1. Spirit Fanfics >
  2. Remind Me Of The Chords >
  3. Capítulo 20

História Remind Me Of The Chords - Capítulo 21


Escrita por:


Capítulo 21 - Capítulo 20


Capítulo 20

 

Flash Back On

 

-Por favor, por favor, por favor. -Alyssa juntou as mãos, suplicando sobre aquele assunto pela milésima vez, enquanto sua irmã, Melissa, ria, cansada no outro lado da tela do computador. -Já faz um tempo que você não vem para cá e com a apresentação amanhã vai ser incrível. Sabe que se não fosse você eu nunca teria coragem de subir no palco da escola, na frente de todo mundo! -Argumentou, animada, erguendo uma sobrancelha para sua irmã mais velha, já sabendo que estava perto de convencê-la.

 

-Eu não sei, Alyssa. -Ela balançou a cabeça, pensativa. A aparência das duas estavam cada vez mais parecidas, conforme Alyssa ia se desenvolvendo e crescendo. -Você sabe que eu moro longo e vou ter que sair correndo do trabalho para chegar ai a tempo de te ver subindo no palco. -Completou. 

 

-Eu sei, eu sei. Mas você quer me ver cantando, não quer? -A animação estava evidente no rosto da adolescente. 

 

-Óbvio que eu quero. -Melissa sorriu, um sorriso extremamente parecido com o de sua irmã mais nova. 

 

-Então venha! -Alyssa sorriu, eufórica, fazendo sua irmã rir da sua animação, se rendendo.

 

-Está bem, está bem. Te vejo lá, satisfeita? -Perguntou, erguendo a sobrancelha para a caçula.

 

    Alyssa comemorou animada com a notícia. Se apresentar já seria incrível, diante da escola inteira, seria o primeiro passo para uma possível carreira de cantora no futuro. Mas a conversa não se aprofundou, a mãe das duas logo interrompeu, avisando que Alyssa deveria dormir, afinal seria um dia cheio amanhã.

    Então elas se despediram com um “eu te amo” mútuo e desligaram. Ambas indo dormir, já que estava bem tarde. 

    

 

-Ela deve estar chegando, não deve? -Alyssa questionou a mãe, que ajeitava seu cabelo, já nos bastidores do palco em que ela se apresentaria, na escola. No palco, um grupo de meninas mais nova apresentava um número de dança.

 

-Claro, claro. Se ela disse que vem, ela vem, meu anjo. -A mãe comentou, sorrindo para filha, pronta para entrar no palco, embora Alyssa sentisse uma pequena reviravolta no estômago. Mesmo assim ela sorriu.

 

    O misto de nervosismo, medo e alegria só piorou quando ela voltou a ficar sozinha, para que sua mãe a visse da plateia, enquanto os estudantes deixavam o palco novamente. Ela ajeitou o violão em seu colo e respirou fundo quando a apresentadora da noite, conhecida como diretora da escola, a chamou ao palco. 

    Ela subiu, determinada a fazer o que tinha treinado tanto tempo a fazer. Quando parou diante do microfone, bem no centro do palco, seus olhos foram direto para seus pais, que estavam em umas das primeiras fileiras, com uma cadeira vazia ao lado, destinada a sua irmã mais velha. Ela olhou o auditório por inteiro. Talvez Melissa não quisesse atravessar o local por chegar atrasada. Mas ela não estava lá. 

    O coração de Alyssa apertou. Se ela tinha falado que viria, era porque de fato viria. Mas agora não tinha como pensar nisso. Ajeitou o violão novamente e se concentrou a tocar, começando a cantar a música favorita de Melissa “Hello Beautiful”, da banda favorita das duas irmãs.

    Apesar do aperto no coração, ela cantou com todo amor que podia. Ela amava aquilo, estar diante de todos, colocando seu coração na música. Chegou a fechar os olhos, sentindo a paz de fazer o que ama. Mas quando voltou a abrir os olhos novamente, já quase no final da música, viu sua mãe com o celular no ouvido e sua expressão mudando de confusão para espanto e, no segundo depois, para desespero. 

