História Remix de Gelo e Fogo - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Aegon Targaryen, Aemon Targaryen, Arianne Martell, Arya Stark, Ashara Dayne, Brandon "Bran" Stark, Catelyn Stark, Cersei Lannister, Daenerys Targaryen, Daenys Targaryen, Davos Seaworth, Eddard Stark, Edric Storm, Gendry, Jaime Lannister, Jon Snow, Lyanna Stark, Margaery Tyrell, Melisandre, Rhaegar Targaryen, Rickon Stark, Robb Stark, Robert Baratheon, Samwell Tarly, Sansa Stark, Theon Greyjoy, Tyrion Lannister, Tywin Lannister, Viserys Targaryen, Yara Greyjoy
Tags Crônicas De Gelo, Fogo, Game Of Thrones, Jonerys, Universo Alternativo
Visualizações 510
Palavras 3.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Seinen, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ei, pessoal!
Vim com esse capítulo para vocês. É um pouco menor que o normal, mas fiz isso para não deixar vocês tanto tempo a mais sem capítulo. O próximo virá logo, estou tentando retomar meu ritmo de escrita que eu tinha antes.

Eu ia fazer desse um capítulo bônus, mas tava escrevendo o bônus e percebi que ele precisaria de mais de um capítulo. Então decidi deixar ele para outra hora.

Também estou feliz porque eu consegui responder todos os comentários de vocês. Todos! Finalmente. Era uma das minhas metas. Agora nunca mais vou deixar acumular.

Sem mais delongas, vamos para o capítulo.
Boa leitura!

Capítulo 50 - Assunto Delicado - Daenerys e Robb


Anteriormente:

Daenerys e Aegon entram na casa dos Stark, e Fantasma apresenta um comportamento diferente com eles. Robb e Aegon decidem parar de brigar e passam mais tempo juntos na detenção. Visenya e Gendry decidem sair juntos na sexta-feira, em uma festa da faculdade sediada pela Patrulha da Noite, uma festa somente para maiores de idade. Jon mentiu olhando nos olhos de seu pai pela primeira vez.

 

Daenerys

 

Sexta-feira, 02 de setembro de 2016, 21:25

Terras da Tempestade, Westeros

Daenerys tocou a campainha do apartamento mais uma vez. Estava cansada de esperar.

Ouviu alguém girar a chave do lado de dentro e abrir a porta.

– Finalmente, seu enrolado! – Daenerys reclamou assim que a porta começou a ser aberta.

Mas assim que viu quem a abriu, parou de falar. Não era Aegon. Era um rapaz com o cabelo castanho-avermelhado e olhos azuis. Ele vestia uma camiseta azul marinho e uma calça jeans clara que aparentava ser nova.

– Sabe, você é a última pessoa que eu esperava que fosse me receber no apartamento do Aegon. – Daenerys comentou.

– O seu irmão ainda tá se arrumando. – Robb falou, dando espaço para ela entrar. – E eu não fazia ideia de onde ele tinha colocado a chave, por isso demorei pra abrir a porta.

– Por que o Aegon se atrasou? – Daenerys perguntou enquanto entrava no apartamento.

– Eu e ele estávamos resolvendo uma coisa, e ele me deixou tomar banho primeiro.

Dany apenas olhou para o rapaz. Ele e Aegon estavam começando a se tornar amigos, então aquilo devia começar a deixar de soar estranho aos seus ouvidos.

Mas não deixava.

Devia ser aquele tipo de sentimento que Robb sentia ao ver ela e Jon juntos. Um misto de estranheza, incredulidade e... Orgulho? Eles estavam deixando birras da infância no passado, onde sempre deviam ter ficado.

Robb fechou a porta, e a menina observou pela primeira vez o apartamento do sobrinho. Ele era grande e espaçoso. A sala era maior que a dela, a TV era enorme, maior do que a que eles tinham em Pedra do Dragão. Um sofá de três lugares ficava de frente para a TV, e um outro de dois lugares estava perpendicular à TV. Uma mesa de centro ficava entre a TV e os sofás.

