1. Spirit Fanfics >
  2. Remember (Vkook) >
  3. Empty Space

História Remember (Vkook) - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura ^ ~

Capítulo 10 - Empty Space


Fanfic / Fanfiction Remember (Vkook) - Capítulo 10 - Empty Space

Yoongi estava sentado em uma das arquibancadas envelhecidas da quadra próximo a faculdade onde estudou com seus amigos. Antes, aquele lugar costumava ser o cantinho predileto dele e Jungkook para conversarem ou apenas ficarem juntos nas poucas horas vagas que tinham. Isso antes do grupo de amigos crescer, é claro.  

Seu peito se encheu de saudades e não pôde segurar as lágrimas que encheram seus olhos ao lembrar das inúmeras vezes que fantasiou voltar aquele local com ele e os outros, em um domingo talvez... fazer um churrasco, beber uma cerveja e rir enquanto jogavam uma partida de basquete como nos velhos tempos... 

Agora tudo isso parecia tão mais distante do que antes do acidente, quando seus únicos empecilhos eram os horários corridos e dias de trabalho excessivos. E depois de tudo, era lamentável, mas jamais aceitaria essa situação. Prometeu a si mesmo que faria de tudo para terem suas vidas de volta.  

Ao longe, avistou Jungkook surgir, atravessando as grades que cercavam aquele local. Ele ainda estava com roupas sociais de trabalho, porém estava sem a gravata e seus cabelos pareciam horrivelmente bagunçados ao vento...  

Um pequeno sorriso tomou os lábios de Yoongi quando o viu correr em sua direção e rapidamente se recompôs, não querendo que percebesse sua tristeza. Mas então notou algo errado ao perceber o rosto de Jeon avermelhado, fazendo seu sorriso sumir ao ver lágrimas em suas bochechas coradas, pouco antes de ser surpreendido por um abraço apertado quando finalmente o alcançou. 

– Não me entenda mal, mas eu precisava muito te ver – Jungkook suspirou tristonho contra o pescoço do amigo, o abraçando com força e permanecendo assim até ser retribuído com carinho.   

- O que aconteceu?  

Yoongi não teve respostas e apenas respirou fundo sem saber como reagir a ele daquela forma, se desmanchando em seus braços... Aquilo doeu fundo em seu peito, não tinha como se acostumar a isso. Era literalmente como se voltasse no tempo, quando o via cheio de problemas as quais achava não conseguir resolver e o procurava tão desesperado quanto agora.   

- Ei... conversa comigo? - Insistiu, acariciando as costas de Jungkook, que ainda suspirava contra seu pescoço, envergonhado de suas fraquezas, mas não tanto por ser Yoongi ali – seu melhor amigo.  

- Ah, irmão... - Resmungou, finalmente se afastando, mas rapidamente escondendo o rosto com as mãos, fungando enquanto era guiado a sentar na quadra junto dele. - Tá tudo dando errado...  

Yoongi o escutava apenas, mantendo uma mão firme em seus ombros, para que não esquecesse que estava ali ao seu lado. Então deixou que se acalmasse, esperando até que parasse de chorar para só então finalmente dizer alguma coisa.  

- Vai voltar para a empresa hoje? - o perguntou.  

Jungkook respirou fundo, parecendo estar mais calmo, mesmo com o rosto ainda bem vermelho e então encarou o amigo por alguns segundos.  

- Olha pra mim, eu não posso voltar assim. - resmungou, fazendo pouco caso de si mesmo e Yoongi sorriu, pegando uma caixa térmica ao seu lado e a abrindo, exibindo inúmeras bebidas rodeadas de gelo.  

- Então eu também não volto. Vamos conversar um pouco. Como nos velhos tempos...  

Jungkook sorriu em resposta e foram muitas horas e garrafas até que estivesse mais solto, falando mais abertamente sobre seus problemas – dos mais simples aos mais pesados... O local continuava vazio e Yoongi se manteve sóbrio para o ouvir e aconselhar corretamente. Sem contar que também precisava estar bem para levá-lo para casa depois, quando sentisse vontade de ir.  

Ele o ouviu falar sobre sua mãe, ainda tão sufocante. Sobre ela jogar IU em sua vida, sobre a empresa de seu pai e suas preocupações com ela... em como se sentia um merda lá dentro e é claro, sobre Taehyung.  

- Taehyung? - Yoon perguntou, fingindo de desentendido. - O da faculdade? 

- Sim. Aquele mesmo. O tarado do banheiro! - Jeon quase gritou, bêbado demais para regular a altura de sua voz. Mas então, sossegou, apoiando as bochechas sobe os punhos fechados, fazendo bico. - Mas o cara é tudo o que eu precisava... Ele ajeitou um monte de coisa lá na empresa. - Suspirou aborrecido, passando as mãos no rosto com força em seguida... 

Yoongi permaneceu em silêncio, deixando que desabafasse mais.  

