História Reflection - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais, Rap Monster
Tags Amor, Bts, Kim Namjoon, Park Jimin, Romance
Visualizações 54
Palavras 2.865
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


BOA LEITURA!! 😍😍 (DESCULPA A DEMORA)

VOTEM NO MAMA! #BTS 😘

Capítulo 7 - Por quê?


Fanfic / Fanfiction Reflection - Capítulo 7 - Por quê?


Kim Namjoon é um homem complicado, ele poderia ter todos os defeitos, mas seria incapaz de expor seu amor por S/N. Uma mulher sonhadora e amável. Duas almas opostas, com destinos diferentes.


Namjoon aos curtos e lentos beijos vai parando sua intensidade, descolando sua mão que se encontrava em minha coxa e a outra em minha cintura. 

Sem decifrar o que havia acontecido, ele fita meus olhos profundamente e de relance olha para os meus lábios se distanciando e arrumando seu terno. 

- Namjoon... - pisco de nervosismo. 

Namjoon: Me desculpa, eu não consigo tentar algo com você, foi tudo uma ilusão da minha mente. - o mesmo abaixa seu olhar. 

- Namjoon, nós podemos... Me deixa eu te mostrar um mundo diferente. - acarecio sua mão e o mesmo se desfaz a retirando. - Namjoon, precisamos tornar isso real, logo nos casaremos e todos precisam acreditar. Será impossível viver nessa mentira. 

Namjoon: Me casar contigo não é preciso matermos uma relação próxima. É uma farsa, S/N. Farsa! - suas palavras foram marcantes, fazendo com que me atingissem. 

- Uma farsa... - dei uma risada sarcástica com os olhos marejados. - Eu tinha razão. - sorrio. - Meu chefinho é um inútil, uma pessoa que finge ser algo na frente de todos, mas na verdade é totalmente rude e imbecil. Sem coração, preconceituoso e egoísta. 

Ele continuou a me ouvir, calado com os braços cruzados.


Pensamento de Namjoon*

Ela pensa que me atinge... O quê você está dizendo, só está reforçando o quê realmente sou, e nem quero mudar-me. Ninguém me mudará.

Pensamento off*


- Você me dá nojo, Kim Namjoon. - digo limpando meus lábios e ajeitando meu vestido desajeitado. 

Namjoon: Se ousar falar sequer mais uma palavra, você vai realmente me odiar. - diz quebrando o silêncio, segurando fortemente em meus pulsos, com fúria nos olhos. - Você não me conhece S/N, então não sabe do que sou capaz. Eu não vou ter pena dos seus meros sentimentos idiotas, não irei pensar em você, quando eu quiser te despedir e te descartar. - apenas senti uma ardência na minha visão, deixando claro que lágrimas já estavam a rolar por meu rosto. 

Suas palavras foram tão fortes que não aguentei. 

- Me so-solta Namjoon... - gaguejo não contendo o choro. 

O mesmo que me segurava alargou suas mãos, fazendo com que eu me soltasse puxando-me com força de seus braços. 

Recuo para trás seguindo em um corredor que dava entrada ao banheiro, de longe o vejo dando de ombros e voltando para a festa. 

Era o que eu esperava. O odeio, mesmo sentindo um sentimento crescendo dentro de mim, irei ter que por um fim. 


"Terei que matar essa paixão, sem legítima defesa". 

Namjoon a descartou na primeira chance de tê-la.

Mas a paixão talvez continuaria...


Sem rumo, sigo para uma das cabinas do banheiro. 


Não mereço chorar por Namjoon... Pare de chorar! - minha mente repetia isso o tempo todo. 


Me desliguei dos meus delírios e me sentei na tampa fechada do vaso. 

As lágrimas só aumentavam, minha cabeça doia e eu estava cheirando a bebida.

 

S/N off

Namjoon on 


Saio daquela situação tentando voltar a se enturmar com todos da festa. Antes de voltar para a mesa passo no barzinho para pegar um bebida. 