Uma planta ficava no canto do cômodo, provavelmente falsa. Dany não conseguia imaginar Aegon tomando conta de nada sem que deixasse morrer, nem mesmo uma planta.

Um móvel cheio de bebidas estava encostado na parede, e uma porta de vidro levava até a varanda.

A cozinha era interligada com a sala, com apenas um balcão separando os cômodos. Quatro bancos estavam próximos do balcão, e os eletrodomésticos da cozinha pareciam ser do início dos anos 2000, contrastando com a enorme e tecnológica TV da sala.

Provavelmente Aegon nunca os trocou. Na verdade, Dany duvidava se ele usava aquela cozinha mais do que uma vez por ano.

Aegon só usava aquele apartamento para uma coisa.

Jon estava dentro da cozinha, aparentemente lavando a louça. A pia ficava junto do balcão, ou seja, ele estava de frente para Robb e Daenerys.

O ruivo andou de volta até a cozinha, local onde ele devia estar anteriormente, fazendo companhia ao irmão. Quer dizer, primo.

Dany caminhou até o balcão, e assim que seu olhar e o de Jon se encontraram, ela sorriu para ele. O Stark retribuiu o sorriso. Ele estava com uma camiseta cinza sem nenhuma estampa, e uma calça jeans escura.

– Por que está lavando a louça? – Daenerys perguntou ao rapaz enquanto se aproximava do balcão. Colocou sua bolsa em cima do balcão e sentou-se em um dos bancos.

– Nós fizemos uns sanduíches pra comer. – Jon explicou.

– Nossa, e tinha alguma coisa pra comer aqui?

– Não! – Robb falou, claramente impressionado com aquela informação. – Não tinha nada pra comer nessa casa.

– Eu tive que ir comprar. – Jon comentou. – No supermercado do pai da Margaery. Eles não deram nenhum desconto pra gente. Você acredita?

– Eles não dão nem pra mim. – Dany falou sorrindo. – Mas, bem, não é como se nós precisássemos de desconto.

– Seria bom. Nós temos um limite do quanto podemos gastar no mês e... Eu meio que estou atingindo esse limite bem rápido. – Jon olhou para ela.

– Ah... Foi mal, eu acho. Na próxima vez que sairmos, eu pago.

– Não precisa. – Jon pediu.

– Enfim, não tinha nada nessa casa, nem água na geladeira. – Robb continuou reclamando.

– Água na geladeira? – Dany repetiu.

– É. Vocês não bebem água? Esqueci que vocês não são humanos, são elfos. – Robb zombou.

– Não gelada. Lá em casa só tomamos água natural.

– Ah, é por isso que não tinha. – Jon olhou para o irmão. Primo.

– Agora fez sentido. Mas de qualquer jeito, não tinha nem sal aqui. Nem óleo. O que esse cara faz quando vem aqui?

– O Aegon não vem aqui pra ficar. Ele só vem aqui quando traz uma menina com ele. – Dany explicou. – Então eu acho que nós três somos as primeiras pessoas que o Aegon deixa entrar aqui que ele não quer levar pra cama.

– Graças a Deus, né? Eu espero que você esteja certa, porque ninguém merece isso. – Robb disse da maneira mais sincera possível.

Dany e Jon apenas riram.

– Ninguém merece vocês três. – Aegon falou enquanto dobrava o corredor e entrava na sala. – Eu não sei como alguém aguenta transar com um de vocês. Pior, eu não sei como a Dany e o Jon aguentam dormir um com o outro.

O rapaz estava com seu cabelo platinado molhado. Estava sem camisa, apenas com a toalha branca pendurada em um dos ombros, descalço, vestindo apenas uma calça jeans surrada. Aegon era bem mais forte que Jon, com os músculos mais definidos, mas a única coisa que Daenerys pensava é que ele devia colocar uma camisa. Ela não saiu de sua casa para ver aquilo, ela não merecia aquilo.

