1. Spirit Fanfics >
  2. Remix of suffering >
  3. Los Angeles, Parte 3 - Uma Proposta irrecusável?

História Remix of suffering - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


FALA AE GAMBADAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

TAMO DE VOLTA NESSA PORRA! SIM EU VIREI A NOITE ESCREVENDO ESSA CAPÍTULO!

E NELE TEM AQUILO NÉ... AQUELA COISA QUE COMEÇA COM H E TERMINA COM HENTAI.

Sinceramente vocês já sabem que não sou bom com hentai, então relevem! Esse não é o foco da fic, então né!

E quero ver quem acertou quem é a garota hehehehehe Vocês realmente só pensam o pior de mim kkkk

Enfim...

BOA LEITURA!

Capítulo 38 - Los Angeles, Parte 3 - Uma Proposta irrecusável?


Fanfic / Fanfiction Remix of suffering - Capítulo 38 - Los Angeles, Parte 3 - Uma Proposta irrecusável?

Natsu – Deus... – Fechou lentamente os olhos, tentando ao máximo “acordar desse sonho” – Merda, não é um sonho – Engoliu a seco e respirou fundo, enquanto abria os olhos – Certo, vamos lá – Apertou os punhos em nervosismo e lentamente se sentou na cama.

O Dragneel permanecia com seu olhar fixo para frente, sem se virar para a pessoa deitada na sua cama. Ele ainda preferia acreditar que estava num tipo de pesadelo bem realista, ou quem sabe num coma alcoólico?

Natsu – Deus... Por favor, sou eu, seu filho – Juntou aos mãos e começou a rezar bem baixinho, para não acordar a pessoa ao lado. – Eu lhe peço que seja qualquer pessoa, menos a Lucy – Olhou para o teto do seu apartamento – Pode ser até mesmo o Gajeel, eu não me importo... Mas a Lucy não, por favor – Fechou rapidamente os olhos – Amém – Abriu os olhos e fez o sinal da cruz bem calmamente.

Tendo feito seu pedido a Deus e se acalmado, o nosso querido rosado se virou para o lado... E a primeira visão que teve foi de um corpo totalmente enrolado pelo lençol, desde os pés à cabeça. Mas pelo formato do corpo já dava para ter a clara noção de que era uma garota.

E isso só fez a tensão aumentar drasticamente naquele quarto... Uma garota totalmente enrolada, sem deixar nem uma mexa do cabelo pra fora? Mesmo tendo tantas garotas no mundo, só uma passava pela cabeça de Natus... Lucy.

Engolindo a seco e dando uma última olhada para o teto. Natsu lentamente levou sua mão até a ponta do lençol, quando finalmente pegou nele, respirou fundo e de uma só vez puxou o lençol.

E junto com o lençol, se foi toda aquela apreensão, ao ver quem realmente era a garota nua de baixo da sua coberta.

Natsu – Ah Deus que bom – Respirou fundo, enquanto lentamente revirava os olhos – É só a Kagura – Colocou a mão no peito em sinal de alivio. E ele ficou assim por alguns segundos, de cabeça baixa e respirando fundo... Até que – É só... – Levantou a cabeça rapidamente, observando atentamente aquela bela garota de cabelos negros como a noite, totalmente nua e com um rosto sereno enquanto dormia. – KAGURA! – Gritou, arregalando os olhos e dando um grande pulo para trás.

O pulo foi tão grande e repentino, que Natsu simplesmente se jogou da cama... Fazendo-o assim cair de costas no chão.

Natsu – Não... Não... Não... – Se arrastava desesperadamente para trás, enquanto observava Kagura na cama.

Óbvio com aquele grito, cama mexendo e o barulho de Natsu caindo contra o chão foi o suficiente para faze-la se mexer na cama... E não foi apenas isso, muito pelo contrário. Foi o suficiente para fazer, Kagura acordar e lentamente se sentar na cama.

Kagura – Humf... – Soltou um breve resmungo, enquanto coçava o olho direito – Você é sempre escandaloso quando acorda? – Perguntou meio sonolenta, enquanto se espreguiçava bem tranquilamente.

Natsu por sua vez ficou ainda mais em choque... Já que Kagura permanecia totalmente nua, e quando a bela garota se espreguiçou deu para ver o quão farto e lindos eram seus seios. Mas Natsu prontamente jogou esses pensamentos para escanteio e se levantou do chão, indo até sua cueca jogada e a colocando.

Natsu – Isso não pode ter acontecido – Dizia enquanto colocava sua cueca – Quer dizer, é melhor do que a Lucy... Mas mesmo assim foi péssimo fazer isso – Resmungava sem parar.

Kagura – Que falta de educação... Falando essas coisas para uma mulher que acabou de transar com você – Cruzou os braços, bem abaixo dos peitos e os deixou ainda mais destacados – Você é o pior, Natsu Dragneel! – Disse friamente para Natsu que na mesma hora conseguiu colocar sua cueca.