- Lembra que conversamos sobre ele? - Jungkook perguntou, virando mais uma garrafa, vendo o amigo assentir. - Acha que... ele realmente sentia algo por mim?  

- Pode ser que sim. Mas... pode ser que não. - O respondeu simplesmente, jogando com as cartas que podia. - Já faz um bom tempo, meu amigo. As coisas podem ter mudado.  

- Hm – Jeon resmungou, bebendo um pouco mais.  

- Porque a pergunta? Mudou de ideia quanto a ficar longe? 

Jungkook o encarou seriamente por alguns segundos, mas acabou por rir fraco da cara do amigo. Yoongi pegou a garrada de sua mão, se dando conta que já havia bebido demais...  

- Não. - Respondeu firme. - O fato de achar que tudo mudou é o motivo principal de ele continuar na empresa comigo.  

- Isso não faz sentido – Yoon protestou. - Então quer dizer que se ele ainda sentir algo por você vai mandá-lo embora?  

- Sim.  

- Vai nada, você sabe que precisa dele.  

- Droga. 

Foi a vez de Yoongi beber um pouco da garrafa que pegou antes de dizer o que pensava.  

- Olha, Jeon, sou seu amigo a anos e, apesar de trágico, acho engraçado como a vida foi sacana em te colocar na mesma rota de problemas que antes...  

Jungkook respirou fundo e apesar de estar alto, continuava atento as palavras que escutava. Confiava nele mais do que tudo e todos a sua volta. E naquele momento ele parecia saber o que era melhor para si então queria o ouvir...  

- Vou repetir pra você o disse há anos atrás e talvez não se lembre mais, mas... um dia, você me ouviu, colocou sua cabeça no lugar e decidiu tentar ser feliz...  

Jeon juntou as sobrancelhas tentando buscar na memória, mas como nada veio, voltou sua atenção a ele.  

- Pare de tentar controlar sua vida e apenas viva.   

Jungkook riu, descordando do amigo.  

- Não posso fazer isso.  

- Claro que pode. - Yoongi afirmou. - Você apenas não quer deixar acontecer. 

Ao ouvir isso baixou os olhos, pois era verdade.  

- Eu te conheço Jeon... você é teimoso demais. - Afirmou sem medo enquanto carinhosamente tentava arrumar seus cabelos bagunçados, ainda rebeldes. - Mas vai ficar tudo bem. Você logo vai aprender o que precisa na empresa e fará tudo perfeitamente. Quanto a sua mãe, não me leve a mal, mas, acho que deveria procurar um outro lugar para você, afinal de contas, já é um homem adulto. 

- Eu pensei a mesma coisa esses dias. - Jungkook resmungou, parecendo incerto ao que dizia. - Mas ela falaria tanto na minha cabeça...  

- Deixa ela falar... - Yoongi o respondeu, fazendo careta e balançando as mãos sem paciência. - Você promete continuar visitando a casa dela e fica tudo certo. Ela só não quer que você desapareça ou... corte contato.  

- É... acho que assim pode dar certo.  

- Isso. Pode sim. - Afirmou esperançoso, o vendo sorrir pequeno. Seria perfeito finalmente tirá-lo das garras daquela mulher. - E, quanto a IU e seus sentimentos encubados, quero que saiba que não precisa lutar tanto contra... Se assim fizer como vai saber de quem realmente gosta. Se é dela, ou dele? Ou quem sabe de uma outra garota ou garoto que possa surg...  

- Eu gosto do Taehyung. - Jungkook afirmou simplesmente, de forma amarga e mesmo bêbado foi sincero. - E eu espero muito que ele realmente não sinta nada por mim.  

Naquele momento, Yoongi decidiu se calar. Ele já havia conversado demais e bebido demais. Já tinha escutado muita coisa e entendia que tudo tem seu tempo. Eles poderiam continuar aquele assunto um outro dia. Por hora, já tinham avançado muito e isso foi o suficiente.  

- Tudo bem. - Yoon suspirou, se colocando de pé e guardando as coisas. - Quer que eu te deixe em casa?  

- Posso dormir na sua casa? 

Houve um minuto de silêncio entre eles. Por um instante, Yoongi se preocupou com reação dele a Jimin ou com o surto de sua mãe pelo sumiço repentino... Antigamente, ele costumava fazer coisas do tipo e aquele mesmo olhar sem preocupação estava estampado em seu rosto naquele momento.  

Pensando bem, seria melhor que recomeçasse o dia melhor amanhã. Talvez, ir para casa não fosse mesmo uma boa ideia no estado que estava. Por isso o ajudou a caminhar até o carro e dirigiu em seu lugar rumo ao seu apartamento.  

No sinal fechado, enviou uma mensagem a Jimin que decidiu dormir fora. Afirmou que seria muita coisa pra Jungkook processar em um dia só e apenas perguntou se ele estava bem, mas ficaram de conversar melhor depois e assim ficou combinado.  