– Vai colocar uma camisa. – Dany pediu.

– Minha casa, eu mando aqui. – Aegon disse. – Pelo menos você está na minha casa.

– O que você quer dizer com isso?

– Jon falou que seu apartamento é melhor que o meu. – Aegon reclamou.

– E é mesmo. – Dany disse com orgulho.

– Isso é injusto. Eu nasci primeiro.

– Sou uma geração acima da sua, me respeita, menino.

– Pera, você nunca viu o apartamento da Daenerys? – Robb perguntou.

– Não, ela nunca me chamou para ir lá. – O rapaz olhou para ela. – Até o Jon foi lá antes de mim.

– Mas é claro. – Daenerys apontou para Jon e depois para ela. – Ele e eu estamos... Vocês sabem...

– Olha só. – Aegon arqueou as sobrancelhas. – Parece que eu não sou o único aqui que leva as pessoas para o apartamento para transar.

Daenerys bufou enquanto rolava os olhos.

– Nossa, mas até eu fui lá. – Robb alegou.

– SÉRIO? – Aegon quase pulou.

– É mentira dele. – Daenerys deu um olhar repreensivo para Robb, que começou a rir.

– Foi mal, não resisti. – O rapaz disse entre risos. – Mas é estranho isso, quer dizer então que eu levei o Aegon pra minha casa antes de você, Daenerys?

Dany olhou para o sobrinho.

– Já foi na casa dos Stark? – Ela questionou.

– Ah... – Aegon olhou para Robb. – Você causou isso, agora vou ter que contar tudo pra ela.

– Contar o quê? – Ela olhou para Robb.

– Uma história de sábado, quando eu fui lá. Envolve a polícia, um criminoso, lobos assassinos e uma ninja. Spoiler: Eu quase morri duas vezes.

– Deixa eu adivinhar, Aegon. Você tentou entrar na casa antes que os lobos fossem te conhecer e eles te atacaram. – Dany arriscou.

– Ah é, então foram três vezes que eu quase morri... Pera, você já foi lá? – O sobrinho devolveu a pergunta.

Dany e Jon se olharam rapidamente.

– Ah... – Ela não sabia bem o que falar.

– Eu a levei lá para conhecer minha irmã quando meu pai e meus tios estavam fora. – Jon respondeu com o olhar fixo na pia.

Daenerys olhou para ele surpresa. É claro que ela achava que não devia contar aquilo para Aegon. Aquele era um assunto de Cersei, algo que ela devia conversar com Rhaegar e, possivelmente, com os filhos. Não cabia à Dany contar aquilo para mais ninguém.

Mas no menor sinal de hesitação por parte de Daenerys, foi Jon quem mentiu.

Aquilo foi surpreendente.

– Então você conheceu os lobos. – Aegon falou com a Targaryen.

– Cachorros. – Jon e Robb o corrigiram ao mesmo tempo.

– Lobos. – Aegon manteve.

– Conheci. – Dany respondeu.

– O que achou deles?

– São fofos.

– Fofos? – Aegon se surpreendeu. – Você realmente foi lá?

– Eles foram fofos comigo.

– Olha, o único que é legal é o branco.

– Fantasma? – Dany olhou para Jon.

– Esse mesmo! – Aegon sorriu. – Ele me salvou de uma que seria morte certa.

– Não tava sabendo disso. – Jon olhou para Robb.

– Ah, eu esqueci dessa parte. – Robb confessou.

– Fantasma é o lobo de Jon. – Daenerys explicou ao sobrinho.

– Ah, então parece que alguém cria bem o seu lobo. Ao contrário dos outros.

– O que aconteceu? – Jon questionou.

