História Reflexo - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Ed Sheeran, One Direction
Tags Gay, Harry, Larry, Louis, Ned, Oned, Stylinson, Ziam
Visualizações 56
Palavras 3.316
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Festa, Ficção, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Passado


- Eu era uma garota muito ingênua, amava passear pela floresta e eu me dava bem com todos na vila. Mas quem iria adivinhar que em um desses dias eu a topar com um lindo homem montado em um cavalo preto. Ele conversou comigo e instantaneamente eu me apaixonei. - Johannah contava sua história. - Eu nunca mais o vi, porém tinha esperanças de reencontra-lo outra vez. Comecei a ir para a floresta todos os dias, na sorte ele apareceria novamente, mas não apareceu.

- O que isso tem a ver?

- Silêncio, Louis. Bom, algum tempo depois a vila onde eu morava foi atacada e os cavaleiros reais junto do rei apareceram para nos proteger, foi quando descobri que aquele homem se chamava Troy e ele era na verdade o rei. Eu fiquei muito assustada e resolvi me esconder dele, mas sem querer nos encontramos e ele me reconheceu. - Jay suspirou lembrando de seu passado. - Após esse dia ele começou a me visitar com frequência e a minha paixão por ele voltou. Em uma noite qualquer ele apareceu dizendo que iria para a guerra e que provavelmente não voltaria, disse que me amava mais que tudo e me prometeu que nunca jamais faltaria nada para mim mesmo se ele morresse.

- Ele morreu? - Louis interrompeu curioso.

- Na verdade eu descobri que ele havia se casado, com uma mulher bela e rica. - a expressão de Johannah se tornou de raiva. - Ela estava grávida e os dois iriam se mudar para outro reino. Eu fiquei muito magoada com a descoberta, resolvi conversar com ele então invadi o castelo. Mas infelizmente não o encontrei, dei de cada com a rainha. Ela me perguntou quem eu era e foi totalmente rude quando eu contei minha história. Nós discutimos e ela ameaçou chamar os guardas, quando contei que Troy disse que me amava ela me bateu.

- E a senhora revidou?

- Eu fiz ainda pior. - a Rainha Má parecia arrpendida. - Naquela época eu não usava magia, então eu apenas fingi jogar uma maldição sobre o bebê que ela carregava. Mas eu não imaginava que a rainha era uma feiticeira, foi quando meu pesadelo começou. Ela acabou jogando uma maldição sobre mim, e até hoje lembro de suas palavras "seu primeiro filho será lindo, sua voz será encantadora, e ele será amado por onde passar, mas ele carregará o fim em maldade desse reino". - os olhos da mulher escorriam lágrimas assim como do Rebel a sua frente.

- O que a senhora está dizendo? - perguntou com um fio de voz.

- Eu preciso continuar a história. Eu fiquei desesperada com medo de que meu filho fosse assim, então na raiva eu amaldiçoei a filha dela com o envenenamento, mas prometi que ela seria salva com um beijo de amor verdadeiro. - Johannah secou as lágrimas. - A rainha era a mãe de Branca.

Louis estava petrificado, não acreditava no que ouvia, sua mãe havia sido amaldiçoada pela rainha, ele mesmo havia sido amaldiçoado por ela.

- Eu passei anos da minha vida atrás de uma cura para você. Quando Branca mordeu a maçã foi quando descobri do livro, eu queria um jeito de te curar, mas o preço de tanta magia foi a maldade em meu coração.

- Eu não sei o que te dizer, mãe. - sussurrou o Rebel sem conter as lágrimas. - Eu sempre soube que essa magia poderosa e negra que eu tinha não era normal.

- Me perdoa, Louis. - Johannah andou até o filho tocando seu rosto com delicadeza. - Eu jamais teria feito algo daquilo se soubesse que isso te prejudicaria.

- Mamãe. - Louis abraçou a mesma e os dois ficaram assim por alguns segundos derramando lágrimas e se lamentando pelo acontecido.

- Você se tornou um garoto tão precioso. - ela sussurrou para ele.

