História Reincarnation - Capítulo 1


Escrita por: e Yamazakyun

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Histórico Ficção Gay
Visualizações 3
Palavras 3.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá meus caros!
Hoje os apresento a minha primeira fanfic de sinopse bem longa, para vocês quem leram.
Eu não esperava que saísse tão grande, mas essa é a vida sempre nos surpreendendo.
Mas enfim, eu devo parar de enrolar vocês, vamos logo para este capítulo!

((Talvez haja alguns erros de português.))

Capítulo 1 - Permanência Passada


Fanfic / Fanfiction Reincarnation - Capítulo 1 - Permanência Passada



















ー Hã? Cadete Zhang Long? O que faz aqui? - disse um dos vigias da sala do oficial.

ー Estou aqui para ter uma palavra com o oficial Zheng. - respondeu de forma firme e direta ao vigia.

ー Hmm... Certo, já que é isto.. - o vigia logo se locomove para abrir a porta da sala, e em seguida volta para a sua posição de antes. ー Têm a minha permissão de adentrar.

ー Obrigado. - sem mais demoras, o rapaz adentra na sala e as grandes portas se fecham.

ー Zhang Long? - diria o oficial levando o seu olhar até ele, enquanto segurava alguns pergaminhos. ー O que faz aqui? Não deveria está descansando em sua estalagem com os outros?

ー Sim, mas, não é lá que eu gostaria de estar descansando.

ー O que quer dizer com isso? - perguntou enquanto colocava sobre a sua mesa um dos pergaminhos que segurava.

ー Como dizer... - suspirou por um breve momento e logo retomou sua fala. ー Eu quero deixar esta base militar. - ao ouvir suas palavras, o oficial surpreso acaba por derrubar seus pergaminhos, assustando a Long. ー Oficial Zheng? Está tudo bem?!
















ー Vende-se chás, e da melhor qualidade! Venham, experimentem por si próprios! - dizia em tons altos um suposto vendedor ambulante que passava pelo vilarejo com uma pequena carrocinha com suas tais mercadorias.

ー Hm? Mas que ladainha de chá é esta? - falou Long de forma rabugenta, e logo se levantara de sua cama para ver por sua janela o que lhe incomodava. ー Um vendedor ambulante de chá por aqui? Que raridade.. E pensando bem, faz um tempo em que não bebo chá.. - pensando no que deveria fazer naquele momento, Long logo é surpreendido pelo mesmo vendedor que ali passava.

ー Uma boa tarde rapaz! - disse enquanto sorria para Long que aos poucos se recuperava do susto que havia tomado. ー Está interessado em comprar algum chá? Eles são ótimos e há de vários gostos aqui comigo!

ー Bom, supostamente eu quero sim comprar. - ao ouvir sua frase, os olhos do vendedor ganham uma grande quantidade de bilho. ー Mas, eu quero provar para ter a certeza de que o teu chá é mesmo bom o suficiente.

ー Está bem! Apenas aguarde! - empolgado, o vendedor logo começa a vasculhar a sua carrocinha até encontrar um frasco de chá nele e um copo. ー Aqui, prove este delicioso chá verde maojian! - ele logo retira a tampa do frasco e despeja o líquido que ali tinha bem no copo e o entrega para Long.

ー Obrigado. - ele pega o copo e bebe o chá até a metade, logo dá uma pausa para supostamente analisar o gosto do chá. Estava bom, muito bom! Com isso em mente, Long bebeu o resto do chá e entregou o copo vazio para o vendedor. ー Tenho de admitir, o teu chá é mesmo muito bom.

ー Fico feliz que tenha gostado! Quais gostaria de levar?

ー Você têm chá preto pu erh? - o vendedor assentiu. ー Ótimo, vou querer este e o que você me serviu.

ー Excelente! Você têm um bom gosto, ouso dizer. - dito isto, o vendedor logo busca pelos sabores de chá que Long pediu e os entrega em uma pequena sacola de papel. ー Aqui, tudo isto custa 60 remimbis.

ー Bem caro, mas vale ao preço. - ele logo vasculha as suas coisas e encontra a quantia necessária para pagar e volta para a janela. ー Aqui está jovem.

ー Muito obrigado! E não precisa me chamar de jovem, meu nome é Wang Mao. - com um sorriso em seu rosto, o mesmo entenderia a sua mão direita em sua direção.