– Bem, quando o Aegon se jogou do segundo andar... Sim, isso aconteceu. – Robb disse para Daenerys assim que ela arqueou a sobrancelha. – A Nymeria avançou para cima dele e Fantasma o protegeu.

 – Ele é o mais bonzinho mesmo. – Dany concordou. – Ele ficou brincando comigo por um tempo, ele é ótimo.

– Ele protegeu o Aegon? – Jon perguntou.

– Sim. Na verdade, ele foi bem bonzinho com o Aegon. Não aprovou ele, só o ignorou e deixou ele entrar. – Robb contou.

– Ah, ele fez a mesma coisa comigo. – Dany sorriu.

Mas Jon não sorriu. Ele pareceu ficar com o olhar perdido.

– Mas qual a história do Aegon em Winterfell? – A menina estava curiosa.

– Dany... – Jon a chamou. – Quem da sua família estava vivo em 1999?

– Hã? – Daenerys olhou confusa para o rapaz.

– Que pergunta é essa? – Aegon parecia tão confuso quanto.

– Eu... Estou curioso.

– Que pergunta mais estranha. Tinha um monte de gente. – Daenerys respondeu.

– Mas de mulher. Mulher Targaryen.

– Bem, tinha a Rhaenys. – Aegon falou. – A vovó... A tia Daenys...

– Tia Dany é Blackfyre, não é nossa tia de verdade.

– Ah é, eu esqueço que ela não é irmã do tio Brynden. Então acho que só a Rhaenys e a vó Rhaella mesmo.

– Dany, você nasceu naquela tempestade, não foi? – Jon mudou a pergunta. – Qual foi o dia da tempestade mesmo?

– Maneira genial de perguntar o aniversário da namorada. – Robb falou. – Que dia foi aquela tempestade mesmo? – Ele imitou Jon e riu. – Não é como se eu tivesse esquecido o dia do seu aniversário, só queria saber quando aconteceu a tempestade.

– Foi genial mesmo. Eu vou guardar essa pra vida. – Aegon concordou, também sorrindo.

Mas Jon não estava rindo. Ele estava sério, mais sério que o normal.

Aquele assunto não parecia bom.

– 23 de julho de 1999. – Daenerys respondeu, retribuindo a seriedade de Jon.

– 23 de julho. – Jon repetiu, pegou o celular e começou a mexer no aparelho. – Aegon, qual sua Wi-fi?

– Não tenho. – O Targaryen respondeu, para a surpresa de todos.

– Como assim? – Os três perguntaram ao mesmo tempo.

– Pra quê? Eu não fico muito aqui. E quando eu venho, não quero usar Wi-fi, tenho coisa melhor pra fazer.

– Ah, que nojo. – Daenerys fechou os olhos com força, tentando não imaginar o que Aegon fazia naquele apartamento.

– Maravilha, não tem Wi-fi e o sinal tá ruim. – Jon reclamou.

– Às vezes fica assim. Tenta ir na varanda que melhora. – Aegon apontou para a porta de vidro do outro lado da sala.

Jon não disse nada, apenas saiu da cozinha e atravessou o cômodo com os olhos no celular. Ele estava estranho, e aquilo estava deixando Daenerys incomodada. Qual era o problema dele?

– O que deu nele? – Aegon perguntou para a menina.

– Não faço ideia. Mas eu vou descobrir. – Ela falou, se levantando do banco.

– Não, Daenerys. – Robb disse de maneira séria. Dany olhou para o rapaz e percebeu que ele estava tão sério quanto sua voz acusava. – Eu vou. Só tem uma coisa que deixa o Jon estranho assim, e eu sei do que se trata.

– O que é? – Ela queria saber o que estava acontecendo com ele.

– Eu vou falar com ele e, por favor, não interrompam. Esse é um assunto pessoal demais para o Jon. – Robb pediu.

E então, o ruivo fez o mesmo caminho do primo.

