História Relatos de uma ex ... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 7
Palavras 1.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nada escrito aqui é real

Capítulo 1 - Tudo acabado


Fanfic / Fanfiction Relatos de uma ex ... - Capítulo 1 - Tudo acabado

 

Meu nome é Amy, tenho 30 anos e nasci no Japão, mas estou escrevendo em português para que mais pessoas possam ler isso.  

 

 

O ano é 2010, eu morava em Osaka com meus pais, minha mãe trabalhava em uma loja de maquiagem e trazia várias coisas legais pra mim e meu pai trabalha em uma empresa com pessoas importantes mas quase não via ele, pois ele trabalha muito. Mesmo meus pais trabalhando, tínhamos uma vida boa lá, sempre íamos viajar, no cinema, no karaokê... Até já viajamos pra Tailândia quando eu tinha 10 anos. 

Hoje é quinta feira e amanhã é feriado, então vamos visitar uns amigos em Quioto já que faz muito tempo que não os vemos. Nossas malas já estão prontas, meus pais só estão esperando eu voltar da escola para partimos. Eu sempre volto andando porque é normal por aqui. 

Quando cheguei em casa minha mãe não estava se sentindo muito bem, então fiquei um pouco chateada e achando que não íamos mais viajar, acabei discutindo com meus pais, talvez esse foi o meu primeiro erro ... Mesmo assim colocamos as pessoas no carro e fomos, seria algumas horas de viagem e eu acabei nem mudando de roupa e fui com o uniforme da escola, meus fones e alguns doces, meus pais estavam no banco da frente, minha mãe dormindo e meu pai dirigindo concentrado. Ja estava escurecendo e começou a chover, mas meu pai já estava acostumado a fazer aquele caminho, porém nesse dia a chuva fazia com que ele não conseguisse enchergar nada na estrada, mesmo assim ele continuou dirigindo, foi então que apaguei ...

 

 

Meus olhos se fecharam e não conseguia mais me mover, não estava sentindo nada apenas via uma luz chamando pelo meu nome, mas não conseguia abrir os olhos para ver, era um brilho muito forte. Será que estava sonhando? Será que havia chegado em Quioto? Será que a chuva havia passado? Onde estava meus pais? Eram as únicas coisas que vinham na minha cabeça, mas não podia falar, não podia gritar, aquilo me deixou louca.

 

 

Quando eu acordei estava deitada ne uma cama de hospital, ligada a máquinas e não podia me mover, eu queria levar e correr dali mas não dava, eu fiz de tudo pra tentar chamar atenção até aparecer uma enfermeira e fazer com que outras aparecerem, elas pareciam felizes por eu ter acordado e tentavam me acalmar. Eu fiquei naquela cama por muito tempo, os dias pareciam anos ali, só queria ver meus pais, mas não conseguia falar por conta os aparelhos.

Depois de meses já conseguia respirar sem os aparelhos e podia falar normalmente, sempre que perguntava sobre meus pais eles mudavam o assunto, veio uma psicóloga e ela conversava comigo todos os dias, mas sempre que perguntava sobre meus pais ela tentava não falar até que um dia ela me contou sobre tudo e foi aí que meu mundo acabou. 

 

 

Bem, Amy você estava indo viajar com seus pais e teve uma chuva bem forte no dia fazendo seu carro bater de frente com um caminho, seu pai morreu na hora, já você e sua mãe ficaram gravemente feridas, ela ficou uma semana na internada e não aguentou, já você ficou aqui por 9 meses, passou por várias cirurgias e está aqui, eu quero te pedir desculpas por não ter falado isso antes.

 

 

 

Foi o dia em que mais chorei, queria não acreditar naquilo, mas não dava, foram se passando os dias e so me vinha pensamentos ruins, por que eles ? Por que comigo ? Sempre a psicóloga estava aqui comigo e as enfermeiras também, mas todas as noites eu chorava lembrando deles e minha vida no hospital foi assim por vários meses ... Eu tomava vários remédios inclusive remédios pra depressão, eu fazia tratamentos para voltar a mover todo meu corpo, não foi nada fácil aquele ano.

O tempo foi passando e as coisas foram voltando ao normal, mas a falta dos meus pais ainda era grande, daqui uns dias ia receber alta, porém não tinha pra onde ir pois não tinha família no Japão, eu era só uma adolescente de 12 anos sozinha, sem um emprego e sem os pais, o que eu iria fazer ?

