História Regras NÃO são para todos - Jeon Jungkook - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Personagens Originais
Tags Bts, Colegial, Comedia, Imaginejungkook, Jungkook, Kpop, Marimaid, Romance, Twice, Tzuyu
Visualizações 211
Palavras 1.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oooooie! Já se alimentaram hoje?

Aproveitem bastante o capítulo. Para mais fanfics entrem no meu perfil.

Leiam bem! <3

^------^

Capítulo 5 - Vai me trazer problemas.


Fanfic / Fanfiction Regras NÃO são para todos - Jeon Jungkook - Capítulo 5 - Vai me trazer problemas.

Regras não são para todos. 

Capítulo 05.



Por fora eu estava sorrindo mas, por dentro eu me sentia um lixo. Estava sendo usada o tempo todo. JungKook está fazendo o mesmo?


- Você não está me usando, né? Tipo, só para dormir comigo ou algo assim? - ele ri, desvia o olhar apenas alguns segundos e volta para a direção.


- Se eu quisesse dormir com você, teria feito isso há muito tempo! Mas, você é difícil a questão é que eu não ficaria com você se não quisesse! - sorrio. Ele não é tão escroto quanto eu penso. - Na verdade dá boberia, que eu faço um estrago! - reviro os olhos e sorrio.


Aumento o volume do rádio, toca música americana, Dua Lipa se não estou enganada. Gosto deste tipo de música, batida boa, voz legal, letra que descreve a vida das pessoas. Entendo o por quê de tanto sucesso. JungKook parece curtir bate os dedos no volante no ritmo. Até arrisco meu inglês um pouquinho porém não conheço totalmente a música. O que papai deve estar fazendo agora? São oito e meia, devem estar jantando o manjar que ele fez ou já passaram para a sobremesa, meu estômago revira e tento pensar em outra coisa. A casa de JungKook aparece iluminada e suspiro de alívio.


Descemos rápido, o lugar já está arrumado. Dois sacos de lixo preto e grande repousam ao lado da porta.


- IML já veio? - pergunto brincando.


- Overdose alcoólica. - ele conclui fazendo uma cara triste.


Subimos e o garoto me apresenta os principais cômodos que vou usar - nada que eu já não tivesse visto. Uma toalha branca e umas roupas de sua mãe. Um conjunto de lingeries sexy e um pijama curto.


- Acha mesmo que vou usar isso? - coloco sobre a cômoda e passo em sua frente. Vou até o quarto dele e reviro as gavetas, uma camisa já é o suficiente. - Perfeito!


O banheiro é grande, e fico com vergonha só de imaginar levá-lo lá em casa um dia. A água quente e suficientemente relaxante e quase durmo em baixo da ducha. Faço tudo aquilo que preciso e volto a encontrar JungKook. O ar de constrangimento volta e ficamos em silêncio. Seus cabelos estão desarrumados e molhados, sua pele tão branca e lábios tão vermelhos, desvio o olhar para o chão. Que merda estou fazendo encarando ele?


Como já confessei há muito tempo ele é muito bonito, só que agora está irresistível. Balanço a cabeça e ignoro meus pensamentos.


- Quando seus pais chegam? - me sento na ponta da cama, observo ao redor, reparando em coisas que eu não tinha visto.


- Meu pai é empresário, cuida de muitos garotos e garotas que estão entrando no ramo da música, está sempre em Seoul ou Incheon, sei lá. Minha mãe é professora de língua estrangeira no Canadá. Vem apenas nas férias me ver. - Não vejo tristeza em seu olhar, parece até que ele se sente bem assim.


- Que línguas ela fala?


- Inglês, Japonês, Chinês, Francês, Alemão e Coreano! A admiro por isso! - sorri. - e sua família como é? Já falei demais sobre mim.


