1. Spirit Fanfics >
  2. Reis de Zarkson- TaeKook (Vkook) >
  3. Capitulo 17

História Reis de Zarkson- TaeKook (Vkook) - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Queria agradecer aos mais de 100 favoritos, muito obrigada!

Nem sei como o capítulo ficou, mas espero que gostem.


Tenham uma boa leitura ❤

Capítulo 18 - Capitulo 17



_____Jungkook ______


Já estava entediado de ficar naquele escritório. Não tinha nada para fazer. Tentei ler um livro, andei por todo o cômodo, mas não estava funcionando. Quando algo me interessava, sempre escutava as seguintes  frases  "Não toque nisso" "ou nisso"  Taehyung dizia mesmo não me dirigindo o olhar.

Três horas da tarde era o horário do almoço no castelo e fui obrigado a comer com ele no escritório.

Tédio, muito tédio.

Me levantei descidido a sair daquele lugar, minha bunda já estava ficando quadrada. Quando coloquei minhas mãos na maçaneta sua voz me parou.

_Onde pensa que vai?_ Me virei para ele sem realmente lhe encarar.

_Onde mais seria? Vou para o quarto, estou cansado de ficar aqui._ E novamente ele me trancou sem ao menos encostar na porta. _Abre essa merda._ Já estava cansado dessa palhaçada, nem ainda nós casamos e já estou de saco cheio.

_Olha como fala comigo._ Falou estúpido, mas eu não iria mais permitir que ele me controlasse.

_Olha você o está fazendo comigo. Uma hora é carinhoso, outra um estúpido que quer controlar tudo o que faço._ Me aproximei da mesa. _Estou farto, cansei disso tudo. _ Ele ficou surpreso com meu surto, pelo jeito não previu meu comportamento.

_Como assim, cansou?_ Perguntou temeroso.

_Eu não quero me casar com alguém que tenta me controlar o tempo inteiro._ Não acredito que estou fazendo isso, mas o que esperar de um relacionamento como esse?

_Você não está em posição de escolher nada. Já fez a sua escolha._ Se levantou e se aproximou de mim jogando mais um vez na minha cara minha decisão.

_Eu escolho o que quero sim, a vida é minha. Posso muito bem dizer não perante todo mundo e você passará vergonha._ Ele agarrou meu braço com brutalidade.

_Olha aqui seu..._ O interrompi, seus olhos ficaram em um vermelho tão forte que eu não podia acreditar ser possível existir tal proeza.

Ele estava furioso.

_Vai me xingar?_ Encarei seus olhos o desafiando. _Vai me bater? Bate, olha só, estamos aqui sozinhos pode fazer o que quiser comigo, ninguém além de nos dois saberá._ Sorri, pude ver que ele estava cada vez mais furioso. _Mas fique ciente da humilhação que farei você passar meu rei. Terei um imenso prazer em lhe dizer um belo de um não._

_Meça suas palavras ao falar comigo, ômega._ Usou sua voz de alfa me fazendo estremecer.

_Falo como bem entender. Você é um idiota se pensa que pode mandar em me._ Peguei  na lapela do seu terno azul. _E se você continuar a me tratar desse jeito, como um nada, alguém que pode controlar quando quiser, mesmo que estejamos  casados o trocarei pelo seu conselheiro, afinal ele me quer._ Meu lobo rosnou internamente não aprovando minha fala.

Talvez eu estivesse colocando Yoongi em perigo ao falar aquilo, mas eu queria fazer esse alfa idiota perceber que pode me perder se não mudar suas atitudes.

Percebi que aquilo foi a gota d'água para ele, quando um vento forte nos envolveu.  Livros começaram a voar pelo escritório me assustando.

_ O que está fazendo?_

Um lápis veio  numa velocidade avassaladora, só deu tempo de virar o rosto quando percebi que seria atingido, mas não sem antes senti-lo passar raspando em minha bochecha me causando dor.

_Ai. _ Levei a mão ao machucado recente sentindo o líquido quente em meus dedos. Olhando ao redor não consegui ver através do tornado que nos cercava.

Quando encarei Taehyung me assustei, seus olhos não estavam mais na coloração de antes, estavam roxos com pequenos raios. Não era ele ali, era outra coisa e isso estava me assustando.

Tentei soltar meu braço do seu aperto, mas quanto mais tentava, mais forte ele apertava me causando mais dor, muita dor.

_Taehyung?_ Ele não piscava os olhos. _Me solta, está me machucando._ Sua mão em volta do meu braço estava cada vez mais forte, senti que era capaz de quebrar o meu osso.

Por que eu só me meto em confusão?

Meu corpo estava ficando fraco, minhas pernas falharam e eu fui ao chão, mas ele ainda não me soltava. Continuava a me encarar com aquele olhar assustador.