Daenerys ficou com raiva. Quem ele pensava que ela era? Por que ela não podia saber do que se tratava? Ela queria saber o que estava passando pela cabeça de Jon. Queria que ele quisesse conversar sobre aquilo com ela. Queria que Robb fosse um pouco mais aberto e que ele não tentasse a todo custo deixa-la de fora.

– Ele não gosta de mim. – Ela comentou assim que Robb saiu para a varanda e fechou a porta de vidro.

– O Jon? Claro que gosta.

– Tô falando do Robb.

– Ah... – Aegon entrou na cozinha. – Talvez ele só tenha ciúme de você. Deve achar que você tá tentando roubar o Jon dele. – O rapaz riu sozinho com o próprio comentário.

Dany apenas ficou observando a varanda enquanto Jon e Robb conversavam sobre algo que parecia ser muito importante para seu namorado.

Ouviu a porta da geladeira sendo aberta e olhou para Aegon. O sobrinho pegou uma jarra de vidro de dentro da geladeira e mostrou, incrédulo, para Daenerys.

– Por que aqueles caras colocaram água na geladeira? – Ele questionou. – Qual o problema deles?

Daenerys apenas riu.

 

Robb

 

Sexta-feira, 02 de setembro de 2016, 21:36

Terras da Tempestade, Westeros

Robb saiu pela varanda e fechou a porta de vidro que dava acesso ao interior do apartamento de Aegon. Não queria que os Targaryen ouvissem a possível conversa que ele teria com o primo.

Só existia um assunto que deixava Jon daquela maneira. E pelo andar da conversa, Robb sabia exatamente o que se passava na cabeça dele.

– Jon. – Ele o chamou. – Tá conseguindo usar a internet?

O rapaz olhou para ele.

– O sinal tá melhor, mas eu não consigo achar a resposta. Qual é o mínimo para um bebê nascer prematuro e ficar de boa? – Jon perguntou.

– Talvez devesse perguntar à Daenerys se ela nasceu prematura.

Jon balançou a cabeça negativamente.

– Por que Fantasma agiu daquela maneira com a Dany e com Aegon? – Ele perguntou para Robb.

– Talvez porque Daenerys é sua namorada. Você deve estar com o cheiro dela há dias e ele teria se acostumado o seu cheiro. Então, se acostumou com o cheiro da família dela também.

– Eu pensei que pudesse ser isso. – Jon sentou-se no chão, escorando as costas no parapeito da varanda. – Mas então ele não deveria ter aprovado a Cersei. Mas ele aprovou, você viu. Ele tratou a Cersei como se fosse uma qualquer.

– Então... Acho que ele sentiu que a Daenerys era importante para você, então depois quando ele encontrou o Aegon já tinha aceitado o cheiro dela.

– Não. Quando você levou a Lyra lá para casa os cães agiram normalmente. – Jon lembrou. – E depois, quando a Jory foi, teve que ser aprovada, mesmo tendo o mesmo cheiro da Lyra.

– É, mas eu não tava dormindo com a Lyra.

– Mas tava dormindo com a Margaery, e mesmo assim com ela foi normal.

– Mas o meu relacionamento com a Margaery é totalmente diferente do seu com a Daenerys.

Jon apenas balançou em sinal negativo mais uma vez.

– Jon. – Robb falou com o rapaz enquanto se ajoelhava na frente dele. – Rhaella Targaryen não é a sua mãe.

– Como você pode ter tanta certeza? – Jon falou com a voz fraca e olhou desolado para o primo. – Eu tô sentindo como se tivesse descoberto algo. Eu nunca me senti assim antes.

– É impossível.

– Não é impossível, Robb. Pensa comigo. – Jon olhou nos olhos do primo. Robb então observou que Jon estava com os olhos marejados. – Por isso Aerys Targaryen odeia tanto o meu pai. Por isso eles não querem nos contar quem é a minha mãe. Por isso eles têm tanto medo de um relacionamento entre eu e Daenerys... É porque... – Então ele arregalou os olhos e parou de falar. – Não...

