História Rejeitada pelo Alpha - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Visualizações 186
Palavras 3.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoje é aniversário da minha mãe e saímos pra comemorar, mas como prometido capítulo de hoje, meio tarde mas ainda tá em tempo 😂
Só um aviso, como provavelmente vocês perceberam aqui não estou seguindo a ordem do anime em relação aos personagens. Os personagens aparecem em épocas diferentes, alguns mais velhos que no anime.
Como por exemplo o kakashi que na história treinou o Minato quanto ao anime é o contrário e o Gaara que é mais velho que todos por ser vampiro. Isso pra ajudar a desenrolar a fanfic, porque a história passa no mundo sobrenatural e tem foco diferente do anime.
Espero que gostem ❤️
Relevem os erros

Capítulo 32 - Caminho Errado


Fanfic / Fanfiction Rejeitada pelo Alpha - Capítulo 32 - Caminho Errado

“Não importa o quanto você foi longe no caminho errado. Volte para trás.” —Ditado turco

 

Sasori On:

Para alguns o passado traz lindas lembranças, mas para outros o passado é sinônimo de dor, às vezes tomamos caminhos capaz de destruir nosso destino.

Nasci em Sunagakure uma aldeia liderada pelo clã Nosferatu, no começo as coisas eram diferentes, nosso povo vivia sob a dura submissão do líder Rasa Sabaku, um homem frio, calculista e inconsequente, que ansiava apenas pelo poder e não fazia questão de contar quantas vidas perderia se isso significasse vitória. Naquela época vampiros e lobisomens eram inimigos imortais, era prioridade  aniquilar aquela raça, visto que os considerávamos seres inferiores. Foi então que a dois séculos atrás, Rasa comandando o clã Nosferatu ordenou um ataque a alcateia Nascente liderada até então pelo líder Jiraiya sama, conhecido como alpha supremo.

O objetivo era destruir a linhagem pura, para assim acabar com os alpha supremo, cuja força se totalmente quando controlada supera a nossa e o resto da vila seriam escravizador, crianças, homens e mulheres todos serviriam como alimento. Porém subestimamos o poder da alcateia, nosso povo foi massacrado, naquele dia meus pais foram mortos e queimados como animais, o líder Rasa num último golpe tentado de alguma forma machucar o alpha, caçou e torturou seu filho afim de tentar dizimar aquela linhagem. Contudo Jiraya o encontrou, decapitando e queimando o corpo do nosso líder ali em frente ao seu filho.

Essa história é contada para todos os vampiros Strigoi, afim de mostrar qual lado devemos ficar, felizmente ou infelizmente a posição de líder foi ocupada pelo Gaara sama sucessor na linhagem, ele se mostrou diferente, embora fosse um ser frio e sem expressão, ao menos parecia preocupar com o clã. 

As coisas haviam mudado, Gaara mostrou-se um bom líder e com o tempo a ferida tinha cicatrizado ou pelo era o que acreditava. Muitas décadas depois, Minato sama procurou nosso clã em busca de formar uma aliança, mesmo com a maioria discordando Gaara sama concordou em se aliar, matando qualquer um que se oponha a sua vontade. Mesmo que houvesse um sentimento de gratidão pelo atual líder, aquela decisão mudou meu ponto de vista, me cegando para realidade, foi então que trilhei novos caminhos. Porque certas mágoas jamais serão esquecidas, e perdoar não é uma questão de querer mas de saber esquecer o passado e pra algumas pessoas isso é impossível. 

Obcecado por vingança e cego para a realidade abdiquei minha posição no clã Nosferatu, passei a viajar pelos lugares conhecendo  meu mundo, foi então que num bar durante a noite encontrei um homem embriagado, cuja vida no passado havia sido marcada pela alcateia Nascente assim como a minha. Este homem acusava Minato sama de ter roubado sua noiva e de usar do seu poder para forçar o alpha secundário a ceder a filha para o casamento, mesmo contra a vontade.

