1. Spirit Fanfics >
  2. Regular To Irregular - Taegi >
  3. Twelve

História Regular To Irregular - Taegi - Capítulo 22


Escrita por: e _Sukkie


Notas do Autor


Acreditem ou não, mas eu realmente não sei nada se inglês. Seria vergonhoso eu admitir que tive que ir no tradutor ver como se escreve “doze” em inglês?

Capítulo 22 - Twelve


Fanfic / Fanfiction Regular To Irregular - Taegi - Capítulo 22 - Twelve

Quando Taehyung chegou em casa ele estava tão irritado que nem mesmo queria saber de falar com Yoongi, que insistiu muito em saber o que tinha acontecido assim que bateu os olhos na roupa molhada do mais novo. Tae foi direto para o quarto e se trancou lá, pegando o celular e ligando para Jimin para saber onde o amigo se meteu já que ele tinha saído antes de Tae e ainda estava na rua.

Jimin vivia falando que iria sair para arrumar um emprego, mas nunca fazia aquilo. Taehyung não se incomodava e nem dizia nada já que ele se sentia super feliz em ter Jimin por perto, mas quem às vezes se incomodava com aquilo era Yoongi. Yoongi de vez em quando agia como um velho resmungão e odiava chegar em casa depois do trabalho e ver dois marmanjos de barriga para cima assistindo novelas mexicanas com a mesa lotada de pacotes de salgadinho e latinhas de refrigerante. Tudo bem que Tae já estava indo para a delegacia, mas ainda era muito pouco e ele precisava se adaptar a tudo antes de começar a ir definitivamente para lá. 

Só o que restava a Yoongi era se conformar com um preguiçoso vivendo de graça às suas custas. E algo lhe dizia que Jimin, no fundo, estava mentindo sobre procurar um emprego.

— Taehyung? — Yoongi bateu na porta do quarto três vezes e esperou que Tae abrisse, mas ele não o fez. — Está tudo bem mesmo? 

— Que droga, Yoongi! — pegou um objeto de enfeite do lado de sua cama e jogou na porta com força. — Eu já disse que está!

Se afastando alguns passos com uma expressão assustada, Yoongi se deu por vencido:

— Eu já estou voltando para a empresa, e provavelmente vou chegar mais tarde hoje. Sua comida está dentro do micro-ondas, é só esquentar quando sentir fome. Tchau.

Obviamente seu tchau não foi respondido, mas ele apenas ignorou e voltou a se arrumar, pegando sua maleta com documentos e indo até o carro para dirigir até a empresa.

Taehyung queria ficar sozinho apesar de tudo, queria pensar na vida e nas decisões que estava tomando. Com certeza não seria nada fácil ter que conviver com alguém que ele não gostava nem um pouco até que “a morte os separasse”, mas no fundo ele tinha um sentimento por Sana. Infelizmente, ninguém que é casado pode sobreviver apenas de afeto. E era isso que Taehyung sentia por sua noiva, afeto. 

Ele devia confessar que em parte o que o afastou tanto da noiva era a amiga louca dela. No começo do namoro eles ainda eram muitos jovens e Tae ficou bem assustado com a moça, tanto que começou a evitar Sana no começo do relacionamento e aquele tempo que ele passava longe dela não o afetava em nada, na verdade, ele nem sentia falta dela. E ele deveria agradecer à Tzuyu por isso, esse foi um dos motivos que o fez reforçar a certeza do sentimento que ele vivia oprimindo dentro de si.

Depois de muito pensar, Tae virou de barriga para cima na cama e encarou o teto:

— Eu estou perdido.


[…]


Como Yoongi tinha dito mais cedo, ele demorou muito mais para chegar em casa e já cansado de tantos pesadelos o tirando o sono, Tae foi para o quarto dele e se enfiou na cama do mais velho enquanto o esperava chegar para enfim poder dormir.

Já era quase meia noite quando Yoongi acabou tudo que tinha para fazer no trabalho, e como ficou preso no engarrafamento, chegou em casa em torno de uma e meia da manhã.

Yoongi logo deu de cara com Tae deitado em sua cama quando entrou no quarto e exibiu um sorriso fraco, pelo menos com aquilo Tae não iria parar. 

Com cuidado para não o acordar, Yoongi revirou o guarda roupas e depois de pegar suas coisas foi tomar banho.

Saindo do banheiro, vestiu sua calça e foi direto para o quarto, então deixou um beijo na testa de Tae e foi procurar uma camisa no guarda roupas. Quando se virou de novo para a cama, viu Tae o olhando e se apressou para deitar junto com ele e o abraçar.

