1. Spirit Fanfics >
  2. Rei Thranduil( Uma luz em seus olhos) >
  3. O peso de ser rei

História Rei Thranduil( Uma luz em seus olhos) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Como vão? Mais um capítulo para vocês.

BOA LEITURA

Capítulo 5 - O peso de ser rei


Fanfic / Fanfiction Rei Thranduil( Uma luz em seus olhos) - Capítulo 5 - O peso de ser rei

Thranduil entrou em seu quarto. O corpo inteiro doía da viagem de volta. Tirou a roupa e entrou na banheira. A água estava fria mas ele não se importou. Sempre mandava um batedor a frente para avisar que estava voltando, quando saia. E entao tinha sua banheira cheia. Raramente pegava quente, mas pelo menos tinha um banho reconfortante após uma viagem. Achou que seria uma viagem de apenas dois dias mas acabou sendo duas semanas. Só pra ir levou três dias o caminho estava difícil, muita chuva nos dias antes de ir e acabou que pegaram muita lama. Mas o importante é que estava de volta. Mergulhou na água e ali ficou um tempo até submergir novamente. Estava cansado esgotado, desde que assumiu o reinado daquela floresta nunca teve um segundo de paz. A guerra nos portões de mordor ainda lhe tirava o sono. Ainda tinha pesadelos. Ele era apenas um elfo em seu primeiro século de vida ao assumir aquele reino. Muitos elfos ali eram milenares e o peso da caroa lhe tirava até mesmo o ânimo. Cresceu ouvindo do pai as responsabilidades de ser rei, e sendo preparado para ser um. Rei tem que ser temido nao amado. Rei tem um reino pra cuidar e tem que por as responsabilidades na frente sempre. Não existia o elfo, só o rei. Não existia pai mãe. Existia súditos. Nunca jamais demonstre fraqueza perto de ninguém, nem fraqueza nem amor nem compaixão. Demonstre poder. Thranduil suspirou. Quanto tempo estava no lugar do pai? Onze anos? Nem sabia mais. Só sabia que estava ficando igual a ele, e sabia que isso era ruim. Orofer cresceu em um reino sem família sendo apenas soldado. Já ele teve o pai e a mãe. Bem... a mãe o abandonou na sua vigésima primavera. Ou não? Deveria acreditar nela? Seu pai mentiu? Deveria crer no que a mãe dizia? Que seu pai só a deixava vir vê _lo com a condição que não ficasse e nem interferisse na criação dele. Que mãe aceita isso? Seus súditos eram tao diferentes. Quantas vezes de andar por ali ver as mães com seus filhos, a alegria estampada no rosto daquelas crianças passeando com os pais? Alegria que não via no olhar do filho. Ele não conseguia mais olhar o filho e e não se culpar, por todo seu erro, mas o filho nao tinha culpa de nada. So queria amor. Amor que ele nao sabia dar, nao sabia? Ele sabia. Ele deu nos primeiros anos do filho, mas depois de tudo que houve com Ellie, tambem sabia o quanto a dor da rejeicao era cruel. Amar o filho era tudo que ele fazia, e depois o que o filho faria? Viraria as costas pra ele, como a mãe de Legolas virou? Como sua peopeia mae virou? Sua mãe sempre dizia que amor de verdade é entrega e querer bem. E sobre a mãe? Deveria ir atras da verdade? Ele sabia onde a mãe ficava em todos aqueles anos que ali não estava. Mas jamais saiu da floresta, primeiro por ordens do pai. E depois quando assumiu o reino, não teve tempo. Mas ele poderia arrumar esse tempo. Se levantou pegou o roupão colocou e saiu da banheira. Ao sair do banheiro uma elfa ali estava. Ela o saudou.
__ Majestade me permite, trouxe algo para o senhor comer
__ Não pedi nada Aila.
__ Sim majestade! Mas sei que o caminho é longo então achei que estivesse com fome.
__ Obrigado comerei se me der vontade pode ir. Ela se aproximou.
__ Não precisa de mais nada??

Thranduil a olhou. Não havia como negar o convite explícito ali. E por Eru ele precisava? Não. Precisar não era querer. Ele não tinha vontade. Depois de Ellie não conseguia olhar uma elfa e não pensar em tudo que houve ao cair nos encantos dela. Ele amou... E sofreu por isso. Porém sua mãe lhe dizia que nunca ele amou, que fazer sexo não era fazer amor. Que até nisso ele parecia com o pai.

