1. Spirit Fanfics >
  2. Remember me >
  3. Um

História Remember me - Capítulo 1


Escrita por: darkskiess

Notas do Autor


da série fics que comecei escrevendo em inglês depois fiquei cansada e decidi traduzir pra ptbr pra poder continuar 🤭

Capítulo 1 - Um


Seu rosto está mais pálido do que o normal, suas mãos, mais frias também. Mas ele não está morto. Não. Ele está deitado nesta cama de hospital e seus lábios estão um tom de rosa claro, pálido, em vez do rosa quente usual que sempre faz Jungkook querer beijá-lo.


Mas ele está vivo. E embora ele pareça frágil deitado ali, ele ainda é tão, tão lindo. E então, como sempre, Jungkook não consegue tirar os olhos dele. Porque ele é tão lindo, e porque Jungkook está esperando pelo momento em que ele abrirá os olhos. Jungkook quer ser a primeira coisa, a primeira pessoa que Yoongi verá quando finalmente acordar.


Já se passou uma semana desde o acidente. Jungkook sente muito a falta de seu marido. Claro, ele nunca deixou o lado de Yoongi desde o acidente, mas ele ainda sente falta dele. Sentia falta da voz dele, dos beijos, dos abraços.


Jungkook havia orado. Ele nunca ora. Ele não acredita em um Deus, mas ele estava… não, ele está tão desesperado que orou por qualquer Deus que estivesse disposto a ouvi-lo.


Foi uma semana terrível.


Alguém bate na porta. Jungkook deixa seus olhos deixarem Yoongi por um segundo. É o suficiente para ver quem está na porta.


 — Posso entrar? — Seokjin pergunta. Os olhos de Jungkook já o deixaram.


Jungkook dá os ombros. Veja, ele não gosta de Seokjin, ele apenas... o tolera porque Yoongi pediu. Também porque Seokjin é seu chefe, então... ele meio que precisa tolerá-lo de qualquer maneira.


Seokjin entra na sala, fechando a porta atrás de si. Ele então fica de joelhos do outro lado da cama que Yoongi está deitado. Ele pega a mão livre de Yoongi e Jungkook volta a olhar o rosto bonito de Yoongi.


Seokjin ainda é um dos melhores amigos de Yoongi. Jungkook não pode simplesmente dizer a ele para ir embora, não importa o quanto ele sinta a horrível sensação de ciúme crescendo dentro dele.


Está tudo bem, ele diz a si mesmo. Yoongi é dele. Seu marido, não o de Seokjin. Tudo bem.


— Ele é tão bonito — diz Seokjin. Jungkook não olha para ele, mas ele pode dizer pelo tom na voz do outro que ele está sorrindo. — Mesmo assim, ele ainda é bonito.


— Sim — Jungkook teve que concordar. Ele sente muita falta do marido. — Eu só quero que ele acorde.


— Ele vai. Eu sei que ele vai. Ele é forte, certo? Ele vai acordar e continuar a nos surpreender com tudo que ele faz.


Naquele momento, Jungkook esquece qualquer rivalidade entre eles. Agora, eles eram apenas dois homens sofrendo por aquele que mais amam.


Jungkook beija os dedos pálidos em sua mão e eles se contraem. Ele olha para Yoongi e prende a respiração. Aqueles lindos olhos que ele tanto ama estão começando a se abrir novamente.


Quando aqueles lindos olhos se abrem, pousam em Jungkook, o marido preocupado que sorri pela primeira vez desde o acidente.


— Oi, amor. Bem-vindo de volta — Jungkook cumprimenta, e sua mão livre automaticamente toca o cabelo loiro de Yoongi, sabendo o quanto seu marido gosta quando ele brinca com seu cabelo. Mas Yoongi se encolhe, fazendo Jungkook franzir a testa e retirar sua mão.


Antes de dizer qualquer coisa, Yoongi olha para Seokjin.


— Oi. É bom ter você de volta — Seokjin diz.


Yoongi franze a testa. — Quem é Você?


Seokjin ri, um pouco hesitante. — Boa. Mas, por favor, seja gentil com meu coração. Você dormiu por uma semana inteira. Eu estava com medo de que você não fosse acordar nunca mais.


— Eu não... — Yoongi olha para Jungkook. — Eu não conheço nenhum de vocês.


Jungkook sente seus olhos ficarem molhados. — O quê? Amor, sou eu. Jeon Jungkook. Seu marido.


— Meu marido? — Yoongi fica franze a testa, e em qualquer outra situação Jungkook acharia fofo. Mas agora, ele só quer chorar. — Sinto muito... não me lembro de você.


Parece que o mundo está acabando. Parece que ele está tendo um pesadelo terrível. Seokjin diz algo, mas Jungkook não consegue entender o que ele está dizendo. O mundo parece parar, enquanto Yoongi parece completamente vazio de qualquer emoção. Jungkook não está acostumado com isso. Ele está acostumado a olhar para Yoongi e ver amor em seus olhos, todo aquele amor direcionado a ele.


— Qual acidente? — ele ouve Yoongi dizer.


 — Você realmente não se lembra de mim? — Jungkook pergunta.


Quando Yoongi olha para ele agora, não é com amor. É com pena. Ele hesita, como se não quisesse machucar Jungkook, mas no fim, acaba dizendo: — Não. Desculpe.


Jungkook é forte o suficiente para segurar suas lágrimas. Ele não quer sobrecarregar Yoongi.


 *


Nos dias seguintes, todos os seus amigos visitaram Yoongi, que não se lembrava de nenhum deles. Houve muitos exames também. O médico disse que poderia ser temporário ou não.


Agora Jungkook está na casa dele e de Yoongi, com Yoongi, seu marido que não se lembra dele.


O silêncio que se segue faz Jungkook querer desaparecer. Ele empurra o cabelo preto para trás, apenas para fazer algo, em vez de apenas ficar parado ali sem jeito.