Quando em casa, Yoongi deitou o amigo quase adormecido no sofá e deixou que descansasse. Ele estava péssimo e parecia não ter boas noites de sono a dias. Ele ligou ar-condicionado e o cobriu com mantas, colocando travesseiros abaixo de sua cabeça enquanto seus olhos já estavam fechados... 

- Está confortável? - perguntou preocupado.  

- Eu tenho sonhado com ele – o ouvi resmungar, ignorando a pergunta feita,  ainda sem abrir os olhos pesados. - ... toda noite.  

- Sério? - Yoongi arregalou os olhos pequenos, antes de sentar no chão próximo a si. Em sua mente, tinha esperança que fossem lembranças. - E como são esses sonhos?  

Jeon sorriu.  

- Fazíamos amor...    

- Só isso?! - Resmungou brincalhão, se levantando, quase sendo acertado por um travesseiro que o amigo arremessou erradamente contra ele, rindo fraco antes de voltar a dormir.  

 

[...] 

 

Taehyung 

 

 

Eram quase 18h horas da noite e naquele momento, quase no fim do meu expediente, não tive mais esperanças de que Jungkook voltaria a empresa. Ainda haviam muitos outros relatórios a serem analisados e eu não pretendia ir embora tão cedo...  

Parte de mim estava preocupada, enquanto a outra parte estava chateada com pensamentos horríveis sobre ele. Quem sabe, naquela época - a qual se lembra -, tinha uma ficante? Ou uma namorada com a qual foi se encontrar? 

Me lembro de não ter descoberto nada na época, quando procurei saber de todos os meios que pude sobre sua vida pessoal. Ele era apenas solteiro e com uma sexualidade indefinida, na minha opinião. Mas talvez eu não tenha me informado tão bem assim...  

As lembranças daquele álbum fotos me veio em mente e a visão dele, jovem, ao lado daquela bela moça - desconhecida por mim - fez meu peito queimar de ciúmes. Larguei as folhas, antes em minhas mãos e as deixei na mesa, passando os dedos na testa, irritado. Eu não poderia de forma alguma ter mais um empecilho entre nós. Muito menos algo assim.  

Escuto batidas na porta e após autorizar que entrasse, seja quem fosse, vi ser apenas Kaio, com a mochila nas costas e uma xícara de café nas mãos. Com um pequeno sorriso ele caminhou até onde eu estava, deixando a bebida em minha mesa antes de me dar um sorriso grande.  

- Está na hora de bater meu ponto, mas vi que ainda estava aqui e... cheio de trabalho, pensei em trazer um café para te ajudar.  

Sorri carinhoso, sentindo minha raiva desaparecer naquele instante. Esse menino é muito atencioso e esforçado. Se continuar assim, vai crescer muito.  

- Obrigado. Vai ajudar mesmo. - Fui falando, enquanto bebia um pouco do que me trouxe, o observando caminhar apressado até a porta.  

Por um instante, pensei em perguntar quem mandou o celular para meu neném mais cedo, mas pensei melhor e apenas o deixei ir. Ele poderia desconfiar de mim se assim fizesse... Em seguida o meu próprio celular anunciou uma mensagem sendo de Jimin, perguntando se poderia falar e apenas o liguei de volta.  

- Está saindo da empresa? - ele perguntou com a voz estranha.  

- Não. Na verdade, não tenho hora para sair. Por que?  

- Me dê as chaves do seu apartamento, vou dormir com você hoje. Yoongi está com Jungkook lá em casa.  

Me coloquei de pé, caminhando de um lado para o outro na sala, agora com a cabeça cheia de preocupações...  

- O que aconteceu?  

- Ainda não sei, ele me disse que vai contar depois. Mas fique tranquilo, parece que estão bem.  

Respirei fundo, sentindo o peito apertado, ao mesmo tempo aliviado em pensar que seria Yoongi a pessoa com quem marcou de se encontrar mais cedo. 

- Tudo bem, deixo as chaves com você então. Onde você está?  

- Aqui em frente a empresa.  

- Ok. Estou descendo.  

Caminhei apressado pelos corredores, entrando no elevador e surgindo minutos depois frente ao carro dele, onde desceu para me receber com um abraço apertado.  

- Como você está? - ele perguntou, carinhoso como sempre.  

- Bom, mais cedo eu estava me descabelando com o sumiço dele. Mas agora estou um pouco mais calmo em saber que está na sua casa com Yoon.  

- Se eu soubesse de algo, tinha te avisado...    

- Eu sei, eu sei - resmunguei pegando as chaves do meu bolso e o entregando. - Fique à vontade. Só não tem comida na geladeira.  

- Nem vou falar nada sobre isso - ele me encarou bravo, mas então respirou fundo, me lançando um olhar preocupado. - Sei que quer ajudá-lo, mas não demore tanto aí. Me liga quando acabar, eu venho te buscar.  

