História Renda-se (Imagine Min Yoongi) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Sonyeondan, Bts, Suga, Yoongi
Visualizações 37
Palavras 2.545
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, boa noite
Vocês estão bem? Espero que sim e que estejam gostando dessa fic.♡

Capítulo 4 - "Você acha que eu sou burra?"


[S/n]

Mais um dia exaustivo nessa empresa que eu não quero, fazendo as coisas que não gosto. Daria tudo para estar em casa com minhas flores, mas o que posso fazer se tenho que ficar nessa droga fazendo os gostos de meu pai?

Suspiro cansada.

— Senhorinha Ryu? - Eunji me chama ao adentrar minha sala mais uma vez sem bater. Passando a mão por meu cabelo a encaro.

— Eunji quantas vezes vou ter que te dizer para bater na droga da porta antes de entrar?

— Desculpa senhorita, não vai se repetir - diz com seus olhos arregalados.

— O que você quer? - pergunto revirando os olhos.

— Senhor Min Yoongi está na sa...

— Estou aqui, odeio ficar esperando - a voz rouca do homem que vi antes de ontem soa por trás de Eunji.

— Entre senhor Yoongi - digo me levantando.

— Não sou velho senhorita Ryu. Me chame de Yoongi - diz passando por minha secretária e entra em minha sala como se fosse o dono. Se vira para Eunji e a encara. — Me traga um copo com suco de laranja, estou com sede - diz tirando a mão dela da maçaneta da porta e a empurrando para trás, para logo em seguida fechar a porta. Se vira e caminha até estar em frente à minha mesa.

Ele realmente acredita que pode entrar aqui e se sentir o dono da minha sala?

— Me chame de S/n - digo me sentando na minha cadeira. Ele puxa uma cadeira e se senta em frente à minha mesa, me encarando com atenção.

— Muito bem, S/n... Nome bonito - diz sorrindo largamente, me fazendo revirar os olhos. Ele não é o primeiro homem que entra em minha sala e que tenta me seduzir com elogios. Tenho dó se pensa que vai conseguir.

— O que te traz aqui Yoongi? - pergunto me inclinando sob a mesa e o encarando com atenção.

— Quero saber a data em que você irá se mudar para meu escritório - diz com um sorriso nos lábios me fazendo arquear as sobrancelhas.

— Para o seu escritório? - pergunto confusa.

— Sim S/n, você irá trabalhar lado a lado comigo, minha sociedade com sua construtora está concluída - diz sério.

— Está? Nossa, foi muito rápido você não acha? - pergunto o encarando e observando cada ponta de seu rosto. Ele é diferente dos outros executivos que já estiveram aqui.

Não me esqueço do dia que meu pai insistiu tanto para que eu fosse em um jantar com ele e quando chego no restaurante, minha surpresa não poderia ser maior ao encontrar esse homem, com um ar tão selvagem, com esse sorriso sacana e o olhar marcante, ao mesmo tempo que é intenso. A mão esquerda levando um anel em formato de caveira e outro de prata, que não sei o que é, a camisa que veste é um pouco transparente e acho que em seu braço tem uma tatuagem...

— Me avaliando S/n? - pergunta com um sorriso de lado... e que sorriso. Ele é uma tentação e sabe disso.

Sabe muito bem e se aproveita, tenho certeza. Ele que não pense que eu vou ser mais uma das que caem de amores por ele, não vou ser mesmo. Já estou acostumada com isso e sei lidar com tudo que está acontecendo aqui.

— Claro, afinal vou conviver com você, não é? - digo séria.

— Gosta do que vê? - pergunta passando a mão em seu queixo.

Sorrio.

— Você acredita mesmo que vou cair nos teus joguinhos? - pergunto sorrindo largamente.

— Você não gostaria?

Gargalho alto.

— Você realmente acha isso? Me poupe Yoongi. Não te conheço e para ser bem sincera, pelo que pude perceber até agora de você, tudo que quero é distância.

— Quero ver se continuará com essa mesma afirmação quando estiver convivendo junto comigo.

— Como você é pretencioso! - Reviro os olhos. — Sou muito profissional para terminar de outra forma com você, meu querido.

— Vamos ver o quanto dura a sua profissionalidade - diz sorrindo confiante.

— Nós não nos conhecemos, nos vimos uma vez e agora, já estamos tendo uma conversa assim, o que dirá de um mês de convivência contínua - digo pensativa.

— Tenho certeza absoluta que você não resistiria.

— Você sempre começa seus negócios assim? - pergunto arqueando uma sobrancelha.

Onde estou me metendo meu Deus?

— Não, porque são raras as vezes que tenho mulheres belas como você à frente dos negócios - diz piscando um olho.

Sorrio entendendo sua jogada. Ele quer me seduzir para que ele tome conta dos negócios sozinho e para que me torne sua marionete.

— Você acha que sou burra?

— Em nenhum momento esse pensamento passou por minha cabeça - diz com seu olhar sério me encarando.

— Presumo que você deve pensar que sou muito fácil e ingênua como as mulheres que costuma ter relações - digo estreitando o olhar.