Yoongi se senta no sofá, olhando a casa que escolheram juntos, aquela que levou meses para escolher os móveis perfeitos. A casa deles.


— Então… — Jungkook quebra o silêncio, e os olhos arregalados de Yoongi estão imediatamente sobre ele. Pelo menos, isso não mudou muito. — Esta é minha casa tanto quanto é sua, então sinta-se em casa. Porque é sua casa.


Jungkook está nervoso. Já faz algum tempo desde a última vez que ele ficou nervoso perto de Yoongi. Ele não gosta disso.


— Infelizmente, só temos um quarto — continua ele. — Então, você pode ficar com ele e eu dormirei no sofá.


— Oh, não — Yoongi balança a cabeça. — Eu fico com o sofá.


Isso faz Jungkook sorrir um pouco, saber que Yoongi ainda é gentil. Ele se pergunta se Yoongi ainda é o mesmo, e apenas suas memórias se foram. Ele parece o mesmo para Jungkook, exceto pelo amor em seus olhos, que se foi.


— Agradeço sua gentileza, mas você acabou de sofrer um acidente e precisa descansar bem, então eu fico no sofá.


Yoongi parece querer lutar mais pelo sofá, mas Jungkook rapidamente muda de assunto. — Com fome?


— Na verdade não — diz Yoongi. Seus olhos nunca deixam Jungkook. — Você pode me mostrar... coisas sobre mim? E talvez... me dizer coisas sobre mim? Eu quero lembrar.


Ele quer se lembrar. Jungkook não pode deixar de sorrir. Claro. Por que Yoongi não iria querer se lembrar?


Ele se senta ao lado de Yoongi, deixando algum espaço entre eles. Com seu telefone na mão, ele começa a mostrar a Yoongi todas as fotos que ele tem em seu telefone. Yoongi está em quase todas elas, exceto em algumas selfies do próprio Jungkook.


 — Esse foi o dia em que perguntei se você queria se casar comigo — olhando para a foto, Jungkook não pode deixar de sorrir. É uma selfie. Eles estão no antigo apartamento de Jungkook. Yoongi está mostrando o anel que Jungkook deu a ele com o olhar mais orgulhoso em seu rosto, enquanto Jungkook está apenas olhando para Yoongi com a cara mais apaixonada do mundo.


 — Você não gosta de grandes gestos de amor, então eu só... te pedi em casamento em uma terça-feira normal. Eu fiz o jantar, o que deu terrivelmente errado, mas você fingiu que era a melhor comida que você já tinha comido em sua vida porque você é doce assim. Mas eu não fiz o jantar porque estava pensando em te pedir em casamento naquele dia. Você sempre me fazia e me faz comida e eu queria retribuir o favor, então eu fiz isso a comida naquele dia.


Jungkook olha para Yoongi para ver se ele tem sua atenção. Yoongi está apenas olhando para a foto, um pouco mais perto de Jungkook do que antes.


 — Então… — Jungkook continua enquanto olha para Yoongi. — Eu tinha comprado o anel um mês antes disso e ainda não tinha decidido quando perguntar a você...


 *


 Antes.


Do que eles estavam rindo? Jungkook achava que era sobre algo que o cachorro do vizinho fez outro dia. Ou foi porque Yoongi finalmente admitiu que a comida que Jungkook preparou não era boa? Ou talvez fossem os dois. O fato era que Jungkook nunca tinha se divertido tanto lavando a louça. Mas ali estava ele. A camisa dele estava toda molhada, assim como a de Yoongi por causa da briga de bolhas de sabão que eles tiveram antes.


E, naquele momento, Jungkook teve uma epifania. Ele queria que todos os dias de sua vida fossem assim, compartilhando refeições com Yoongi, depois lavando os pratos juntos enquanto riam e conversavam sobre coisas mundanas que aconteceram em seu dia.


Então, é claro, ele correu para fora da cozinha, deixando um Yoongi confuso para trás, chamando seu nome. Rapidamente, porque odiava fazer seu namorado esperar, Jungkook voltou para a cozinha, agora segurando uma caixinha com um anel bonito e caro dentro.


— Por que você começou a correr de repente? — Yoongi perguntou, enquanto olhava para Jungkook com um sorriso afetuoso. Seus lindos olhos estavam cheios de amor.


Jungkook ficou de joelhos e só podia imaginar que seus olhos estavam refletindo o mesmo amor que ele via nos olhos de Yoongi.


Antes que Yoongi pudesse dizer qualquer coisa, Jungkook mostrou a ele a caixinha em sua mão e a abriu .Yoongi fez uma cara de surpresa fofa.


— Min Yoongi — disse Jungkook. Ele ensaiou um discurso um milhão de vezes, mas enquanto ele olhava para Yoongi, e se perdia em seus lindos olhos, as palavras pareciam ficar presas em sua garganta. — Eu... tinha um discurso.


— Tinha?— Yoongi questionou, sorrindo com tanto carinho.


— Sim. Tinha. Eu... não sei o que dizer — ele respirou fundo quando seus joelhos começam a doer um pouco. — Quero dizer... o que eu poderia dizer a você que já não disse?


— Bem... não dói ouvir tudo de novo. Gosto da sua voz.


Jungkook sorriu, limpou a garganta. — Então... eu te amo. Tanto. Você é lindo, fofo, gentil e engraçado e eu sou o homem mais sortudo de todos, porque posso chamá-lo de meu. Mesmo assim, quero tornar isso oficial. Eu quero o branco clichê e aqueles buquês de flores. Quero um dia especial para celebrar nosso amor. E quero passar o resto da minha vida com você.


 — Brega — Yoongi fingeu vomitar. Então, ele estava de volta com aquele sorriso afetuoso. Ele secretamente, não tão secretamente, gostava quando Jungkook era romântico.


— Então... você vai me dar a honra de casar com você?