Eu não respondi e apenas me despedi dele com um abraço antes de deixar que entrasse no carro e fosse embora. Em seguida, voltei para a sala - saindo do caminho de todos que também terminavam seu expediente - para finalmente me trancar no escritório mais uma vez, me sentando novamente frente aos tantos papeis para continuar meu trabalho.   

Algumas horas mais tarde, após ignorar mais de mil mensagens de Jimin perguntando se eu já havia acabado, me assustei ao ouvir baterem na porta. Até onde sabia, não havia mais ninguém na empresa... 

- Jungkook? Sou eu, Namjoon.  

Sorri pequeno ao me dar conta que era apenas meu amigo e me levantei, girando a maçaneta sem demora. Ele me olhou surpreso antes de exibir suas covinhas e me abraçar forte assim que entrou.  

- O que faz aqui ainda, rapaz? - o ouvi perguntar carismático como sempre, se sentando na cadeira disponível, enquanto apenas fiz o mesmo, apontando para as pilhas de papeis a minha frente com os olhos cansados. - Eu também estava até agora fuçando o que podia... Que dor de cabeça essa situação, não é?  

- Nem fala. - Resmunguei. - Descobriu alguma coisa?  

- Nada. E você? 

Neguei também, balançando a cabeça antes de passar as mãos no rosto, o observando olhar ao redor.  

- Onde está o Jungkook? Ele ainda não voltou?  

Encarei seu rosto por um instante me dando conta de que o celular entregue mais cedo era dele. Só podia ser dele. Como não pensei nisso antes?  

- O Yoongi marcou de sair com ele, não foi? - perguntei, matando finalmente a charada.  

- Foi – ele afirmou tranquilamente, pondo as mãos atrás da cabeça enquanto esticava as costas doloridas. - Jungkook está sem celular, então ele pediu para que eu passasse a ligação.  

- Eu passei o dia todo pensando asneiras desse sumiço dele – resmunguei aborrecido com minha dor de cabeça atoa. - Mas, porque ele está sem celular?  

- Ele simplesmente não se lembra a senha de desbloqueio.  

Meus lábios se separaram em um sorriso enquanto me lembrava do dia em que colocamos um mesmo código de segurança como forma de confiança. Não tínhamos nada a esconder um do outro, então...   

- Eu posso te ensinar como é, assim você passa pra ele e resolve esse problema. - Sugeri.  

- Não seria uma boa ideia. – Ele se apressou em dizer, dando sua opinião e me deixando confuso. - Pense em como a cabeça dele ficaria ao se deparar com mensagens de vocês, fotos e tudo mais?  

É, eu não havia pensado nisso.  

- Quem sabe, na hora certa, isso ainda nos possa ser muito útil, mas agora é arriscado demais. Ele poderia surtar.   

Continuei calado, apesar de concordar com tudo o que disse e então um sorriso surgiu em seus lábios me deixando curioso.  

- Mas me diga, como está sendo com ele? 

Pensei por um instante. Bom, não havia muito o que ser dito...  

- Profissional. - Lamentei, vendo seus olhos baixarem brevemente, tristes por mim. - Mas ainda tenho esperanças. Afinal de contas, estar aqui já é algo grande.  

- Sim. - Ele concordou, se colocando de pé e vindo até onde eu estava. - Estou do seu lado, cara. Vamos dar um jeito nessa bagunça.  

Sorri, recebendo seu abraço apertado, enquanto se despedia de mim.  

- Vou indo e você não demore também. - Ele pediu meio que mandando carinhosamente, se afastando rumo a porta. - Eu até te ajudaria, se Jin não estivesse me esperando. Esses dias me deparei com ele aqui dentro da empresa, atrás de mim por minhas demoras... 

Ele riu sem humor e apenas baixei meus olhos ao lembrar amargamente daquela noite.  

- Eu o encontrei na saída do elevador, nesse dia. - Contei em desgosto e o vi seu sorriso desaparecer parecendo surpreso. Pensei que ele já soubesse, mas pelo visto Jin não havia o dito. - Bom... boa noite.  

- Pra você também, meu amigo. - Ele finalizou, saindo porta a fora e me deixando novamente a sós com todo aquele trabalho.  

Minha noite seria bem longa... 

 

[...] 

 

Jungkook 

 

Meus olhos estavam pesados e foi difícil simplesmente os abrir quando acordei e percebi estar deitado em algo macio... ao tentar me levantar, deixei alguns travesseiros caírem no chão enquanto me encolhia sentindo minha cabeça latejar...  

- Onde estou? - resmunguei confuso, pondo a mão na testa como se isso fosse diminuir minha dor...  

- Bom dia, bela adormecida.  

Reconheci a voz de Yoongi, próximo a mim, antes de ver uma caneca de café ser estendida a minha frente. 

- Beba, vai te fazer bem. - Ele disse, não me dando escolha senão apenas pegá-la de sua mão.  