Se aproximando da mesa noto que apenas estavam Jimin e seus pais, no entanto, meus "titios". 

Sr. Park: Já iremos embora querido, Namjoon. - diz se levantando. 

- E você, Jiminzinho? Não vai embora também? É tarde, as ruas são perigosas. 

Jimin: Pro seu gosto, ainda ficarei mais um pouco Jonnie. - ele me chama do apelido que detesto. 

Assinto e nos despedimos. 

Sra. Park: Espere meu amor, preciso ir ao banheiro. 

Sr. Park: Tudo bem, irei te esperar. 


Namjoon off

Sra. Park on 

Em passos rápidos me dirijobpara o banheiro. 

[...]

Chegando na entrada pude ouvir um choro em uma das cabines. 

Xxx - Eu o odeio... - uma voz surge em meio ao choro. 

Essa voz é reconhecível. - penso. - S/N? Oh, noiva do Namjoon. 

- Desculpa o encomodar moça, está tudo bem? - me aproximo lentamente da porta. 

S/N: Sra. Park? - ouço ela parar de soluçar logo sumindo o choro. 

E então a porta se abre e avisto seu rosto vermelho com o olhos um pouco inchado. 

- Sou eu mesma. Está bem querida? O quê houve? Por quê choras? - a retiro da cabine e a abraço. 

Com um sorriso encantador? ela tenta mostrar estar bem. 

S/N: Eu estava... Estava falando com a minha mãe. Sinto saudade da minha família. 

- Fique calma, logo você os verá, eu sinto querida. - sorrimos. 

Após usar o banheiro, conversamos um pouco e a fiz limpar sua maquiagem que estava borrada. 

Logo voltamos para a mesa e chegando Namjoon a fita mas a mesma desvia seu olhar. 

Há algo entre esses dois... 


Sra. Park off

Namjoon on 

Minha tia se aproxima com a companhia de S/N. Seu rosto estava um pouco vermelho. 

Jimin: S/N. - diz feliz. - Eu estava atrás de você... - a mesma sorriu fraco se sentando. 

Novamente despedimos dos meus tios e ficamos apenas nós três na mesa.


Namjoon off


[...]


A festa não tinha terminado, mas meia e noite, Namjoon e S/N foram para a mansão. S/N ainda se mantia magoada, mas enquanto esteve na festa, tentou se divertir com Jimin.

Indo para casa, o silêncio no percurso era imenso. As ruas estavam um pouco vazias. Namjoon as vezes a olhava de relance mas se manteu prestando atenção no trânsito.

Chegando ao destino, os dois saem do carro e se dirigem para dentro pois o tempo estava esfriando. Jully já tinha ído para sua casa, dando a entender que os dois estariam sozinhos.

S/N segue para a cozinha, esbarrando em algumas coisas.

 

S/N on 

Minha cabeça doia e muito. Entrando naquele inferno de casa, segui para a cozinha. 

Estou com ódio de mim mesma, fui uma trouxa. Sempre fui boba, a garota legal... Não posso mudar-me, essa é quem eu realmente sou e odeio falsidade. Só quero que o ano acabe logo, para que eu possa viajar pro Japão. Só quero me livrar disso tudo. 

Me sento na bancada com um remédio e água em minha mãos. O gosto era amargo, meus olhos pesavam de sono. 

Namjoon já tinha subido para o seu quarto. 

Com dificuldade subo as escadas de quatro. 

- Aish, não aguento... - falo para mim parando no penúltimo degrau. 

Ouço barulho da maçaneta da porta do Namjoon. 

O mesmo se enctrava com seu roupão. 

Namjoon: S/N, levanta daí... - diz se aproximando e me fitando. 

- E-eu não quero, me deixa em paz. 

Namjoon: Para de birra! Não vai melhorar e nem piorar a situação. 

- Não me importo, me deixa sozinha... 

Namjoon: Me odeio por me sentir no dever de te ajudar. 

- Kim Namjoon?! Aqui vemos bipolaridade e um sem noção. - rio alto. 

Namjoon: Não dá para falar com você... 