     Danzou Shimura aparentemente era um homem apaixonado, da linhagem de alpha secundários que foi traído pela própria raça pra satisfazer os caprichos da linhagem pura, eu compartilhava da sua dor, no passado aquela alcateia também tirou algo que amava. Não existia uma maneira de detê-lós, eram fortes e protegidos pelos deuses. Enquanto eu, apenas um vampiro que vivia fugindo sem um caminho pra seguir e sozinho.

Foi então que Danzou planejou uma maneira de conseguir a vingança que ansiávamos, fiquei estático ao ouvir aquela proposta tão absurda. Ele contou ter descoberto uma maneira de criar uma nova raça de híbridos, não entendia seu plano porque todos nós sabemos que o elo nascer entre vampiro/lobo é rara, porém ele insistia que essa a única maneira de resgatar a mulher que amava.

 Recusei diversas vezes fazer parte daquilo mas ele sempre me encontrava, era um absurdo e uma afronta direta aos deuses, mas Danzou continuou persistindo, tentei fugir mas ele sempre me encontrava. Então sua última proposta despertou um desejo antigo, conhecido como vingança. Se o transformasse em híbrido e ajudasse a criar essa nova raça que seguiria suas ordens, ele traria a cabeça do  homem que matou meus pais.

Ansiava por isso, mas do que por viver, sabia as consequências e mesmo temendo pelo que pudesse acontecer, aceitei transformá-lo. Ficamos escondidos numa cabana entre os humanos, afastado de qualquer raça que conhecesse nosso segredo e ousasse contar para os líderes do mundo místico. Sabíamos do perigo, caso descoberto seríamos mortos, eles abominariam uma criação dessas.

A transição para híbrido era dolorosa e lenta, primeiro suguei seu sangue quase todo, depois desloquei seu pescoço vindo a falecer, quase doze horas depois ele retornou a vida, com uma sede incontrolável e pra terminar a transição precisaria beber sangue humano. Durante os dias passava amarrado que nem uma fera, totalmente sem controle, enlouquecia e delirava sozinho, dois meses depois ele conseguiu controlar sua força e sede, contudo algumas vidas humanas foram preciso para fazer a transformação completa. Durante um ano conseguimos reunir um exército, ele recrutava todos os nukenis que odiavam a alcateia Nascente e eu os transformava, percebemos então que aqueles cujo sangue tinha ligação com a linhagem superior conseguiam controlar seus dons durante o tempo, mas os outros mestiços de raça inferior serviam apenas para serem lacaios, aqueles que poderiam ser mandados na frente para morrer.  Isso não fazia importância pois precisávamos de quantidade, depois os recém-criados foram treinados com sua técnica de luta desenvolvida por Danzou, enquanto os adestrava para seguir ordens. O ataque a vila dos lobos chegou e podia ver fogo não olhos do meu novo amigo, porém um segredo tinha sido revelado.

Danzou omitiu o fato que a sua noiva havia se tornado companheira do alpha o que é uma escolha diretamente feita pelos deuses, e ele não estava em busca de trazê-la de volta, seu objetivo era massacrar o povo e tornar-se alpha supremo. Para isso devastou varais vilas, matando o próprio pai, seu ódio era tanto que não satisfeito, torturou os líderes da alcateia do Norte forçando a filha a ver a cena, matou o pai do seu rival, e enfrentou o atual líder porém foi derrotado e fugiu humilhado. Com medo de ser descoberto e transtornado por ter manchado as mãos com sangue, fugi em busca de abrigo, retornei para onde nunca deveria ter saído e por covardia mantive meu segredo escondido do clã Nosferatu.

    Gaara sama manteve aliança com a alcateia Nascente e lutou ao lado da alcateia na guerra, quando voltei pedi que me aceitasse de volta e sem questionar os motivos da minha partida ele aceitou. Uma lei absoluta foi criada pelo antigos anciões do mundo místico, a qual proibia a criação dos híbridos por nossas mãos, considerando aberrações incontroláveis. A punição para esse crime é a morte, apenas os deuses poderiam criar novamente um elo entre lobo/vampiro ou vice e versa para assim nascer um híbrido.

O tempo mantive em silêncio tudo que aconteceu, esse caminho errado tinha sido esquecido e recuei em busca do que era certo, mas a culpa ainda machucava e por mais que tentasse não sabia lidar com os erros do passado, era uma sensação de solidão e vazio que nunca tinha fim. 

