História Remarkable year - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Aizawa Shouta, Bakugo Katsuki, Lida Tenya, Midoriya Izuku, Uraraka Ochako
Tags Midoriya Alfa, Midoriya Izuku, Omegaverse, Tododeku, Todoroki Ômega, Todoroki Shouto
Visualizações 72
Palavras 1.710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Luta, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, olá, olá. :3
Eu gosto de omegaverse e estava com essa ideia faz tempo; de Todoroki como ômega e Midoriya como alfa :3
Não vejo muitos omegaverses com esse shipp, então decidi criar o meu e.e
Vou pegar apenas os termos simples desse U.A, eu acho.
Espero que vocês gostem.

Capítulo 1 - Aroma


Ah... A primavera... As cerejeiras florescendo, o ar refrescante, e a cidade ficando mais colorida.

Para muitos, aquela paisagem seria linda, bonita, e outros sinônimos dessas palavras; mas, um adolescente que observava aquilo, achava-a um tanto tediosa. Ele não entendia o porquê das pessoas ficarem encantadas pela tal cena. Será que é por que elas possuem sentimentos? Por que elas são livres? Dúvidas a qual o jovem não se esforçava para descobrir.

O rapaz estava indo em direção ao seu novo colégio, pensando se seria diferente o ano; negando o tal pensamento e suspirando, sabendo que não mudaria nada, apenas pelo fato de estar no ensino médio. A sua rotina, resumia-se em ir para escola, ficar entre os melhores alunos, não perder tempo com assuntos banais e com outras pessoas, ficar o máximo de tempo fora, e, por fim, voltar para casa e trancar-se em seu quarto, evitando contato com o seu querido pai.

Caminhando calmamente pelas ruas, com o vento fraco batendo em seu rosto, e as pétalas indo para o ar, algo chamou a sua atenção; um felino com uma pelagem um tanto peculiar, sentado embaixo de uma cerejeira, em um banco, lambendo o seus pelos; aproximou-se do animal, acariciando-o logo em seguida, fazendo o mesmo ronronar. O rapaz, curioso pela pelagem do bichano, agachou-se, para analisar melhor o pequeno animal, ficando um pouco surpreso, ao ver que o ser tinha as suas características; olhos e pelos bicolores, das suas cores.

- Parece que uma mãe foi forçada a ter um filho... – Murmurou pensativo, encarando o gato meio-ruivo, que estava rodeando a sua mão, pedindo mais carinho.

Todoroki permitiu-se sorrir, um sorriso triste, que se formou, ao lembrar-se de algumas memórias que tivera quando pequeno.

 

Próximo do local, um certo alfa, corria apressado.

- Mas que merda! Maldito relógio! – Disse enquanto tentava arrumar a gravata, fracassando novamente.

O garoto passava apressado pelas ruas, com um único objetivo, chegar no colégio; mas algo o fez parar, em um lugar, um pouco longe, havia um jovem, que aparentava ter a mesma idade dele, brincando com um felino, ele tinha uma aparência “diferente”; movido pela curiosidade, Midoriya foi em direção do rapaz meio-ruivo, ficando em uma distância segura para o mesmo não perceber a sua presença; o esverdeado se encantou pela beleza que este possuía, não sabia o que estava ocorrendo direito, mas ele se sentia diferente, os seus instintos estavam querendo-o; isso nunca ocorrera, então, o que estava acontecendo com ele? Ele nunca o viu, e mal sabe a classe que o garoto pertencia, era certo ele querê-lo tanto?