— Hm... eu não sei ...— Yoongi colocou dois dedos embaixo do queixo enquanto fingia pensar sobre isso. Jungkook esperou pacientemente, mesmo com seus joelhos começando a doer.


Yoongi então colocou seus braços em volta do ombro de Jungkook e ficou de joelhos também. As palavras foram sussurradas contra os lábios de Jungkook. — Sim, claro.


Eles sorriram enquanto se beijam. E eles cairam no chão e se beijaram. E eles continuaram sorrindo, beijando e rindo. Porque as palavras não pareciam suficientes para expressar o sentimento que estavam sentindo. Pura alegria. Euforia.


 *


 Agora.


— Foi uma noite perfeita. Você estava lindo, como sempre. E eu passei horas escrevendo músicas sobre você, enquanto você dormia. E então você começou a reclamar para eu voltar para a cama e abraçar você. Então eu fiz isso, claro. Eu já disse não para você? 


E então, os olhos de Yoongi estão em Jungkook, que estava encarando Yoongi pelos últimos minutos, enquanto lhe contava a história deles. Seus olhos se encontram, eles estão mais próximos do que antes e o tempo para, como sempre parece parar quando Jungkook se perde nos olhos de seu marido.


Ele quer beijar Yoongi, mas seus dedos se tocam e Yoongi recua. O momento está quebrado.


 — Devíamos parar por hoje — disse Jungkook, pegando o celular de volta e se levantando. — Vou cozinhar algo para nós.


Yoongi levanta uma sobrancelha. — Você acabou de me contar uma história em que tentou cozinhar e deu terrivelmente errado.


Ah, Jungkook sorri. Ele ainda é seu Yoongi.


— Bem, eu tive algumas aulas de culinária com você antes, então não se preocupe.


*


Jungkook não conseguia dormir. Ele passou a noite deitado no sofá, olhando para o teto. Agora, o sol estava começando a nascer e Jungkook estava sentado no sofá, assistindo TV.


A notícia de que Yoongi pode ter deixado o hospital após o acidente de carro está por todo lugar na internet e na TV.


Jungkook não gosta disso. Ele não quer sobrecarregar Yoongi. E é isso que ele não gosta em ser um cantor de sucesso: fama. Ele não pode sair sem câmeras o seguindo e mesmo em momentos sensíveis como o que ele está vivendo agora, não há respeito. Não há empatia.


Jungkook faz uma das coisas que ele mais odeia: ligar para Seokjin. Falar com Seokjin, no geral.


— Bem, olá. Quando foi a última vez que recebi um telefonema do meu artista de maior sucesso? A fama subiu à sua cabeça, hein? — Seokjin brinca. Mas Jungkook não está com humor para piadas agora.


— Oi — diz Jungkook. — Estou ligando por causa do Yoongi.


— Oh. Claro. Ele está... bem? Ele já se lembrou de você? Ele se lembra de mim?


— Não. Ele não lembra. Estou ligando para pedir um favor. Não quero que a mídia saiba que ele já saiu do hospital. Vamos ficar em casa por enquanto, longe da mídia e das câmeras. 


—Ok — Seokjin concorda imediatamente. — Acho que é o melhor para ele agora. Posso visitá-lo algum dia desses?


— Não — Jungkook responde sem pensar. Deixa sua inimizade com Seokjin vir antes do que Yoongi desejaria. Ele balança a cabeça. Lembra a si mesmo novamente que Seokjin é um dos melhores amigos de Yoongi. Que ele não tem o direito de dizer que Seokjin não pode visitar Yoongi. Então ele respira fundo e muda sua resposta. — Sim.


Seokjin ri. — Você me odeia tanto assim?


— Não é que eu te odeie...


— Eu sei. Você só está com medo de que eu roube Yoongi de você — Seokjin diz, com uma confiança que faz Jungkook querer socar o rosto dele. Mas, novamente, Jungkook sempre quer dar um soco no rosto de Seokjin.


— Não tenho medo disso — na verdade, ele tem. — Você teve sua chance, e você estragou tudo. Eu o roubei de você.


— Verdade. Mas eu sou mais sábio agora. E Yoongi não se lembra de você.


— Ele também não se lembra de você.


— Sim, mas o fato de ele não se lembrar de você é o que importa para mim. Já que ele não se lembra de você, não é como se vocês estivessem divorciados?


— Não — Jungkook nunca quis dar um soco no rosto de Seokjin tanto quanto agora.


— Sim. Então, meu plano é ser um homem melhor do que eu era antes e fazê-lo se apaixonar por mim novamente.


E quando Jungkook estava prestes a amaldiçoar Seokjin, Yoongi entrou na sala de estar. E ele está vestindo um dos moletons de Jungkook. E não qualquer moletom, mas aquele que Yoongi mais gosta de todos os moletons de Jungkook. Porque é macio e tão grande que vira um vestido no corpo de Yoongi.


E por um momento, Jungkook se permitiu ter esperança.


Ele termina a ligação com Seokjin sem se despedir e chama por Yoongi. — Amor?


Yoongi apenas balança a cabeça. Jungkook tenta não mostrar sua decepção porque não quer que Yoongi se sinta mal por algo que ele não tem controle.


Então Jungkook apenas sorri. — Bom dia.


— Bom Dia.


Jungkook debate por um segundo se deveria dizer a Yoongi que o moletom que ele está vestindo é de Jungkook. Então decide não dizer nada porque Yoongi provavelmente não sabe e provavelmente mudará de roupa se Jungkook lhe disser quem é o dono do moletom.


Yoongi se senta no sofá ao lado dele, deixando algum espaço entre eles. Ele puxa os joelhos contra o peito como sempre faz quando não está abraçando Jungkook.


E Jungkook, que está acostumado com um marido carente exigindo carinhos, de repente sente frio. De repente, se sente vazio.