Natsu – Não entenda mal! – Se virou para ela e estendeu os braços para frente, pedindo-a para se acalmar – Entre você e a Lucy, fico feliz que tenha sido você... Mas sabe... – Engoliu a seco – Ainda sim é estranho transar com alguém que conheci ontem! – Coçou a nuca.

Kagura – Sério que você tá preocupado com isso? – Arqueou a sobrancelha. Nem em uma situação tão intima e estranha com essa, fazia Kagura sair da sua “pose de segurança” – É só sexo, Senhor Dragneel – Se deitou novamente na cama – Não é como fossemos começar um romance ou algo do tipo – Pela primeira vez desde ontem o rosado conseguiu ver um sorriso esboçado na cara de Kagura.

Natsu – Eu sei que foi apenas sexo... Já tô acostumado com isso – Cruzou os braços e olhou para o lado, tentando ao máximo não olhar para os peitos de Kagura. – Eu tenho uma boa e firmada “amizade colorida”, caso queira saber – Disse tentando não parecer um jovem iludido.

Kagura – Com aquela albina peituda, né? Mirajane o nome, se não me engano – Disse sem tirar os olhos do teto.

Natsu – Como você!? – Arregalou os olhos e prontamente retornou seu olhar para Kagura.

Kagura – Ontem na boate, eu a vi te pagando um boquete no banheiro feminino – Desviou seu olhar para Natsu que arregalou os olhos – Você realmente não lembra de absolutamente nada, né? – Indagou com a sobrancelha arqueada.

Natsu – Eu não lembro nem de como nós dois viemos para cá, quem dirá sobre um boquete no banheiro – Disse meio atordoado com esse tanto de informação.

Kagura – Bom... – Sentou-se novamente – Senta aqui – Se ajeitou na cama e deu dois tapinhas na sua frente. Natsu não disse nada, apenas caminhou calmamente até a cama e sentou-se em frente a Kagura – Você quer saber desde o começo ou quer ir logo pros finalmente? – Indagou.

Natsu – Começa da parte antes do boquete no banheiro, acho que foram as coisas mais importante que aconteceu – Passou a mão pelo rosto, tentando se preparar para o que estava preste a vim.

Kagura – Certo, Vamos lá...

...

Dia anterior

Natsu – UM BRINDE! – Ergueu seu pequeno copinho cheio de vodca, que logo foram acompanhados pelos demais copos do pessoal – VAMOS BOTAR PRA QUEBRAR! – De uma só vez bebeu a vodca, assim como seus amigos e Lucy fizeram. Em seguida bateram os copinhos ao mesmo tempo e começaram a rir.

Todos já se encontravam dentro da boate, para dizer a verdade já se fazia bastante tempo que eles estavam lá... Ao ponto de já estarem bem bêbados. Graças a Lucy (pelo menos ela serviu para algo), o grupo acabou pulando uma fila enorme que tinha lá fora e entraram assim que chegaram no Vedeta.

E de quebra ainda ganharam acesso ao segundo andar, onde apenas as pessoas VIPs ficavam! Graças a isso eles estavam envolta de uma mesa de madeira, que era contornada por um sofá roxo que cabia todos.

E o que se falar do Vedeta? Apenas que Lucy realmente estava certa sobre ser uma das melhores(se não a melhor) boate de Los Angeles. O local era enorme, tanto que tinha dois andares como dito anteriormente... Mas em questão de largura e dimensão, aquele lugar era outro nível! Fazia a Seven parecer um apartamentinho de esquina.

A boate era bem escura, já que as únicas iluminações do lugar eram graças as luzes “pisca pisca” da boate, que ficavam trocando de cor direto e dando um clima mais de rave ao lugar. E falando de rave a música que tocava, para surpresa do grupo, era claramente do Ashen One! O que fez Natsu, Gray e Erza beberem ainda mais em comemoração.

E graças a isso, fez Meredy simplesmente saltar da mesa e ir pra pista de dança que nem louca.

Lucy – Vamos lá, Kagura... Vamos beber! – Disse Lucy de maneira manhosa, enquanto puxava a segurança pela mangá do terninho.

Kagura – Já disse que não, senhorita Heartfilia. – Levou sua mão até a mangá da camisa – Não estou aqui para beber, apenas para tomar conta da senhora e do senhor Dragneel – Tirou a mão da loira do seu terninho, e em seguida deu dois tapinhas na mangá para tirar a “poeira” dela.

Cana – Deixa de ser chata, cacete! – Disse Cana já totalmente alterada das ideias, enquanto servia dois copos de vodka e colocava um na frente da Mikazuchi – Se vai ficar nessa mesa, é melhor tomar pelo menos um copo! – Apontou para o copinho e em seguida pegou o seu.

Kagura – Recuso – Cruzou os braços e olhou seriamente para Cana que apenas revirou os olhos em frustação.

Erza – Vamos lá, senhorita chatonilda – Deu um tapinha na mesa – Bebe, bebe, bebe – Começou a repetir as mesmas palavras, enquanto batucava na mesa.

O restante do pessoal apenas se entreolhou e não demorou muito para começarem a fazer o mesmo que Erza. Eles falavam, falavam, falavam e Kagura permanecia na sua pose severa e totalmente contra a ideia de beber... Mas ela não imaginou que esse grupo seria tão persistente ao ponto de ficar falando a mesma coisa por mais de 5 minuto!