ー Oh, está bem. A propósito, eu me chamo Zhang Long. - sem pensar duas vezes, Long aceita o cumprimento de Mao e sorri para ele. ー Escute, por quê não tomamos um pouco de chá?

ー Fazer uma pausa para descansar não irá fazer mal, tudo bem!





















ー LONG!!! - gritava Mao em meio de desespero e lágrimas que insistiam em cair. ー DEIXEM-O EM PAZ!!

ー Para que? Acha mesmo que aceitamos esse tipo de "gente" que você e este miserável são? - dizia um cadete militar que apontara um sabre dao abaixo do pescoço de Long.

ー Nós não sentiremos nenhum pingo de remorso quando darmos um fim à ele e à você. - disse outro cadete que segurava Long pelos ombros.

ー Vocês podem fazer o que quiserem comigo. Mas nele vocês não tocam. - disse Long levando o seu olhar tranquilo em direção ao Mao, que ficara surpreso e preocupado com sua fala.

ー Mas que baboseira! Nós iremos acabar com os dois, e começando por você! - sem mais demoras, o cadete que tinha em mãos um sabre dao logo o reposiciona até o peito de Long, fazendo em seguida diversos cortes no local.

ー NÃO!!! DEIXEM-O AGORA!!! - não aguentando mais ver aquela cena, Mao se ergue e corre na direção de Long para ajudá-lo, mas é impedido por outros cadetes que o atacam por sua frente e costas.

ー MAO!!! - em meio de toces, Long grita desesperadamente ao ver Mao ser atacado e ter caído em seguida. ー SEUS DESGRAÇADOS, AHG, EU VOU MANDA-LOS PARA O INFERNO!!!

ー CALADO!! - rapidamente, Long é ferido em suas costas, fazendo com que o mesmo encontra-se com sua face naquele chão.

























ー !?!? - no susto, acabo por acordar extremamente confuso e assustado. ー O que foi isso!? - me assento na cama e passo levemente minhas mãos sobre o meu rosto suado. ー Meu santo Panku, por que eu não paro de sonhar com essas coisas!?!


Ah, olá. Meu nome é Yang Shen, sou dono de uma das empresas literárias juvenis mais bem sucedidas de todo o país. Sou bem aplicado e tenho uma agenda rígida, quase não tenho tanto tempo para mim, é tudo trabalho, administração e mais um monte de coisas. E como vocês acabaram de ver, eu tive um sonho muito confuso. Na verdade eu venho tendo sonhos como esse constantemente. Quando tenho esses sonhos, sempre abro um espaço na minha agenda para fazer uma pequena visita ao consultório do meu psicólogo. Sim, eu vou ao psicólogo para entender o por quê desses sonhos estranhos e repetitivos. Inclusive, irei agora mesmo me preparar para logo ir em mais uma consulta inesperada.


ー Ahh, telefone venha cá... - com muito desânimo, pego o meu telefone que se encontrava sobre a cabeceira da cama e o desbloqueio. ー Deixa eu ver... Ah, aqui está! - após encontrar o número do meu psicólogo, clico nele e a chamada logo se inicia.

ー Alô? - respondeu o psicólogo Hu Jun que atendera o telefone rapidamente.

ー Alô e bom dia Sr.Jun. Desculpe por incomoda-lo já de manhã mas... Eu tive novamente mais um daqueles sonhos.

ー Oh, entendo. Gostaria de conversar sobre este sonho agora?

ー Se o senhor não se incomodar.

ー Não não, você pode vir ao consultório.

ー Obrigado de novo Sr.Jun, te vejo logo mais. - encerrei a chamada e coloquei novamente o telefone sobre a cabeceira da cama e me levantei. ー E aí vamos nós de novo..


