História Rem - Capítulo 53


Escrita por:

Postado
Categorias Channing Tatum, Fifth Harmony, Josh Duhamel, Julian Morris, Matthew McConaughey, Michael Fassbender
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Channing Tatum, Dinah Jane Hansen, Josh Duhamel, Julian Morris, Lauren Jauregui, Matthew McConaughey, Michael Fassbender, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 2.780
Palavras 1.022
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pessoinhas!
Eu escrevi esse capítulo ouvindo a música "Kiss me" da Rita Ora e fiquei bem chorosa... Se vocês quiserem seguir a dica, o cap vai ficar mais tocante. Hehe
Qualquer erro...
Boa leitura 🙈

Capítulo 53 - Limites


No dia que completamos quatro meses de namoro, coloquei Lauren no carro e sai com ela para fora da cidade.

- Você está bem, Lo? Se não se sentir bem podemos voltar.

- Eu estou bem. É uma casa de praia?

- Sim. Ela é enorme, meu pai comprou para minha mãe no aniversário de casamento... Há muito tempo atrás e eles nem vem aqui. Pedi para limparem, está tudo organizado e com um estoque enorme de comida. – Ela deslizou a mão por meu braço.

- Você me conhece como ninguém. Lugar sem movimentação e com muita comido... Você comigo... Estás me levando ao paraíso.

- Não me derrete toda, sou muito emotiva e vou começar a chorar. – Ela sorriu e colocou a mão sobre a minha na mudança.

- Sabia que é errado dirigir assim?

- Eu não consigo ficar com as duas mãos no volante.

- Mas tem que ficar. – Olhei para aqueles olhos verdes lindos e não quis contraria-los. Segurei o volante e acelerei um pouco o carro ou não chegaríamos com tempo para um mergulho no mar.

Chegamos e eu nem lembrava que a casa era de luxo mesmo, eu podia ver minha mãe em cada detalhe e imagino como ela retribuiu a ele esse presente.

- Meu pai ganhou um anal com isso.

- Camz!

- Ela faria por menos.

- Respeite sua mãe.

- Amor... Você conhece aquela louca, quem não se preserva é ela. –Ela negou e eu peguei a mochila dela. – Preciso de uma casa assim. Não tão luxuosa, mas que eu possa querer um móvel e não ter que medi-lo na loja.

- Você precisa comprar uma, Camz. Você tem muito dinheiro e agora está ganhando mais.

- Se eu comprar uma... Você e nosso moleque podiam morar comigo. – Ela virou rapidamente para me encarar. – muito rápido?

- Não! Eu só preciso ver como nos sairemos nesse final de semana, eu nunca mais dormi fora de casa... Eu sempre vou ver meus pais quando tenho pesadelos.

- Claro. Eu só me empolgo e vou falando. – Tentei descontrair o momento.

- Os meninos ficaram chateados por não terem vindo.

- Nós os traremos, Branquela, mas nós precisamos ficar um pouco sozinhas também. Meus pais vão cuidar bem deles, minha mãe só se passa comigo, os moleques ela respeita e tem meu pai que é mega centrado.

- Eu sei, Camz. Só fico com dó.

- Eu também, mas seria bem mais fácil com eles aqui e estamos testando nossos limites, não?

- Claro. – Ela disse e não senti firmeza.

- Já está se arrependendo?

- Não... E só... Nada.

- Conversa comigo, Lo. Temos dois dias inteiros só sobre nós. – Ela se aproximou e tocou meu rosto. Fechei meus olhos para aproveitar seu toque.

- Eu tenho tanto medo de machucar você. Eu estou com muita vontade de te tocar e te beijar, mas eu vou me exceder e se você se empolgar, vou te cortar... Vai ser um loop de ações.

- Me toque, Lauren. Aonde você quiser. – Me aproximei e toquei seu queixo. – Me beije inteira, me deixem em ponto de bala e se você quiser parar, nós vamos parar, mas pare de pensar nos seus atos e nos meus, não era tão mais simples quando você agia sem pensar? Não pense mais nisso, eu não vou morrer se não transarmos. Se passar vinte anos eu só quero estar com você, amando e sendo amada, o resto não me preocupa. Obvio que eu fico bem anima, mas são reações naturais do corpo. Então... eu acho que você deve colocar um biquíni ou algo parecido e tomar um banho no mar antes que escureça muito. Quero ver esse verde lindo ai iluminado pelo pôr do sol. E quero ver essa bundinha linda porque eu não sou de ferro. – Ela gargalhou.

- Você tinha que terminar uma declaração dessas assim?

- Mas é uma bundinha linda mesmo, não deixa de fazer parte da declaração. – Ela selou nossos lábios fortemente e depois me afastou.

- Me mostre nosso quarto e eu me troco.

Peguei a mão dela e subimos as escadas, entrei na suíte e estava um cheirinho maravilhoso de limpeza, eu amo esse cheirinho de lavanda.

- Vou no banheiro de hospedes colocar uma sunga e te espero lá fora. – Ela assentiu e abri minha mochila depois de entregar a dela.

....................................

Fui abraçada por trás e coloquei minhas mãos sobre as dela em minha barriga. Ela caminhou até minha frente e usava o biquíni que eu havia dado a ela.

- Ficou lindo, Lo.

- Obrigada pelo presente. Você não precisa...

- Ah... Eu tenho uma mania chata de dar presentes, melhor se acostumar com isso e se não usam eu fico chateada. – ela negou e me abraçou forte. O cheirinho de cereja estava emanando de seus cabelos, sou louca nesse cheiro. – Eu quero ficar com você para sempre. – Falei um pouco emocionada.

- Eu também, Camz. Amar você me traz paz.

- Amar você me faz melhor. E eu prometo não medir esforços para te fazer feliz. – Ela se afastou para me encarar e depois beijou minha testa.

- Você faz. – Ela sorriu. – Agora vai ter que me pegar se não quiser cozinhar hoje, pois a última a entrar na agua vai ter que fazer. - Ela desceu as escadas e começou a correr na areia.

- Usando dos meus momentos de fragilidade, Srta Jauregui. – Ela gargalhou. – Eu não vou te deixar ganhar. - Comecei a correr. – E a comida é mexicana.

Corri muito, mas ela estava muito na frente quando comecei, ela mergulhou e eu saltei atrás dela, foi por pouco, mas perdi. Só na corrida, pois a cada dia que passa sinto que ganhei o mundo com cada detalhe, cada toque e cada progresso compartilhado. Eu amo demais essa mulher, cada sorriso dela me faz transcender.

- Você perdeu!

- Eu acho que não.

A puxei para um beijo, queria que ela entendesse ali que eu a amo com todo meu coração e vou amá-la sempre. Essa ligação que temos não é algo comum... E eu não vou deixá-la escapar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...