Foram varias décadas atormentado pelas lembranças que rodeavam meus pensamentos e me acorrentavam ao passado, fui no fundo do poço, para sentir o quanto a dor pode destruir um ser, lutei desesperadamente para criar barreiras e isolar o passado. Senti remorso, os gritos daquelas pessoas ainda ecoam na minha cabeça e tive que enfrentar meu maior inimigo, a mente que brincava com meus medos, trazendo alucinações. 

 Então a dois meses fui enviado para Konohagakure para atender um pedido especial da nova Luna, a quem nosso líder demostra ter bastante afeto, no apoio do centro de cura, eu relutei em ir mas Gaara insistiu, nas palavras dele “isso mudaria meus conceitos”, e estava certo no primeiro instante, conheci a flor de cerejeira mais linda que já vi. Sakura Haruno é o ser mais doce e encantador que conheci, seus lindos olhos verdes expressam mais vida que as flores na primeira, e seu cabelo estranhamente cor de rosa, faz a aparição de um anjo perfeito ser real, seu sorriso é capaz de iluminar o mundo e me faz querer ser bom.

Sakura chan me mostrou todo o abrigo de cura, um lugar escondido afastado do centro da vila, mas bastante amplo, com varais alas para os feridos e algumas salas para os ajudantes, também disponibilizamos de varias ervas e remédios naturais criados por ela mesma. Do lado de fora á uma cerca de madeira que fecha o lugar tampado por árvores aonde levamos os doentes pra passear quando estão melhores. Ela gentilmente me mostrou tudo e teve paciência em explicar cada lugar, quando me perdia, sorria e ensinava o certo, sei que meu coração não bate com o da maioria, mas perto dela sinto como se estivesse vivo. 

Serei grato eternamente a Gaara sama por ter me dado a oportunidade de conhecer a alcateia Nascente, eles são diferentes de nós, os vampiros são seres frios de natureza e aqui conheci maneiras de carinho desconhecidas. Conheci a nova Luna e entendi a admiração que nosso líder tem por ela, também conheci um antigo alpha um homem com sabedoria e simplicidade, além de varias pessoas da vila.

Fiquei hospedado no centro da vila, aonde a Luna reservou para mim e lá tive o prazer de conhecer Minato sama, que até o momento só ouvia falar, ele agradeceu por vir ajudar a vila e me reverenciou, fiquei pálido mais que o normal com sua atitude e talvez agora entenda as palavras de Gaara sama. Também tive a infelicidade de conhecer pessoas arrogantes, que não deveriam ocupar um lugar importante na vila e por algum motivo fiz um inimigo que faz questão de me apontar como intruso aqui, diria que caso Danzou tivesse destruído o clã Uchiha não sentiria falta, porque esses seres não mereciam viver.

Alguns dias passaram e tivemos muitos feridos, com cicatrizes que infelizmente reconhecia, porque ele havia fugido a mais de cem anos. Contudo ninguém na vila sabia dos ataques, apenas Sakura tinha controle do que acontecia ali e pelo que percebi estava sendo coagida a manter silêncio pelos deltas, fiquei indignado, mas mantive calado em respeito a ela. Porém um grande ataque aconteceu e provavelmente não haveria mais como esconder, até mesmo um dos deltas tinha se machucado. Com isso descobri um segredo, a minha rosada tinha um companheiro, quando vi suas lágrimas derramando ao avistar um homem ferido soube o que ela escondia, eu a acolhi em meu ombro e enxuguei suas lágrimas, me sentia mau por vê-las tão triste, mas caso o Uchiha morresse, o elo quebraria e com o tempo poderia nascer uma ligação entre nós dois. Contudo ele sobreviveu, estava triste por saber que a tinha perdido, mas também me sentia feliz por vê-la sorrindo, depois de dias chorando. Finalmente ele foi embora e voltaria a ser como antes, apenas nós dois cuidando do abrigo, passei à tarde cuidando dos feridos, quando Sakura me avisa sobre uma visita inesperada, não consigo esconder a surpresa quando ouço aquele nome, e tento evitar responder qualquer pergunta que me condene.

