado por ter finalmente chegado e estar ao lado dela, meu coração fica angustiado por vê-la  com medo e chorar sem parar. Calmamente, eu vou me deitando na cama e deito Hana também, colocando seu rosto em meu peito. Afago minhas mãos em seus cabelos e os acaricio para acalmá-la.

Estrondo de trovões fazem Hana se encolher, a aproximo mais de meu corpo e a cubro com uma coberta que tinha ali.

- Calma, isso vai passar, eu estou aqui, não vou deixar nada acontecer com você!- Exclamo e ouço ela soluçar.

Eu queria tanto poder acabar com essa chuva, ou então com esse medo de Hana, fazer algo para que ela nunca mais se sentisse assim quando chovesse , queria poder transferir todos os medos dela para mim, tenho certeza que eu não sofreria tanto, como estou por vê-la dessa forma.

Um tempo depois, quando a chuva nãos estava mais tão forte, Hana se acalma e olha pra mim, seus olhos estavam vermelhos pelas lágrimas e nem se eu tivesse levado vários socos, nada doeria mais que essa cena.

- Namjoon...- Sua voz estava sonolenta, ela provavelmente estava com  muito sono

- Não fala nada, apenas durma, você precisa descansar.- A interrompo e vejo ela fechar os olhos. 

 

Eu estava quase dormindo mas ouço Hana sussurrar.

- Namjoon?-  Hana diz com os olhos ainda fechados.

- Oi. - Respondo.

- Eu te amo.-   Meu corpo todo se desperta ao ouvi-la  falar aquelas palavras, meu coração acelera e eu sorrio.

- Eu também te amo Hana.-

 

Não tinha mais como eu negar, nem tentar lutar contra isso, eu a amava, amava muito mais do que amei no passado, e eu faria de tudo o que fosse possível para continuar ali, ao lado dela. Possa ser que talvez ela não se lembre disso, mas eu não vou esquecer, e torço para que ela também não

 

Quando percebi que Hana dormia profundamente, eu resolvi ir embora, já era uma hora da manhã e eu tinha que trabalhar mais tarde. A luz já havia voltado, então, eu vi que tinha uns  papéis e uma caneta em cima do criado mudo, escrevi um pequeno bilhete e fui embora. Na volta, não pude deixar de pensar em tudo o que aconteceu. Eu estava mesmo apaixonado por ela, mas não vai ser tão fácil lidar com esse sentimento, porque mesmo que ela tenha dito que me amava, Hana estava dormindo, além disso, ainda tem Jin, como é que eu irei conseguir conversar com ele, sabendo que nós dois estamos amando a mesma mulher? Não posso esquecer de Yuna, ela com certeza não vai aceitar isso tão facilmente.

- Parabéns Kim Namjoon, você facilitou bastante a sua vida começando a gostar dela novamente.- Digo a mim mesmo

 Assim que cheguei em casa, tentei fazer o mínimo barulho para não acordar Yuna, mas me assusto assim que ela acende a luz da sala.

- Vai me dizer agora onde você estava e porque chegou em casa uma hora dessas?- Ela estava encostada na parede com os braços cruzados. Eu não gosto de mentiras, então também não irei mentir para ela.

- Eu estava com Hana, mas não é nada disso que você deve estar pensando, eu não estava te traindo, apenas fui ajuda-la.- Yuna arregala os olhos assim que cito o nome de Hana.

- Então quer dizer que você estava com ela e quer que eu acredite que não estava me traindo com aquela...- 

- Nem ouse terminar essa frase, se eu disse que não te trair, é porque eu não fiz isso.- Não ia deixar Yuna ofender Hana de jeito nenhum.-  Agora eu vou dormir, tenho que trabalhar amanhã.- 

 Quase não acreditei quando Yuna não falou mais nada e nem me atrapalhou quando fui dormir.

 

 

 Hana On

 

 

M e assusto com o despertador do meu celular tocando, pego ele e então um papel cai, fico surpresa ao ler o que tinha ali

 

Obrigado por ter me chamado.

Kim Namjoon.