- Eu achei uma cura para sua maldade, mamãe. - o Rebel falou vendo a expressão surpresa da Rainha Má.

- Mas Louis...

- Eu passei esses meses atrás dos ingredientes. - ele pegou o pequeno frasco dentro do casaco e entregando a mãe uma poção roxa. - Só preciso que a senhora beba.

- Se eu beber, jamais conseguirei achar uma cura para você.

- Não importa, eu sei que a maldade jamais vai me vencer.

- Louis. - sussurrou.

O garoto lhe mandou um olhar ansioso, então Jay abriu o frasco e bebeu o líquido dentro do mesmo.

- Eu não sinto nada. - ela comentou confusa.

- Ainda não terminou.

- Como assim?

- A magia que nela habita é cheia de trevas e ruínas...

Johannah conhecia aquelas palavras, era uma transfusão de magia, Louis passaria todo o mal de sua mãe para si mesmo. Mas era provável que isso o mataria.

- Louis, não! - exclamou enquanto o filho se afastava dizendo as últimas palavras.

- Mas agora eu as quero para protege-la, elas são minhas.

Antes que a Rainha Má podesse impedir o filho, um brilho forte invadiu toda a sala, a mulher começou a flutuar sentindo uma dor horrível em seu corpo enquanto o garoto era arremessado no chão com brutalidade.

**
   
    - Eu quero que fiquem reunidos aqui para o caso dele aparecer. - Harry pediu aos amigos que estavam sentados em um banco da praça.

    - O que você vai fazer? - questionou Niall.

    - Quero dar mais algumas voltas e ver se encontro algo.

    - Mas Harry, nós já percorremos a cidade toda. - Liam sussurrou decepcionado.

    - Estou indo. - o príncipe resolveu ignorar. Jamais perderia as esperanças de encontrar Louis.

    E por um acaso ele estava passando em frente a uma casa branca quando viu uma luz forte vir de dentro da mesma. Assustado o Royal correu pelo jardim bem cuidado na esperança de que ele encontrasse o garoto, mas quando viu que a casa era enorme se desesperou. Demoraria muito para acha-lo. Correu pelos corredores e gritou o nome de Louis esperando alguma resposta. Quando entrou em um escritório logo viu a Rainha Má parada em um lado da sala parecendo perdida e o corpo do Rebel estirado perto do sofá.

    - Louis!

    O príncipe se abaixou perto do mesmo vendo se ele estava vivo, a pulsação dele estava muito acelerada.

    Então uma luz forte começou a sair do corpo de Louis, Harry se afastou assustado e viu o garoto levitar no ar e seus cabelos se mexerem como se estivessem dentro d'água. Ele foi colocado com delicadeza sobre o chão ainda como se estivesse dormindo. Mas seus olhos se abriram e foi quando Harry viu.
(COLOQUEM A MÚSICA PARA TOCAR)

    Seus olhos estavam vermelhos como se sua magia tivesse tomado seu corpo. E talvez ela tivesse mesmo.

    - Louis? - chamou Johannah. - Você está bem?

    - Mamãe. - o sorriso que o Rebel deu sem dúvida não era dele. - Nunca estive melhor.

    E ignorando os dois dentro da sala Louis se dirigiu a saída com seu sorriso cruel. Ele atravessou a casa com muita rapidez e quando pisou no asfalto ele suspirou animado. Os raios de sol deixavam sua pele linda, e se sentindo poderoso ele andou em passos firmes e confiantes até a praça do centro. Sabia que as pessoas estavam olhando-o por causa de seus olhos, sabia que Harry e Johannah estavam o seguindo para ver o que ele iria fazer. Sabia que em algum momento poderia machuca-los, mas essa nova versão de Louis não se importava, ele se sentia livre. Sem sentimentos.

    Quando chegou a praça se surpreendeu vendo todos ali, Zayn, Liam, Ed, Niall, Jade, Perrie, Leigh, Nick, Gemma, Selena, Justin, Shawn, Charlotte, Felicite, Troye, Steve, Bebe, Jesy, Taylor, James, Anne e Adam. Todos reunidos em fileira de frente para Louis. Eles estavam em silêncio olhando-o. Atrás do garoto Harry estava parado com a mãe do outro e eles estavam receosos com o que ia acontecer.