O jovem alfa estava apreensivo, pensando em como alguém, cujo em tempo nenhum conheceu, poderia fazê-lo sentir desta maneira? Izuku, tentando tirar os pensamentos indecentes da sua cabeça, olhou mais detalhadamente o adolescente, vendo que o mesmo usava as mesmas vestimentas do esverdeado, apenas com um detalhe diferente, ele estava com o uniforme completo; o rapaz com as íris verdes, tentou ignorar a tamanha felicidade que sentiu ao descobrir a informação, mesmo sendo óbvio, pois qualquer um descobriria através do traje que o jovem utilizava; Midoriya, alegre por ver que teria a possibilidade de podê-lo encontra-lo novamente, esqueceu as vestimentas e agora, estava tentando ver mais especificamente o rosto do garoto, possibilitando-o apenas ver a metade da face do rapaz, sem ser descoberto, vendo que ele possuía o olho cinza, que combinava perfeitamente com os fios brancos que estavam voando por causa do vento, na visão do bicolor, deixando-o mais atraente, para o ver do esverdeado; abaixou o olhar e viu um pequeno sorriso formado no rosto alheio - um sorriso triste - que, por algum motivo, fez o coração do alfa se apertar. Aquela região estava doendo, fazendo o esverdeado colocar a mão no local, não adiantando nada. O quanto aquele garoto podia afetar-lhe? 

Izuku estava pensando o quanto um desconhecido poderia afetar-lhe, mas um aroma tirou-o dos seus pensamentos, era doce e viciante, fazendo o alfa ficar confuso. O garoto, ali, na sua frente, era quem estava exalando a fragrância? Então, Midoriya teria chances? O jovem de cabelos verdes, ficou extremamente feliz, esquecendo os demais pensamentos e acabou – sem querer -, soltando o seu cheiro, a qual foi rapidamente controlado, com medo de chamar a atenção do garoto; suspirou aliviado, ao ver que o mesmo continuava “imóvel”, olhou para o chão, imaginando como seria bom se ficassem na mesma sala, com um sorriso bobo formado no rosto; um barulho o fez olhá-lo novamente e viu que o ômega tinha intenções de se mexer, fazendo Izuku entrar em pânico. O que ele deveria fazer? Correr? Sem muito tempo para pensar, ele faz a primeira opção, correndo em direção da escola, o seu objetivo que até então havia esquecido completamente.

Todoroki havia ficado um pouco – muito – distraído, lembrando-se que estava esquecendo de algo, e a palavra “escola” veio repentinamente em sua mente; suspirou, tentando voltar a seu habitual e ocultando os seus feromônios, que havia soltando inconscientemente, parando de acariciar o gato e levantando-se do local, se alongando logo em seguida e respirando, captando um aroma desconhecido no ar, que o deixou confuso; alguém estava ali? Olhou para os lados, procurando alguma silhueta próximo do local, vendo que não havia ninguém por perto. Era coisa da sua cabeça? Se não fosse, alguém sabia que ele era apenas um ômega? Não deixou de amaldiçoar-se, por ficar distraído com assuntos banais para o momento e agora, ter a possibilidade de alguém saber a sua verdadeira classe. O ômega, sabendo que aquilo não o levaria a nada, deixou de lado esses pensamentos e prosseguiu, voltando a andar pelas ruas estreitas.

- De quem era aquele cheiro? Um alfa, certo; mas, por que eu me senti daquele jeito? O aroma era... Peculiar... – Pensou o rapaz, se repreendendo novamente por estar perdendo seu tempo com isso.

( ... )

Todos os estudantes estavam na U.A; a maioria estava na cerimônia de abertura, enquanto o resto preferiram vagar pelos arredores ou também ficar dentro da sala de aula. Shouto estava na última opção, sentado em uma cadeira no fundo, perto da janela; posição em que sentou por todos os anos do seu ensino. O mesmo estava observando vagamente, a paisagem que era possível de se ver, com o rosto apoiado na mão e um olhar que demonstrava tédio, olhando as árvores que coloriam o ambiente, pensando sobre o tal aroma desconhecido.

A cerimônia havia acabado, fazendo os alunos irem para as suas devidas salas; o ômega havia deduzido isso, ao ver que o barulho estava quase nulo, mas não se importou, começando a ouvir várias conversas perto do local, enquanto olhava as pétalas voando pela entrada da escola. Estava novamente pensando sobre o ocorrido de mais cedo; dúvidas que o garoto estava querendo tirá-las, diferente das outras. Alguém estava observando-o? Se sim, por qual motivo? O aroma não ficaria daquele jeito, se a pessoa apenas passasse reto...  Sentiu algo o cutucando-o, o tirando dos pensamentos, virou-se e viu a sua amiga de infância; uma beta, que sorria levemente para Todoroki.

