História Rejects - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, 5sos, Luke Hemmings, Romance, Stonem
Visualizações 144
Palavras 1.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiiiiiieeeee
me desculpem a demora, é que fiquei sem tempo essa semana entao deu uma atrasadinha rsrsrs
queria agradecer o carinho de vocês, estou bem feliz com essa fanfic e com todos os comentarios fofos que vcs tem deixado, serio, AMO VCSSS
estamos com 35 favoritoss yaayyy
obrigada a todas vcsss, obrigada mesmo 💙
bom, ja falei muito, entao agora podem ler o cap de hoje

Capítulo 17 - Seventeen


Luke Hemmings

Depois do ocorrido, tive que acompanhar Lana no hospital enquanto seus pais não chegavam. Levaram ela para uma sala para tentar salva-la, enquanto eu andava para lá e para cá naquele corredor claro e gélido. Eu estava em pânico, sem saber o que iria acontecer nas próximas horas e isso estava me matando.

Não sei o que faria se recebesse a notícia de que ela se foi. Mas sei que vou abraça-la muito se ela estiver bem. Deus, e como eu queria abraça-la.

Um homem alto e de cabelos escuros vinha ao fim do corredor. Ele me lembrava a Lana e então pude ter certeza de que este era o pai dela no momento em que ele se aproximou e notei o sobrenome ‘’Carter’’ em sua etiqueta.

_Olá – ele disse sem ânimo.

_Oi – respondi.

_Você é o garoto que encontrou minha filha?

_Eu mesmo.

_Eu queria te agradecer. Obrigado mesmo.

_Não me agradeça, ainda posso ter chegado tarde demais...

_Eu espero que não – se sentou no banco que havia ali e ficou encarando o nada – Você já a conhecia?

Assenti me sentando ao seu lado.

_Se quiser ir embora, já pode ir. Sei que só estava aqui porque eles pediram até que eu chegasse.

_Não, eu quero ficar. Preciso saber como ela está – falei.

Então tudo ficou em silêncio. Olhei discretamente para o pai de Lana e ele não estava muito bem. Parecia abatido e cansado.

Uma enfermeira saiu do quarto de Lana e logo veio em nossas direções.

_A paciente Carter está estabilizada. Está sob medicamento e vamos realizar mais alguns procedimentos. Nas próximas horas ela poderá receber visitas – ela falou nos deixando aliviados.

Senhor Carter deu um meio sorriso e agradeceu a enfermeira. Fico feliz que ela esteja bem. Porra, na verdade fico muito feliz que ela esteja bem. Acho que nunca tive tanto medo na vida de perder algo quanto tive medo de perdê-la. E eu não a perdi.

Depois de algum tempo, a mãe de Lana havia chegado. Ela me agradeceu também, e logo se sentou no banco, aguardando poder ver sua filha. Fico imaginando como seria para eles dois perderem os dois únicos filhos.

Algumas horas se passaram, Lana tinha acordado e já poderia receber visitas. Mas adivinha? Apenas parentes poderiam visita-la. E eu não conformado fui embora, mas voltei ao hospital duas da manhã e dei meu jeitinho de entrar. Talvez eu esteja fazendo uma loucura invadindo o quarto de Lana, mas quem se importa?

Abri a porta de seu quarto, e adentrei, notando que a luz estava apagada. Me aproximei de sua cama, vendo que ela obtinha ajuda de aparelhos para respirar. Mesmo ali, depois de quase ter morrido e estar internada num hospital, ela permanecia linda.

Puxei uma cadeira e me sentei ao seu lado, começando a fazer levemente cafuné em seus cabelos. Eu não queria acorda-la, mas queria tanto ouvir sua voz. Estou confuso.

_Luke? – ela disse baixinho assim que abriu os olhos.

_Oi, Cigarrinho – sei que eu tinha um sorriso enorme estampado no rosto.

_Que horas são?

_São umas duas e pouco da manhã.

_Você não deveria estar aqui.

_Eu sei disso, mas eu queria te ver...

_Você não tá entendendo, você realmente não deveria estar aqui – falou – Minha mãe tá passando a noite aqui comigo, ela deve ter ido no banheiro ou algo assim.

_Merda – murmurei e notei um sorriso em seu rosto, que me fez sorrir também.

_Não acredito que você invadiu um hospital duas da manhã só pra ver.