- Sério? Pensei que fosse ao contrário, por quê sou eu que estou aguentando esse inferno até agora... 

Namjoon: Faz o que achar melhor então. - fala me deixando sozinha e se trancando em seu quarto. 

S/N off


Duas semanas depois.

Os dias tinham se passado e só piorava a "relação". Logo seria o casamento dos dois, faltavam três dias. S/N mesmo sem vontade, iria se casar. O casório seria na China, em um dos lugares mais lindos. No qual quem é o proprietário do lugar era o senhor Wang. A única coisa de bom para a garota iria ser que ela viria a família. Os preparativos estavam todos por conta de Namjoon, era poucas as vezes que S/N se intrometia para dar sua opinião. Sempre que tentavam algo juntos acabavam brigados.

Cada vez que S/N se tornava fria com Namjoon, ela ia matando aos poucos seus sentimentos pelo o mesmo.


S/N on 

Sábado, 9:30 PM.

De tanto de se remexer na cama, acabo acordando, meu sono havia acabado e a ansiedade desnecessária não parava um minuto, só aumentava. Faltam exatamente três dias para a minha vida virar literalmente um inferno. 

"Se manhtenha feliz". Estou começando a pegar o "costume" do Namjoon.

Depois de um ano essa farsa acabará... Estarei contando os segundos para ir embora. Estou me sentindo péssima. Nas poucas semanas já estou assim, no resto do prazo estarei acabada. Todas as noites me oponho contra mim, para não deixar uma lágrima cair. Mas a vontade de por tudo para fora é gigantesca, mas não posso desapontar-me. "Respire fundo S/N, você consegue!"

Me ousando a se levantar, coloco meu pé no chão gelado, caminando em passo rápidos vou para o banheiro. 

Faço minha higiene matinal e em seguida tomo um banho. Hoje o dia está muito frio. Ao mesmo tempo de amar o frio eu o deio, pois é nele onde minhas mãos e pés congelam. Meu nariz e bochechas se avermelham e tenho mais chances de pegar um resfriado. Mas o lado bom é que o clima é adorável, além do frio ser forte, posso abusar nas roupas. 

Aish, meu nariz está escorrendo. - bufei. 

Saio do banheiro com meu roupão quentinho. Seguindo para o closet, coloco minhas peças íntimas e rapidamente hidrato meu corpo com um creme corporal. Visto meia calça, por cima uma calça de moletom preta, não muito solta com uma botinha marrom queimado. Na parte de cima, optei por uma blusa de lã da cor creme e um moletom preto, que faz conjunto com a calça. 

Ajeito meu cabelo em um rabo de cavalo alto e desarrumado. Passando um perfume não muito forte e um batom labial sem cor. 

Pego meu celular e o colocando dentro do bolso me retiro do quarto. 

Descendo as escadas vejo a mesa do café não muito cheia. 

Jully: Bom dia senhora S/N. 

- Bom dia! - sorrio fraco. - Só S/N, Jully. Somos praticamente amigas! - sorrimos. 

Me sento. 

Jully: O senhor Kim saiu cedo para organizar os últimos detalhes. As viagens dos convidados para a China estão reservados, junto com a reserva no hotel. 

- Ah, que bom... - digo servindo uma xícara de chá e pegando um sanduíche. 

Quando eu ia ousar beber um gole da bebida quente, acabei espirrando.

Acho que estou recém gripada. 

Jully: Está tudo bem? 

- Sim. - forço um sorriso. 

Jully: Você e o Namjoon só pioram a cada dia... Vocês são um casal lindo mas... - a imterrompo. 

- Não existe amor muito menos esse "casal lindo". - dou ênfase. - Desculpe... 

Jully: Lhe entendo... Ele é difícil de lidar, fique calma. Ainda acho que vocês vão se amar. 

- Impossível. Ele me faz um mau tão grande... 

Jully: Conforme os exames e as consultas com o psicólogo, ele não está evoluindo com nada. 

- Eu tenho pen dele... 