Não me lembrava de ter bebido tanto ao ponto de ficar assim, mas não reclamaria por isso, estava realmente precisando de um porre...  

- Que horas são? - Perguntei quando finalmente abri meus olhos e me deparei com a forte claridade da janela. 

- 7:30h.  

Quase engasguei com o café, me levantando meio zonzo antes de deixar a caneca na pia e encarar Yoongi brevemente com meus olhos sem dúvidas desesperados.  

- Minhas chaves? Onde estão? - Perguntei nervoso, caminhando novamente para o sofá e procurando por elas. - Preciso ir para o trabalho!  

- Eu te levo. Não vai dirigir assim. - O ouvi dizer calmamente, retirando as chaves do bolso e deixando a caneca na cozinha antes de caminhar até a porta. - Vou tirar o carro da garagem enquanto você pelo menos escova os dentes.  

Ele estava certo, não poderia surgir assim na empresa. Caminhei até o banheiro em seu quarto e tomei um rápido banho, depois rapidamente escoveis os dentes, me distraindo brevemente ao ver duas escovas no recipiente – uma azul e outra branca. Então me lembre de quando deixou escapar que aparentemente estava com Jimin, quando acordei no hospital e a primeira pessoa para quem quis ligar foi ele. 

Que loucura...  

Ri sozinho ao lembrar das farpas que trocavam enquanto me olhava no espelho, penteando meus cabelos rebeldes. Quando pronto, coloquei a mesma calça e sapatos e apenas fui ao guarda-roupas dele, pegando uma camisa social que ficou completamente pequena em mim, mas teve que servir. Não tinha tempo de ir em casa e depois para o trabalho, me atrasaria ainda mais e já tinha chegado tarde inúmeras vezes durante a semana. Na situação pesada que a empresa estava, não havia condições de que eu - pelo menos - não fosse pontual.   

Desci as escadas correndo, entrando no carro de Yoongi que apenas encarou a camisa em meu corpo, mas não disse nada, somente ligou o carro e acelerou para minha felicidade. Quando finalmente chegamos o agradeci enquanto descia, passando meu número novo para ele - até que desse jeito no antigo celular –, e me despedi às pressas, correndo para o elevador.  

Todos já estavam em suas salas fazendo seus trabalhos e apenas passei feito um raio pelos corredores vazios, todo sem jeito enquanto colocava meu terno por cima da camisa apertada.  

Fui direto para minha sala onde entrei e fechei a porta rapidamente, respirando fundo, ainda recostado na madeira atrás de mim, suspirando aliviado por conseguir chegar não tão atrasado quanto pensei que fosse e ao dar o primeiro passo rumo ao meu escritório, congelei ao me deparar com Taehyung dormindo sobe a pilha de papeis em sua mesa.  

Observei que ele ainda estava com as mesmas roupas do dia anterior e ao seu lado haviam duas xícaras sujas de café.  

Ele... passou a noite aqui?  

Meus olhos ficaram grandes e me senti péssimo por aquela visão. Eu passei o dia fora enquanto ele ficou trabalhando sozinho por todo esse tempo? 

Passei as mãos no rosto me aproximando dele, ainda profundamente adormecido, sem saber o que fazer...  Não queria acordá-lo bruscamente, ao mesmo tempo que desejava o mandar para casa, para que descansasse direito.  

Talvez... também poderia me desculpar pelo que fiz e se possível fosse brigar por ele ter ficado quando disse pra não fazer horas extras. Mas tudo o que pensei fazer foi sumindo da minha mente quando meus olhos caíram em seu rosto sereno... Seus lábios bonitos, um pouco tortos prensados contra um dos braços abaixo de si, o pescoço largo com algumas veias desenhando sua pele...  

Por que tinha de ser tão bonito?!  

Caminhei para longe, deixando meu casaco no cabideiro e desejando continuar distante. Mas eu teria de acordá-lo alguma hora. Então voltei a me aproximar... 

Estiquei uma de minhas mãos na direção de seus ombros largos decidido a tocá-lo de alguma forma cuidadosa e o despertar calmamente, mas me perdi na linha de sua coluna sendo marcada pela camisa fina que vestia, um pouco justa em seu corpo devido a posição em que estava.  

Balancei a cabeça, me sentindo atordoado quando minha mente sem piedade me trouxe a memória viva de quando o vi se despir a minha frente e exibir aquele corpo perfeito diante dos meus olhos... A forma como tirou a camisa, de costas para mim... seus músculos se movendo enquanto o tecido deslizava por sua pele morena...  

Umedeci meus lábios quase inconscientemente apenas com essa lembrança.   

Eu não devia ter essas coisas guardadas dentro de mim. Isso não é certo. Fechei brevemente meus olhos, tentando expulsar aquelas imagens que me deixavam com calor e corado, antes de tentar me aproximar mais uma vez sem muito sucesso, rapidamente me afastando ao ouvir baterem na porta... 

- Sr. Jeon? Sr. Kim? Vocês estão aí dentro?  