    - Que bom que estão todos aqui. - disse Louis apoiando os braços na cintura. - Vão poupar meu tempo, eu tenho um aviso.

    - O que houve com seus olhos? - perguntou Taylor assustada.

    - Eles são lindos, não é mesmo? - piscou os olhos lentamente sentindo-se maravilhoso. - São parte do verdadeiro eu.

    - Harry, o que aconteceu? - Liam encarou o príncipe que parecia derrotado.

    - Eu só estou testando essa parte malvadinha de mim. - brincou o menor. - Eu vou comandar esse reino, eu vou dominar o mundo encantado, eu vou destruir quem tentar me impedir.

    - Você não pode. - Anne disse horrorizada.

    - Ah, querida. Eu posso. - ele sorriu ladino. - E espero que desaparecem com a mãe de Branca antes que eu acabe com aquela velha.

    - O que aconteceu? - perguntou Niall.

    - Eu só descobri uns podres sobre algumas famílias. - deu de ombros e baixou os braços ao lado do corpo. - Agora eu tenho um reino para comandar.

    - Você não é forte o suficiente para isso. - Zayn se colocou a frente.

    - Eu sou bem mais do que vocês imaginam. - e Louis tirou o colar onde estava a magia do fragmento, jogou-o no chão liberando o poder todo para si. Uma névoa preta entrou pelas narinas do mesmo que pareceu atordoado por um segundo, mas quando se recompos parecia ainda pior.

    - Nós não vamos deixar você passar. - disse Shawn se colocando ao lado de Zayn, assim todos deram um passo a frente formando uma barreira.

    - Que bom, vai ser bem mais divertido passar por cima de vocês. - o Rebel riu, mas quando reparou em Zayn ele estava tirando sua espada, sucessivamente todos foram pegando as armas que tinham, até James se transformou em um dragão. - Podem vir.

    E todos foram para cima dele, mas Louis desviava, usava seus poderes para derruba-los. Zayn tentou lhe acertar a perna, mas o Rebel o parou com magia arremessando o mesmo no chão. Liam usou seu gancho para parar o braço do amigo que enforcava Jade com magia, enquanto isso Niall pegava uma faca para acertar o amigo, mas era parado por magia. Shawn tentava acertar uma flecha em Louis, mas a mesma foi destruída por fogo, e Nick chutava a barriga do menor. Quando Selena puxou os cabelos do garoto e foi arremessada para o outro lado, Justin socou a costela do mesmo, mas não causou efeito. Louis explodiu sua magia derrubando a todos, mas não viu quando James, em forma de dragão, agarrou-o pelos ombros com as patas e começou a voar o mais alto possível. O Rebel se debateu, até que quando usou magia para tirar a respiração do dragão ele foi solto e começou a cair. Não gritou, apenas tentou se lembrar de alguma magia que o ajudasse. Perto do chão ele começou a flutuar, e parou em pé na terra firme sem qualquer arranhão. Todos, ainda parados em posição de ataque, observaram Louis rir.

    - Era o melhor que tinham? - limpou uma sujeira de sua roupa.

    - Louis, pense no que está fazendo. - disse Leigh.

    - Eu estou pensando. - deu de ombros. - Acho que ando pensando demais. Eu devia começar a agir.

    - O que pretende fazer? - questionou Perrie.

    - Querida, eu quero dar um exemplo a esse mundo de quem que manda aqui. - começou a se aproximar dos outros. - Vamos começar por essa bonequinha aqui.

    Chegou em frente a Felicite que estava assustada com a expressão maligna do ídolo. Ele segurou-a pelo pescoço, levantou a mesma no ar atirando-a no chão a muitos metros de distância. Ele acertou um raio na mesma que se contorceu no chão.

    - Pare, por favor! - gritou Charlotte que estava sendo segurada por Steve.