_Tae..._ Lágrimas encheram meus olhos, mas não deixei que rolassem pelo meu rosto. _Por favor._ Senti o desespero atacar quando uma névoa roxa assim como seus olhos começou nos envolver. Não sabia se ela era tóxica ou se me sufocaria quando enfim chegasse ao meu rosto. Então reuni todo a pouca força que me restava e levantei me agarrando nele.

Taehyung estava fora de si.
Ele podia acabar destruindo o castelo e pior, nossas vidas.

Ele realmente é perigoso.

Não sabia o que fazer para acalma-lo. De alguma forma ele estava sugando minhas forças, tinha que fazê-lo parar.

Ele estava furioso, mas só ficou  assim quando ameacei traí-lo, algo que era mentira.

_T-Taehyung,  não irei deixá-lo, ficarei com você. Não irei trocar você pelo Yoongi._ Levei  minha mão livre ao seu rosto, senti meu braço sendo liberado daquele aperto e o sangue voltar a correr. _ Fique calmo, meu lobo lhe escolheu, não tenho mais como escapar mesmo se eu quisesse._ Sussurrei fraco. Realmente muito fraco, só consegui ficar de pé,  porque estava me apoiando nele.

Aos poucos o pequeno tornado começou a dissipar. Todos os objetos que voavam, estavam voltando a seus devidos lugares. Estava tudo arrumado.

A névoa que nos envolvia continuava a subir. Talvez eu fosse morrer ali, já estava sem força mesmo. Foi pensando nisso que o abracei e quando o névoa chegou ao meu pescoço o beijei em desespero. Se era pra morrer, que fosse nos braços de um alfa tão gostoso.

Coisa ridícula de se pensar, afinal era ele quem estava causando tudo aquilo.

Senti a parte de trás do meu corpo ser colocada em algo bem fofo. Pensei ser a névoa, mas quando Taehyung se posicionou entre minhas pernas, descarte tal possibilidade. Estávamos em seu quarto. Como chegamos lá? Um mistério.

A dor  do pequeno ferimento no rosto e a do meu braço se dissipou quando ele pronunciou algumas palavras em um idioma que eu não entendia. Então  ele me beijou e aos pouco minha força estava voltando.

Entre nossos beijos Taehyung sussurrou baixinho. _Me perdoe, não queria machucá-lo._ Enfiou o rosto na curvatura do meu pescoço. _Eu perdi o controle._

Peguei seu rosto para que o olhasse nos olhos.

_Eu quero que me prometa que jamais irá me machucar._ Eu estava preocupado e muito assustado com o que havia acabado de acontecer, mas eu não queria deixá-lo. Sei  que isso é muito irracional da minha parte depois do que aconteceu.

_E-eu não posso.

_Prometa, não posso entrar em um relacionamento sem ter  uma certeza de que você pelo menos irá tentar._ Por favor prometa.

_Jungkook você não entende, não é fácil para mim._ E pela primeira vez, Taehyung se mostrou talvez um pouco vulnerável. Isso de certa forma me deixou aliviado, ele não é impenetrável, tem sentimentos.

_E você acha que para mim é? Não sei do que é capaz, você literalmente criou um tornado, nos "teletransportou" para outro lugar, quase enfiou um lápis na  minha cara._ Sussurrei para que apenas ele escutasse, mesmo não havendo outro ser naquele quarto.  _Pode pelo menos prometer que não irá tentar me matar novamente?_ Seu corpo tensionou com minha última frase.

_Eu prometo e por favor me perdoe._

_Desde que nunca mais faça isso  comigo, está perdoado._

_Não farei._ Ele enfiou seu rosto na curvatura do meu pescoço novamente.

Ficamos durante horas  naquele lugar apenas curtindo um ao outro em um silêncio confortável.

No final daquela tarde, a pedido de Taehyung me arrumei, já que ele havia me dito que os novos hóspedes estavam para chegar. Os primeiros a chegar foram o rei Kim Seokjin e seus filhos gêmeos. Depois foi a vez do rei Kim Namjoon e quase não acreditei quando o vi ao lado dos filhos do rei ômega, eles eram idênticos. Era nítido que  eram filhos do meu antigo soberano.

_São lindos, não são?_Ouvi uma voz doce atrás de mim. Não me virei para o olhar, apenas respondi o que veio em minha mente.

_Sim e são idênticos, como pai e filhos._

_É por que são._ Me virei encontrado o rei ômega ao meu lado. Lhe encarei assustado.

_Oh, desculpe a minha indelicadeza. _ Fiquei envergonhado por comentar sobre isto justo com ele.