— Desculpe por ter te acordado — pediu em voz baixa.

— Eu não estava dormindo, estava só pensando enquanto te esperava chegar — disse Tae. — Eu não queria dormir sozinho.

— Pode dormir comigo, você sabe que eu não me importo.

Tae não respondeu, apenas exibiu um sorriso fraco e continuou abraçando Yoongi com força enquanto sua cabeça dava voltas e mais voltas em torno do mesmo assunto. E com aqueles pensamentos já querendo explodir dentro dele, Tae decidiu contar para Yoongi.

— Posso te pedir um favor?

— O que quiser.

Ele refletiu um pouco se deveria mesmo fazer aquilo, então se sentou na cama e olhou o mais velho ao seu lado:

— Está muito claro pra mim que agora eu e você somos dois estranhos, que não somos absolutamente nada um do outro — aquilo confundiu Yoongi, mas antes de reclamar ou questionar as palavras de Taehyung, ele decidiu ficar calado e deixar que ele acabasse o que havia começado. — Mas eu quero te pedir que, por favor, só por essa vez, volte a ser o meu irmão.

— O que você precisa? — realmente não precisou de mais para Yoongi saber o que Tae realmente queria. Ele o conhecia muito bem e sabia quando ele precisava conversar.

— Hoje eu marquei um encontro com a Sana para falar sobre o nosso casamento — começou, atraindo para si toda a atenção de Yoongi já que aquele assunto o interessava mais do que Tae pudesse imaginar. — Eu ia falar que eu queria adiar nosso casamento, só que ela levou uma amiga insuportável que entendeu tudo errado. Por isso eu cheguei daquele jeito, ela jogou limonada em mim, me bateu e falou um monte de coisas. E uma dessas coisas me fez pensar muito.

— O que ela disse? — perguntou.

— Que eu me escondo atrás da minha profissão e uso ela para me proteger do mundo. Isso me fez pensar muito, e eu acho que ela tem razão. Você sabe bem que eu sempre quis outro tipo de trabalho, e talvez eu tenha escolhido esse por pura pressão dos professores do colégio, que junto com a falta de opção me fizeram escolher esse caminho. O problema é que eu acho que realmente vi nisso uma oportunidade de me esconder e me proteger do mundo — já com os olhos marejados, Tae encarou Yoongi e aquilo fez o mais velho se sentir mal. — Eu tenho medo, Yoongi — deixou que as lágrimas saíssem, finalmente se permitindo chorar. — Eu não quero sentir medo.

Yoongi demorou um pouco para raciocinar e processar o que Tae havia lhe dito, e ao invés de falar algo logo de cara, ele colocou a mão no colchão com a palma para cima e Tae a segurou firme sem pensar duas vezes.

— Eu estou aqui, e eu vou sempre te proteger, Taehyung — disse finalmente. — Eu sou seu irmão e eu não vou te deixar sozinho nunca.

Aquelas palavras, por mais simples que fossem, pareceram acalmar Taehyung já que ele abraçou Yoongi com força e se permitiu chorar todo o medo que ele estava guardando enquanto ganhava carícias em seus fios morenos. 

— Por que você tinha que destruir tudo desse jeito? — Taehyung perguntou depois de muito chorar, e Yoongi sentiu o peso daquelas palavras lhe destruírem por dentro. Ele sabia muito bem do que Taehyung estava falando. — Eu sinto falta do meu irmão, e você matou ele.

— Me desculpe — foi só o que Yoongi conseguiu lhe dizer. — Desculpe.

— Eu te odeio, Yoongi. Eu te odeio porque te amo, e eu odeio te amar desse jeito. 

Yoongi com certeza não iria dizer aquilo em voz alta para não magoar Taehyung ainda mais, mas naquele momento ele começou a se perguntar o que tinha dado errado em sua vida ao ponto de bagunçar tudo daquele jeito. Se perguntou se seria o fato de ele ter mandado Tae para aquele colégio, ou ter se apaixonado por ele aos poucos toda vez que via ele passar em sua frente. Talvez, até fosse ele ter se apegado muito ao garotinho que viu no orfanato, mas com certeza o erro dele foi pedir aos seus pais para o adotar. E Yoongi sabia que se dissesse aquilo para Taehyung estaria destruindo de vez o resto da família que Tae sempre quis, mas ele devia imaginar que um garotinho tão novo e que perdeu os pais de uma forma tão traumática levaria sequelas para o resto da vida. Taehyung parecia tão indefeso e assustado, que Yoongi o tratava como se fosse de porcelana, e mesmo que agora eles fossem adultos, Yoongi ainda tinha medo de o quebrar com palavras tão cruéis.