Kagura – AHHHHHHHHHG – Gritou tampando o rosto com as duas mãos – Tá bom, tá bom, tá bom! – Disse furiosa, enquanto destampava o rosto e olhava para o restante do grupo que parou de falar – Se eu beber essa dose, vocês esquecem que existo até amanhã? – Indagou frustrada. Não conseguia acreditar de maneira nenhuma que havia perdido para esse bando de idiota.

Mirajane – Se tivesse bebido antes, sim – Se curvou para frente, pegando dois copos e duas garrafas, sendo elas uma de Everclear e outra de Gin – Agora se quer ficar em paz, vai ter que beber essa vodka e essas duas aqui – Serviu rapidamente as bebidas nos copinhos e colocou na frente de Kagura.

A mesma apenas ficou observando fixamente aqueles três copos na sua frente... Só ali com certeza tinha mais de 120 de teor alcoólico, principalmente o Everclear que era conhecido por ter 75% de teor alcoólico.

Natsu – Vai nessa, Kagura! Não precisa ficar bancando a babá comigo ou com a Lucy – Disse escorado no sofá.

Kagura – Se isso fizer vocês ficarem calados, já está ótimo – Respirou fundo e para surpresa de muitos a Mikazuchi, virou os três copos rapidamente! – Ahg – Colocou a mão na boca e fechou fortemente os olhos, sentindo aquele gosto forte e azedo do álcool.

O grupo apenas continuava surpreso com tamanha rapidez que a morena teve... Eles nunca viram ninguém virar três copos daquele de maneira sequência e tão rapidamente.

Juvia – A garganta dessa garota deve ser toda estourada – Disse com seu copo de Whisky na mão, enquanto observava a cara feia de Kagura.

Angel – Imagino o que fez ficar toda estourada – Sussurrou para a azulada que confirmou na hora.

Kagura – Então? – Respirou fundo, enquanto voltava para sua postura original – Vão fingir que não existo? – Indagou olhando para Mirajane.

Mirajane – Depois do que vi, pode ficar de boa que só vou lembrar disso amanhã – Riu pegando seu copo de Gin e bebendo. – Agora se me dão licença, preciso fumar – Colocou o copo novamente na mesa e se levantou.

Sting – Fumar? Desde quando você fuma? – Indagou o Eucliffe que até então estava calado junto a Gajeel.

Mirajane – Desde sempre, só não sou viciada – Explicou passando por todos e parando em frente à mesa – Pra dizer a verdade, vou fumar um belo e grande charuto – Abriu um largo sorriso – Vi que vendem no bar, então vou indo nessa... Já volto – Deu uma piscadinha e se virou, enquanto andava animadamente em direção as escadas.

Erza – Quem diria que essa garota fumava – Arqueou as sobrancelhas – Vivendo e aprendendo – Deu de ombros e voltou a beber.

Natsu – É... Quem diria – Riu, colocando seu copo na mesa – Preciso ir no banheiro – Se levantou, ajeitando sua camisa e sem deixar mais ninguém falar saiu cambaleando do local.

Gajeel – Será que é uma boa deixá-lo ir sozinho assim no banheiro? – Indagou preocupado com a forma que seu primo estava bêbado.

Juvia – Não se preocupa, ele sabe se cuida...

7 minutos depois...

7 minutos era bem pouco tempo... Mas foi o suficiente para fazer toda aquela rodinha em volta da mesa se dissipar pela boate. Juvia, Kamika e Angel foram se juntar a Meredy na pista de dança. Enquanto isso Gajeel e Sting foram flertar com algumas garotas, deixando assim somente Gray, Cana, Lucy, Erza e Kagura na mesa.

Pra dizer a verdade só tinha Lucy, Erza e Kagura. Já que Gray e Cana pareciam em um mundo alternativo, falando entre si e deixando o resto de fora.

Kagura – Esse gosto forte não sai da minha boca, maldição – Colocou a língua para fora e começou a passar a mão, numa tentativa totalmente falha de tentar tirar o gosto do álcool da boca.

Lucy – Até amanhã passa, relaxa – Disse Lucy que já estava totalmente perdida no álcool, tanto que estava toda jogada no sofá e mesmo assim continuava bebendo.

Kagura – Tsc... – Estalou a língua e levantou-se – Vou no banheiro – Ajeitou seu terninho e virou-se para a única pessoa da mesa que parecia sóbria – Toma conta dessa aqui até eu voltar – Disse para Erza, enquanto apontava para Lucy.

Erza – Por mim se ela quiser pular daqui de cima tem total autorização – Disse sarcasticamente e deu um gole na sua bebida. Kagura não disse nada, apenas fitou a ruiva severamente – Certo, certo... Mas faz um favor, e ver se o Natsu não desmaiou no banheiro – Colocou o copo em cima da mesa – Já faz dez minutos e ele não voltou – Explicou e Kagura apenas acenou positivamente.