    - Eu devia parar? - perguntou Louis diminuindo o choque na garota. - Agora eu pergunto a vocês, por que ninguém parou de me machucar? Por que ninguém parou de me tratar como vilão? Por que ninguém me aceitava como eu era? Por que eu era desprezado? Por que tinham medo de mim? Ainda por cima, por que eu fui amaldiçoado pela mãe de Branca? Por que eu não tive uma vida normal? Eu era um bebê e todos já decidiam meu destino. Por que eu devo parar de decidir o de vocês agora?

    - Porque você não é a mãe de Branca. - Liam se aproximou do amigo. - Você não é de machucar pessoas, você não é cruel, você ajudou o Shawn, ajudou James, você curou sua mãe, você me apoiou, você amou seus amigos, você nos protegeu, você foi o melhor que pôde para todos nós. Por isso você não precisa seguir o destino que escreveram para você, Louis. Você escreve o seu e pode nos dar o direito de escrever o nosso.  Porque ser Rebel não significa ser mau.

    - Eu devia ter piedade? - o menor questionou esquecendo de Felicite que parou se agonizar no chão. - Por que eu nunca recebi ela de ninguém.

    - Todos nós confiamos em você. Eu, seus amigos, sua mãe.

    - Falando na minha mãe, onde ela está? - desconfiou Louis, mas antes que pudesse se virar para procura-la sentiu duas mãos geladas em torno de sua cabeça. Uma dor estranha lhe invadiu e momentos de sua vida começaram a aparecer.

    "- Você está perdido? - a versão criança de Louis perguntou a um garotinho meio gorducho que estava sentado perto da praça.
    - Não, minha mamãe foi levada.
    - A minha também. - sussurrou. - Venha, eu tenho um lugar para ficar.
    - Qual seu nome?
    - Louis. E o seu?
    - Eu me chamo Liam"

    " - Isso machuca, Louis! - gritou Shawn deitado no chão enquanto se transformava em dragão.
    - Eu vou te ajudar. - Louis disse fazendo a poção que aprendeu.
    - Sai daqui, eu vou te machucar. - pediu Shawn quando Louis se aproximou com um frasco de poção.
    - Beba. - ordenou. - Eu jamais vou abandonar um amigo."

    " - Ele foi um babaca, Lou. - Jade chorava no colo do amigo por causa de um namoradinho.
    - Você gostava dele, não é?
    - Muito, mas ele me machucou tanto. - ela lamentou.
    - Quer que eu dê uma lição nele?
    - Não precisa. - Jade riu. - Mas obrigada.
    - Eu sempre vou estar aqui por você."

    " - Eu me sinto tão ingênua. - disse Leigh apoiada em Louis.
    - Você é uma das pessoas mais fortes que eu conheço. - o Rebel sorriu para a amiga. - Continue sendo maravilhosa assim.
    - Obrigada.
    - Enquanto eu estiver vivo, vai ter alguém acreditando em você."

    " - Pensava que ela me amava. - reclamou Perrie. Ela falava com Louis sobre sua mãe.
    - Elas são estranhas. As vezes agem mais como adolescentes do que nós. - brincou.
    - Por causa de uma vingança eu a perdi, Lou. - disse a loira chateada. - Parece que seu ódio por Dorothy era maior que seu amor por mim.
    - Mesmo que seja verdade, você sempre vai ser amada por seus amigos."

    " - Ei, baixinho. Não fale assim comigo. - Taylor puxou Louis pelo ombro fazendo-o virar-se de volta para os convidados. Ele, enraivecido, olhou para a mão da garota em seu ombro e depois direto para ela.
    - Não encosta em mim."

    " - Elas estão seguras longe de mim.
    - Elas sentem sua falta. - Louis se aproximou.  - E você pode voltar para casa.
    - Eu não vou machuca-las. - o dragão rugiu e o garoto recuou um passo. - Não vou as colocar em perigo.
    - Eu posso te ajudar."

    "- Harry, no que está pensando?
    - Em como você é lindo.
    - É apenas um efeito colateral da poção. Ela faz você se sentir quente, isso que está sentindo por mim vai passar com a poção.
    - Não. Você é muito lindo. Seus olhos são lindos, seu corpo é lindo."