— Posso ter pensado isso - sorrio.

— Você pode ter pensado que eu sou a típica “filhinha do papai”, patricinha, metida e esnobe?

— Isso pode ter passado por minha cabeça também - diz sinceramente com uma cara séria.

— Yoongi, você está completamente enganado e está jogando com a pessoa errada - digo com o semblante fechado.

— Você é lésbica?

Gargalho alto, com essa pergunta. Esse homem se acha muito mesmo.

— Não Yoongi, não sou lésbica. Sou uma mulher que leva os negócios a sério e que não tem tempo para joguinhos sexuais, então se sua intenção for apenas essa devemos desfazer esse negócio agora mesmo - ele arqueia as sobrancelhas e sorri de leve, passando uma de suas pernas por cima da outra.

— Tudo bem senhorita S/n. Vamos fazer do jeito que a senhorita quer - diz me encarando com um olhar tão intenso que é capaz de hipnotizar qualquer alma pura que esteja a seu alcance.

Duas batidas na porta e a mesma se abre revelando Eunji com sua saia mais curta que o normal, uma bandeja com um copo com suco de laranja e uma xícara de café. Ela coloca a bandeja em frente à Yoongi, em cima da mesa e o olha, esperando que ele diga algo. Ele a olha com uma sobrancelha arqueada e a boca num risco sério.

— Eunji o que aconteceu com sua saia? Encolheu quando você foi buscar o café e o suco? - pergunto travando a mandíbula.

— Eu...

— Querida sócia, você deveria escolher melhor seus funcionários. Quando cheguei vi sua secretária destratando uma funcionária de uma forma completamente inaceitável. Eu, como dono da metade da empresa, sugiro que você a demita - diz pegando o copo com suco e tomando um pequeno gole.

— Eunji você nunca aprende a lição...

— E esse suco está horrível. Não é suco da fruta e está muito azedo. Sócia mentalize uma coisa, eu vivo de suco de laranja. Suco natural e com três colheres de açúcar - diz colocando o copo na bandeja novamente.

— E por que eu deveria mentalizar isso? Não sou nenhuma de suas empregadas, sou sócia, mentalize isso. Você não pode e nem vai ficar me dando ordens, se não quiser ter seu traseiro chutado na primeira oportunidade - digo me encostando em minha cadeira e tentando passar  uma postura relaxada.

— Eu posso tudo e onde está sua postura de empresária? Esses palavreados são usados com frequência por você em reuniões? - pergunta arqueando uma sobrancelha de maneira questionadora.

— Estamos em uma reunião? - pergunto sorrindo levemente.

— Eu pensava que sim - diz retribuindo meu sorriso.

Fico séria e volto meu olhar para minha secretária.

— Lembra do que te falei Eunji?

— Eu preciso do emprego senhora...

— Precisa? Não pareceu isso quando estava humilhando aquela funcionária no corredor do elevador - Yoongi diz a encarando me fazendo revirar os olhos.

— Você ainda tem alguma coisa para fazer aqui Yoongi ? - pergunto com minha paciência vazando por meus poros, ao ter que lidar com mais situações como essas de Eunji.

— Estou esperando você demiti-la.

— Deixe que da minha secretária cuido eu. Se você já fez seu ponto, peço que se retire de minha sala agora mesmo - digo o encarando.

— Não a quero na minha construtora entendeu?

— Isso quem decide sou eu entendeu?

Ele revira os olhos se levantando da cadeira.

— Tenho que conversar com seu pai agora.

— Está esperando minha permissão? - pergunto suspirando e descansando meu queixo em minha mão que está em cima da mesa.

— Não preciso da permissão de ninguém para nada - diz sério.

— Está esperando o que para sair?-pergunto em tom cansado.

— Você é muito cheia de si.

Não consigo impedir que uma gargalhada alta saia de minha boca. Sou cheia de mim porque não dei nenhuma condição para ele. Só o que me faltava mesmo. Escutar esse tipo de absurdo de alguém que acabou de perguntar se sou lésbica porque não dei nenhuma abertura para ele entrar.

— Seus achismos não me incomodam de nenhuma maneira - sorrio ainda o observando.

— Vamos ver até quando .-ele se levanta, se vira e caminha lentamente até o final da sala. Como toda a calma possível abre a porta, caminha até o lado de fora da sala, se vira, sorri de lado e fecha a porta.

Suspiro pesadamente. Yoongi sabe como deixar uma marca onde passa, isso não consigo negar. Me lembro de Eunji à minha frente e a encaro.

— Passe agora no RH e faça suas contas. Não quero ter o desprazer de ver mais uma vez você maltratando algum funcionário, ou você pensa que eu nunca tinha visto? Vai, cansei de olhar para seu rosto - digo voltando minha atenção para os papeis que estão á minha frente.

— Mas senhora, eu realmente...

— Não quero saber. Saia agora - digo a encarando.

— A senhora poderia repensar...

— Sai Eunji! - rosno apontando para a porta da sala.