    O nó na garganta a impediu de continuar cantando. Ela sabia que algo tinha acontecido, enquanto a plateia se agitava se questionando o que tinha acontecido para a música acabar de repente. 

    A mãe de Alyssa a olhou em prantos, sendo consolada pelo seu pai tão devastada quanto. 

    Com o coração na mão, ela saiu do palco correndo assim que os dois seguiram para fora do auditório, inconsoláveis, sob o olhar confuso da plateia. A diretora subiu ao palco, pedindo desculpas e já chamando a próxima apresentação. 

    Alyssa empurrou a porta do auditório e seu coração parecia sair pela boca ao ver os pais devastados daquela maneira. Estava sem coragem de perguntar, tinha medo da resposta, mas ao mirar a filha mais nova, seu pai, com os olhos molhados e o rosto úmido, respondeu sem precisar de ouvir a pergunta.

 

-É a sua irmã, Alyssa. Ela sofreu um acidente de carro vindo para cá. -Falou, rouco. 

 

-O que? Não… -As lágrimas já caiam no rosto da jovem. -Mas ela está bem? Está em qual hospital? Pra onde a gente vai? -As perguntas saíram desesperadas, mas aquilo só aumentou o choro da mãe, que parecia sentir uma dor física naquele momento.

 

-Ela está morta. Minha filha está morta. -Ela falou, aos prantos, abafada pelo colo de seu marido, que a abraçou mais forte. 

 

A dor é inexplicável. Alyssa não conseguia respirar, não conseguia pensar e muito menos controlar as lágrimas. Sua irmã mais velha tinha morrido. Morrido em um acidente de carro enquanto ia ver a apresentação que Alyssa tinha insistido tanto para que ela visse. 

Agora ela não veria mais a apresentação. Nem o show da sua banda preferida. Nem as novas músicas, nem os próximos dias ensolarados, nem os chuvosos. Ela não veria nada. Nem sua família, nem seu namorado, nem nada. E tudo parecia culpa de Alyssa que, mesmo sabendo da distância, do cansaço e do sacrifício de Melissa para conseguir estar ali vendo-a cantar, não pensou duas vezes antes de implorar. 

Alyssa estava devastada. Graças a ela, Melissa só existiria agora em seu coração.

 

Flash Back Off

    

-Desculpa ter despejado tudo assim em você. -Eu já estava chorando de novo. 

 

    Nick me puxou para seu colo com os olhos marejados, assim como David. Esperou que eu me acalmasse, fazendo cafuné em minha cabeça até que os soluços passassem. 

 

-Não foi culpa sua. -Ele falou depois de algum tempo. -A gente não tem controle dessas coisas. -Completou. -Eu sei que não adianta o que eu falar, você ainda vai ficar triste e eu entendo. Só quero que saiba que a culpa não é sua. -Continuou, me fazendo fungar e levantar, olhando-o. 

 

-Obrigada. Por estar aqui e por tudo mais. -Forcei um sorriso, enquanto ele se aproximava para beijar minha testa.

 

    Mas o momento fofo foi cortado com o celular de Nick tocando, o que o fez suspirar, mas atendeu ao ver que ela o Joe. 

 

-Ah, sim. Ótimo. Está bem -Falou ao telefone antes de desligar. -Chegaram mais dois convidados, estão lá na porta com vergonha de tocar a campainha. -Nick comentou, enquanto eu secava o rosto.

 

-Vergonha? O Joe? Sério? -David perguntou a mesma coisa que estava em minha cabeça, me fazendo rir. 

-Então vamos, minha mãe vai adorar conhecer eles. Não vou estragar mais essa noite. -Me levantei, me olhando no espelho para terminar de arrumar meu rosto borrado de maquiagem. 

 

    Eles levantaram e me seguiram até a entrada da casa. Quando eu abri a porta, Joe e Kevin estavam ali, com uma caixa de rodinha, enfeitada, escrita Jonas Brothers na frente. 

 

-Feliz aniversário! -Joe balançou sorriu, sinalizando a caixa exageradamente. 

 

-Heey! -Sorri. -Entrem! -Falei, dando espaço para que eles passassem. 