Na TV, uma mulher fala sobre os benefícios de comer abacate à medida que o silêncio entre os dois se prolonga.


Jungkook está acostumado com os momentos de silêncio entre eles, mas normalmente, o silêncio é reconfortante. Porque eles ficam tão confortáveis ​​na presença um do outro que momentos de silêncio nunca são estranhos, como agora.


Yoongi está roendo as unhas, como sempre faz quando está nervoso. Seus hábitos ainda continuam os mesmos, mas suas memórias se foram. Seu amor por Jungkook se foi, perdido em todas aquelas memórias que seu cérebro não consegue lembrar. Dói um pouco mais cada vez que Jungkook se lembra disso.


— É estranho não ter memórias — Yoongi disse, os olhos fixos na TV. — Tipo... eu pareço tão apaixonado em todas aquelas fotos no seu quarto, mas…


Nosso quarto, Jungkook quer corrigir, mas não o faz.


— Você não está apaixonado por mim agora — Jungkook completa a frase de Yoongi. A tristeza que ele está sentindo por dentro deve estar aparecendo em seu rosto porque Yoongi se desculpou. — Tudo bem — Não está tudo bem. — Quer dizer... eu não vou negar, meio que dói. Eu só queria poder voltar no tempo e impedir que aquele acidente acontecesse.


— Como o acidente aconteceu? — Yoongi perguntou.


— Algum cara bêbado bateu no seu carro. Você estava voltando do trabalho. Você me ligou, porque nós sempre vamos embora juntos, mas naquela noite eu tive que ficar até mais tarde. Você queria me esperar, mas eu disse que não precisava.


— Não é sua culpa — Yoongi diz, sua voz tão suave e reconfortante que deixa o coração de Jungkook mais leve.


No fundo, ele sabia que não era culpa dele, mas ainda assim, ele se pergunta o que mudaria se ele dissesse a Yoongi para esperar por ele naquela noite.


O silêncio cai sobre eles novamente. Yoongi morde a unha com tanta força que ela começa a sangrar. Normalmente, Jungkook pegaria as mãos de Yoongi por e o impediria de continuar a se machucar. Mas, agora, eles são como estranhos, não maridos, nem mesmo amigos. E você não segura a mão de um estranho.


Então Jungkook apenas se levanta e pega um band-aid de Kumamon. Ele volta para a sala e o entrega ao seu marido. — Você não deveria se machucar.


E Yoongi apenas enrubesceu ao pegar o band-aid.


O silêncio desconfortável é um lembrete alto, que Jungkook não precisa. Para Yoongi, ele é um estranho.


 *

 Antes.


— Amor… — Jungkook diz como um aviso.


Yoongi enrubesceu ao ser pego, parou de roer as unhas e começou a bater os dedos no notebook em seu colo.


Jungkook caminhou até onde seu marido estava, sentado no sofá.


— O que está te preocupando? — Jungkook perguntou, e começou a brincar com o cabelo de Yoongi porque ele sabia que Yoongi adorava. Sorriu com carinho quando Yoongi se inclinou para seu toque. Orgulhou-se de conhecer seu marido tão bem.


— Eu não quero mais ser um produtor musical — Yoongi fez beicinho. — Posso ser apenas seu lindo marido?


— Eu apoio tudo o que te faz feliz, mas temo que você fique entediado de ser nada além de um marido bonito. E eu não quero que você fique entediado de mim.


— Eu nunca ficaria entediado de você.


— Foi o que você disse quando comprou uma flauta. Depois, começou a aprender a tocá-la e ficou entediado depois de duas semanas.


— Já se passaram quatro anos desde que começamos a namorar. Se eu fosse ficar entediado de você, isso teria acontecido anos atrás.


— Eu não quero arriscar.


Jungkook se sentou ao lado de Yoongi. Se inclinou para lhe dar um beijo na bochecha. Yoongi fez beicinho, e Jungkook não precisou perguntar o que seu marido queria. Ele riu enquanto pressionava seus lábios nos de seu marido.


— Agora volte para sua tarefa — Yoongi disse, pegando uma das mãos tatuadas de Jungkook e colocando-a em seu cabelo novamente. Jungkook, que não conhecia a palavra 'não' quando se tratava de seu marido, obedeceu, brincando com os fios de cabelo macios de Yoongi.


— Agora, você pode me dizer por que não quer mais ser produtor? Da última vez que verifiquei, ontem, você estava feliz por ter sucesso em algo que ama fazer.


— Sim. Mas ontem eu não estava tendo problemas para produzir uma música — com a menção do motivo de suas preocupações, Yoongi começou a roer as unhas novamente. Então Jungkook pegou a mão de Yoongi na sua, a mão que não está brincando com o cabelo de um marido carente, e entrelaçou seus dedos.


Yoongi então começou a roer as unhas da outra mão. Jungkook o encarou. Ele parou, mas não sem fazer beicinho antes.


— Posso ajudá-lo com a música — ofereceu Jungkook. — Mas, você terá que me prometer que vai parar de se machucar assim — Jungkook levantou as mãos de Yoongi para que ele pudesse olhar para elas. Um de seus dedos já tinha um curativo. Outro começou a sangrar por causa da mordida recente.


— Não é tão fácil — disse Yoongi, incapaz de olhar nos olhos de Jungkook.


— Então me diga quando for difícil. Eu sou seu marido — Jungkook tirou a mão do cabelo de Yoongi. Colocou dois dedos embaixo do queixo de Yoongi para levantar sua cabeça. Então agora, aqueles olhos bonitos e gentis estavam olhando para Jungkook, e ele sorri de satisfação. — Eu sou seu marido e preciso que você me diga quando as coisas estão difíceis. Podemos torná-las mais fáceis juntos, ok?


Yoongi assentiu. —Tudo bem. Pode me abraçar agora? Não quero pensar em coisas ruins. Só quero abraçar meu marido, por favor?


