História Reformatory - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Descendentes
Personagens Carlos de Vil, Chad, Doug, Evie, Jane, Jay, Lonnie, Mal, Personagens Originais, Princesa Audrey, Príncipe Ben
Visualizações 113
Palavras 1.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii amores, demorei mas voltei .
Obrigado pelos comentários ,você são demais .
Leitores fantasminhas apareçam eu não mordo.

Capítulo 35 - Cara mistérioso


Fanfic / Fanfiction Reformatory - Capítulo 35 - Cara mistérioso

Lonnie andava de um lado para o outro no quarto de Ben, inconformada com o que o loiro acabava de contar .

Lonnie - Me diz que isso é uma brincadeira de mau gosto.

Pediu incrédula , não seria possivel Ben ser idiota ao ponto de dizer uma coisa daquelas.

Ben - Exatamente o que você ouviu . Ela ia terminar de qualquer jeito.

Respondeu jogado na cama encarando o teto . Mal queria saber alguma coisa ao seu respeito , pois agora ela sabia.

Lonnie - Assassino ? Você exagerou Ben .

Ben - Não é disso que estou sendo acusado .

Alterou- se sentando na cama encarando a garota a sua frente.

Lonnie - Mas o importante é você saber que não é verdade.

Disse sentando- se ao lado do rapaz.

Ben - Eu tô cansado Lonnie , cansado de não ter uma vida normal , de não poder namorar uma garota em paz.

Admitiu levando as mãos ao rosto.

Lonnie - Um dia isso vai acabar.

Garantiu colocando a mão no ombro de Ben. Claro que um dia tudo aquilo iria acabar só esperava que não fosse da pior maneira.


[...]

Mal ainda tremia dos pés a cabeça , não acreditava que o loiro fosse realmente um assassino ...mas a convicção com que falara a tinha assustado . Respirou fundo e contou até dez , antes de sair do banheiro . Evie estava sentada na sua máquina de costura , nem havia estranhado quando a amiga entrou que nem furacão no quarto...no seu ponto de vista imaginou que a roxinha estava apenas zangada.

Evie - Espero que tenha se acalmado .

Disse sorrindo , quando Mal jogou- se na cama .

Mal - Digamos que sim.

Suspirou passando as mãos no rosto . Se sentia confusa e exausta.

Evie - Ei ! Você está bem ?

Perguntou preocupada se aproximando da cama da garota...que apenas confirmou com a cabeça , fechando os olhos . Evie sorriu colocando um cobertor sobre a de cabelos roxos .


[...]

Ben não havia conseguido dormir...então resolveu dar uma volta pelo reformatório. Sabia que era contra as regras, mas ultimamente não estava nem ai para as regras.

O lugar estava escuro e silêncio...parecia um local abandonado. Era estranho pensar assim de um lugar onde moravam vários adolescentes . Estava voltando para seu quarto quando escutou seu nome ser chamado. Pensando que era coisa da sua cabeça , ignorou e seguiu seu caminho.

- Vai mesmo me ignorar Ben.

Respirando fundo...se virou para trás , dando de cara com o ser de cabelos castanhos ...escorado na parede.

Ben - O que está fazendo aqui ? Mandei nunca mais me procurar.

Disse entre dentes , fechando as mãos em punhos. ..visivelmente irritado.

- Devo ficar magoado , por não ter sentido minha falta.

Riu sarcástico , se afastando da parede. Andando calmamente em direção a Ben, que se manteve impassivo diante o sorriso diabólico do rapaz .

Ben - Vá direto ao ponto. O que você quer ?

Disse alterando a voz , mas logo lembrando que estavam no meio do reformatório .

- Cem...mil.

Disse pausadamente , vendo Ben arregalar os olhos.

Ben - Eu não tenho esse dinheiro.

Disse ainda surpreso.Ele só podia estar louco .

- Pede para o papaizinho.

Era evidente a repulsa na voz do de cabelos castanhos .

Ben - Se vira. Eu não vou te ajudar.

Respondeu virando as costas para ir para o seu quarto , disposto a esquecer aquela visita inesperada .