Kagura – Nem precisava pedi, eu já ia procurar por ele – Disse se virando e indo em direção as escadas, para ir ao local dos banheiros.

Durante todo o trajeto era óbvio que não teria sossego... Motivo? A cada 10 passos que dava, um cara parava na sua frente perguntando se ela queria ajuda, uma bebida ou dançar. A grande maioria ela ignorava, ou simplesmente falava que não... E os que continuava insistindo, ela apenas olhava mortalmente para ele que saia da frente na hora.

Depois de percorrer esse curto caminho (que demorou tudo isso por causa dos contra-tempos), Kagura finalmente chegou ao seu objetivo... Os banheiros. Tanto o feminino como o masculino ficava um do lado do outro.

Ela apenas ficou parada em frente a eles, tentando pensar em qual iria primeiro... Se ia no feminino ou se ia no masculino procurar pelo rosado. Essa indecisão continuou, até que aquele gosto doce e azedo apareceu novamente.

Kagura – Porra... – Resmungou e sem pensar em mais nada, adentrou no banheiro feminino e foi até a pia – Nunca mais vou beber na vida, que gosto horrível – Murmurava, enquanto passava água na língua, tentando ao máximo dissipar aquele gosto horrível da boca. – Hum? – Parou de jogar água na boca e levantou a cabeça, já que a mesma começou a escutar uns barulhos esquisitos vindo de um dos vasos que eram cercados por umas paredes vermelhas, como em qualquer lugar público.

Sem fazer barulho nenhum ela se encaminhou bem lentamente em direção a esses barulhos estranhos... E quando chegou no penúltimo vaso, ela parou de andar e fitou a porta que dava acesso ao último vaso... Era de lá que vinha aqueles barulhos estranho. Não demorou muito para ela saber quem fazia aquele barulho e o motivo daqueles barulhos.

Natsu – Mira... Acho que alguém entrou aqui, eu ouvi o barulho da água caindo na pia – Sussurrou Natsu, mas como Kagura estava perto o suficiente deu para ouvir.

Mirajane – Não se preocupa, já deve ter ido embora – Disse maliciosamente.

Natsu – Mas isso tá demorando demais... O pessoal vai perceber – Disse receoso.

Mirajane – Ninguém mandou demora tanto tempo no banheiro! Se quer que isso acabe logo, foda minha boca e goze logo! – Disse a albina que logo em seguida caiu de boca no pênis do Natsu, refazendo novamente aqueles barulhos estranhos.

Kagura por sua vez parecia totalmente congelada e ruborizada, com tal coisa que acontecia ali dentro... Ela realmente não esperava que aqueles dois iriam fazer algo assim, no banheiro de uma boate!

Kagura – Agora entendi o papo do charuto... – Sussurrou consigo mesma, enquanto andava bem devagarzinho para trás e saia sem fazer barulho – Vamos ver quanto tempo isso vai demorar – Disse já do lado de fora do banheiro e indo até o armário do zelador, se escondendo lá dentro e esperando.

Ela ficou lá por uns 3 ou 4 minutos, até que finalmente a porta do banheiro feminino. Olhando pela brechinha da porta, Kagura viu que a primeira a sair foi obviamente Mirajane. Ela saiu bem despreocupada e nem sequer olhou para os lados, apenas se retirou rapidamente do local... Tendo em vista de a albina saiu, Kagura saiu da sala do zelador e ficou esperando o Dragneel sair lá de dentro.

Algo que não demorou muito para acontecer, por que em questão de segundos o rosado saiu lá de dentro... Totalmente bêbado e cambaleando de um lado pro outro.

Natsu – Oi... Kagura... – Ele disse sorrindo, enquanto andava até a morena – O qu... Oque você... Tá fazendo aqui? – Perguntou parado em frente a Mikazuchi que permanecia seria.

Kagura – Acho melhor te levar pro hotel – Foi tudo o que disse antes de pegar o braço de Natsu e colocar em volta do seu pescoço.

Natsu – Não... Eu ainda... Ainda... Ainda posso – Apontou para frente e quase caiu no chão de tão bêbado que estava. Sua sorte foi o braço envolta do pescoço de Kagura.

Kagura – Não pedi tua opinião – Disse enquanto andava com o rosado para fora da boate – Vamos pra casa e você vai dormir, ponto final! – Disse friamente e saiu da boate com Natsu.

...

Kagura – Segura um pouco, já estamos chegando – Disse entrando no elevado do hotel junto a Natsu.

Sim, eles já estavam no hotel... Kagura literalmente obrigou o motorista a leva-los e depois voltar para a boate, para esperar os outros. E durante todo o trajeto de limusine até o hotel, Kagura se sentiu cuidando de uma criança do primário.

Natsu não parava nem por um caralho de andar, falar ou de gritar dentro da limusine. Tinha vezes que ele abria o teto-solar e saia, e ficava gritando e chamando as pessoas na rua feito um retardado.

Claro que sempre que isso acontecia Kagura puxava ele pra dentro e dava um socão na cabeça, pra ver se ele parava... O resultado? Além de bêbado, Natsu também estava todo dolorido e vermelho pelas surras que levou.