 

Momentos da noite de ontem voltam em minha cabeça, o começo da chuva, eu tentando me acalmar, as luzes indo embora e depois, Namjoon aqui comigo e nós dois deitados juntos.

Eu tentei ao máximo me controlar e não ligar para ele, mas o medo falou mais alto e eu não queria passar por tudo sozinha, quando disquei seu número e ele atendeu, fiquei um pouco aliviada. Mas desliguei e mais raios apareceram, aqueles sentimentos de desespero tomaram conta de mim e eu não consegui mais pensar e nem ver nada a minha volta. 

Ter Namjoon ao meu lado novamente, foi muito bom, pois eu senti que não estava sozinha, que eu tinha um porto seguro nos momentos difíceis, ele soube como me acalmar e me ajudar a passar por aquela tempestade. Eu tinha que agradece-lo, pois não me lembro se fiz isso ontem.

 

 

Eu estava pensando em jantarmos fora amanhã, o que você acha?-  Jin fala enquanto estávamos indo para escola.

- Se você quiser, por mim tudo bem.- O respondo.

- Aconteceu alguma coisa Hana? Você parece distante hoje.- Ele questiona.

- Não, está tudo bem, eu só estou um pouco sonolenta.- Forço um sorriso.

 

Eu não sabia o que eu tinha, mas estava me incomodando e muito. Nós chegamos no colégio e Jin se despede de mim  com um beijo e fala  que iria até a secretária para imprimir alguns deveres. Começo a ir em direção a sala dos professores e no caminho vejo Namjoon de costas.

Namjoon!- Eu o chamo e assim que ele se vira, meu coração se acelera desesperadamente. Meu Deus o que está acontecendo comigo. Vou até Namjoon que sorri quando eu me aproximo.- Muito obrigada por ontem, não tenho palavras para descrever como sou grata pelo que fez por mim!.- 

- Não precisa agradecer Hana, eu disse que quando precisasse poderia me chamar.- Ele responde e então me olha de um jeito diferente, talvez esperando que eu falasse algo.

- Mesmo assim, eu preciso agradecer. Obrigada de novo Namjoon!- Quando falo, vejo sua expressão mudar, ele não estava mais com a sombra do sorriso nos lábios e aquilo me fez pensar que eu tivesse feito algo de errado. Eu só não sabia o que.

 

 

...

 

O sinal para o intervalo tinha acabado de tocar quando o porteiro do colégio veio me avisar que tinha uma mulher querendo falar comigo. Provavelmente deveria ser Hari, o estranho é que ela não me avisou de que viria aqui no colégio.

Quando chego ao portão, fico surpresa ao ver Yuna lá. O que ela queria comigo?

- Me avisaram que tinha alguém querendo falar comigo, e a última pessoa que eu imaginaria, era você.- Falo chamando a atenção dela. Yuna estava com o semblante fechado, parecendo com raiva.

- Olha Hana, eu só vou avisar uma vez, se você não deixar o Namjoon em paz, farei questão de ir pessoalmente ao Jin e falar quem é que você chama quando precisa de ajuda. E eu tenho certeza de que ele não vai gostar de saber disso, muito menos se descobrir Namjoon também foi seu primeiro amor. Está avisada.- E então ela foi embora.

 

Eu simplismente não consegui acreditar no que tinha acabado de ouvir. Como alguém pode ser tão baixa a esse nível? Vir me chantagear, sério isso? Não é possível que eu escutei isso e não falei nada. Mas então me veio a mente que ela estava certa, eu não deveria ter ligado para o Namjoon e muito menos ter escondido isso do Jin.

- Aquela mulher que acabou de sair daqui era a Yuna?- Me espanto ao ouvir a voz de Namjoon ao meu lado.

- Sim, era ela.- Respondo.

- E o que ela queria?- Ele pergunta me encarando.

Talvez eu fosse me arrepender de dizer aquilo, mas eu já tinha ido longe de mais.

- É melhor nós nos afastarmos Namjoon.-

 

 


Notas Finais


Não quero que me matem por favor, eu não fiz por mal kkkk
Espero que tenham gostado.
Comentem o que acharam do capítulo de hoje^^
Beijooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...