História Remember if, Lydia.- Stydia - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Claudia Stilinski, Derek Hale, Erica Reyes, Ethan, Isaac Lahey, Jordan Parrish, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Meredith Walker, Natalie Martin, Personagens Originais, Peter Hale, Rafael McCall, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski
Visualizações 13
Palavras 956
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Essa é minha primeira fic Stydia, espero que gostem✯

Capítulo 1 - Casa Eichen


Fanfic / Fanfiction Remember if, Lydia.- Stydia - Capítulo 1 - Casa Eichen

"Lembre-se. Lembre-se que eu te amo"

Pela terceira vez em 2 meses eu acordava do mesmo sonho. Olho eufórica para o relógio que ficava ao lado da minha cama, ainda eram três da manhã.

- Lydia, tudo bem?.- pergunta mamãe ao bater na porta do meu quarto.

- Sim eu só tive um sonho.- falo em um tom audível para que a mais velha escutasse.

- Lydia precisamos conversar.- diz a mais velha após um longo suspiro. Vou até a porta do meu quarto e abro a mesma me deparando com mamãe e sua olheira que pareceu piorar desde que papai nos deixou.

- Lydia, você não está bem, filha. Nos últimos três meses vêm acordando sempre as madrugadas, você grita como se algo ou alguém estivesse a machucando, você anda delirando, filha. E eu, eu e seu pai tomamos uma decisão.

- O que quer dizer com isso?.- pergunto receosa.

- Não tenho outra opção a não ser te mandar pra Casa Eichen.

- O manicômio? mãe, eu não estou louca.- a mais velha respira fundo antes de se pronunciar.

- Eu e seu pai já decidimos. Amanhã, depois da escola você irá pra Casa Eichen.- eu sabia que o único motivo dos meus pais manterem contato era eu, e sei o quanto mamãe está mal depois de tudo que aconteceu, mas me mandar pra um manicômio já era demais.

- Casa Eichen?.- pergunta Malia fechando a porta de seu armário.- não é aquele manicômio de Beacon Hills.

- Fala mais baixo.- repreendo a mais alta enquanto caminhavámos até a sala de biologia. Assim que adentrei o local me sentei no mesmo lugar que me sentava a mais ou menos dois anos, em um momento de distração olhei para a carteira vazia ao meu lado e consequentemente tentei me lembrar quem ocupava aquele local, meu subconsciente não me deu resposta alguma, mas porquê o fato de não saber me incomodava?

- Professor?.- chamo o mais velho antes ocupado corrigindo provas.

- Sim srta. Martin?

- Desculpa atrapalhá-lo, mas quem se senta ao meu lado?.- o mais velho folheou algumas folhas presas na prancheta em suas mãos antes de finalmente me responder.

- Me desculpe srta. Martin, mas ninguém se senta aí.- ouvi a sala soltar murmúrios, outras pessoas riam, mas eu não estava incomodada com isso. Mais uma vez olho para a carteira vazia e respiro fundo antes de começar a responder os exercícios da aula anterior.

- Sinto muito Lydia.- fala mamãe com minha última mala em mãos enquanto estávamos paradas em frente aos longos portões da Casa Eichen.

- Mamãe, não têm que fazer isso, eu já disse que estou bem..- a mais velha respirou fundo como sempre fazia quando queria dizer algo importante.

- Nos vemos em breve. Podem a acompanhar até lá?.- pergunta mamãe pra um dos seguranças ali presente. o mesmo afirmou com a cabeça e fez um sinal para que eu o seguisse. Assim o fiz. Quando finalmente me encontro dentro observo o local como um todo. Em alguns cantos eram possível observar algumas pessoas cochichando, outras sozinhas, algumas comendo, outras deitadas em bancos, mas uma em especial me chamou a atenção.

- Oi sou a Mereditih, é um prazer conhecê-la, Lydia.

- Como sabe meu nome?.- a mesma dá ombros e me encara.- Você não me parece algum tipo de vigia ou segurança, então como sabe?.- pergunto franzindo senho.

- Eles me disseram.- fala sorrindo.

- Eles?.- A mesma apontou para um dos telefones presos a parede presentes ali. Já entendi, ela era louca.

- Se disser mais alguma coisa você irá pra solitária.- Ouço o grito de uns dos guardas e involuntáriamente levo meu olhar para o aglomerado de gente que se encontra alí. Sou levada pela multidão de curiosos até o local me encontrando assim com o dono da voz de antes e um homem jogado no chão de costas pra mim. o guarda tinha em mãos uma espécie de bastão de choque que ia de encontro com o homem a minha frente, o bastão acendia e apagava, era possível ver o sorriso no rosto do guarda enquanto o mesmo fazia. Pude ouvir o homem a minha frente gemer de dor enquanto não falava ou fazia nada. Os movimentos continuaram e eu me encontrei paralisada.

- Está machucando ele.- falo ainda paralisada, então o homem muda o seu foco pra mim.

- não deveria se intrometer.- fala o mesmo mudando sua atenção para mim. antes de o mesmo podesse dizer ou fazer algo a mais outro homem aparece.

- O que está acontecendo aqui?.- questiona o mesmo.

- Esses dois estão a dar trabalho.- fala simplista.

- Os leve pra solitária.- Eu ia me pronúncia contra quando pela primeira vez ouvi a voz do homem a minha frente.

- É melhor não dizer nada, não vai querer ficar uma semana na solitária.- apenas aceno com a cabeça para o homem de costas. Somos levados pra mesma solitária. O que era estranho, assim que fomos soltos, um atrás do outro. o mais alto finalmente se vira pra me olhar. Seu cabelo era curto e castanho, seus olhos eram âmbar, seu nariz era perfeitamente fino e arrebitado, seus lábios eram finos e bem desenhados.

- obrigado por ter me defendido.- fala tirando a mesma de seus pensamentos. Apenas sorrio em resposta. eu odiava violência, mas odiava ainda mais gente que gostava de abusar do poder.

- A propósito qual seu nome.

- Me desculpe, sou Lydia Martin.- vejo um sorriso se formar nos lábios do mais alto.

- Sou Stiles, Stiles Stilinski.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...