- Ficamos na mesma sala novamente, Shouto-kun. – Disse ela animada, o jovem apenas assentiu, vendo a morena ir para o lugar vazio na sua frente. Todoroki começou a analisar a sala, a qual estava cheia, e viu vários estudantes conversando animadamente, e também, conseguiu identificar algumas classes que haviam ali; alfas, betas e ômegas; uma sala que possuía todos os tipos. Apenas pela aparência, deduziu que seria mais interessante a escola; alguns com que aparentavam terem individualidades fortes, outros, nem tanto; deixou de olhá-los e deu atenção ao professor, que havia acabado de entrar.

- Todos sentados e em silêncio. – Ordenou, fazendo os alunos fazerem o que foi pedido. - Me chamo Aizawa e serei professor de vocês pelo resto do ano. Não gosto de perder o meu tempo, então apenas aviso que hoje terá uma aula prática, para eu ver as suas capacidades. – Algumas pessoas ficaram animadas, outras, surpresas. – É só isso, podem fazer o que quiserem; eu vou dormir. – Falou entrando em um saco amarelo, que estava ali, logo depois começando as conversas paralelas.

Momo estava conversando com uma garota que parecia possuir fones de ouvido em suas orelhas, aparentavam se conhecer. Todoroki preferiu observar novamente a janela e viu que o mesmo gato estava passeando pelas ruas calmamente. Yaoyorozu, ao ver o olhar distante do garoto, foi conversar com o mesmo, levanto junto, a sua nova amiga.

- Shouto-kun. – Ele olha para a amiga, com uma expressão indiferente. – Vamos conhecer os nossos colegas, você não pode ficar apenas aí; conhecer as individualidades de cada um. – O garoto suspira, pretendendo falar.

- Você sabe como eu sou, Momo.

- Eu sei; mas estamos no ensino médio, período para conhecer mais pessoas, viver momentos marcantes e quem sabe, achar um parceiro. Ah, a propósito, esta é Jirou. – Disse ela apontando para a morena.

- Olá, meu nome é Jirou Kyoka. Deu-se para perceber que sou uma ômega.

- Todoroki Shouto. Prazer em conhece-la, Jirou.

- O prazer é meu. Quantos anos você tem, Todoroki? – O ômega suspirou, vendo que não teria o seu “momento de paz”.

- Eu tenho 15 anos.

- Parece que todo mundo da classe possui essa idade.

- É, e isso é muito legal. – Disse Momo animada, observando os demais colegas. – Ah é, Jirou-chan, você se interesso por alguém? – Kyoka cora no momento, deixando óbvio, fazendo a beta sorrir, a qual começou a balançar a ômega, pedindo para contar quem é, a mesma resiste, e assim passou o tempo e o meio-ruivo agradece mentalmente por não incluírem ele na conversa.

Do outro lado da sala, estava Midoriya, que estava extremamente feliz, desde que viu o rapaz na entrada da sala; poderia conhece-lo e quem sabe, ter algum relacionamento mais profundo do que apenas amizade. O esverdeado estava conversando animadamente com os seus amigos, sobre como foram as férias e os planejamentos que os dois estão pensando sobre esse ano; ambos falaram que queriam achar alguém, e que gostariam de passar momentos felizes e marcantes com os amigos, Izuku concordou, querendo conhecer os seus demais colegas e suas peculiaridades, mas principalmente o ômega bicolor; querendo analisa-lo melhor, olhar ele de mais perto, querer conhece-lo.

Não aparentava, mas aquele ano seria marcante para muitos.  


Notas Finais


Se encontrar algum erro, pode me avisar, e se tiver alguma dica ou sugestão, aceitarei :3
Obrigado por ter lido!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...