—Shion está te procurando. _sakura fala enquanto ajudo um dos feridos a deitar na cama. —Ela está lá fora. _diz séria.

—Irei falar com ela._me viro ficando de frente.

—Pensei que não tivesse amigos na alcateia Nascente. _engulo seco. —Mas pelo..._corto sua fala.

—Conheci Shion aqui, mas não somos amigos. _digo cortando o assunto. —Irei ver o que ela quer._vou em direção a porta.

—Tome cuidado._diz me fazendo parar. —Não confio na Shion.

—E pelo jeito também não confia em mim._saio a deixando sozinha.

Vou em direção a saída e encontro Shion encostada à uma árvore, estou com tanta raiva, que nem consigo me controlar, vou em sua direção a puxo pelo braço a arrastando com força para longe das vistas de curiosos.

 —Me solta Sasori. _grita furiosa. —Tá me machucando._solto seu braço enquanto ela resmunga.

—O que você está fazendo aqui?_falo tentado manter a calma. —Fala e desaparece.

—Preciso que me ajude a achar meu tio._diz com a voz baixa. —Não tenho certeza, mas pode ser que ele esteja por trás dos ataques e preciso que faça algo pra mim.

—Você não sabe o caminho que está tomando._aviso. —Tem ideia das atrocidades que Danzou é capaz de fazer?

—Tenho._respondi friamente. —É é por isso que preciso dele._seu olhar queima. —Tem uma pessoa que está no meu caminho, um obstáculo que precisa ser retirado.

—E o que tenho com isso?_pergunto irritado.

—Sei da ligação de vocês._sorri cinicamente. —Danzou era sobrinho Homura Mitokado o meu pai, o qual ele confidenciou quem o ajudava.

—O que vai fazer com essa informação?_questiono preocupado. 

—Nada se me ajudar, mas se recusar..._da uma pausa tentado me coagir. —Otousan é líder do conselho de konogakure e eu a Luna, podemos dar um jeito de informa que temos um traidor na vila._ameaça. —Imagina o que o líder do clã Nosferatu faria com um traídor._coloca a mão no queixo de forma debochada.

—Faça isso. _me olha confusa, ela não tem ideia de com quem está mexendo. —E matarei toda sua família, até a última geração._sorrio. —Morrerei feliz em livrar o mundo de um ser sujo como você._recua alguns passos e passo por ela a deixando para trás. —E te aconselho que tenha cuidado com o que procura, Danzou é um ser das trevas.

Volto pra dentro enfurecido, cometi erros no passado mas nunca irei ajudar Danzou de novo, fui responsável por muitas mortes e não quero sentir isso outra vez, caminho devagar de cabeça baixa, pensando em tudo, quando ouço a voz de Sakura atrás de mim.

—Gomem Sasori kun. _diz baixo. —Não queria te ofender._ao virar encontro seus olhos me fitando com intensidade.

—Está tudo bem. _sorrio. —Também devo desculpas, pela minha atitude._aproximo devagar. —Não queria ter sido rude.

—Eu não tinha o direito de intrometer em sua vida pessoal. _baixa a cabeça. —Tenho problemas com a Shion e permiti que isso influenciasse.

—Sinta-se a vontade pra perguntar o que quiser. _falo gentilmente. —Quero que me considere seu amigo, assim como considero você._ela cora e não consigo conter o riso.

—Digo o mesmo._fala envergonhada. —Saiba que já te considero meu amigo.

—Bom se isso é verdade, tenho uma dúvida. _ela levanta o olhar. —Sasuke Uchiha é seu companheiro?_pergunto sem rodeios.

—Ele..._parece constrangida. —Durante a lua de sangue o elo conhecido entre os lobos como Tsuganari nasceu, mas não somos companheiros.

—Então não sente o mesmo por ele?_questiono ainda curioso.

—A pessoa alvo do tsuganari cria uma conexão de alma no mesmo instante com a outra pessoa, independente da raça. _explica. —Mesmo que não sejamos do mesmo gene, o elo é muito forte._fala sem dizer o que sente, mas deixando explícito o sentimento de ambos.