Não! Seu pai se deitou com muitas, era um devasso. Ja ele não, jamais foi e jamais seria. Só não entendia o que havia na cabeça de seu pai. Nao eram animais, eram elfos. Aquilo não era deles. Eles não eram daquela maneira, em que momento seu pai mudou? Ou sempre foi daquele jeito ele que não percebia? Ele não sentia mais nada por ninguem desde que se deitou com Ellie. Não até o dia que desceu até aquela aldeia. Só de lembrar... preferia esquecer, antes que aquela elfa pensasse que ela era a responsável pelo seu corpo ter alguma reação.
__ Não Aila. Pode ir. Dizendo isso deu as costas e foi até aporta a abrindo para a elfa. Ela saiu sem nem olhar para trás. Tudo que ele queria era entender o que estava acontecendo, se deitou olhando o teto
A maneira que seu coração e corpo reagiu nem mesmo com Ellie aconteceu. Suspirou e se virou na cama, seus olhos pesaram e a canseira cobrou seu preço.

                         SERENA,:
Serena acordou e olhou em volta, se espreguiçou. Olhou o garoto. Tinha dormido ali de novo. Isso não era bom. A rainha havia lhe dito para não ficar no quarto de Legolas, o rei não gostava. Legolas já estava acordado a olhava encantado, seus olhos brilhavam. Duas semana. Duas semana ali e já conseguia ver o brilho no olhar daquele garoto. Nada lhe deu mais prazer, a rainha quando viu aquele brilho pela primeira vez lágrimas brotaram em seus olhos. Serena o levava para brincar com os filhos dos elfos da floresta. Ela supervisionava tudo junto a Aryel. Ele sempre estava junto. Ela conversava muito com o elfo e soube que ele já tinha muitos séculos perguntou então porque ele não havia casado e tudo que ele disse foi"sou solitário Serena, jamais vou casar" ela estranhou o que ele disse, ele era bonito. Loiro olhos cinzentos alto cabelos lisos até a altura dos ombros. Ela queria saber mais, mas ele não aprofundou o assunto. Ela começou a contar a Legolas e a rainha como era a vida humana, e a rainha contava a ela como era os elfos. Serena estava encantada com as histórias deles. Seu pai contava as mesmas histórias como ele conhecia? E descobriu tambem que os elfos dali eram misturas de sindar e silvestres, a rainha disse que contaria mais com o tempo. Serena começou até a anotar tudo.
__ Bom dia pequeno elfo
__ Bom dia Nana Serena. Ela lhe deu um beijo. __ Banho?
__ Nãooo! Ela riu.
__ Sim. Venha logo. A porta foi aberta e a rainha entrou.
__ Mára aurë meu amor.
__ Mára aurë vovó.
__ Seu pai já chegou. O coração de Serena se acelerou e a rainha pareceu perceber. Serena desviou o olhar e olhou Legolas.
__ Mais um motivo para voce tomar um banho e ficar arrumado mocinho. Ele olhou para ela com aquele olhar triste
__ Ada não liga. Se virou e se encaminhou para o banheiro. Serena olhou a rainha
__ Isso é verdade?? A rainha suspirou
__ Não posso falar pelo meu filho Serena. Mais ele ama sim Legolas só não demonstra infelismente.
__ Legolas não se sente amado pelo pai, por isso e tão triste. Como ele pode? O rei precisa mostrar ao filho que o ama. A rainha se aproximou dela acariciando seus cabelos.
__ Você trouxe luz para meu neto. Já Thranduil Serena é outra história. Não é mais criança, e um elfo adulto cheio de obrigações e poder, sentimentos não entra nessa conta.
__ Então é verdade o que dizem? A rainha a encarou
__ O que dizem?
__ Que o rei não amou nem a esposa e muito menos o filho? Fora o que dizem nas aldeias que ele é cruel e sem compaixão.
__ Nana serena estou pronto! Ela ouviu legolas gritar do banheiro.
__ Já estou indo meu anjo. Olhou a rainha que só a abraçou
Depois a olhou
__ Ele pode ser sim muito cruel, isso nasceu com ele. Porém é justo e tem sim compaixão. Eu nao pude estar ao lado do meu filho, quando ele mais precisou, Thranduil não conviveu com amor, so com dever. Por isso estou aqui. Tenho que fazer renascer aquele elfo que amava sem medo de amar. Ela se virou se retirando.
"Posso morrer tentando rainha, mas farei Legolas derreter o coração de gelo do rei. Ou não me chamo Serena.