Girei meus olhos ao identificar o dono daquela voz animada, me aproximando da porta sem demora - antes que aquele garoto fizesse Taehyung pular de onde estava por sua afobação - e girei a maçaneta encontrando Kaio sorrindo, segurando uma bandeja com uma xícara de café e um copo de suco ao lado.  

- Bom dia! - Ele quase gritou e fiz um “xiiiuuu” o fazendo se calar. 

Curioso, entrou na sala com os olhos grandes procurando o motivo de meu pedido de silêncio e parou onde estava ao ver meu secretário dormindo.  

- Tadinho dele, sr. Jeon... - o menino resmungou baixinho, com olhos tristes, me encarando antes de voltar seus olhos a Taehyung. - Eu queria ter o ajudado ontem, mas ele disse que eu poderia ir...  

Meu peito doeu ainda mais por confirmar o que pensei. Ele realmente virou a noite aqui. Engoli minha saliva com dificuldade me sentindo péssimo...  

- Obrigado, Kaio. Eu fico com a bandeja, pode ir. - Sussurrei para ele, pegando as bebidas de suas mãos e o colocando para fora antes que o acordasse.  

Fechei a porta e caminhei até a mesa onde Taehyung ainda estava debruçado, deixando a caneca ao seu lado. Depois me afastei, me acomodando em um canto qualquer, bebendo calmamente o suco de laranja que o estagiário trouxe...  

Por um instante, me perguntei pela primeira vez o porquê de ele não me trazer café como faz com todos. Eu não bebo café, mas ele não sabe disso. Ou sabe? 

Não. Ele não sabe. Como saberia? 

Minhas dúvidas sem importância sumiram de minha mente ao ver que os olhos de Taehyung começaram a abrir lentamente... o observei levantar a cabeça, encarando a xícara ao seu lado com um pouco de confusão. Provavelmente despertou com o cheiro forte da cafeína...  

Ele ergueu o corpo, parecendo meio perdido, com os cabelos bagunçados e os olhos um pouco inchados, antes de se dar conta da minha presença.  

- Bom dia, sr. Kim.  

- Bom dia, nen... Sr. Jeon. - Ele resmungou, abrindo um pouco os olhos ao parecer engolir alguma palavra que apenas fingi não perceber antes de me levantar, caminhando em sua direção.  

- Porque fez isso? - perguntei ainda chocado com sua atitude. - Disse que não precisava ficar depois do horário.  

- Eu sei. Não foi intencional. – O ouvi explicar, enquanto se colocava de pé lentamente. - Eu estava tão concentrado, que dormi sem perceber.  

Mantendo minha pose séria, rapidamente baixei meus olhos tentando não sorrir diante da visão de seus cabelos amassados de uma forma adorável. Olha-lo assim fez com que eu me lembrasse de uma vez, depois de um treino de basquete, quando ele acabou adormecendo na quadra e terminou os exercícios com os cabelos quase da mesma forma bagunçada que está agora. Sem falar de seu rosto marcado por seus braços... Aquele dia foi hilário o fato de eu não conseguir parar de olhar para ele. Me odiava por acha-lo tão fofo daquela forma.  

Mas tudo era diferente agora, claro. 

- Posso usar o banheiro? - Ele perguntou, me arrancando de minhas lembranças, então apenas pisquei forte meus olhos antes de assentir o observando sair logo em seguida. 

Quando sozinho, me lembrei das palavras que ouvi de Yoongi ontem. Talvez, deixar acontecer realmente não seja algo que eu deseje. Na minha mente, era como tirar o freio de um trem e apenas o deixar vagar sem rumo até bater em algo ou cair em um precipício...  

Nada tentador para mim.  

Quanto a sair de casa, eu realmente desejo fazer isso. Acho que é um momento ideal em minha vida. Agora, quanto a Taehyung... Nesse momento, depois do que fez, apenas não conseguia mais o olhar de uma forma ruim ou... ameaçadora? Ele se mostrou um cara incrível e muito dedicado. Em momento algum foi desrespeitoso comigo.  

Claramente, o único que teve problemas com sentimentos até agora, fui eu.  

Posso estar sendo precipitado, mas sinto que com a ajuda dele, posso realmente conseguir o que desejo na empresa. Mas é claro que do jeito certo, pois coisas como essas – de virar noite no trabalho – são coisas que não posso concordar, nem permitir que se repitam. Ele precisa descansar e fazer seus horários corretamente, para o bem dele também. 

Para minha surpresa, ele voltou do banheiro – agora arrumado, mesmo com o rosto ainda levemente inchado – e sentou novamente na cadeira frente aos papeis, bebendo o café apressadamente antes de pegar algumas folhas.  

- O que está fazendo? - Perguntei chocado, recebendo um olhar inocente dele, parecendo confuso?  

- Trabalhando.  