- Acho que vou ter que conversar com a roxinha. Como é mesmo o nome dela ? Mal não é .

Ben congelou , sentiu a raiva o dominar .

Ben - Fica longe dela.

Ordenou pegando o outro pelo colarinho da camisa.

- Baixa a bola Ben . Você tem dois dias para conseguir o dinheiro . Caso contrário...pobre roxinha .

Sorriu diabólicamente , se soltando bruscamente das mãos de Ben , sumindo no corredor escuro.


~~~~~~~~~~&~~~~~~~~~~

Mal acordou incrivelmente cedo . Sua cabeça estava a mil, seus pensamentos estavam embarralhados . Bufou jogando as cobertas no chão , colocou seus coturnos. Saiu do quarto com cuidado para não acordar Evie.

O reformatório estava silencioso , provavelmente os outros deveriam estar dormindo . Subiu as escadas em direção a sala de sua mãe , abriu a porta com a chave reserva . Entrou encontrando o lugar vazio , Malévola estava viajando como sempre.

Mal abriu uma gaveta, de onde tirou algumas folhas em branco . Pegou um lápis de cima da mesa e sentou na cadeira de sua mãe , encarando o papel em branco. Por alguma razão ela não sabia por onde começar . O rosto de seu pai aos poucos ia se dissipando da sua memória. Seu peito apertou e se...esquecesse o rosto de seu pai e o de seu irmão . Suas lembranças era a única coisa que havia lhe restado dos dois.


[...]

Ben não havia conseguido dormir depois daquela visita indesejavel. Qual desculpa daria para conseguir o dinheiro? Seu pai não liberaria cem mil , se não fosse para algo importante . Precisava de uma desculpa rápido , e teria que ser convicente .

Doug - Vai acabar furando o chão desse jeito .

Se assustou parando bruscamente no meio do quarto . Encarou Doug , como se ele fosse um estranho...mas logo balançou a cabeça. Abrindo um sorriso forçado.

Ben - Não queria te acordar .

Desculpou-se , sentando na sua cama. Passando as mãos que suavam nas calças .

Doug - Você está bem ?

Perguntou desconfiado, encarando Ben . Que concordou com a cabeça.

Ben - Tô sim , preciso resolver uma coisa já volto .

Disse saindo rapidamente do quarto . O único jeito de falar com seu pai , era pedindo para Malévola .Estava tão nervoso que ser quer bateu na porta, apenas entrou ...mas congelou ao ver Mal ali.

A garota estava ajoelhada na cadeira , praticamente deitada sobre a mesa... Estava tão distraída que nem percebeu a presença do loiro.

Ben - Mal !

A de cabelos roxos levantou a cabeça , encarando o ser de madeixas loiras a sua frente.

Mal - Ben ? O que faz aqui ?

Perguntou desconfortável, se sentando na cadeira.

Ben - Precisava falar com a Malévola . Mas pelo visto ela não está.

Respondeu virando as costas , pronto para ir embora.

Mal - Não acha mesmo que acreditei no que você me disse ontem.

Disse não conseguindo se conter.Ben se virou para encarar Mal.

Ben - Pra mim , pareceu que você acreditou .

Rebateu cruzando os braços , Mal sorriu mordendo a ponta do lápis.

Mal - Sabe...é mais fácil acreditar que eu matei uma pessoa , do que você. Se queria terminar comigo ,era só ter falado . Eu não iria ficar no seu pé , não sou dessas pegajosas.

Ben sorriu , como ele queria que fosse somente isso. Mas não era , e para o bem de Mal deveria mante-la longe .

Ben -Nunca pensei isso de você . O que eu sei é que você merece alguém melhor que eu.

Abriu um rápido sorriso , antes de virar as costas e sair dali. Mal jogou-se para trás na cadeira ainda mais intrigada com Benjamin.

Mal - Um dia , ainda desvendo seus mistérios sr.Certinho


Notas Finais


Então o que acharam ?
Quem será o rapaz mistérioso ? Deixem suas opiniões .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...