Ajeitei minha roupa de cama e adentrei no banheiro que se encontrava no mesmo cômodo que o quarto. Abri a torneira e deixei a água cair sobre minhas mãos. Passei minhas mãos úmidas com a água em meu rosto e me pus a me encarar no espelho. Meu rosto estava impecável como sempre, mas havia alguns traços de olheiras abaixo de meus olhos. Isso não me incomodava, já que eu adoro minhas olheiras, elas destacam de alguma forma os meus olhos castanhos. Mas chega de me admirar, tenho que preparar meu café da manhã e arrumar-me para está consulta. Saí do banheiro e separei as roupas que usaria e me troquei ali mesmo. Com preguiça de colocar as roupas que usei sobre a máquina de lavar, que se encontrava na lavanderia bem longe de meu quarto, simplesmente as joguei sobre minha cama e saí do cômodo. Fui até à cozinha, abri a geladeira, peguei um pote que nele contia alguns baozis e os coloquei em um prato e logo os pus para esquentar no microondas. Após alguns minutos, os baozis são requentados e abro novamente a geladeira e pego um pouco de suco da jarra. Quando termino de comer e beber tudo, levo minha louça até a pia e a lavo rapidamente. Pronto! Estava quase tudo em seu devido lugar, só me restava sair definitivamente e ir até o consultório.


Alguns minutos depois..


Estacionei meu carro adequadamente em uma das vagas que encontrei. Já havia saído dele e estava caminhando até a entrada do edifício em que se encontrava o consultório de meu psicólogo. Adentrei nele e fui até o elevador, escolhendo a opção do quinto andar onde se encontrava o meu local de destino. Não demorou muito para ele chegar até lá, mesmo com o tanto de gente que havia solicitado o elevador. Caminhei até a sala 505, que era a sala do consultório. Entrando lá, fui até a recepção e não encontrei ninguém ali, mas logo o Sr.Jun abriria a porta de sua sala de seu consultório e me cumprimentaria e pediria para que eu entrasse e sentasse em meu lugar de costume.


ー Muito bem... - ele limpava cuidadosamente os óculos que logo foram postos em seu campo de visão. ー Poderia me dizer como foi o sonho desta vez?

ー É claro. - suspirei fundo e logo me pus a contar tudo. ー Dessa vez, o meu suposto eu, o Zhang Long, largou a patente militar em que estava e voltou para o seu vilarejo natal, com o propósito de descansar na tranquilidade.

ー É mesmo? Que boa decisão a dele.

ー De fato, mas também não foi tão boa. Ele conheceu um vendedor de chá ambulante e virou muito amigo dele.

ー E este vendedor possuía um nome no sonho?

ー Sim, seu nome era Wang Mao.

ー E como era sua aparência?

ー Não me lembro bem, mas sei que ele tinha cabelos compridos e escuros, os olhos eram castanhos e ele usava vestimentas antigas de tonalidades alaranjadas e amareladas com branco. E ele tinha um belo sorriso.

ー Hum... Visto por sua descrição ele me parece ser alguém bom.

ー E ele era. Zhang Long gostava muito dele, até demais.

ー Como assim "até demais"?

ー Bom... - suspirei profundamente. ー Zhang Long começou a amar Wang Mao, da forma que um homem ama à uma mulher. E Wang Mao correspondeu este sentimento por ele.

ー Então os dois eram.. - sem que deixasse o Sr.Jun completar sua frase, assenti para ele, sabendo o que perguntaria. ー Entendo, e o que você acha disso?

ー Eu acho normal. Mas surpreendente, já que nessa possível época desses sonhos, o mundo era mais preconceituoso do que é hoje, não?

ー Que bom que pensa desta forma. Pode prosseguir com o sonho. 

ー Certo. Eu não lembro o que aconteceu mas, Zhang Long e Wang Mao haviam sido surpreendidos por um grupo militar, que eram aqueles antigos colegas do Zhang Long.

ー Aqueles que não gostavam do mesmo por suspeitarem dele ser homossexual?

ー Sim, esses mesmos. Acho que já dá para saber o por quê deles terem surpreendido os dois..

ー Oh, então... - assenti novamente. ー Mas que trágico.. Os dois ainda tinham tanto o que viver.

ー Concordo com o senhor. Foi por este quesito que acordei no susto hoje. Até porque, por alguma razão, eu conseguia sentir tudo o que Zhang Long sentia, assim como nos outros sonhos.

ー E como foi sentir os últimos minutos da vida de Zhang Long?

ー Doloroso. Fisicamente e emocionalmente. Ele estava de acordo com a sua morte, mas não aceitou a de Wang Mao..

ー Isso tudo deve ter sido difícil.

ー Sim.. Mas têm algo que não entendo Sr.Jun. - ele deixou com que eu prosseguisse com minha fala. ー Por que eu estou tendo esses sonhos? Quem era Zhang Long? E por que eu sonho com sua vida? Você agora sabe me explicar isso senhor?