- Não. Está liberado pelo restante do dia. Amanhã continuamos com esses relatórios. - Fui firme, desviando meu olhar de seus olhos profundos e ouvindo seu silêncio como resposta, ainda parado no mesmo lugar.  

Ele parecia estar me encarando então fitei seu rosto sem avisos, o vendo baixar os olhos novamente para os papeis.  

- Não estou cansado, dormi a noite toda. - Ele disse, mexendo nos relatórios. -... inclusive, dormi melhor que muitas das minhas noites conturbadas...  

Achei que ouvi isso entre seus resmungos e juntei minhas sobrancelhas inicialmente achando aquilo muito estranho. Ultimamente eu também não tinha noites descentes. Mas... fala sério, não sou de acreditar em coisas ridículas... Logicamente não deveria ter nada a ver o simples fato de ele ter noites ruins de sono e eu também. Todo mundo deve ter problemas para dormir nesse mundo. 

- Tudo bem. Então pelo menos saia mais cedo. - O avisei, caminhando na sua direção. Já vi que é teimoso, não iria ficar discutindo. - Está liberado as 14:00h.  

- Eu não preciso ir para casa em um horário desses.  

Ele me respondeu parecendo aborrecido e aquilo estava começando a me irritar. Então algo aconteceu quando ele olhou em meus olhos... Suas expressões suavizaram quase no mesmo instante.  

- Tudo bem...  

O ouvi suspirar, antes de ligar o computador em sua mesa, então apenas dei de ombros, terminando meu copo de suco e caminhando até minha sala onde liguei também meu notebook e dei uma breve olhada em alguns arquivos enquanto ele iniciava seu trabalho...  

Alguns bons minutos depois, retornei à sala dele, vendo que olhava fixamente para três relatórios em especifico...  

- O que foi? - Perguntei preocupado. Sem dúvidas meus olhos estavam grandes.   

- O Namjoon já chegou? 

Foi tudo o que perguntou e não precisei perguntar mais para entender. Peguei meu celular lingando para ele e pedindo que viesse ao meu escritório, o que não demorou muito a acontecer. Taehyung explicou a ele algumas coisas que pouco entendi e juntos começaram a revirar aquelas folhas por horas...    

Eu me mantive ao lado deles, mesmo não podendo ajudar, mas absorvendo o máximo de informações que podia, enquanto trocavam ideias sobre as possíveis causas e suspeitas...  

Horas depois, eles pareciam ter encontrado algo, mas continuaram alegando não ser o suficiente para tal diferença alarmante. E então, quando Namjoon se colocou de pé notificando que teria de ir embora devido a um compromisso me dei conta que já eram 18h! Taehyung tinha que ter ido embora, mas como eu faria isso? Ele estava tão empenhado fazendo a tantas e tantas horas o que eu não conseguiria fazer sozinho...  

Certamente, eu teria de pensar em uma futura folga para ele. Era o jeito...  

Agora sozinhos, me sentei frente a mesa enquanto ele pegou alguns relatórios nas mãos.  

- Me diga o que devo procurar e eu te ajudo. - Pedi, vendo seus olhos cansados desviarem para meu rosto por alguns segundos, antes de um bonito sorriso de canto surgir me deixando tímido o suficiente para desviar o olhar.  

- Você precisa procurar... - Ele iniciou pacientemente antes de sermos interrompidos. 

- Sr. Jeon?  Sr. Kim? 

Encaramos juntos a porta, antes que eu autorizasse Kaio a entrar.  

- Estou indo bater meu ponto – ele foi dizendo, enquanto fechava a porta e nos olhava sorridente. - ... gostaria de saber se vão precisar de algo mais?  

- Café. - Fui eu quem disse, vendo seus olhos já grandes ficarem maiores antes de gritar, afobado como sempre.  

- Mas o senhor não bebe café! 

Juntei minhas sobrancelhas, vendo os olhos do menino se desviarem para atrás de mim, antes de voltar em meu rosto esperando uma resposta aquela informação que não dei em momento algum.  

- O... S-sr. Namjoon – ele iniciou, meio engasgado. - Me avisou que o senhor não bebe café...  

Continuei o encarando por mais alguns segundos, pois até onde sei, o Namjoon também não sabia disso. Jin também não. Nunca fomos chegados a tal ponto. Mas, se ele estava afirmando, então eu vou fingir que acredito, até uma segunda oportunidade de esclarecer isso. 

- Obrigado pela atenção aos meus gostos, Kaio - suspirei, vendo seus ombros relaxarem um pouco. - Mas o café que pedi é para o Sr. Kim.  

- Ah – ele suspirou sem jeito. - Tudo bem, sr. Jeon. Eu vou trazer o que pediu. 

E simplesmente sumiu de nossas vistas rapidamente enquanto eu ainda estava cismado com aquilo. Permaneci encarando a porta agora fechada por alguns segundos...  

- Ele é um menino bom. Está se esforçando para te agradar e fazer tudo certo. - Taehyung resmungou atrás de mim.  