Jully: Bem provável que o senhor chegará de noite... 

- Ok, ficarei bem sozinha. 

Jully: Posso fazer companhia. 

- Não se preocupe e descanse. - sorrimos. 

Enfim, tomei meu café da manhã e o dia seguiu adiante. 

Estava tudo um tédio. Passei a maioria do dia no quarto, vendo dorama, debaixo da coberta. 

[...]

18:00 PM.

Toc-toc. 

- Entre... 

Jully: S/N, desde a hora do almoço você não se alimenta. Por favor, coma algo. 

- Não estou com fome. - digo me sentamdo na cama. 

Jully: Mas você está pálida...

- Jully, não se preocupe, está liberada. Se apresse, antes que anoiteça e o frio aumente. 

Jully: Tem certeza? 

- Sim, se cuide, vou ficar bem. - a mesma assente com um sorriso fraco, logo se retira. 

Aigo Namjoon, onde você se meteu? - pensei olhando o celular. 

Entediada, resolvo descer para a sala. 

Fico entertida com meu celular. 

Espirro* 

Espirro* 

- Aigo! - pego a caixinha de lenço e limpo meu nariz. 

COF-COF. 

- Tudo menos gripe, por favor. - faço uma careta de desânimo. 


22:00 PM.


Bocejo* 

Sonolenta* 


- Eu te odeio Kim Namjoon... - reviro os olhos. 

Com uma manta não muito grossa enrolada ao meu redor resolvo ir para o jardim da frente. 

A garota "bobinha" ainda continua a se preocupar além de tudo que passou. - sento no banco. O vento gelado não estava um pouco forte, mas mesmo fraco fazia com que meus fios de cabelos se esparramassem. 


S/N off 


Namjoon on 

23:00 PM. 

Aigo, está tarde o suficiente. Eu sabia que eu não deveria ter puxado assunto com o meu psicólogo. 

[...]

Estacionando o carro na garagem avisto S/N, no jardim. 

Mas o quê esta tola está fazendo nesse frio? 

Saio rapidamemente do carro indo até a mesma. 

Próximo noto que ela estava cochilando. 

- Yah! - a chacalho mexendo em seu braço. Seu nariz estava vermelho e a pele pálida de frio. 

Com um aperto no coração ela não reagia e então a carreguei para dentro de casa. 

A coloco no sofá e subo correndo atrás de uma coberta mais quente, junto com luvas e um touca. 

Peguei minhas coisas, pois não queria entrar em seu quarto. 

Descendo para a sala, a cubro e a agasalho. 

- S/N, ACORDE! - aumentei meu tom de voz, já desesperado. - Sua tola, boba, idiota... Acorde! - mexo em seu braço. Estava sentado na beirada do sofá. 

Aumentei o aquecedor, estava muito frio. 

Sintonque ela está com febre. Vou até a cozinha e molho um pano na temperatura razoável. 

Voltando aonde eu estava, coloco esse pano em sua testa e me sento no chão ao seu lado. 

Ela ainda continuava gelada. 

No auxílio de esquentá-la a abraço. 


 Namjoon off 


S/N on 

1:00 PM. 

Abro meu olho esquerdo e me sinto presa. 

Namjoon? 

Tento me mover debaixo de tantas cobertas, mas tentiva falha. 

Estava me sentindo fraca.

- Namjoon? - ele estava dormindo agarrado a mim. - Kim Namjoon! - digo em seu ouvido. 

Encarando seu rodto melancólico, pude lembrar do dia em que ele me disse palavras horríveis... 

Aish.... - me distancio. - Nunca esquecerei... 

Ele dormia tranquilamente. 

Ao vê-lo tão próximo senti vontade de chorar. Não pude conter, deixei uma lágrima escapar. 

Eu me odeio... Queria muito poder achar aquela garota sorridente que eu era antigamente. Mas através dele, que estou me tornando totalmente frágil, é a ele que estou presa... Suas mágoas, seu coração partido, eu posso literalmente sentir tudo, pode parecer besteira... É ao vê-lo que sinto ódio, amor, tristeza... Uma mistura de sentimentos. Não quero aceitar a realidade, meu coração está tão confuso, ele me faz um mau tão grande. 