ー Sinto muito.. Ainda não consigo entender a relação desses sonhos com você. - não pude deixar de mudar minha expressão de dúvida para a de desânimo. ー Precisarei de tempo para fazer uma análise detalhada da sua situação.

ー Tudo bem, eu espero o quanto for necessário. 


A consulta logo chega ao seu fim, e eu deixo aquele edifício com as minhas perguntas ainda não respondidas novamente. É um tanto desesperador não saber o por quê de tudo isso. O que eu e Zhang Long temos em comum? É o pensamento que rodeia minha mente a quase todo momento em que me recordo de todos os sonhos que tive sobre ele. Ahh, esse assunto me deixa tão estressado..!


ー Ahhh, eu preciso de um cigarro. - sem pensar duas vezes, abro a porta da frente de meu carro e pego meu isqueiro e um cigarro, e logo a fecho e ponho em minha boca o cigarro e acendo o isqueiro.


Fumar em horas de estresse sempre me fez relaxar. Mesmo que muitas vezes eu tenha ouvido de colegas e amigos que fumar não faz  bem para a saúde e coisas desse tipo. Eu tenho consciência disso, mas continuo fumando, já que isso é a única coisa que me tranquiliza perfeitamente. Após alguns minutos fumando naquele estacionamento, logo o meu segundo telefone, que se encontrava no carro, começou a tocar. Rapidamente me desfiz do cigarro e adentrei no meu veículo, tomando em mãos o telefone e atendendo a tal ligação.


ー Alô? - respondi logo ao atender a ligação. 

ー Alô e um bom dia Sr.Shen, quem fala aqui é a sua assistente Jie. Desculpe se eu estiver o atrapalhado em algum afazer, mas acabamos de receber uma proposta de parceria.

ー Oh, sem problemas Jie. E é sério? Mas que maravilha!

ー De acordo senhor, e gostaríamos de lhe passar o resto das informações desta proposta bem aqui na central.

ー Oh, está certo. Darei uma última passada em meu apartamento e logo estarei a caminho.

ー Tudo bem, aguardaremos por sua chegada. - ela logo encerra a chamada.

ー Mas que empolgante, uma nova parceria! - colocaria o telefone sobre o banco ao meu lado. ー Me pergunto de quem será está proposta e sobre o que ela será.. Bom, se eu quero descobrir é melhor eu partir logo! - sem demoras, colocaria o sinto de segurança e ligaria o veículo que logo fôra conduzido por mim durante o caminho.


Mais alguns minutos depois..


ー Sr.Shen! Aqui está senhor! - diria se aproximando de mim Jie, minha secretária. ー Que bom que chegou, temos que comparecer na central para discutir sobre está proposta.

ー Jie, me responda algo. - ela assentiu. ー Aqueles que fizeram a tal proposta estão aqui?

ー Sim senhor. Eles se recusaram a ir sem que pudessem discutir sobre ela com o senhor.

ー Oh, mas que comovente. Isso me faz ficar até mais empolgado!

ー Não se exalte demais. Ou então assustará à eles Sr.Shen.

ー Tudo bem..


Logo nós comparecemos até a central, onde todos estavam nos esperando. Me assentei em meu devido lugar e pus meu olhar sobre naqueles que supostamente fizeram está proposta. Eram dois homens, um aparenta ser da mesma ou quase idade que a minha, já o outro era de se considerar "um senhor". O mais jovem usava vestimentas comuns, mas feitas para está situação, e o mais velho usava uma roupa social completa, bem esperado de alguém mais velho. Logo meus pensamentos analistas são borrados com a chegada do pequeno grupo de avaliação da empresa, que se juntariam a nós para analisarem perfeitamente a proposta e seus lados bons para a empresa.


ー Muito bem. Um bom dia primeiramente. Como devem saber, eu sou o diretor desta empresa, Qīngnián Yuèdú, e é um prazer ver que têm interesses em fazer uma parceria com ela. - eu sorrio para eles. ー Oh, como sou desatento, eu me chamo Yang Shen caso não saibam.

ー É uma honra ter contato com o senhor. - respondeu o mais velho. ー Eu me chamo Liu Feng, sou diretor da escola particular Zhejiang Wanli, e este aqui ao meu lado é um dos professores dela. - ele olhou para o mais novo. ー Vamos, se apresente.

