1. Spirit Fanfics >
  2. Rei Bruxo >
  3. Capítulo 07 - De volta ao passado - Parte 02

História Rei Bruxo - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, espero que gostem, peço perdão, pois não sou muito bom em detalhar as coisas, como por exemplo, modo que ficaram os alunos quando ouviram as revelações ou como a magia reconheceu Harry e o que ele sentiu. espero que gostem

Capítulo 7 - Capítulo 07 - De volta ao passado - Parte 02


Fanfic / Fanfiction Rei Bruxo - Capítulo 7 - Capítulo 07 - De volta ao passado - Parte 02


Os 3 surgiram em pleno salão principal em Hogwarts, na hora do jantar chamando a atenção de todos, o Rei Bruxo imediatamente sentiu a magia do castelo o abraçando, o reconhecendo como seu Senhor. Os professores imediatamente se colocaram de pé, sacando suas varinhas, apontando para os 3 visitantes.
- Quem são vocês? E como entraram nesse castelo sem minha autorização? - Perguntou a Diretoria Minerva Mcgonagall
- Minerva, você não esta me reconhecendo, pois estou sem o glamour de sangue, sem os bloqueios e as compulsões magicas, que o bastardo do Dumbledore colocou em mim, você me conhece como Harry Potter, o "menino-que-sobreviveu" ou "O Eleito".
- Potter? Como entrou no Castelo sem minha autorização? - Questionou a diretora
- EU NÃO PRECISO DE SUA AUTORIZAÇÃO PARA NADA MINERVA, VOCÊ QUEM PRECISA DA MINHA PARA FAZER QUALQUER COISA NESSE CASTELO - falou o Rei em tom normal, mas frio, seus olhos mudando imediatamente para o azul.
- Posso saber o por que diz isso Sr. Potter? 
 - Porque eu me chamo Harrison James Potter-Black-Mafoy-Lupim-Lestrager-Rosier-Peverel-Gryffindor-Hufflepuff-Ravenclaw-Slyterin-Le Fay-Pythia-Pedragon-Lewe-Bestemming-Tempus-Viventia-Magie-Mortem - aumentando o tom e se virando para que todos os presentes ouvissem sua voz - o SENHOR E DONO DE HOGWARTS, além de ser o Rei de todo o mundo Bruxo e todas as Criaturas Mágicas, tenho certeza que você notou a magia do castelo, se remexendo quando cheguei aqui, não notou Minerva?
-Sim -falou Minerva séria
- Majestade - Corrigiu o Jovem
- O que disse? - perguntou a diretoria confusa
- Majestade, apenas completei sua fala, Minerva, esqueceu o que falei? Sou o Rei do Mundo Bruxo, portando seu Rei, você devia ter falado Sim Majestade, entendeu agora? Tenho assuntos a tratar com aquele quadro maldito do Dumbledore, mas antes de sair, não vi você fazer uma reverencia quando eu cheguei, mostre aos seus alunos como se deve reverenciar seu Rei e ensine, para que eles façam o mesmo quando me verem, não daria uma segunda chance Minerva.
A diretora tentou relutar, mas o olhar azul do jovem Rei, fez ela se curvar, algo que assustou todos os presentes no castelo, mas que foi seguido por todos os outros funcionários e alunos.
- Bom Minerva, espero que isso não volte a se repetir, haa, onde estão meus modos, essa moça é Celiny Jean Granger-Prince-Rosier-Potter, você a conhecia como Hermione Granger, ela é minha prima de sangue, filha de Severus Prince Snape e o irmão de minha mãe, Evan Rosier - fazendo a diretora arregalar os olhos - descobrimos várias manipulações daquele cabra velha do Dumbledore, quando fomos ao Gringotes e essa outra bela moça, é minha serva e também ancestral, Lady Mortem, a própria morte. Todos vocês permaneçam em seus lugares, tenho assuntos a tratar nesse castelo - se virou indo em direção ao saída do salão, mas ao chegar no meio do corredor, parou, pois avistou Rony e Gina que havia retornado para concluírem o último ano em Hogwarts.