_Eu também não, mas eu precisava saber se você estava bem.

_Quem te contou que eu estava aqui?

_Lana, fui eu que te encontrei no banheiro... – falei e fui vendo que seu sorriso desaparecia aos poucos.

_E-Eu sinto muito – ela disse.

_Tá tudo bem agora – acariciei seu rosto.

_Você precisa ir, minha mãe pode voltar a qualquer momento.

Suspirei.

_Amanhã eu volto, tudo bem?

Ela assentiu.

Me aproximei de seu rosto e beijei sua bochecha, mas não me afastei novamente, deixando nossos rostos muito próximos. Então notei pelo monitor cardíaco que seus batimentos estavam mais rápidos e rimos um pouco.

_É bom saber que faço seu coração bater mais forte, Carter – sussurrei, ainda com nossos rostos próximos.

_Você deve estar adorando isso – ela também sussurrava.

_E eu estou.

Ela revirou os olhos.

Estávamos tão perto, e eu estava com vontade de beija-la. Ela colocou suas mãos em meu rosto, fazendo carinho naquela região, o que só aumentou minha vontade.

_E se eu trancasse a porta e deixasse sua mãe do lado de fora? – falei baixo, a fazendo rir.

_Não custa nada tentar – brincou.

Esfreguei levemente meu nariz no seu, e em seguida a ouvi dizer:

_Gosto tanto de você, Luke. Gosto muito.

_Também gosto de você, Cigarrinho. Muito.

_Agora vai – ela me afastou – Antes que algo aconteça.

_A única coisa que pode acontecer é sua mãe chegar e gritar comigo.

_Exatamente.

_Tudo bem – respirei fundo me levantando – Nos vemos logo.

_Espero que sim.



{...}



Lana Carter

Hoje fazia um mês desde que vim para os Estados Unidos com a minha mãe. Decidi vir com ela, e então estou numa clínica de reabilitação para me recuperar. Vou ficar aqui pelos próximos cinco meses. Sinto falta das coisas na Austrália mas ficar aqui está sendo bom pra mim, assim posso me recuperar. Falo com Mikey e Lydia por vídeo chamada e Lydia voltará para a Austrália nos próximos meses, então é possível que quando eu voltar, ela também já esteja por lá. Não, não falo ou vejo Luke desde o dia que ele foi me visitar no hospital de madrugada, já que no dia seguinte, eu já havia ido embora. Mas hoje recebi uma carta dele e estou a encarando, me perguntando se devo abri-la ou não. Tenho quinze minutos antes das enfermeiras passarem em meu quarto para me chamarem para a terapia. Então vamos lá.

Peguei a carta em mãos e rasguei o envelope, obtendo uma folha de caderno e então comecei a ler.

‘’ 

15/07/2014

Oi, Cigarrinho.

Como estão as coisas por aí? Sei que não tivemos contato ultimamente, mas eu não fazia ideia de que você iria pra outro país e nem fazia ideia que eu não conseguiria ter contato com você, mas graças a uma pessoa que você chama de ‘’pai’’ tive uma pequena ajuda com o endereço que você está ficando.

Amanhã será meu aniversário. Queria que você estivesse aqui para sairmos com a galera pra beber como fazíamos antes. Seria o melhor presente.

Sabe, foram tantas noites em claro que eu desejei que você voltasse pra casa. Mas você irá voltar algum dia? Ninguém aqui sabe. Sinto sua falta. Falta de tudo em você, sinto falta de coisas que eu nunca imaginei que algum dia sentiria. Sinto falta de nossos momentos, principalmente de alguns específicos que foram vividos numa barraca de acampamento em uma madrugada.

Você está nas minhas veias e eu não consigo te tirar. Ainda tenho aquela tal jaqueta que ficou seu cheiro nela. É, eu não joguei fora.

Sei que as chances de você responder essa carta são bem pequenas, mas eu espero que você ao menos leia.

Volta pra casa – Luke Hemmings ‘’

Assim que terminei, guardei a carta de baixo de meu travesseiro, processando tudo o que eu tinha acabado de ler. Aliás, também sinto falta dele, mas o que eu posso fazer?



{...}



_E ele me mandou uma carta – falei para Lydia ao telefone enquanto eu andava pra lá e pra cá em meu quarto com o celular em mãos.