—E esse laço pode ser quebrado?_pergunto. —Ou é semelhante ao “Eien no kizuna”.

—“Eien no kizuna”!_indaga.

—É a ligação criada pelo nosso ancestral Caim. _digo. —Ele foi amaldiçoado em vagar pela terra por toda eternidade e assim nasceu os vampiros seres imortais._sorrio ao me lembrar dessa velha história. —“Eien no kizuna" é um elo construído por ele através da magia negra, que significa laço eterno.

—Não conhecia essa história._diz surpresa.

—Cada raça tem uma ligação Sakura chan, fadas também devem ter um elo._digo. —Entre os vampiros é impossível quebrar a ligação, é eterna.

—Entre as fadas existe uma ligação que nasce através da energia da natureza, chamamos de “Yōsei rinku” elo das fadas, que também pode ser quebrada. _diz séria. —Mas assim como todos, a ligação pode nascer entre outra raça, me tornei alvo do tsuganari porque estava sobe a lua de sangue._suspira frustada. —Agora estou presa a esse sentimento, porém o tsuganari também pode ser quebrado, caso ambos rejeitem o sentimento de coração.

—As outras raças tem sorte._digo sorrindo. —Eles podem quebrar o elo e este renasce em outra ocasião, nós vampiros não conseguimos essa façanha._ela ri e cora envergonhada.

—Acho que os deuses gostam de brincar com nosso destino. _diz corada. —Como conheceu Shion?_pergunta mudando de assunto e me pega desprevenido.

—Conheci ela, enquanto andava pelo centro de konogakure. _invento uma desculpa, pra evitar futuras desconfianças. —Mas nunca a vi antes disso. _minto descaradamente.

—Shion é a filha de um dos conselheiros da alcateia. _fala. —Eles são do linhagem secundária de alphas, talvez por isso ela se sinta superior.

—Realmente percebi uma certa arrogância nas atitudes dela, no dia que nos conhecemos. _tento mostrar surpreso. —Ela também me disse que é a Luna._digo tentado entender.

—A Luna é a Hinata._altera a voz. —E por mais que a Shion não goste, terá que aceitar porque não existe nada que mude isso.

—Sempre existe uma maneira de mudar a realidade._penso alto e só então percebo minhas palavras.

—O que quer dizer com isso?_questiona com semblante preocupado.

—Gomem._forço um sorriso. —Estava pensado em outro assunto. _pigarreio tentado me recompor. —Mas tem razão, ela não parece ter boas intenções.

—Sasori kun. _aproxima-se tocando meu ombro. —Não conheço sua relação com a Shion, porém a conheço o suficiente pra saber do que ela é capaz.

—Sakura eu..._me interrompe.

—Nem sempre uma pessoa que se faz de amiga é realmente seu amigo._baixo a cabeça. —Ás vezes percebemos a verdade, mas preferimos fechar os olhos._engulo em seco e sinto as palavras faltarem. —Onegai, apenas tome cuidado._ao levantar o olhar encontro seus olhos verdes brilhando, e a visão fica ainda mais linda quando ela sorri.

Fico perdido naquela cena, quando me dou conta à vejo acenar no fim do corredor, varios pensamentos rondam minha cabeça e a imagem da rosada está em todos. Mas agora tenho uma decisão a tomar, pois percebi a real intenção da Shion. Seria fácil encontrar Danzou, contudo outra vez acabaria com as mãos sujas de sangue, por outro lado ele provavelmente tiraria uma pedra do meu caminho, e Sakura seria livre pra mim amar. 

Será que a flor de cerejeira amaria alguém cujo passado é manchado de sangue? Até que ponto a verdade é importante? Esse sentimentos confusos tão novo pra mim, me mostram um lado meu que nem mesmo eu conhecia. Não sei o que devo fazer e o preço que estou disposto a pagar pra realizar meu desejo, porém estou tentado a ceder.

 


Notas Finais


Eita Sasori
E agora neh🤭
Próximo capítulo e último da semana, será postado no domingo
Responderei os comentários amanhã
🦋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...