                     Rainha e o rei:
A rainha entrou na sala do rei e fechou a porta. Ele a encarou irritado.
__ Esqueceu de bater na porta alteza.
__ Não preciso. Sou sua mãe. E ainda sou a rainha aqui. Ele suspirou irritado
__ Da próxima vez bata, ser rainha não lhe dá o direito de entrar em minha sala sem autorização.Ela ergueu uma das sobrancelhas e ele a encarou.
__ O que foi?? Ela se aproximou colocou as mãos na mesa e se aproximou bem próxima do rosto dele
__ Chegou ontem a noite, poderia muito bem dar um bom dia ao seu filho hoje, saber como ele está, e no entanto já está aqui, enfiado nessa sala nem perguntou como está se comportando a moça que mandou buscar para cuidar dele.
__ Tenho deveres rainha, e a senhora já cuidou de tudo, percebi quando cheguei aqui, que está tudo em ordem, então não há necessidades de saber de algo tão supérfluo.
__ Seu filho também é seu dever. Não é supérfluo.
__ Estou fazendo igual a senhora.
__ Então quer que seu filho cresça como você?? Aquilo o desarmou se afastou da mãe se levantando. Nao sabia porque falou aquilo. Estava igual ela?
__ Você pode nunca acreditar em mim Thranduil mas seu pai me afastou sim de você, e eu não.fui forte o suficiente para enfrenta_lo tive medo do que ele poderia fazer a mim ou a você
__ Ammë por favor, ada jamais lhe faria mal, e muito menos a mim. Ela se aproximou dele.
__ Você não sabe de nada! Eu sempre poupei você da verdade preferi que me odiasse, a odiar seu pai e acabassem brigando e fazendo esse reino cair em mãos erradas
__ Do que está falando??
__ Nada. Só quero que... Ela suspirou e se aproximou ele deu dois passos para trás. __ Só me diga! Quer que ele cresça como você? Quer que ele so veja aliados em volta dele e não amigos? Abra seu coração para seu filho. Você vai abandona_lo? Ele a encarou se aproximando dela a raiva no olhar.
__ Jamais vou abandonar meu filho. Dessa vez ela se afastou indo em direção a porta
__ Então o aproxime de você. Ou será ele que ao crescer irá te abandonar. Dizendo isso saiu da sala fechando a porta. Thranduil ficou olhando a porta fechada e pensando no que a mãe havia dito.


Serena terminou de arrumar o cabelo de Legolas. Ela o virou para ela e se sentou na cama
__ Quero te pedir um favor.
__ Qual ?
__ Quero que você procure seu pai e lhe de bom dia e de um abraço nele. Se ele não te responder você simplesmente da as costas e volta pra cá. Ele a olhou triste
__ Ada não gosta de mim Nana.
__ Seu pai é um rei muito ocupado e cheio de obrigações meu amor. Então ele talvez precise saber que o filho o ama e estará sempre com ele.
__ Quando eu crescer vou embora daqui.
__ Vai abandona_lo? Acha certo?
__ Ele é ruim.
__ Não meu amor. Sua vó me disse que seu pai teve problemas na sua idade, por isso ele é assim. Ele te ama só não sabe demonstrar. Talvez voce consiga quebrar o gelo. Serena viu um brilho de esperança no olhar de Legolas. Ela sorriu.
__ Vamos tentar quebrar o gelo dele? Se você não conseguir pelo menos você tentou meu amor, mas você deve saber que ele te ama sim. Do jeito dele mas ama. Está bem?
Ele a abraçou e saiu pela porta. Ela suspirou, "que tudo desse certo".

                   THRANDUIL
__O que são esses papéis Aryel? Perguntou Thranduil ao elfo.
__ Autorização para novos equipamentos de treino majestade, ah e a encomenda de vinhos para a cidade. Ele olhou todos e conferiu antes de assinar
__ Os equipamentos de treino serão comprados por você está bem? E mande ficarem de olho no envio dos vinhos. Não quero dor de cabeça depois.
__ Pode deixar majestade, o elfo se virou e abriu a porta e ambos viram o príncipe que foi entrando.
__ Pirncipe! Aryel o saudou. Legolas também o saudou, e o elfo se retirou.
__ Algum problema Legolas? Disse o rei olhando o filho que estava de cabeça baixa. O pequeno elfo levantou a cabeça.
__ Eu só... suspirou e ficou olhando a sala. Thranduil ficou o olhando. O filho não o encarava. Era ruim demais ter a sensação que seu filho se sentia mal ao estar perto dele. Sua mãe tinha razão? Ele também iria embora quando ficasse mais velho? Sua sina era reinar aquela floresta sozinho? Se fosse era o que ele merecia. Se levantou da cadeira e se aproximou do filho.
__ Legolas?? O menino olhou pra cima.
__ Eu só queria dar bom dia, e saber se foi bem de viagem. Thranduil estranhou aquilo. Jamais seu filho fez isso. Sua mãe o mandou ali?? Não. Sua mãe jamais interferiu no relacionamento deles. Era uma ordem explícita dele. Então...
__ Bom dia Íon. E a viagem foi boa sim. Ele se abaixou e olhou o filho.
__ Quem te mandou aqui?? O menino arregalou os olhos. Porém a seguir surpreendeu o rei o abraçando apertado e logo depois se virando e saindo correndo. Thranduil ficou em choque. Quantos anos não sentia os braços do filho sobre ele? 


Notas Finais


Ate o próximo meus amores 😍❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...