— Qual é o verdadeiro problema, Taehyung? — Yoongi perguntou. — Nós termos crescido como irmãos, ou você perder a única família que você tem? 

Taehyung refletiu, procurou dentro de si a resposta daquela pergunta mesmo que fosse difícil encontrar. Quando o fez, ele só tinha uma resposta:

— Eu não sei — abraçou o corpo de Yoongi com mais força e afundou seu rosto no peito dele. — Eu não quero ficar sozinho, Yoongi.

— Mas você não vai ficar sozinho, independente do que aconteça. Eu vou sempre estar aqui com você. Nós vamos sempre estar juntos e eu nunca vou te abandonar, você sabe disso.

— Meus pais diziam a mesma coisa, e mesmo assim eles morreram.

Yoongi respirou pesadamente, segurando os braços de Taehyung e o afastando um pouco de si enquanto se ajeitava na cama, se preparando para falar de um assunto que lhe machucava muito.

— Como acha que eu me senti quando eu cheguei aqui em casa aquele dia e vi meus pais mortos? — Perguntou sem obter resposta. — Eu senti medo, Taehyung. Eu senti medo e me senti sozinho, e até hoje eu sinto falta deles. Só que você era tão novo, eu precisava ser forte e amadurecer bem mais rápido para cuidar de você. Não acha que eu poderia simplesmente te abandonar sozinho no mundo? Mas eu tive que conseguir um emprego melhor, que desse para pagar a faculdade e ao mesmo tempo te sustentar. Eu tive que me tornar pai da noite pro dia, e antes de conseguir me estabilizar financeiramente eu recusei milhares de coisas na minha vida, e tudo isso por você.

Mesmo que não fosse a intenção de Yoongi, Tae se sentiu culpado com aquilo. Ele se lembrava bem de quando era mais novo e de todas as vezes que o pouco dinheiro de Yoongi não dava para comprar comida o suficiente, então ele deixava de comer só para que Tae não sentisse fome. Tae também se lembrava de quando Yoongi deixava de comprar suas coisas e atrasava o pagamento da faculdade, para poder pagar as contas na época do frio e assim Taehyung poder toma um banho quente para não acabar pegando resfriado. 

Mas antes que pudesse dizer algo, Yoongi continuou falando:

— Eu sei que nós já tivemos essa conversa antes, mas eu não me importo de dizer tudo de novo, Taehyung. Eu nem tive tempo para chorar a morte dos meus pais, e até hoje eu sinto falta deles, e eu me sinto sozinho quando vejo que eles não estão aqui. Eu olho essa casa e eu vejo eles em todo o lugar, mas eles se foram. Pode parecer duro o que eu vou te dizer, mas é a verdade, ok? — Fez uma pequena pausa só para confirmar se Tae queria mesmo o escutar. — Pessoas na nossa vida vêm e vão, mesmo as mais próximas e importantes. Um dia a gente acaba perdendo alguém por mais especial que essa pessoa seja e nós não podemos fazer nada. O que temos que fazer é ficar mais fortes, para que a próxima perda não seja tão dolorosa. Por isso, eu vou refazer minha promessa. Eu não prometo estar aqui sempre, mas eu prometo que enquanto eu puder eu vou estar. E se depender de mim, eu vou fazer o para sempre durar o máximo de tempo possível.

— Porque o para sempre não dura para sempre — Tae disse com a voz baixa. Yoongi uma vez tinha lhe dito aquelas exatas palavras e Tae se esperneou de tanto chorar, mas ver que agora ele encarou aquilo com mais maturidade fez Yoongi se orgulhar dele.

— Exatamente — disse com um sorriso, então voltou a abraçar Taehyung com força. — Estou orgulhoso de você, Taehyung.

Depois de um longo abraço Taehyung já estava pronto para dormir, então ele se deitou e olhou Yoongi com um pequeno sorriso nos lábios:

— Obrigado.


Notas Finais


Eu fiquei um pouquinho insegura com esse capítulo, mas eu quero saber o que vocês acharam. Gostaram?
Eu andei tendo muitas ideias para essa fic, só que eu não sei dizer se ela vai acabar logo, pode demorar um pouquinho porque vocês sabem que eu adoro adiar o momento final. Mas só o que posso dizer, é que essa fic está caminhando para a reta final.

Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo anjinhos!
❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...