_Awn, que romântico – ela disse.

_Eu não sei o que fazer.

_Responde, garota! Ou você vai fingir que ele não existe durante esses cinco meses e quando voltar vai fingir que nada aconteceu?

_Isso mesmo – me sentei na cama.

_Meu deus, Lana!

_Eu não vou saber lidar com isso nessa situação. Eu e ele vamos ficar nos comunicando por carta durante cinco meses e como você acha que as coisas vão estar quando eu voltar?

_Não sei, não sou vidente. Mas assim, não precisa ser necessariamente por carta, existe telefone, whatsapp, e essas coisas, sabia?

_Se for pra começarmos de novo, eu quero que seja cara a cara e não por um pedaço de papel ou uma tela – falei.

_Você tá fugindo de novo – ela disse.

_Não estou não. Só estou decidindo como as coisas vão acontecer.

_E você vai decidir sozinha uma coisa que afeta os dois? Lana, ele sente sua falta, o mínimo que ele pede é ouvir suas palavras, por mais que não saiam realmente da sua boca. Foi ele que te encontrou praticamente morta no chão, você sabe como ele se sentiu?

_O fato de ele ter me encontrado não muda nada...

_COMO NÃO, LANA? – ela gritou.

_Misericórdia – murmurei.

_Faz alguma coisa da sua vida ou eu faço por você, e você não vai gostar muito se a segunda opção acontecer – falou e desligou a ligação.



{...}



5 meses depois...

Me restava mais uma semana aqui nos Estados Unidos antes de eu voltar para a Austrália. Eu estou tão animada. Estou louca para contar ao Luke, e falando nele, recebi outra carta dele há alguns dias atrás que ainda não li.

Bem, nós não nos falamos mais depois da primeira carta que ele me mandou. Eu não respondi até hoje e acho que foi melhor assim.

Abri a carta que ele havia me mandado semana passada e então eu comecei a ler.

‘’ 

07/12/2014 

 Olá, Lana.

Como previsto, você não me respondeu. Fui um idiota de ter ficado esperando sua resposta? De ansiosamente checar o correio todos os dias? Talvez eu tenha sido.

Larguei os cigarros e percebi que eles não me fazem tanta falta como você faz. Ultimamente nada me faz falta como você. Eu andei percebendo algumas coisas... Eu te odiava, ou pelo menos achava que te odiava. Você chegou e bagunçou tudo, me fez perceber o quanto eu era um idiota, e isso me fez ficar com raiva de você. Com raiva de mim. Qual era o seu propósito? Que porra você estava fazendo ali? Eu me fazia essas perguntas toda vez que eu te via se aproximar. Você me fez sentir coisas diferentes, coisas boas e coisas ruins. Coisas que eu nem sabia que eu poderia sentir algum dia. Eu era só mais um cara de merda, um desses caras idiotas que se vê em qualquer colégio por aí. Você me fez perceber isso e me fez mudar. Me fez gostar de você, mas eu não queria fazer isso. Não queria nutrir nada por você, eu sabia que eu ia estragar tudo.

E eu fiz isso. Estraguei, e agora vejo o quanto sinto sua falta. Falta das provocações, de te irritar, ou dos meus pensamentos impróprios quando eu estava perto de você. Agora eu nem te vejo mais, e eu sinto falta de ouvir a sua voz falando todas aquelas bobagens pra mim, me irritando, mas no fundo eu gostava disso. Você foi embora, e com o tempo eu aprendi que não é o amor que te faz sofrer. E sim a saudade que o acompanha. – Luke Hemmings’’

Depois de ler aquilo, tive vontade de escrever para ele, de falar tudo o que eu sentia. Mas eu precisava dizer só o necessário agora. E foi isso que eu fiz.

Peguei uma folha e uma caneta qualquer, logo introduzindo minhas palavras na folha.

‘’Eu sinto sua falta, Hemmings. Todo dia eu sinto a droga da sua falta. Mas isso já acabou. Sim, acabou. Semana que vem, estarei voltando para casa. Me aguarde – Lana Carter’’




Notas Finais


e entao, oq acharam?
deixem seus comentarios, pleasee, eles me mostram q vcs estao gostando da historia e eu escrevo mais e mais ❤❤
obrigada novamente pelo carinho, e vejo vcs logo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...