 

-Feliz aniversário, Alyssa. Esse daqui é o nosso presente. -Kevin entrou por último, ajudando Joe com a caixa que eles deixaram bem diante de mim, quando fechei a porta. 

 

-E que fique claro que a ideia foi minha. -Joe comentou, enquanto eu analisava a caixa. 

 

-Aaw, gente. Obrigada! Não preci…. Meu Deus… -Eu mesmo me interrompi ao descobrir como abrir a caixa, vendo os vários CDs, vinís, posters, entre outros objetos de colecionadores. -Meu Deus, meu Deus, meu Deeeeeus! -Tapei a boca com as mãos, mexendo nos objetos delicadamente, quase que com medo. 

 

-Nós dois autografamos, só falta seu namorado aí. -Joe comentou, mas eu ainda estava chocada demais para responder. 

 

-Eu amei! -Levantei. -Obrigada, obrigada! Eu amei muito! -Abracei os dois ao mesmo tempo, sem nem pensar, o que os fez rir. 

 

rPor que não teve toda essa animação com o meu presente? -Nick semicerrou os olhos para mim, quando me voltei para o presente novamente. 

 

-Porque a pulseirinha mixuruca não é dos Jonas Brothers… -Kevin comentou, dando de ombros, o que me fez rir, concordando internamente. 

 

-Você não sabe nada sobre nossos fãs, não é mesmo?- Joe debochou, enquanto eu fechava a caixa para levá-la para o quarto, com todo o cuidado, sendo ajudada pelos três.

 

-O que é isso? -David perguntou quando chegamos no corredor. 

 

-David! Você não vai acreditar! -Falei animada, vendo o resto da família nos olhando como se nós quatro carregassem um corpo. -Gente… -Deixei a caixa de lado, me aproximando da sala. -Esses são Joe e Kevin… -Comentei, enquanto eles cumprimentavam todos de maneira geral. -Meus cunhados. -Comentei, vendo as sobrancelhas da minha mãe se ergueram. -É até estranho falar isso em voz alta. -Sussurrei para David que estava ao meu lado. 

 

    Minha mãe se aproximou para falar com eles, com a expressão assustada, como se só agora notasse que de fato eram os Jonas Brothers na sala de estar dela. 

 

-Me ajuda a levar isso para o quarto. -Falei baixo com David e ele me ajudou a empurrar a caixa pesada, de rodinha, para o quarto, junto com Nick, deixando Joe e Kevin sob as garras da minha mãe. -Olha isso! -Abri a caixa quando Nick fechou a porta atrás de si. 

 

    O grito que saiu da garganta de David ao ver tudo o que tinha dentro fez Nick fazer uma careta engraçada. Enquanto comemorávamos e víamos tudo o que tinha dentro, com todo o cuidado do mundo, ouvi a porta abrir.

 

-Wow! -Joe fez, olhando em volta, vendo todos os posters. 

 

-É, eu sei. -Nick concordou, enquanto Kevin fechava a porta atrás de si. 

 

-É sério que você ainda pensou no que dar pra ela? -Kevin riu, balançando a cabeça.

 

-E ainda deu errado. -Joe debochou. 

 

-Não liga para eles. -Me aproximei de Nick, que revirou os olhos para o irmãos. -Eu amei o seu presente também. -O abracei rapidamente. -Você teria uma caneta permanente aí para deixar sua namorada mais feliz? -Olhei para ele com um sorriso, que o fez rir pelo nariz e balançar a cabeça. 

 

-Para a sua sorte, saberíamos que Nick não estava pronto pra isso. -Joe comentou, enquanto Kevin tirava a caneta do bolso e entregava para Nick. 

 

-Eba! -Sorri. -Pode começar que eu vou buscar algumas coisas pra gente comer e beber. -Comentei, fazendo-os rir e se ajeitarem em minha cama. 

 

    Sorri para a cena dos três Jonas na minha humilde cama de solteira, cercados por pôsteres com a cara dos três. Aquilo era um sonho realizado. Um sonho meu e de minha irmã.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...