ー Sim senhor! - ele sorriu. ー Me chamo Huang Kuan, sou professor de literatura e trabalho na mesma escola do Lao-Feng. É um enorme prazer estar diante a ti Sr.Shen! - ele sorriu novamente.

ー Oh, posso dizer o mesmo à vocês! - retribui o seu sorriso. ー Pois bem, poderiam me dizer sobre o que se trata a sua proposta?

ー Claro! Deixarei com que Laoshi-Kuan diga tudo ao senhor, já que, a proposta fôra idéia do mesmo.

ー É verdade? - perguntei surpreso.

ー Sim! - respondeu Kuan. ー Em minhas turmas do ensino médio eu tenho muitos alunos que apreciam muito a leitura. Porém, quase não há tantos livros para serem usados nas aulas. E como já conheço a sua empresa e os tipos de livros que há nela, eu pensei.. Por que não pedir a permissão do Lao-Feng para impor um tipo de proposta de parceria para a sua empresa literária?

ー Ohh, então o objetivo desta parceria seria a arrecadação de livros para uso em salas de aula das séries do ensino médio?

ー Exato! E nós, os professores de literatura, junto com a ajuda do diretor de outros profissionais da escola, iremos pagar em torno 1829,87 remimbis anualmente para manter os livros atualizados em certas áreas de estudos.

ー . . . - fiquei boquiaberto ao ouvir a proposta de valores. 1829,87 remimbis!? Isto é de fato bastante dinheiro que uma escola podia propor para uma arrecadação de livros.

ー Senhor. - murmurou Jie que se aproximou de mim. ー É uma excelente oferta não acha?

ー Sim, mas não só a oferta, e sim o quão empenhados estão em educar seus alunos. - murmurei. 

ー De fato, estes dois fatores são bem convincentes.

ー É, e com isso já tenho uma decisão. Só preciso conversar com a equipe de avaliação sobre ela.

ー Isso é ótimo senhor. - ela sorriu.


Me pus a levantar de meu lugar e caminhei até o grupo de avaliação. Escutei sobre suas pesquisas avaliativas sobre a escola do Sr.Feng, e de fato, a escola tinha um ótimo desempenho e tinha mesmo uma pouca quantidade de livros para usarem nos ensinos de literatura. Após discutir e trocar idéias com eles, finalmente chegamos a uma decisão concreta para a proposta de parceria.


ー Muito bem meus senhores... - digo me sentando novamente em meu lugar. ー Conversei com o meu grupo de avaliação e já tenho uma respondeu para vocês.


Um silêncio dramático se estabeleceu na central. Liu Feng e Huang Kuan estavam ansiosos e pensativos. "Qual será sua decisão?" era o que pensavam. Já Yang Shen mantia um expressão séria em sua face, mas por dentro estava empolgado para dizer o que tinha que ser dito. E o que será?





























Contínua...


Notas Finais


×Dicionário×

Chá Maojin - um chá verde com um sabor doce, um dos mais populares na China.

Chá Pu Erh - é conhecido por ser um grande chá de saúde e um gosto muito ousado e doce, um dos mais populares na China também.

60 Remimbis - em real o que custa R$40,00 reais.

Sabre Dao - uma das quatro armas principais da China, era muito usada como uma das armas militares do exército na China Imperial.

Panku - o principal deus da mitologia chinesa, o deus de toda a criação, nascido do Yin Yang.

Baozi - bolinho feito a vapor com legumes ou carne dentro. Ele tem diversas cores e formatos, mas o mais comum é o branco em formato redondo.

Qīngnián Yuèdú - "青年阅读" "Leitura De Jovens"

Laoshi - professor, é usado para todos tipos de professores.

Lao - Usado para aqueles que tem 40 ou mais anos e são mais velhos que você, significa algo como mais velho mesmo.

1829,87 Remimbis - em real o que custa R$1,089 reais.

× × ×

Ehhh, e foi isso. Foi um estudo complicado e básico que fôra usado para a formação disso tudo, então espero que tenham gostado porque deu trabalho. Espero também que não tenha sido uma leitura entediante, normalmente alguns temas abordados com um foco histórico podem ser chato para alguns. :<

Mas enfim, até o próximo capítulo! 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...