– Jon, não viaja.

– Eu e Daenerys somos irmãos.

O rapaz logo começou a se coçar com força. Passou as unhas na nuca e nos braços, se arranhando. Ele se balançou de um lado para o outro lentamente, com o olhar desfocado e totalmente perdido. A mente dele estava longe, provavelmente lidando com muita coisa ao mesmo tempo.

– Jon! – Robb se aproximou do primo, mas ele parecia estar em outro mundo por um momento.

Jon começou a fazer uma cara estranha. Ele começou a perder a cor por um momento, e fez um movimento repentino, como se estivesse soluçando.

Ele ia vomitar.

Mas antes que pudesse fazer qualquer coisa, Robb deu um tapa na cara dele.

– JON! – Ele falou o nome em voz alta. – Eu falei pra não viajar. – Disse em um tom normal.

Jon finalmente olhou para Robb, com os olhos arregalados, assustado pelo movimento repentino do primo.

– Eu disse que é impossível, qual o seu problema? – Robb não deixou que ele falasse mais nada. – Você tá viajando. Se esqueceu do nascimento da Daenerys?

– Ela nasceu em Pedra do Dragão, durante a tempestade.

– Então foi parto normal. Ela nasceu em casa, não nasceu num hospital. Por isso a mãe dela morreu no parto, se ela estivesse num hospital provavelmente conseguiria ser salva. – Robb tentou colocar um pouco de lógica na mente perdida de Jon. – Você e ela têm cinco meses de diferença, quase. Você realmente acha que um bebê de cinco meses sobreviveria se não fosse levado com urgência para um hospital?

– Eu não sei, não sou médico.

– Não, a resposta é não!

Jon abaixou a cabeça e olhou para a tela do celular, que estava em seu colo.

– 28 semanas. – Ele falou.

– Quê?

– Carregou o Google. 28 semanas é considerada uma gestação mínima, um prematuro de extremo risco. Mesmo em hospital. – Jon olhou para Robb. – Quantos meses são 28 semanas?

– Bem, considerando que um mês são umas 4 semanas, sete meses. Mas os meses têm mais de 28 dias, então mais ou menos uns 6 meses e três semanas, dependendo.

Jon suspirou aliviado.

– É mais do que eu e Daenerys temos de diferença.

– Eu tô te falando que você tava viajando.

– Foi mal. – Jon parecia mais calmo. – É que tudo começou a fazer sentido na minha cabeça, e eu passei a pensar em tanta coisa. Pensei até em complexo de Édipo.

– Quê? – Robb quase riu.

– É. Você já viu uma foto da mãe da Daenerys? Parece muito com ela. E tem aquela parada de complexo de Édipo em que o cara costuma se apaixonar por uma mulher que parece com a mãe dele e tal. – Jon olhou de um lado para o outro, até que fixou o olhar na direita. – Explicaria porque eu sempre gostei dela. – Ele disse meio constrangido.

– Não sou nenhum psicanalista mas acho que pra isso funcionar você deveria conhecer a sua mãe.

– É, você tá certo. Eu teria que ter consciência de quem ela é. – Jon olhou para o próprio colo, e Robb riu. – Sei lá, tudo pareceu fazer sentido na minha cabeça, mas pensando agora, nem tudo fazia tanto sentido quanto parecia.

– Acho que esse complexo de Édipo se aplicou em você de outras maneiras.

– É?

– Sim. Quem são suas figuras maternas?

– Tia Lyanna... Ashara, e sua mãe.

– Bem, olha o seu histórico. Alys, Ygritte e Daenerys. Uma menina de cabelo escuro e olhos meio acinzentados, uma ruiva e outra de olhos violetas.

Jon apenas riu.

– Não foi por causa disso que eu gostei delas. – Ele falou.