Como se ele tivesse que dizer por favor. Como se Jungkook não fosse deixar tudo para abraçá-lo, a qualquer hora.


O notebook foi colocado na mesa de centro. Jungkook se deitou no sofá, trouxe Yoongi com ele e brincou com o cabelo dele mais uma vez.


 *

 Agora.


sentimos falta de yoongi hyung.


taehyung: fiz este chat em grupo porque sinto falta do meu yoongi hyung :(


namjoon: então por que você não o adicionou ao grupo?


taehyung: porque eu quero vê-lo cara a cara, e para isso eu tenho que falar com seu marido dele, também conhecido como jungkook


jimin: também sinto falta de yoongi hyung :(


jungkook: vocês o viram há três dias, no hospital. parem de ser dramáticos.


seokjin: três dias? parece que não vejo o rostinho dele há anos :(


jungkook: ele não se lembra de nenhum de vocês, ele sobreviveu a um acidente de carro recentemente e acabou de sair do hospital. eu não quero sobrecarregar ele neste momento.


jimin: besteira. você quer mantê-lo só para você.


hoseok: verdade. pare de ser egoísta, jungkook


namjoon: sendo suncero, também sinto falta dele.


E agora, há cinco homens do lado de fora da porta de Jungkook, segurando flores e caixas de presentes.


É preciso tudo em Jungkook para não fechar a porta na cara deles. — É por isso que eu não queria todos vocês aqui.


Eles o ignoram.


— Onde está Yoongi hyung? — Jimin pergunta, passando por Jungkook sem nem mesmo dizer oi, segurando um buquê de flores grande e ridículo. O resto deles faz o mesmo.


Jungkook respira fundo antes de fechar a porta. Quando ele se vira, ele vê Yoongi com os braços cheios de caixas e flores, franzindo a testa para os cinco homens que o cercam como um bando de hienas.


Ele rapidamente se aproxima para salvar seu pobre marido. Pega todas aquelas caixas e flores de seus braços, tudo enquanto dá um olhar bastante ameaçador para os cinco homens ao redor deles. Os presentes e flores são colocados no chão.


— Amor — Jungkook começa, então se corrige. — Quero dizer- Yoongi, você se importaria de esperar aqui sozinho por um segundo enquanto eu converso com esses idiotas?


Yoongi balança a cabeça.


Quando eles estão sozinhos no quarto do casal, Jungkook olha para seus amigos mais uma vez. Eles têm a decência de parecer envergonhados.


— Ok. Todos vocês viram o Yoongi, agora podem ir embora — disse Jungkook.


— Nós nem falamos com ele — protesta Seokjin. — Eu sei que podemos ter… exagerado, com os presentes e tudo, mas eu ainda quero falar com ele.


— Para que você possa roubá-lo de mim como disse que faria? — Jungkook levanta uma sobrancelha.


— Com licença — Namjoon diz. — Roubá-lo? Pensei que Yoongi fosse uma pessoa, não um objeto.


Jungkook concorda. Namjoon está certo. Normalmente, esse seria o pensamento de Jungkook também, mas o ciúme e o medo de perder seu marido o tornaram um idiota, aparentemente. Yoongi iria odiá-los por falarem sobre ele assim.


— Você está certo — concorda Jungkook. Seokjin permanece em silêncio. — Eu… vocês todos podem falar com ele, mas um de cada vez, assim como quando ele estava no hospital, certo?


Vai tudo muito bem. Eles conversam com Yoongi por cerca de três minutos.


Vai tudo muito bem. Até chegar a vez de Seokjin.


Porque ele diz algo, mas Jungkook está muito longe para ouvir. Ele diz algo que faz Yoongi rir, mesmo que seja apenas por três segundos.


Ele quer ir até lá, onde Yoongi está sentado no sofá ao lado de Seokjin, e levá-lo embora dali pela mão. Mas ele não faz isso. Ele apenas observa da cozinha.


— Se um olhar pudesse matar, Jin hyung estaria morto agora — disse Hoseok, ao lado de Jungkook.


Jungkook faz uma careta. — Eu não sabia que estava sendo tão... transparente sobre meus sentimentos.


— Está tudo bem — Hoseok o tranquiliza. — Yoongi é seu marido. É normal ficar com ciúmes. Ainda mais agora que Yoongi está com amnésia e... o fato de Seokjin ser ex dele também não ajuda.


Seokjin tenta segurar a mão de Yoongi, mas Yoongi recua. Isso faz Jungkook sorrir. Ele ignora a voz em seu cérebro que o lembra de que Yoongi se esquiva de seus toques também.


— Odeio ficar com ciúmes e não ser capaz de fazer nada a respeito — admite Jungkook. — Normalmente, nessa situação, Yoongi riria de mim, ou me chamaria de fofo. Ou ambos. Mas ele estaria ao meu lado, me beijaria e dormiria em meus braços. E eu ficaria em paz, sabendo que ele me ama tanto quanto eu o amo. Mas agora...


— Ele não se lembra de você — completa Hoseok. Ele dá um tapinha no braço de Jungkook, tentando confortá-lo. — Não se preocupe muito. Ele te ama muito. Ele vai se lembrar disso.


Mas enquanto Jungkook assiste Seokjin falar com Yoongi, ele teme que Yoongi se lembre de seu amor por Seokjin.


 *


Seokjin estava orgulhoso de si mesmo. Ele fez Yoongi rir com uma de suas piadas. Depois disso, ele tentou segurar a mão de Yoongi e Yoongi recuou. Ok, talvez ele estivesse indo rápido demais.


Ele não quer mentir para Yoongi. Ele quer que Yoongi saiba sobre o passado deles e se apaixone por ele no presente. Mas ele não acha que contar toda a verdade vai adiantar, já que Yoongi pode odiá-lo, como aconteceu anos atrás. Então ele vai contar metade da verdade.