Assim que chegaram no andar no qual ficava o quarto de Natsu. Kagura rapidamente saiu do elevador com ele, indo em direção ao quarto do Dragneel que agora cantarolava algo bem animado.

Chegando na porta a Mikazuchi abriu-a rapidamente, adentrou no quarto e foi na hora pra cama de Natsu e o arremessou nela.

Kagura – Prontinho, tá entregue! – Bateu as mãos uma na outra.

Natsu – Humf... – Resmungou, enquanto se ajeitava na cama e ficava observando o teto – Kagura... – Chamou suavemente pela segurança que não disse nada, apenas arqueou a sobrancelha – Posso te fazer uma pergunta? – Desviou o olhar para ela.

Kagura – Você acabou de fazer uma, porque não fazer outra? – Deu de ombros e sentou-se na ponta da cama.

Natsu – O que você acha do sexo? – Perguntou com a sobrancelha levemente arqueada.

Kagura – Que diabos de pergunta é essa? – Respondeu à pergunta com outra pergunta.

Natsu – Tipo... Você acha que sexo sem compromisso, vale a pena? – Indagou se virando de lado e olhando mais atentamente para Kagura.

Kagura – Que pergunta besta – Riu cruzando as pernas – Claro que vale, oras – Apoiou as mãos na cama e fitou o rosado – Sexo em si é algo bom, quando não envolve sentimento é melhor ainda – Olhou rapidamente para o teto – Mas sendo sincera com você... – Desviou sua atenção para Natsu – Acho que nada supera sexo com sentimentos... Sabe... Quando você faz aquilo com quem ama – Suspirou e voltou seu olhar para o nada – Mas até que isso aconteça o sexo sem compromisso é ótimo para preencher esse vazio – Deu de ombros e em seguida olhou para Natsu que permaneceu calado.

Natsu – E como eu sei que tem sentimento? – Fez outra pergunta, parecendo pensativo sobre algo.

Kagura – Não sei... Nunca senti isso – Suspirou – Mas sempre me falaram que quando aparecer esse sentimento, você vai sentir na hora... Como se o seu coração estivesse em chamas e sua mente não pensa em nada além dessa pessoa, entende? – Perguntou olhando para Natsu que apenas abriu um sorrisinho de canto e acenou positivamente.

Natsu – É... Até que você tem razão – Se sentou na cama e olhou para Kagura – Bom... Já que você falou que é bom, então acho que não vai se importar com isso – Deu de ombros e sem deixar Kagura ter um momento para pensar, colocou a mão na nuca da Mikazuchi e puxou para si... Capturando os lábios dela em um intenso e forte beijo.

Óbvio que de cara a Mikazuchi arregalou os olhos, e não correspondeu o beijo do garoto... Mas que merda ele tava fazendo? Qual diabos era o motivo desse beijo repentino?

Antes mesmo que ela pudesse separar o beijo, foi novamente surpreendida pelas mãos de Natsu que segurou seus ombros e a jogou de costas na cama, ficando por cima da garota e separando o beijo.

Kagura – M... Mas... Que porra foi essa! – Disse com um leve rubor no rosto, ainda tentando entender o que acabava de acontecer.

Natsu – Sinceramente? Não faço ideia – Riu e coçou a nuca – Provavelmente a bebida me deixou cheio de tesão e eu quero transar – Olhou para os belos olhos de Kagura – Eu não vou te forçar a nada, até porque você é bem mais forte do que eu... – Engoliu a seco e riu – Mas se você quiser, podemos fazer isso – Colou sua testa com a de Kagura, deixando a garota ainda mais ruborizada e nervosa – Então? Se você quiser é só me beijar, se não, pode chutar meu saco e me arrebentar no soco – Sussurrou bem lentamente, fazendo-a sentir um arrepio pelo corpo.

Kagura não disse absolutamente nada, apenas continuou totalmente corada e pensativa sobre o que estava acontecendo... Fazer sexo com esse garoto que ela conhecia só fazia algumas horas? E principalmente com o fato que era contra sua ética, dormir com pessoas pela qual ela trabalha.

Natsu realmente estava certo que se ela quisesse já poderia ter arrebentado ele na porrada, assim que ele a beijou... Mas ela realmente não queria fazer isso. Muito pelo contrário, sentir o Natsu em cima dela, com aquela respiração ofegante e sexy e com aquela voz rouca a fazia perder totalmente a noção do certo ou errado.

Kagura – Tudo sem compromisso? – Perguntou apertando suavemente os lençóis da cama. Natsu não disse nada, apenas acenou positivamente – Então que se foda! – Foi tudo o que disse antes de capturar os lábios de Natsu novamente num intenso beijo.

E quando digo “um beijo intenso” é porque realmente é... Não começaram com beijinhos nem nada, foram imediatamente para a língua, travando uma árdua batalha pelo domínio daquele beijo e principalmente do sexo que viria adiante.

Ambos passavam as mãos pelos corpos um do outro, tentando ao máximo achar algum ponto fraco para ganhar essa batalha... Mas no fim, acabaram num embate e ambos se separaram e ficaram se olhando maliciosamente.