Ela trava a mandíbula e se vira caminhando até a porta, a abre e sai.

A presença de Yoongi volta a minha mente. A arrogância, pingando em cada palavra...A segurança, deixando bem claro que ele sabe o que faz e fala... Está bem claro que ele sabe muito bem que o está fazendo. Isso tudo que ele me falou faz parte de um plano bem orquestrado em sua mente e eu estou assumindo e concluindo que acabei de virar um desafio. E pelo jeito Yoongi gosta de um desafio. Sorrio.

Ele pode até ser esperto mas não sabe com quem está se metendo.

— S/n - meu pai me chama ao entrar em minha sala.

— Qual o problema das pessoas em bater na droga da porta antes de entrar?-pergunto irritada o olhando.

— Isso são modos de se falar garota? Você é uma vice-presidente...

— O senhor veio até aqui para me dizer como devo falar e me comportar? Não sei se o senhor percebeu, mas tenho [sua idade] e logo o senhor pode concluir que sou uma adulta.- digo o fazendo revirar os olhos.

— Você tem que aprender a me tratar melhor. - diz caminhando até uma cadeira em frente à minha mesa e se senta.

—Deveria? - pergunto arqueando uma sobrancelha.

— Sou seu pai.

— Não me diga Dong-Sun.

— Você sabe que detesto essas piadinhas. Vamos ao que interessa, acabei de decidir alguns planos com Yoongi e tomamos algumas decisões...

— Deixa eu adivinhar, decisões que eu vou ter que cumprir e que não tive nenhuma participação? Esta sociedade já está começando muito bem - ele olha para os lados entediado e volta seu olhar para mim.

— Não me interrompa S/n. Joguei dinheiro fora, com todas aquelas professoras de etiqueta que contratei para te ensinar alguma coisa - diz travando a mandíbula.

— Uma educação que deveria ter sido dada por você.

— S/n, no mundo em que vivo não tenho tempo para essas coisas.

— Você é meu pai, deveria ter tempo sempre disponível para mim - digo sentindo cada gota de mágoa se formar em meus olhos.

— Vejo que você não aprendeu nada nesses anos de convivência nessa empresa comigo. Sentimentos te enfraquecem S/n. No mundo em que você vai começar a viver a partir de amanhã, é bom que deixe bem claro que é uma mulher forte e fria - diz me encarando sério.

— Você se perguntou alguma vez se era isso o que eu queria? - estou com os olhos marejados e as lágrimas estão quase caindo de meus olhos, a tristeza invade o meu peito.

— S/n, você não tem que querer nada. Você faz o que ej mando e pronto, entendeu? Nem um filho aquela mulher soube me dar. Tinha que ser logo uma filha. Tanto trabalho para levar uma mulherzinha daquela pra cama e o que me sai, esse exemplo triste de pessoa. Fraca, sentimentalista, chorona, impotente - diz com tanto ódio pingando em suas palavras, que sinto meu coração morrer mais um pouco.

A forma que ele fala de minha mãe... A forma como ele se refere a mim... Quem é esse homem? Eu carrego realmente seu sangue em minhas veias?

— Não sou a droga de um objeto que você fez para seguir o que quer - rosno me levantando.

— Você está aqui para administrar os negócios de nossa família. Negócios de décadas S/n. Você estará me representando na empresa sede de Yoongi a partir de amanhã enquanto eu fico aqui, cuidando de outras coisas. Quero que você fique atenta a toda movimentação de dinheiro que ele fizer e a entrada de outros sócios ou qualquer outra coisa, entendeu? Quero saber de tudo. Me mantenha informado.

— As ações estão no nome de quem? - pergunto tentando camuflar toda essa raiva que está irradiando de dentro de mim.

— No seu - diz me olhando sem entender o que eu possa ter dito.

— Então senhor Ryu, a outra metade dessa construtora é minha?

— Sim.

— Então não tenho que te manter informado de nada. A empresa é minha, eu vou estar à frente de tudo - digo empinando meu nariz tentando mostrar a ele que sim, eu posso fazer essa empresa crescer o tanto que eu quiser.

— Vai? - pergunta sorrindo, me fazendo arquear uma sobrancelha.

— Você duvida?

— Você está me dizendo que vai ficar encarregada dessa empresa e não quer meu auxílio?

— Estou te dizendo Dong-Sun, a empresa é minha e me encarregarei dela sozinha. Eu vou fazer com que ela cresça muito mais e quando eu estiver no topo, vou fazer questão de olhar para você e dizer que a filha que você despreza é uma executiva de sucesso.

— Mas que só está aí por minha causa - diz sorrindo.

— Peço que se retire da minha sala, preciso arrumar minhas coisas - digo desviando meu olhar do dele, para que não presencie mais uma vez o que ele é capaz de fazer com o meu emocional.

— Você é muito fraca S/n. Mas quero ver se você é capaz mesmo de alguma coisa na sua vida - se levanta, se vira e sai da minha sala, levando junto com ele meu raciocínio e minha força.


Notas Finais


Espero que tenham gostado BB's
Até o próximo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...