– Ah, mas eu achei que essa era a varanda onde poderíamos falar qualquer coisa, mesmo que não fizesse sentido. – Robb se levantou. – Quando eu cheguei você tava falando um monte de baboseira, como ser filho de Rhaella Targaryen, ou sobre você ter um parentesco com a Daenerys.

– Foi mal, acho que eu exagerei. Mas é que quando eu penso na minha mãe, não me vem uma imagem na minha cabeça. Cada dia ela parece uma mulher diferente na minha imaginação. Mas dessa vez, eu pensei naquela foto que eu vi no apartamento de Daenerys, e essa imagem estava nítida. Foi a primeira vez que a minha mãe teve um rosto na minha mente.

Robb olhou com pena para o primo, sem saber muito bem o que falar. Estavam passando por tanta coisa ultimamente que ele tinha se esquecido de como esse assunto ainda era delicado para Jon.

Ele não o entendia. Não poderia. Ele conhecia sua mãe. Não sabia o que Jon pensava, como pensava, ou o que ele esperava.

– Essa foi a primeira vez que minha mãe pareceu real para mim.

– Por isso você se desesperou?

– Também. Mas é que... Se a minha mãe fosse realmente Rhaella Targaryen. – Jon olhou para o primo, e Robb notou que uma lágrima solitária deslizava pelo seu rosto. – Se ela fosse realmente minha mãe, significava que ela estava morta. Eu nunca poderia conversar com ela, ou receber um abraço dela.

Jon passou a mão no rosto, e Robb se sentiu mal. Olhou para o céu estrelado daquela noite, e ficou calado. Não sabia o que dizer para Jon naquele momento.

Os dois ficaram em silêncio por alguns minutos, até que Robb olhou novamente para o primo. Ele parecia mais calmo, e não estava chorando.

– Jon. – Robb o chamou. Jon olhou para o ruivo. – No próximo verão, eu e você vamos para a Escócia. Eu não ligo para o que vão dizer para nós em casa, já seremos adultos.

– Precisamos de dinheiro para isso.

– Vamos começar a guardar agora. Nós vamos para o hospital onde você nasceu e o cartório onde você foi registrado. Vamos procurar sobre o seu passado. Vamos descobrir sobre sua mãe, juntos.

Jon apenas sorriu. Robb ofereceu a mão para ele.

– Agora vamos. A sua namorada, que eu tenho certeza absoluta que não é a sua irmã, está preocupada.

– Ainda bem que ela não é. – Jon aceitou a ajuda do primo e se levantou. – Eu estaria numa situação de merda.

– Não é tão terrível assim.

– Como assim não é tão terrível? Não consigo pensar em nada pior do que descobrir que sou parente da menina por quem eu sempre fui apaixonado.

– Ah, você seria um Targaryen. Qual seria o problema de namorar sua meia-irmã? – Robb riu.

– Cale a boca. Eu não sou um Targaryen. – Jon sorriu, finalmente.

– Agora sim o Jon Stark voltou.

 

No próximo capítulo:

Disfarçados - Robb, Aegon, Jon, Daenerys, Visenya e Gendry

Visenya e Gendry saem juntos pela primeira vez, mas seus "irmãos" mais velhos decidem ficar de olho nos dois. Jon, Robb, Daenerys e Aegon decidem seguir a ideia do último, portanto também vão até à festa da Patrulha da Noite. Uma pessoa inesperada também decide ir até ao evento, causando uma confusão indesejada e perigosa.


Notas Finais


É isso aí, pessoal!

Esse "No próximo capítulo" é o mesmo do anterior. Ainda estamos nessa "parte", se assim posso dizer, que vai levar desse até o próximo e o depois do próximo.

Como sempre, qualquer elogio, crítica, reclamação, sugestão, delírio, teoria ou qualquer coisa que queira falar sobre a fic, fique convidado a vir para os comentários. Agora eu posso garantir que vou responder logo kkkkk

Obrigado pelo apoio de sempre.
Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...