Kagura – Tira a roupa – Pediu empurrando o Dragneel pro lado, fazendo-o cair na cama. Em seguida ambos começarem a se despir, jogando cada peça de roupa para qualquer canto do quarto... Até que finalmente ficarem seminus.

Natsu com sua cueca box preta que já dava uma clara visão da extensão do seu membro, que fez Kagura ter um choque de realidade.

Kagura – É enorme... – Pensou engolindo a seco.

Já a bela Mikazuchi ficou apenas com seu conjunto branco e rendado, de calcinha e sutiã que a deixava ainda mais sexy e perfeita... Se é que era possível. Cada curva do corpo dela fazia Natsu ficar totalmente perdido em seus pensamentos, era tudo na metida certa... Desde os peitos até sua bunda.

Kagura – Para de olhar, seu idiota – Colocou a mão na frente do corpo, tentando esconde-lo, mas obviamente falhando.

Natsu – Ela parece outra pessoa na cama... Mais tímida – Pensava, enquanto reparava o jeito tímido de Kagura que tentava tampar o corpo com as mãos. Pelo jeito ele teria que ter uma abordagem mais “suave” com ela, já que com certeza essa garota não era que nem a Juvia e principalmente Mirajane que gostava de algo mais selvagem.

Natsu apenas abriu seu sorriso carinhoso e pegou-a novamente pelos ombros, a deitando suavemente pela cama e ficando por cima dela... Eles novamente ficaram se fitando, antes de compartilharem um rápido beijo que logo se acabou, já que Natsu lentamente foi descendo seus beijos pelo rosto, pescoço e em seguida pelo corpo de Kagura.

Ele alternava entre beijos, caricias, chupões de leve e lambidas o que fazia a garota simplesmente soltar breves gemidos e se contorcer bem lentamente sobre a cama. E ele continuou descendo bem lentamente, até que finalmente chegou a onde queria... Aos peitos de Kagura.

O garoto não esperou nem um segundo e desprendeu o sutiã, jogando para qualquer canto da sala e fazendo os fartos e lindos peitos de Kagura saltarem para fora. Quando Natsu teve aquela bela visão a sua frente, simplesmente começou a babar e fita-los ainda mais.

Eles eram, como posso dizer... Na medida perfeita! Não eram tão grandes como da Mirajane, mas ainda assim era perfeitos.

Sem perder mais tempo, Natsu balançou a cabeça de um lado para o outro e olhou rapidamente para Kagura que permanecia toda vermelha e tímida com aquele olhar lascivo de Natsu. Respirando fundo o Dragneel logo abocanhou o peito esquerdo da garota que gemeu e arqueou as costas para cima, sentindo a boca molhada de Natsu no bico do seu peito.

E isso só “piorou” quando a mesma sentiu a mão direita de Natsu sobre seu outro peito, fazendo leves apertos e massagem entorno do bico dele. Fazendo-a simplesmente gemer e colocar a mão em frente aos olhos, que estavam fechados, apenas sentindo todo aquele tesão.

Natsu vendo isso começou a melhorar as chupadas no peito de Kagura, começando a lamber envolta do bico e dando fortes chupadas. E na outra teta da garota, começou a circula o bico da teta dela com o dedo indicador e de vez em quando apertava o mesmo.

A cada toque, mordida, chupada ou lambida, Kagura se sentia cada vez mais que estava batendo na porta do céu e voltando... Era indescritível tudo o que ela sentia com tudo aquilo, mas poderia ser resumir a uma palavra... Excitação.

Natsu – Os truques que aprendi com a Mira realmente são funcionais – Pensou sorrindo, enquanto observava a cara de prazer da sua parceira que tentava ao máximo conter os gemidos e evitava olhar para ele. – Tá na hora do próximo passo – Parou de chupar e massagear os peitos da Mikazuchi que na hora soltou um gemido de desgosto.

Kagura – Porque... Parou? – Perguntou decepcionada, já que aquilo estava bom demais.

Natsu – Porque tá na hora do próximo passo, my baby – Subiu rapidamente até ela, segurando sua nuca e beijando-a ferozmente.

Logo eles separaram o beijo e Kagura voltou a se deitar e Natsu voltou a descer pelo corpo da parceira, que apenas acompanhava o andar do garoto... Ela sabia exatamente onde eles estava indo.

Natsu descia como antes, com beijos e lambidas e a reação dela era a mesma de antes... Principalmente quando chegou na barriga. Ai sim ela começou a gemer feito uma louca e se contorcer, parecia que Natsu havia enfiado o pênis dentro dela. Pensa numa garota bem sensível, e essa garota seria ela.

E ele foi... Desceu, desceu e desceu... Até que ele chegou ao seu objetivo, a intimidade de Kagura que já se encontrava totalmente encharcada. Ela tava tão molhada que além de descer pelas coxas dela, também já estava molhando a cama.

E o que falar da intimidade dela? Assim como os peitos era perfeita! Lisinha, sem pelo nenhum e rosadinha e pequena... Lambendo os lábios o Dragneel simplesmente abocanhou a vagina da garota que se contorceu toda e revirou os olhos, quando sentiu a língua áspera de Natsu dentro de si.