    "- Sei que está tudo confuso, imagino que não é uma coisa muito comum você se envolver com um príncipe. E tudo o que vem acontecendo em sua vida pode ser um pouco demais para você. Mas eu quero estar com você, eu jamais senti isso antes, é estranho e reconfortante.
- Eu venho tentando negar esse sentimento. Desde o casamento de sua irmã eu sinto que tem algo estranho. Toda vez que eu te vejo, todo momento que te toco, algo muda. Parece ser uma mudança boa. As vezes eu tenho medo de isso tudo acabar mal, tenho medo de o que quer que estivermos sentindo nos machuque.
    - Eu prometo que não vai, babe. Eu quero estar com você. Aqui e agora.
    - Você me mudou de muitas formas. Obrigado."

    Para Louis foi como estar em um sonho e acordar, ele viu seus amigos em sua frente outra vez. Eles pareciam confusos com o que tinha acontecido. Mas Harry viu os olhos de Louis voltarem a cor normal, saindo do vermelho.

    - Essas são as pessoas que você ama. - Johannah havia usado sua magia para mostrar a Louis. - Esse é você de verdade. Então lute, Louis.

    Algo dentro de Louis se transformou e ele sentiu que sua maldade estava presa mesmo que por alguns segundos. Harry apareceu em sua frente e tocou seu rosto com delicadeza.

    - Hey, babe. - disse suave, os olhos de ambos estavam cheio de lágrimas.

    - Harry. - sussurrou olhando as esmeraldas do maior. - Vocês precisam sair daqui antes que eu os machuque ainda mais.

    - Nós não podemos, Lou.

    - Por quê? - o menor ficou confuso.

    - Porque se formos mesmo, uma parte de nós vai ficar com você. - alisou a bochecha do Rebel.

    - Eu estou com medo. - Louis disse deixando as lágrimas descerem.

    - Não precisa, querido. - Harry limpou a lágrima. - E sabe por que? Porque todos estamos aqui com você.

    - Não deviam.

    - Mas nós vamos. Porque te amamos. - disse Harry. - Eu te amo.

    E ele beijou os lábios de Louis. Eles iniciaram com um selinho torto que começou a virar um beijo de verdade. Foi nesse exato momento que tudo aconteceu, aquela maldade dentro de Louis se remexeu inquieta, mas para ele não importava, por que aquelas três palavras haviam mudado tudo. Haviam lhe dado forças para vencer. E aquele beijo, aquele simples selar dos lábios foi o que causou isso. Porque segundo a lenda mais antiga de todas, algo era mais poderoso que todo o mau do mundo, era algo que poderia unir reinos como causar uma guerra entre nações. E aquilo estava em Louis e Harry, por que eles se amavam, e o beijo de amor verdadeiro cura tudo, até mesmo a mais cruel das maldades. E foi aquele beijo que curou Louis.

    Quando os dois se afastaram o peito do Rebel começou a brilhar em um tom forte de vermelho. Ele estranhou, mas quando sentiu seu corpo ficando pesado ficou assustado, mas de um segundo ao outro uma sensação de paz o tomou. E ele ficou anestesiado por um tempo. Quando conseguiu voltar ao normal ele viu que todos os encaravam. E sentiu falta de um peso tentando o tomar. Ele sentiu que não tinha mais a maldade sobre si.

    - Acabou. - sussurrou. Harry se aproximou feliz. Os dois se abraçaram.

    - Mas como? - perguntou Ed.

    - O beijo de amor verdadeiro nunca falha. - respondeu Zayn.

    - Obrigado. - Louis disse a Harry.

    - Parece que eu sou mesmo um príncipe encantado. - o Royal se gabou brincando.

    - Só faltou seu cavalo branco.

    - Eu te amo. - a confissão pegou Louis de surpresa. Mas ele sorriu, porque sabia que esse sentimento era verdadeiro e recíproco.

    - Eu também te amo.

    O beijo de amor verdadeiro nunca falha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...