_Não se preocupe, não há como esconder algo tão óbvio._ Dito isso, ele saiu e seguiu ao encontro dos filhos e do rei Kim Namjoon.

Que loucura. Eles não dão a mínima para quem está os olhando. Simplesmente continuam agarrados como se fossem um casal.

Mais tarde, já no início da noite o rei de Krilian estava chegando. Respirei fundo me preparando para a chegada de Jimin.

Taehyung segurava minha mão. Acho que percebeu o meu nervosismo.

_Não se preocupe, tudo ocorrerá bem._ Ele tentou me acalmar. Na verdade até meu lobo estava agitado, inquieto.

Assim que entraram, a primeira pessoa que vi foi ele, Park Jimin deslumbrante como da última vez que o vi. Quando seus olhos avistou minha pessoa, um sorriso enorme se pôs em seus lábios me deixando confuso. 

_Jungkook. _ Jimin disse sorrindo vindo correndo ao meu encontro.

_Oi Jimin._ Fiquei meio sem jeito.

_Não sabe a saudade que estava de você._ Me assustei com  o maluco me abraçando.

_Saudade? Pensei que me odiava, já que  roubei quem amava. _ O lembrei, não sei porquê.

_Ah, isso? Já passou._ O ômega distribuía sorrisos em meio aquela conversa esquisita. _Já tenho outro alfa. Foi amor a primeira vista, olha._ Jimin estendeu sua mão em minha direção. Surpreso fiquei quando vi um anel de compromisso no seu dedo.

_Você está noivo?_

_Estou, não é um máximo?_ Suspirou. _Estou tão apaixonado._

Me preparei para um xilique e ele me vem com isso?

Virei para me apresentar ao rei Park o encontrando me encarando petrificado com os olhos extremamente abertos. Talvez a minha beleza o tenha chocado.

Ele é  tão grande.

_Oh, já ia me esquecendo, esse é Park Chanyeol rei de Krilian e também meu irmão mais velho._ Jimin disse alegre.

E assim o rei voltou a si.

_Jungkook  majestade, sou Jeon Jungkook. _ Iria fazer uma reverência, Mas ele me impediu quando me puxou para um abraço apertado. Estranhei sua ação, mas o correspondi.
Meu lobo de alguma forma  não o rejeitou. 

Taehyung sorriu com o ato do rei e logo cumprimentou  Jimin que lhe fez uma reverência.

_Não acredito no que fiz._ Chanyeol sussurrou baixinho para si mesmo, mas eu consegui ouvir.

Pensei que seria algo rápido, mas me enganei. O alfa não me largava e aquilo estava me deixando desconfortável.

Olhei para os presentes na sala pedindo ajuda com o  olhar, principalmente para meu futuro marido, mas pelo jeito ele não achou nem um pouco estranho outro alfa me agarrar assim. Isso me deixou um pouco chateado.

_É..._ E a merda do meu lobo simplesmente se aconchegou nos braços do alfa.

Aquilo foi me incomodando de uma forma que me soltei dele na base da força, não era por ser rei que o dava o direito de se comportar assim comigo.

_Me desculpe, acabei me empolgando._

_Percebi._ Respondi um pouco grosso, não gostei da atitude desse alfa abusado. Meu lobo pode não ter se incomodado, mas eu sim.

Taehyung e o outro rei se cumprimentaram. Da última vez que li sobre esses reis, foi especificado que eles não tinham nenhum tipo de contato, mas vejo que aquela revista estava equivocada. Os dois se tratavam como velhos amigos, como se conhecesse a vários anos.

Algum tempo depois os empregados  os levaram para seus devidos aposentos.

_Como se sente?_ Taehyung me perguntou logo que ficamos sozinhos.

_Não gostei de como aquele alfa me tratou. Além disso, senti alguma coisa quando o vi._

_Que tipo de coisa?_  Começamos andar pelo Castelo. Ele me puxou para seu lado segurando em minha cintura.

_Não sei explicar, um sentimento vindo do fundo do meu coração e como não entendo que sentimento é esse, irei apenas defini-lo como algo ruim. _ Precipitado? Um pouco.

_Como irá defini-lo assim se não sabe o significado?_ Me questionou. _Talvez você apenas precise  de um pouco mais de tempo para conhecer o Park._

_Está tentando me jogar para cima daquele alfa?_ Comecei a ficar desconfiado.

_Óbvio que não, só queria que vocês tivessem uma boa relação._

_Esquece, não quero ter contato com ele. Sinto que não devo confiar nele._ Era estranho sentir o que eu estava sentindo sem saber o que significava.

_Mas..._ O interrompi.

_Por favor, não vamos mais falar sobre isso._ Ele concordou em silêncio dando fim aquela conversa.  


Notas Finais


Até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...