Se antes ela já estava pirando com a boca dele no seu peito, imagine agora com ela num lugar tão sensível como sua vagina. A cada lambida e estocada com ela lá dentro, Kagura simplesmente ia a loucura com gemidos e se contorcendo sem parar.

E Natsu não dava sossego! Ele continuou enfiando e tirando sua língua sem parar, era viciante sentir o gosto e sentir Kagura por dentro... Era algo de outro mundo. Mas logo ele parou de enfiar a língua e enfiou dois dedos dentro dela, que gemeu, em seguida começou a lamber o clitóris dela e ficou fazendo as duas coisas ao mesmo tempo. Fodendo-a com os dois dedos e lambendo seu clitóris.

Kagura – AH.... Ah Deus... – Engolia a seco e ficou se mexendo de um lado pro outro – Isso... É... Incrível – Colocou a língua pra fora e revirou os olhos, enquanto começava a rebolar nos dedos de Natsu que deixou de enfiar os dedos dentro dela, já que ela mesma fazia isso por conta própria. Ele continuou nessa mesma fórmula, até que... – Natsu... Na,Natsu... Eu, eu... AHHHHHHHHHHH – Não conseguiu terminar de avisar o rosado, e simplesmente se contorceu na cama, gozando tudo na boca de Natsu que apenas riu e engoliu tudo, enquanto se ajoelhava na cama – Des...Desculpa... – Disse atordoada.

Natsu – Não se preocupa – Riu limpando o canto da boca – Seu gosto é incrível, aliás – Piscou para a mesma que corou ainda mais – Então, chega de preliminares – Levou as mãos até a cueca e de uma vez a colocou para baixo, demonstrando seu enorme e grandioso pênis.

Se só pela cueca Kagura já conseguia ver o quão grande era o membro do rosado, fora da cueca então... Parecia ainda maior. Ela realmente não acreditava que aquilo ia caber dentro dela.

Natsu – Tem certeza que quer ir até o fim? – Indagou Jogando o corpo por cima dela, apoiando os braços em cada lado da cabeça de Kagura que apenas acenou positivamente – Ok... – Deu um rápido beijo nela, antes de volta para sua posição anterior.

Para facilitar a vida dos dois, Natsu começou a esfregar seu pênis na vagina de Kagura, para tentar molha-lo o suficiente para entrar mais fácil. Só de sentir o pênis de Natsu se esfregando contra sua intimidade, Kagura já começava a afagar e gemer incessantemente.

Natsu – Lá vai – Disse parando de esfrega-lo e colocando a cabecinha do pênis já na entrada da vagina da morena.

E bem lentamente o Dragneel introduziu seu pênis nela... E a cada centímetro que entrava, um gemido de prazer e um agarram ainda mais forte no lençol, Kagura dava... Os olhos dela já estavam totalmente arregalados e a língua pra fora, babando tudo.

Quando finalmente tudo estava dentro dela, Natsu não perdeu tempo e começou a estocar ferozmente na buceta de Kagura que já estava totalmente perdida em prazer. A cada estocada dentro de si, ela sentia o pênis de Natsu batendo quase no seu útero e a alargando inteira!

Já Natsu nunca havia sentido uma vagina tão apertada e macia como a de Kagura... Era impossível descrever a sensação, ele só sabia que era incrível dentro dela! Quente, macio e apertadinho. E a cada estocada ele sentia as paredes da vagina da garota se alargando ainda mais, tomando o formato ideal do seu pênis.

Para melhorar as estocadas o rosado pegou as duas pernas de Kagura e colocou sobre seu ombro direito, acabando deixando-a meio de lado e fazendo seu pênis entra muito mais fundo dentro dela... Se é que era possível.

E ele continuou as estocadas ferozes, até que...

Natsu – Kagura... Eu... – Tentava falar, mas era impossível de tão bom que era aquilo.

Kagura – D...Dent,Dentro n, não – Pediu entre os gemidos.

Natsu não disse absolutamente nada. Apenas deu mais três fortes estocadas, antes de tirar seu pênis de dentro dela. E foi rapidamente até os peitos da mesma, colocando seu “amiguinho” entre eles e começando a foder os peitos de Kagura que abriu a boca e colocou a língua para fora... Apenas esperando a “carga” vim com tudo.

E sua espera demorou ao todo 2 minutos, antes do Dragneel soltar toda sua porra na cara de Kagura que ficou surpresa com a quantidade que saiu... Foi tanta que esporrou toda sua cara.

Natsu – ufa... – Se jogou ao lado dela e ficou olhando-a se lamber inteira, bebendo cada parte do seu esperma – Então... O que achou? – Perguntou ofegante.

Kagura – Incrível! – Disse com um sorriso enorme no rosto – Você tem um gosto maravilhoso! – Disse e para surpresa de Natsu, se jogou em cima dele – Eu quero mais! – Disse se esfregando sobre o pênis de Natsu, começando a “reanima-lo”.

Natsu – Só se for agora!

...