- Minha mãe foi embora quando eu tinha sete anos, ela disse que seria melhor para a família, não reagi muito bem, a violência pareceu o melhor remédio para mim. Meu pai aguentou firme, teve começo de depressão e agora é um... Não sei o que ele é! Sou assim, essa pessoa maravilhosa. Graças ao trabalho do meu pai e de todas as psicólogas que passaram na minha vida! - suspiro. Querendo ou não é dolorido. A vida de princesa que eu sonhei, se tornou... difícil.


- E eles fizeram um trabalho muito ruim! - sorri. - Está com fome? Deve ter algo no congelador!

¤¤¤



No domingo recusei atender as chamadas de Nina, por orgulho e raiva, papai está feliz, diz que a mulher que ele conheceu no sábado é incrível e que irão sair mais vezes. Óbvio que menti sobre dormir na casa de JungKook, disse que Nina me aceitou super bem. Segunda-feira tudo está de volta ao caos. Todos querem gritar: "Socorro o A.E.M está próximo!" E eu estou apenas "Calma a Avaliação Estadual Mediana apenas decide o futuro de vocês, não se preocupem!"


Alguns temem o CSAT (teste de habilidade escolar para a universidade) eu temo os dois. Estudar o dobro, e se conseguir passar, estudar mais, que delícia!

Vejo Nina ao longe ela corre em minha direção, faço a pior cara possível. 



- Não atendeu minhas ligações ontem, o que houve? - seu tom preocupado me faz sentir culpa por estar brava.


- Eu te liguei sábado, precisava dormir em sua casa! - suspiro e ela arregala os olhos.


- Onde ficou? Está bem, te tocaram errado?


- Com o Jungkook... - sussurro e ela sorri maliciosa.


- Como era? Nina, eu vou ficar longe de JungKook, ele vai me trazer problemas! - empurra meu ombro. Começo a andar assim que lembro da regra número foda-se. Proibido ficar parado no corredor assim provocando congestionamento.


- Ele ainda vai me trazer problemas mas, o meu encontro foi pior... - contei tudo à ela. E Nina quis matar Kywan, não vou deixar ela sozinha tão cedo, tenho medo do que pode fazer. Prometi a mim mesma que não deixarei ninguém bater nele, mesmo que o que ele fez comigo foi maldade.


Passo duas aulas estudando para o A.E.M, devo manter minha nota, isso me desespera. É o último ano, a última prova. Assim as férias de verão e depois acaba. Na verdade temos mais três meses de preparação para a escola terciária. Vou seguir o ramo da agricultura na faculdade, eu não sei o que quero ser, e se eu decidir ser nada? E se eu quiser ser uma prostituta? Isso provavelmente não mas, eu não quero ser pressionada na minha escolha.


O sinal bate e devo correr para a Doutora Sunny, os corredores estão vazios e me sinto aliviada, enquanto ando para a sala da doutora ouço a voz inconfundível de JungKook, ele grita com alguém no banheiro masculino, abro a porta devagar tentada pela curiosidade, ele está vermelho de raiva e coloca a cabeça de algum garoto na privada.


- Jungkook! - grito e seguro seu braço, o menino se livra das mãos dele e mesmo com o rosto machucado reconheço Kywan. - Droga! Vaza daqui Kywan!


Ele nem pensa duas vezes some mais rápido que o vento. Direciono minha raiva à Jeon.


- Que merda você achou que estava fazendo? - empurro seus ombros o jogando na parede. - Quer ser expulso? - antes que eu o bata novamente ele segura meu pulso.


- Precisamos conversar! Às seis no ChiChi Pepper! - pega sua mochila e sai. Fico sem entender então apenas deixo que eu queixo caia. Quem tem a mania de não aparecer é ele e eu trabalho lá. Me olho no espelho, meu rosto está vermelho e sorrio.


Teria JungKook brigado por minha causa?


Vou para o segundo prédio eu e doutora Sunny temos muito o que conversar.





Notas Finais


Ai ai, espero que vocês tenham gostado!

Para mais fanfics lacrosas hahaha meu perfil: @MariMaid


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...