- Eu sei. - Respondi tranquilamente, respirando fundo antes de o olhar por cima do ombro, o observando ainda concentrado nos papeis em suas mãos. 

Suas mãos... eu não lembrava que eram tão grandes e bonitas... 

Me virei completamente em sua direção, ainda sem desviar meus olhos agora em seu rosto, sério... Suas sobrancelhas desenhadas levemente juntas, o maxilar travado em concentração ao que lia...  

Desatento ao tempo que fiquei em silêncio, somado a forma como eu o encarava fui surpreendido por seus olhos quando se desviaram para mim. E dessa vez, não sabendo o que me deu – mantive o olhar... 

Nunca saberei dizer por quanto tempo nos encaramos até as batidas na porta ecoarem na sala, me fazendo acordar, sentindo rapidamente a vontade de me mover na cadeira onde eu estava, encarando o chão enquanto Kaio passava porta a dentro, deixando a xicara de café na mesa de Taehyung.  

- Bom trabalho para vocês - o menino disse, caminhando para fora. - Até amanhã.  

- Até amanhã.  

- Até. - Resmunguei voltando a me ajeitar novamente frente a ele assim que a porta foi fechada, mas dessa vez sem encarar seus olhos novamente, me sentindo nervoso antecipadamente diante do que pediria a seguir: - Você... pode continuar me ensinando?  

Sem jeito, peguei algumas folhas, sentindo minhas bochechas queimarem enquanto com o canto dos olhos o vi virar a xícara de café quase de uma vez, sorrindo pequeno, parecendo surpreso com o que ouviu de mim. 

E a verdade é que até eu estava surpreso e queria me dar um soco por estar tão desesperado por ajuda. Mas o que eu poderia fazer? Naquele instante, mesmo sendo maior que ele na empresa, ainda assim não era nada diante das minhas incapacidades. 

Independente de nosso passado e tudo mais, ali, a minha frente, ele era o cara que sabia das coisas. O cara que virou a noite frente aqueles papeis buscando por uma solução...  

Era para eu fazer isso, mas simplesmente não conseguiria. E isso doía em mim.  

Reconheço meu erro e se Taehyung quisesse, aceitaria ouvir o quanto fui errado em nem amenos estar ao seu lado para o auxiliar, seja como fosse. Mas ao contrário disso, recebi dele um olhar doce que me deixou sem reação...  

- Claro, pode contar comigo – sorriu pequeno, continuando de forma atenciosa. - Sempre.   

   


Notas Finais


"Eu não vejo você
Você não está em todas as janelas que eu olho
E eu não sinto sua falta
Você não está em todas as coisas que eu faço
Eu não acho que estamos destinados a ficar juntos
E você não é a peça que falta
Eu não vou ouvir
Quando alguém disser seu nome
E eu não vou sentir
Mesmo quando eu estiver explodindo
Eu provavelmente tô mentindo pra mim mesmo, de novo
Eu quero contar pra todos os meus amigos
Mas eu não acho que eles entenderiam
É algo que eu decidi
Porque só você poderia preencher esse espaço vazio.

Empty Space - James Arthur"
>>>>>>>>>>>>> https://www.youtube.com/watch?v=g810tvnAIhE


***ººº***

OH! Que saudades... :(
Desculpem a demora...
Bom, antes de ir, gostaria de dar uma nota rapidinha, okay?

- Vamos lá.
Eu precisei dar uma revisada nessa fic e fiz algumas pequenas - porém importantes - alterações e gostaria de passar para vocês.

Eu sei que essa é uma fic um pouco complicada de se ler por conta da coisa toda do presente e passado misturado, mas peço que tenham pasciencia comigo, eu estou realmente tentando não me perder, não deixar nada importante para trás e principalmente não deixar a história ficar sem graça - o que na minha opnião é o mais dificil... :(

Bom, no capítulo onde o Jungkook tem seu primeiro dia de trabalho na empresa, ao revisa-lo >eu< tive uma visão não muito boa do personagem... O Jeon parecia arrogante e nojento demais. Principalmente com o jovenzinho Kaio, seu estagiário. E essa definitivamente NÂO é a imagem que desejo para ele, então fiz algumas alterações nisso tudo aí...

A imagem correta que desejo passar a vocês é a verdadeira imagem frágil do Jungkook, onde ele não sabe o que fazer para cumprir seus deveres e encontrará em Taehyung seu porto seguro o que os ajudarão a se aproximarem... Ou seja, ele continuará sendo um neném mesmo que tenha de agir como adulto. Mas longe de ser um idiota por isso.
Então, quero pedir desculpas se mais alguém teve essa mesma observação que eu, e fico feliz em ter corrigido isso a tempo.

Uffa... kkk

................

Espero que eu não demore muito a postar novos capítulos e que em muito breve possamos nos encontrar mais uma vez.
Um beijo a todos que ainda me acompanham e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...