Kagura – E basicamente foi isso – Disse cruzando os braços e observando o rosto ruborizado do garoto – O que foi? – Indagou com a sobrancelha arqueada.

Natsu – Precisava ter contado cada detalhe da nossa foda? – Perguntou ainda em choque.

Kagura – Mas foi algo incrível! Particularmente te dou um dez fácil – Deu um tapinha nas costas de Natsu que permanecia em choque.

Natsu – Obrigado... Eu acho – Engoliu a seco e se levantou da cama – Então... Isso não significou nada, certo? – Perguntou meio receoso e viu a mesma confirma.

Kagura – Nadinha – Confirmou firmemente.

Natsu – Certo... – Respirou fundo – Acho melhor eu ir tomar banho primeiro, preciso colocar o tico e teco no lugar – Massageou a testa, já que sua cabeça começou a doer novamente.

Kagura – Tudo bem – Deitou-se novamente na cama e observou o garoto até o banheiro – Ah... Antes que eu me esqueça – Levantou a mão e chamou a atenção de Natsu – Se você contar para alguém o que aconteceu, saiba que vou cortar seu pinto e enfia-lo no seu ouvido até seu cérebro explodir! – Olhou mortalmente para Natsu que engoliu a seco e sentiu a morte passar atrás de si.

Natsu – Olha só que coisa... Esqueci novamente o que aconteceu ontem – Sorriu meio nervoso e em seguida correu para dentro do banheiro, deixando a bela Mikazuchi sozinha.

Kagura – Hum... – Riu e deitou-se novamente – Sexo sem compromisso é? – Levantou sua mão e ficou observando-a fixamente, parecendo sentida com algo – Sem sentimentos...

...

- E aqui está ele! Jude Heartfilia! – Dizia um homem alto, musculo, com um par de sobrancelhas bem diferenciadas e estranhas e com uma barbicha enorme, que ia até o final do seu pescoço. O mesmo usava um terno e carregava consigo uma maleta.

Jude – Jura Neekis, a quanto tempo meu amigo! – Disse Jude que se levantou da mesa para apertar a mão de Jura. Ambos se encontravam no restaurante do hotel.

Jura – Digo o mesmo, meu amigo – Deu dois tapinhas na mão de Jude e em seguida separou o aperto.

Jude – Por favor, sente-se – Apontou para a cadeira a frente e assim foi feito, ambos se sentaram e ficaram se encarando – Então meu amigo... Porque me chamou aqui? Certeza que não foi para matar a saudade – Sorriu enquanto alisava sua barba.

Jura – Hum... É você está certo – Riu e cruzou as pernas – Eu vim aqui para negócios, Jude – Cruzou as mãos e olhou para o velho amigo que apenas gesticulou para que o mesmo continuasse. – Sabe... Aquele jovem que é a estrela da sua gravadora é realmente uma estrela em ascensão, né? – Perguntou com a sobrancelha arqueada.

Jude – O Ashen One? Com certeza – Riu se ajeitando na cadeira – Esse garoto nasceu pra isso, vai longe – Cruzou os braços e sorriu orgulhoso sobre Natsu – COF, COF, COF! – Começou a tossir fortemente – Ah... – Tirou a mão de frente a boca – Desculpe por isso – Se ajeitou novamente na cadeira – Já tem um tempo que estou assim, mas enfim, isso não é importante... Diga, o que meu garoto tem haver com os seus negócios? – Perguntou curioso.

Jura – Tenho uma proposta irrecusável... Que vai beneficiar todos os lados – Apoiou as mãos sobre a mesa – Vai catapultar ainda mais a carreira desse garoto, como também a sua gravadora e vai encher o bolso de todos com muito dinheiro – Disse sorrindo largamente.

Jude – Diga de uma vez, você tem toda minha atenção. – Se virou totalmente para o careca.

Jura – Antes de explicar... Tudo isso só vai acontecer com uma condição – Levantou um dedo – Vai depender de como o público e de como o seu garoto vai reagir daqui a dois dias, na EletricZoo...

...

Dois Dias Depois – Dia Do Festival...


Notas Finais


Por incrível que pareça realmente teve gente que acertou que era a Kagura kkkkkkkkkkkkkkkk Como diabos vocês acertaram, eu não sei. Era pra ela ser a menos votada, mas vocês foram firme nela.

E também foram na Erza e na Lucy... Ahhh gafanhotos, vocês realmente esqueceram como eu sou?: kkkkk Acha mesmo que vou colocar o hentai mais aguardado que é o Naer numa noite de bebedeira? KAKAKAKAKAAKAK VAI NESSA. O hentai deles vai ser em outro momento e especial - E esse momento está perto, só pra deixar claro heheehehe. E o hentai Nalu tbm, pra quem gosta e odeia hehehehe.

Enfim... Como eu disse anteriormente, não ia enrolar o festival! Porque ia ficar muito repetitivo e quero chegar logo no show que vai ser foda, junto ao arco de Vegas hehehehe.

E o que será essa proposta hein? HEHEHEHEHE

TEORIZEM!

Espero que tenham gostado!

Comentem o que acharam!

VlwS2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...