— Você não se lembra de nada? — Seokjin pergunta. Yoongi balança a cabeça. — Então... nós namorávamos, antes de você começar a namorar Jungkook e eventualmente se casar com ele — Seokjin revira os olhos.


Yoongi parece surpreso com a notícia, inclinando a cabeça para o lado de uma forma que Seokjin não pode deixar de achar adorável. — Sério? — ele pergunta e Seokjin afirma que sim.


— Estávamos super apaixonados, sabe? — Seokjin sorri.


— Sério? Então por que nós terminamos?


— Bem…


 *

 Antes.


Seokjin estava ocupado. Ele estava muito ocupado para lidar com isso agora.


Os olhos de Yoongi estão vermelhos e inchados, revelando o fato de que ele estava chorando. Seokjin não queria lidar com isso agora. Não podia lidar com isso agora.


Quando ele entrou no estúdio de Yoongi segundos atrás, ele o fez para falar sobre negócios, não para confortar um namorado depressivo.


— O prazo final da música foi há uma semana atrás — disse Seokjin, fingindo que não percebeu nada. — Já está pronta?


Seokjin se perguntou como alguém de fora veria eles. Seokjin, vestido com um terno chique, cabeça erguida, mãos nos bolsos e um rosto inexpressivo para completar o visual de um CEO rude. Enquanto Yoongi estava usando seu moletom preto favorito, que ficava muito largo nele e uma calça jeans simples. Sentado na cadeira em frente ao computador, sua postura era ruim. Seus olhos, lindos, mas cansados ​​- vermelhos e inchados, com olheiras que pareciam piorar a cada dia.


Se um estranho os visse, eles pensariam que Seokjin é apenas um CEO que não se preocupava com o bem-estar de seus funcionários e que Yoongi deveria procurar um novo emprego.


Mas eles são namorados. Já faz três anos.


Yoongi olhou para ele com a testa franzida, como se ele não entendesse o que Seokjin está dizendo. Ou talvez ele não quisesse acreditar no que seu namorado de três anos estava dizendo, enquanto ele estava claramente em uma posição ruim e precisava de empatia.


Mas quando estavam na empresa, eram exatamente o que um estranho pensaria que são: o chefe e seu empregado.


— Eu... não terminei ainda — a voz de Yoongi soou tão quebrada quanto ele parecia. — Desculpe.


Lágrimas estavam começando a se formar em seus olhos novamente. Seokjin não tinha tempo para isso.


— Controle-se, Yoongi — agora, ele não era o namorado de Yoongi, ele era um CEO, que teve um dia terrível no trabalho. Ficou claro para os dois quando Seokjin não chamou Yoongi pelo apelido que sempre o chamava. — Todos nós temos dias ruins, mas você vê alguém chorando pelos cantos? Você tem um emprego, então esqueça seus sentimentos por um momento e faça-o.


— Quem é Você? — uma lágrima solitária caiu dos olhos de Yoongi. — Não conheço essa pessoa em que você se tornou. Já se passaram duas semanas desde a última vez que você falou comigo sobre algo que não fosse trabalho. Já se passaram duas semanas desde que parece que não tenho mais namorado. 


Seokjin suspirou pesadamente. — É por isso que você está chorando?


— Agora? Sim — Yoongi fungou, depois secou as lágrimas e colocou uma máscara de desinteresse. Era o que ele fazia quando estava tentando ser forte, ele construía paredes ao seu redor e não deixava ninguém entrar. Foi quando Seokjin olhou além de seu trabalho como CEO e percebeu o quanto ele estragou tudo.


— Então, por que você estava chorando antes? — Seokjin perguntou.


Yoongi hesitou, começou a roer as unhas com um olhar vazio em seus olhos úmidos. — Eu estava chorando por tudo e por nada ao mesmo tempo — e ele parecia terrivelmente triste ao dizer isso. E Seokjin entendeu. Yoongi tinha depressão e por vezes, chorava sem saber por qual motivo e em outras vezes, tinha tantos motivos para chorar que não sabia sobre qual falar primeiro.


— Yoonie… — Seokjin disse em um tom reconfortante. E de repente, eles não eram apenas um chefe e seu empregado. Eles eram namorados. Mas já era muito tarde.


— Eu quero ficar sozinho — a voz de Yoongi saiu baixa como um sussurro, nunca gritava, nunca levantava a voz nem um pouco, não importa o quão bravo ele estava. E Seokjin percebia que ele estava com raiva - com raiva e triste ao mesmo tempo.


Ele não olhou para Seokjin, ao invés disso, encarou o chão enquanto roía as unhas.


— Yoonie, por favor— Seokjin deu um passo mais perto, para abraçar seu namorado do jeito que ele deveria ter feito desde que entrou na sala.


— Vou trabalhar mais na música. Você pode ir agora — Yoongi olhou para Seokjin com os olhos vermelhos e vazios. — Chefe.


E quando Seokjin saiu do estúdio de Yoongi, foi ele quem começou a chorar.


 *

 Agora.


— Eu estava sempre ocupado — diz Seokjin. — É por isso que terminamos.


— Mas ainda somos amigos? — Yoongi pergunta.


— Os melhores amigos — Seokjin sorri, feliz em saber que isso não é uma mentira, ou bem, metade da verdade como o que ele disse antes.


Ele não podia dizer a verdade, isso faria Yoongi odiá-lo, mesmo que apenas por um dia ou semana, porque Yoongi era muito bom para odiar alguém por mais de uma semana. E Seokjin já havia se aproveitado dessa gentileza uma vez, ele não planejava fazer isso de novo.


E o mais importante de tudo, ele não quer ver Yoongi sofrendo novamente por algo que já superou.


Ele não quer ver Yoongi sofrendo de forma alguma.


— Hora de ir — Seokjin ouve Jungkook dizer. Ele olha para cima e Jungkook está na frente dele com os braços cruzados e uma sobrancelha levantada.