Eu conversei com a psicóloga sobre a situação e ela fez de tudo para me ajudar, quando eu saí do hospital teve até comemoração, e ela me levou pra passar um tempo na casa dela que era em Osaka também e era perto de lugares que eu conhecia, então fiquei bem a vontade, fiquei lá por um mês até fazer 13 anos e voltar pra escola, mas mesmo assim mantinha contato com ela, ela tava virando praticamente minha segunda mãe. 

Passaram se 3 meses desde que saí do hospital e uma assistente social foi me buscar na escola e conversar comigo, ela disse que eu não poderia morar sozinha pois era menor de idade é que teria que me mudar pra outra cidade e morar com uma mulher que ela dizia ser minha bisavó, aquela foi mais uma vez que senti que meu mundo ia acabar. Foi mais uma das noites que passei chorando, que pensei em suicídio, que quis sumir dali. Aquele foi o lugar que cresci que fiz amizades, o lugar que esperava viver pra sempre, as pessoas que eu amava, foi difícil ver tudo se acabando assim. 

E assim foi, a assistente social levou as coisas de casa, fez minhas malas e colocou a casa a leilão. Aquela quarta feira a tarde concerteza foi a pior da minha vida, entrar no carro e deixar tudo pra trás acabou comigo, não sei nem descrever o que senti ... Foi uma viagem longa naquele carro até um aeroporto? Como assim vão me mandar pra tão longe ? Eu apenas segui as instruções e fui, foi o vôo mais horrível da minha vida, não consegui comer nada. Não demorou muito para chegarmos la, fomos de carro até o bairro que não me agradou muito, a casa era bem pequena mal tinham lugar para mim la, havia umas galinhas na porta e uma senhora mal arrumada me esperando ela já era bem velha e não falou muito comigo apenas me mostrou a casa o lugar onde ia dormir e onde colocar minhas coisas, eu não queria estar ali ela não foi nem um pouco carinhosa comigo pela perda dos meus pais, ela apenas saiu e voltou para oque estava fazendo. Os dias naquele lugar eram longos, não pegava sinal de internet fiquei sem ter com quem conversar, não havia escola e todos trabalham no campo, as pessoas de lá não falavam muito. 

Depois de alguns dias ali, a assistente social finalmente voltou, pra me tirar dali ? NÃO , ela veio dizer que a casa foi vendida e que o dinheiro ia ficar ne uma conta pra eu poder usar depois. 

Depois de meses naquele bairro comecei a frequentar uma escola que ficava na cidade perto dali, tinha que andar por 50 minutos para chegar la. Falta um ano e meio para acabar o ensino fundamental e já estava preocupada pois lá não tinha ensino médio e a escola que tinha era mais 1 hora e meia dali andando. Foi então que resolvi fazer intercâmbio, pois era uma maneira de sair daquela cidade que não gostava e começar uma vida nova, sei que parece egoísta da minha parte deixar uma senhora sozinha mas tenho certeza que ela não me quer na casa dela. Foi então que usei a sala de informática pela primeira vez, pesquisei vários lugares para intercâmbio, o quanto de dinheiro precisava e o quanto tinha na conta, e tinha mais do que o necessário, só estava esperando acabar o 9° ano e ir, o local escolhido foi Nova Iorque ouvia sempre falar e queria muito conhecer, fiquei animada e estudei bastante para acabar o ano com notas boas. 

Quando acabou o ano vi com a assistente social denovo e falei sobre minha ideia de fazer intercâmbio fora, ela ficou um pouco insegura mas concordou que seria uma forma de recomeço, desde que sempre eu entrasse em contato com ela para saber se estava tudo bem. Então entrei em contato com a agência de intercâmbio, comprei as passagens e faltava poucos dias pra eu ir, eu estava ansiosa e feliz, me despedi da minha "bisavó" no início ela não quis me deixar ir, mas não tínhamos muito afinidade então ela não insistiu muito.

Eu fui até Tóquio para pegar um vôo para Nova Iorque e foi um vôo bem cansativo até la, nunca havia ficado tanto tempo né um avião, no mesmo tempo que sentia um frio na barriga e alegria por estar recomeçando eu pensava nos meus pais e como seria se eles tivessem aqui, será que estou fazendo o certo? Será que fiz certo de deixar aquela senhora ? Será que vou me acostumar com o inglês ? Essas e muitas perguntas se passavam na minha cabeça e foi assim até o avião pousar nos estados unidos.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...