Tampo minha boca, pois eu já estava deixando as lágrimas rolarem. 

O vejo se mexer. 

Namjoon: S/N? - diz com a cara de sono, logo coçando seus olhos. - Você... Você é muito tola, sua idota! O quê deu em você para me esperar no frio? Quer morrer? - meu choro aumentou. 

- SIM, EU SOU UMA TOLA! - gritei. - Saí de perto de mim Namjoon. - supirei soluçando. 

O mesmo obedece. 

Quando eu ia me levantar sinto uma fragilidade em minha pernas, quase vou parar no chão mas com agilidades rápidas, Namjoon segura firmamente em minha cintura nos deixando colados. 

Bato algumas vezes em seu peito, ainda chorando. 

Ele me olhava sem nenhuma piedade. 

Namjoon: Você está fraca! - o mesmo me faz sentar. 

- Não, eu não quero sua ajuda. 

Namjoon: Você não tem que querer nada. 

- Eu te odeio... 

Namjoon: Eu sei, eu também te odeio. - saí em direção à cozinha. 

[...]

Após um tempo ele volta com uma bandeja com duas canecas de chocolate quente, torradas, frutas, chocolates e dois pedaços de bolo. 

Namjoon: Não quero boquinha, coma sem reclamar. 

- Namjoon... 

Namjoon: Fica quieta, eu mandei comer. Você está fraca! 

Limpo meu olhos. O mesmo pego a caixinha de lenços e me entrega. 

Comecei a me alimentar mas aos poucos. Namjoon também beliscava algumas coisas. Nem acredito que ele que fez isso, ainda mais para mim. 

Conversamos um pouco, por incrível que pareça pela primeira vez não brigamos. 

Terminando tudo... A força ele me coloca em suas costas e me leva para o meu quarto. Mas antes Namjoon me fez tomar algunas remédios.

Adentramos no quarto. 

- Eu já estou melhor... Namjoon - ele me deita na minha cama e em seguida me cobre. 

Sentado na beirada da cama, o mesmo move sua mão até minha bochecha. 

Namjoon: Sua temperatura voltou... - notei um sorriso.

- Obrigada... Pode ir dormir... - digo friamente. 

Namjoon: Nunca mais faça essas loucuras. 

- Eu já entendi, Namjoon. 

Namjoon: Antes... Por quê no início estava chorando? Eu sei que eu sou um cara rude, e você sabe... Queria poder me amar. 

- O por quê? - sorrio fechado. - Eu te amo Namjoon. - ele fica sem reação desviando seu olhar, percebi o mesmo engolir em seco. 

Esse "te amo" foi sincero e Namjoon percebeu, ficando se palavras. 

- Eu tentei Namjoon, tentei matar esse sentimento inútil... Eu tinha prometido para mim que não iria me apaixonar, mas eu não consigo. Então por favor, me deixa em paz, não quero falar. 

Vejo seu olhar se abaixar. 

Namjoon: Por quê eu? - sorriu. - Eu te tratei mau desde do começo... Você não me merece, sou horrível S/N... 

- Não, não é! 

Por impulso me aproximo do mesmo e o abraço apertado. Deixando minha cabeça em seu ombro, e novamente as lágrimas ousavam cair. 

Lentamente ele move seus braços os colando ao meu redor. 



                 CONTINUA...



Notas Finais


Desculpem a demora meu bolinhos...
Bom, foi isso, obg pelos favoritos e comentários vocês são uns amores, sério! Amo ler cada comentário, vcs me fortalecem! 💖

Não se esqueçam de votar no MAMA! #BTS 😘😘

Obs: Esse cap foi escrito ouvindo a música It's You - Henry (procurem, amo essa música, acabei chorando escrevendo kkkk)

BEIJOS E FIQUEM COM DEUS! 💖🌸💖 Hoseoka~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...