Seokjin revira os olhos. — Quando você chegou aqui? Acho que estava tão focado em Yoongi-chi que não vi você.


— Agora você presta atenção nele, né? — Jungkook diz.


Seokjin precisa respirar fundo para não socar Jungkook ali mesmo. — Eu sempre prestei atenção nele — Ambos sabem que isso é mentira.


— Sério? — Jungkook levanta uma sobrancelha. Silenciosamente desafia Seokjin a mentir novamente. Isso faz Seokjin se sentir mal, saber que ele está mentindo para Yoongi. Ainda assim, ele adoraria dar um soco em Jungkook agora.


A tensão entre eles deve ter sido evidente porque todos os seus amigos, de repente, estavam ali também.


— Devíamos ir — diz Hoseok. Todos eles concordam.


Mas não antes de Taehyung pedir um abraço de Yoongi.


— Por favor? — Taehyung fez beicinho. — Já fui privado de seus abraços por tempo suficiente. Não sei quanto mais posso aguentar.


Yoongi hesita por tempo suficiente para eles perceberem que ele ainda não se sente confortável em dar abraços, mas não sabe dizer não.


— Estou brincando! — Taehyung disse então, e todos eles o acompanharam em uma risada forçada.


 *

São dez da noite quando Jungkook decide que terá que sair e comprar comida.


Yoongi está digitando em algo em seu celular, deitado no sofá com olhos sonolentos. Se Jungkook tivesse que adivinhar, ele diria que Yoongi provavelmente está enviando uma mensagem para Namjoon.


Embora Yoongi também não se lembre de Namjoon, ele tem mandado muitas mensagens para Namjoon. Jungkook ficaria com ciúmes se Yoongi não falasse com ele sobre as conversas que tem com Namjoon com os olhos brilhando.


Parece que Namjoon fez algo que Jungkook ainda não descobriu como fazer, talvez porque ele gasta metade de seu tempo tentando conter as lágrimas toda vez que Yoongi fala com ele como se ele não o conhecesse.


Namjoon conseguiu conquistar a amizade de Yoongi em três dias.


Ontem, Yoongi estava animado com a ideia de ir ao estúdio com Namjoon. Seu amor pela música ainda estava lá.


— Eu me pergunto se ainda sei produzir música — Yoongi disse, sorrindo tanto que seus olhos se transformaram em crescentes. E Jungkook desejou poder beijá-lo.


Yoongi passou o resto da noite falando sobre música. Jungkook estava feliz em apenas ouvi-lo falar com sua voz gentil. Ainda assim, ele disse algo aqui e ali, mas no geral ele estava muito ocupado tentando não fazer algo estúpido e beijar Yoongi como ele normalmente faria, porque era muito fofo quando seu marido ficava animado com alguma coisa.


Jungkook mostrou a ele as músicas que ele produziu e compôs, e Yoongi simplesmente não acreditaria que algo tão bom foi feito por ele.


Ele ficou surpreso ao saber que Jungkook é um cantor famoso.


— Por que você se casou comigo? — ele perguntou. — Você não tem milhões de pessoas querendo você?


— Depois que eu vi você pela primeira vez, ninguém mais importou. Todo mundo era chato.


Yoongi corou e mudou de assunto.


Então, os últimos três dias foram assim: Yoongi perguntando coisas sobre sua vida e silêncios ensurdecedores. 


Todos os dias, Jungkook acorda e se pergunta se seu marido vai se lembrar dele. Ele nunca se lembra.


Jungkook caminha até o sofá, impede que suas mãos toquem automaticamente o cabelo de Yoongi e diz: — Vou no mercado. Quer alguma coisa?


Yoongi o encara de onde está sentado no sofá. — Posso ir com você? Estou aqui desde que saí do hospital. Quero sair.


Jungkook hesita. Ainda não quer que a mídia saiba que Yoongi está fora do hospital. Sair de casa é um risco. Mas Yoongi está olhando para ele com olhos esperançosos e Jungkook simplesmente não consegue dizer não.


— OK — a resposta imediatamente lhe dá um dos sorrisos de Yoongi que ele tanto ama. — Mas você precisa usar uma máscara.


 *


O carro de Jungkook já está fora da garagem, pronto para ir. Mas Yoongi apenas encara o carro preto e caro, sem fazer nenhum movimento para entrar.


— Eu não consigo — ele sussurra, os olhos perdidos no carro.


— Você não precisa ter medo — Jungkook diz, levantando a mão para tocar o cabelo de Yoongi. Então, muda de ideia e abaixa a mão. — Eu não vou deixar nada de ruim acontecer conosco.


Está frio e escuro lá fora. Uma gota de chuva cai no nariz de Jungkook. Ele ouve o som familiar de um flash de câmera. Yoongi continua olhando para o carro, mas agora, ele está roendo as unhas também. Jungkook percebe que suas mãos estão tremendo.


— Vamos voltar para dentro — diz Jungkook, quando começa a chover. Yoongi não desvia o olhar do carro. Há outro flash de câmera.


— Eu me lembro — Yoongi olha para Jungkook, finalmente.


É preciso tudo em Jungkook para não apenas... pegar seu marido nos braços e beijá-lo. Ele diz a si mesmo que, talvez, Yoongi acabou de se lembrar de uma memória, não de todas as suas memórias.


— O acidente de carro. Eu me lembro — esclarece Yoongi. Jungkook não se sente desapontado, ao invés disso, ele sente a chama da esperança dentro de si queimar mais forte. É um progresso, e Jungkook seria um péssimo marido se não valorizasse cada pequena coisa que Yoongi pudesse se lembrar, não importa o quão pequena fosse.


— Vamos conversar lá dentro — diz Jungkook, enquanto a chuva cai mais forte. Os dois já estão encharcados. Yoongi assentiu. Há outro flash de câmera.


