1. Spirit Fanfics >
  2. Regular — Kim Jungwoo >
  3. -vinte e quatro

História Regular — Kim Jungwoo - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


To no flop enorme, mas mesmo assim posto att

Boa leitura!

Capítulo 24 - -vinte e quatro


- Não quero jogar mais!- Falou o mais velho após ter perdido num jogo de ping-pong contra Jungwoo. Eu e a japonesa apenas nos ríamos com a pequena infantilidade de Taeil, pois ele tem ganho nos outros jogos e reclamámos muito. Mesmo que Jungwoo também tenha um péssimo perder.


- É só um jogo Taeil, não precisa ficar assim. - Jungwoo comentou sendo logo fuzilado pelo seu Hyung, claramente a azia não iria passar rápido para aqueles lados.


- Não foi você que perdeu seu poste ambulante!


- Anão de jardim. - No mesmo minuto, uma almofada foi parar ao rosto de Jungwoo e nesse mesmo momento pensei que eles iriam brigar feitos criancinhas, mas a japonesa interviu a tempo.


- Eu quero comer alguma coisa antes de ir embora, o que tem na sua dispensa?


- Comida, o que mais queria tivesse? - A mesma bufou com a resposta, que eu achei ótima demais, e foi andando até à cozinha. Eu apenas fitei a televisão pois do nada veio um pensamento latejante à cabeça.


Como será nossa relação depois?


Eu não vou poder misturar trabalho com vida pessoal. Será que ele já pensou nisso também?


- Eu vou mudar de roupa para ver se minha breve raiva passar. - Taeil saiu de um pulo do sofá e eu suspirei pesado, o que Jungwoo logo percebeu.


- 'Tá tudo bem? Não 'tá gostando?


- Não é nada disso, muito pelo contrário.


- Você parece não estar bem. - Ele se sentou próximo de mim e eu encarei ele,não sabia como dizer o que tinha na mente, sendo que talvez fosse melhor falar o quanto antes, não quero jamais brigar por isso. Eu preciso que ele compreenda e faça tudo direitinho.


- Eu estou bem, porém pensando. E pensando demais para ser assim do nada.


- Algo está te incomodado? - Respirei fundo, ou era agora ou era nunca!


- Você sabe que vamos ter de dividir o trabalho com a vida pessoal, não sabe?


- Na verdade nem pensei nisso. Pensei que iria ser igual estava.


- Não Jungwoo, começou a mudar nossas atitudes com estas novas descobertas repentinas. Nós temos de voltar a ser como éramos antes disto, profissionalismo. Durante o trabalho assim e fora de outra maneira, por exemplo, como estamos agora. Entende?


- Acho que sim, mas acho que vai ser complicado, para os dois. Além demais a empresa está um caos, eu vou me stressar e, obviamente, não quero descarregar em você.


- Eu trabalho na sua empresa, você tem de me tratar igual os outros, por favor. - Jungwoo respirou fundo, mas logo deu um pequeno sorriso- O sorriso que só ele tem.


- Tudo bem, eu vou fazer isso por você meu amor. - Dei um sorriso e ia para lhe dar um selinho, se não fosse uma completa intrometida do nada surgir.


- Se você me der emprego, eu não conto que vocês estão ficando. - Vi Jungwoo revirar os olhos e virar a cabeça lentamente sua cabeça na direção da outra garota. Ela é uma estraga momentos, sem dúvida alguma.


- E porque eu te daria emprego na minha empresa? - Notei que ele deu ênfase na palavra "minha". Estava absurdamente expresso na cara dele que ele não gostava nem um pouco da Nakamoto, porém queria ver seu Hyung feliz, e foi isso que pensei imediatamente.


- Pelo Taeil, faça isso por ele. - Sussurrei em seu ouvido. - E ela é uma boca de trapos, devia ficar de olho. - Sussurrei novamente e ele acabou por concordar, mas levantando seu indicador para cima. Iria ter um "mas".


- Mas... - Eu bem sabia. - Teremos um acordo. - Ela deu de ombros, que para mim foi uma resposta num tanto positiva. - Quero sua boca bem caladinha, ou te meto atrás das grades.


- Tudo bem, eu fico calada. Não tenho outra escola pois realmente quero o emprego.


- Amanhã você faz a entrevista com a Ana se a empresa ainda não estiver em um completo caos por causa do outro espertinho lá. - Novamente, o ênfase, mas agora no "se".


- Entendi. Farei meu melhor. - Comentou dando um pequeno e Taeil aparece do nada na sala assustando praticamente nós todos pois se encontrava com uma máscara facial preta, o que às vezes se podia tornar assustador pois nunca se espera alguém aparecer assim numa sala de estar.


- Eu vou ter pesadelos com o que acabei de ver.


- Até parece que você não trata desse rosto, não é mesmo Kim Rabugento Jungwoo?


- Não vem com coisa com coisa que isso não dá nada.


- Você que disse que iria ter pesadelos.


- E garanto q... - O interrompo.


- Será que as criancinhas adultas podem parar? Nem parece que são tudo um do outro.


- Amizade forte é bem assim.


- Ainda bem que não tenho. - Comentei, mesmo sendo a mais para verdade.


- Eu virar seu amigo, só não me dê um sobrinho muito tarde.


- Seu tarado! - A japonesa, um dia lembro do nome dela todo, lhe deu um calduço bem na nuca, que foi bem dado pois Taeil me deixou desconfortável com sua frase.


- Você mereceu Hyung. Eu não me sinto preparado para isso. Aliás! Você é mais velho, eu que deveria ser tio primeiro.


- Hyuck me matava se eu tivesse um filho com o amor da minha vida.


- Não sei se ela é sortuda ou azarada. 


- Você mal sabe. - Claramente, realmente, tudo que acabe em "mente", a Nakamoto é o pessoa mais burra à face da terra pois Taeil olhou para a fuça dela quando falou aquilo. Mas quem sou eu para discurdar?


- O casal do ano vai ser Anawoo.


- Anawoo?- Eu e Jungwoo falámos em uníssono.


- Ana e Jungwoo. - Esta foi de surpresa. Porque ela criou uma espécie de shipp entre mim e Jugwoo.

Maldita Japonesa.


Notas Finais


Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...