- Monstro! Dobby! - os 2 Elfos domésticos surgiram fazendo uma reverencia ao seu mestre
- Mestre Harry Potter, o que deseja que Dobby e Monstro façam para o mestre? - perguntou Dobby
- Prendam Ronald Wesley e Ginevra Wesley, levem eles para a Toca, recolhendo suas varinhas, não permita que eles, nem Molly Wesley saiam sem minha autorização.
- Sim Senhor - com um estalar de dedos as varias dos 2 voaram para as mãos de Dobby.
- Companheiro, o que está acontecendo? - perguntou Rony com uma falsa inocência
- Você achou que não ia descobrir Rony? tudo que você, Gina e a Molly fizeram a pedido do Dumbledore? Ele me colocou compulsões mágicas, bloqueios, roubava minhas contas, pagava vocês como meu dinheiro todo o mês, para vocês serem meus amigos, falsos amigos, fez um contrato de casamento com Ginevra e ela me dando poções do amor, para que eu gostasse dela, só assim para gostar de um dragão como ela, para que eu me casasse com ela, na qual ela me mataria na nossa lua de mel e poder ficar como todo meu patrimônio, pois Dumbledore, prometeu a vocês todo o meu dinheiro - as revelações pegaram todos de surpresa, fazendo todos arregalarem os olhos - aquele velho maldito me manipulou por causa de poder, fez eu matar 1 dos meus destinados, apenas por causa do poder.
- SEU BASTARDO, VOCÊ JA DEVIA TER MORRIDO A MUITO TEMPO, NÃO ERA PARA VOCÊ TER DESCOERTO AINDA, VOCÊ É MALIGNO COMO SEU DESTINADO VOLDEMORT - falou Rony enfurecido - fazendo todos arregalarem os olhos como a nova informações
- Sim, Lorde Voldemort era meu destinado, tolo, também foi manipulado por Dumbledore, assim como Cedrico Diggory, Fred e Jorge Wesley, os 4 foram escolhidos pelo destino para serem meus destinados, como ancoras, para que meu poder não me destruísse, mas Dumbledore, temeu ter alguém mais poderoso que ele, forjou uma falsa profecia, para que Voldemort me matasse, mas quando chegou na hora, Voldemort não conseguiu, Dumbledore chegou na hora e duelou com ele, ele queria forçar Voldemort a me matar, mas ele se recusou, em uma tentativa de desespero, Voldemort lançou a maldição da morte em Dumbledore, que desviou e acertou em mim, como sabem, ricocheteou contra ele, matando aquele corpo. Agora levem os 2, assim que concluir aqui, irei para Toca. - os elfos aparataram em seguida com os 2 jovens, todos castelo permanecia perplexo com tudo.
- Voltem a jantar, só saiam daqui quando EU liberar - voltou o Rei a seguir seu caminho em direção ao escritório do Diretor, seguido pelas 2 jovens belas moças, em um silencio agradável, pois o jovem rei sentia a magia do castelo corresponder a sua, logo chegando a sala do diretor, a gárgula logo permitiu sua entrada, sem nem mesmo solicitar senha, Harry indo na frente, seguido da Morte e Celiny.
Harry abriu a porta e adentrou ao escritório, seguido das duas moças, o escritório não mudou nada, permanecia do mesmo modo. O chapéu sentiu sua presença e o reverenciou do seu jeito - Boa Noite Majestade.
- Boa Noite Chapéu - falou o rei de frente para ele, quando ouviu uma voz atrás de si.
- Harry, meu doce menino, o que faz aqui? - Perguntou a cabra velha, de seu quadro, com um falso sorriso de vovô estampado em seu rosto, na qual o Jovem Rei, sentiu raiva na hora.
- Dumbledore, temos muito o que conversar - Disse o Rei com um sorriso diabólico e olhos pretos como onix - fazendo o ex-diretor se assustar imediatamente.
Continua.
 


Notas Finais


Espero que gostem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...