 *

Era apenas a lembrança do acidente. Yoongi disse que se lembrou do momento exato em que outro carro bateu em seu carro, e então, nada.


Yoongi havia se desculpado com Jungkook por não se lembrar de mais nada. Jungkook disse a ele que estava tudo bem. Progresso é progresso, não importa quão pequeno seja.


Hoje, Yoongi irá para o estúdio com Namjoon. Jungkook perguntou se era uma boa ideia, depois do que aconteceu ontem. Yoongi disse que estava tudo bem, desde que eles não entrassem em nenhum carro.


Agora Namjoon estava em sua sala, esperando por Yoongi, que ainda não estava pronto. Jungkook essa oportunidade para ter uma conversa com Namjoon.


— Sem carros — ele diz, sentando no sofá ao lado de Namjoon.


— Eu sei — Namjoon assenti.


— E não esqueça de alimentá-lo. E lembre-o de tomar os remédios.


— Eu sei.


— Se ele não se sentir confortável, ou se decidir ir embora, é só me ligar e irei para lá imediatamente.


Namjoon revira os olhos. — O estúdio não fica muito longe daqui. E eu sou muito responsável. Seu marido está seguro comigo.


Jungkook tentou parar de se preocupar tanto e falhou.


Então, ele passou o dia todo enviando mensagens para Namjoon.


Jungkook: ele comeu?


Namjoon: sim.


Jungkook: e os medicamentos?


Namjoon: ele tomou.


Jungkook: alguém foi rude com ele?


Namjoon: não. todo mundo ainda o ama aqui, como era antes do acidente.


Jungkook: que bom. fico feliz.


Namjoon: pare de ficar tão preocupado! ele está bem!


E Jungkook decidiu acreditar nele. Ele não deveria, porque mais tarde, quando Yoongi volta, ele parece alguém que acabou de ter um dia horrível.


— Você está bem? — Jungkook pergunta, se levantando do sofá. Ele estava sentado lá, balançando as pernas, durante faz uma hora, ainda um pouco preocupado.


Yoongi respira fundo, como se tentasse segurar as lágrimas que Jungkook sabe que está segurando. Ele falha, e as lágrimas começam a cair por seu rosto. Jungkook quer abraçá-lo tanto.


Jungkook segue cada movimento de Yoongi. Lentamente, ele caminha até estar na frente de Jungkook. Ele olha para Jungkook.


— Não me lembro de como fazia música — sua voz carece de emoção, mas olhando para ele é impossível não ver o quão triste ele está. Dos ombros caídos aos olhos lacrimejantes, ele parece derrotado. Triste - e mesmo essa palavra é muito simples para expressar a dor que Jungkook vê nos olhos de seu marido.


Jungkook pisca para afastar as lágrimas que ameaçam cair por seu rosto. Dói ver seu marido assim. Ele sabe o quanto a música significa para ele - algo que permaneceu com ele, mesmo que suas memórias tenham partido.


Jungkook se lembra de como, poucos dias atrás, Yoongi estava tão animado enquanto falava sobre música, se perguntando se ele ainda se lembraria de como fazê-lo.


— Posso te abraçar? — Jungkook pergunta. O que mais ele poderia fazer? É o que mais dói: ver seu marido assim e não ter poder fazer nada para mudar isso.


Yoongi apenas faz que sim com a cabeça, enquanto novas lágrimas começam a se formar em seus lindos olhos. Ele não espera que Jungkook dê o primeiro passo, ele mesmo o dá, escondendo o rosto contra o peito de Jungkook, os braços em volta da cintura de Jungkook.


Jungkook o abraça e brinca com seu cabelo, do jeito que sabe que seu marido gosta.


— Tenho medo de nunca me lembrar de nada — Yoongi soluça contra o peito do marido, e os braços ao redor dele parecem ficar mais apertados.


— Você vai se lembrar. Basta tomar seus remédios... e na próxima semana veremos o médico novamente. Vai ficar tudo bem, querida, eu prometo.


Yoongi olha para ele, os olhos cheios de lágrimas. — E se eu não me lembrar? Eu não sei... nada e... e... você vai terminar comigo e... onde vou morar? Como vou viver? Não consigo fazer música. Não consigo fazer nada...


— Shh… — Jungkook levanta as mãos para secar as lágrimas de Yoongi, sua pele pálida macia sob seus dedos. — Você não precisa se preocupar com nada. Eu te amo tanto, você não tem ideia — Jungkook sorri, enquanto olha nos olhos inchados de Yoongi. — Eu nunca terminaria com você, quero dizer... a menos que você queira terminar comigo, então, terei que aceitar isso, eu acho.


Yoongi não desvia o olhar. Jungkook está quase o beijando. Tão perto. Tão doce. Jungkook sente falta daqueles lábios nos dele. Ele fecha os olhos e respira fundo. Quando ele abre os olhos novamente, Yoongi está olhando para os lábios dele. Oh, ele não é forte o suficiente. É uma tortura.


Wle resiste. Apoia sua testa contra a testa de Yoongi. — Eu te amo e vamos resolver isso juntos. Você e eu, como sempre, ok?


Yoongi assenti.


Mais tarde, Yoongi pede a Jungkook para assistir a um documentário com ele - outra coisa que não mudou: o amor de Yoongi por documentários.


Eles se deitaram na cama, enrolados em um cobertor quente. Yoongi deixou pouco espaço entre eles e ainda assim, não é o suficiente. Normalmente, eles se abraçariam. Mas Jungkook também aceita isso. É melhor do que os silêncios ensurdecedores. É um progresso.


Eles adormecem ao som da respiração suave um do outro. Em seu próprio mundinho.



Notas Finais


então, até o próximo e último capítulo, que já tá meio caminho andado, mas como vou ficar meio ocupada esse mês, não sei se poderei continuar escrevendo e att ainda esse mês, mas vem aí


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...