1. Spirit Fanfics >
  2. Renegado (ItaNaru) >
  3. Capítulo XXXIV

História Renegado (ItaNaru) - Capítulo 37


Escrita por: Hinata_Sawamura

Capítulo 37 - Capítulo XXXIV


Haviam se passado cerca de 2 semanas desde a morte do Uzumaki. Nesse exato momento, um jornalista corria pelas ruas de Kohona (nem sei se existe jornalista nessa porra, mas aqui vai existir).

 

– Extra! Extra! – corria com uma bolsa e um jornal na mão – Um dos nukenins mais procurados, Uzumaki Naruto, está morto! Repito: Uzumaki Naruto está morto!

 

Todos que ouviam aquela noticia estavam chocados, afinal, como um nukenin forte como Naruto poderia estar morto? Muitos choravam de felicidade.

 

– Obrigado, Kami-sama! Ele matou meu irmão... – dizia um senhor, totalmente feliz com a noticia.

 

– Ele matou 3 pessoas do meu clã! Aquele monstro... Ainda bem que morreu. – dizia uma senhora.

 

Sakura e Hinata encaravam aquelas pessoas com ódio e tristeza. Como Naruto poderia ter morrido? A 2 semanas atrás estava bem e, de repente, recebem a noticia que o amigo havia morrido? Não faz nenhum sentido!

 

– C-como isso aconteceu? – dizia Hinata, com lágrimas nos olhos.

 

– Não chore, Hinata... – dizia Sakura, chocada e desacreditada – Deve ser algum engano... Isso! É algum engano! O Naruto não morreria tão facilmente! Ele era alguém forte e determinado.

 

– Você tem razão, Sakura-san. – dizia Hinata, limpando as lágrimas – Temos que dar um jeito de averiguar toda essa história! Mas... como faremos isso? – faz uma cara pensativa.

 

– ... – Sakura pensava, mas logo tem uma ideia – Já sei! Vamos pedir pro Kakashi-sensei se comunicar com o Obito-san e fazer ele nos levar até lá!

 

– Ótima ideia, Sakura-san!

 

– Vamos! – pega na mão de Hinata e a puxa na direção da casa de Kakashi.

 

No escritório do Hokage...

 

Hiruzen lia as noticias sentindo uma mistura de sentimentos, estava com raiva, triste, surpreso e com o coração doendo. Nunca mais poderia se desculpar com Naruto? Ele deixa o jornal em cima de sua mesa e põe a mão sobre o peito, seu coração estava acelerado e doendo, sua respiração estava um pouco acelerada e lágrimas caiam de seus olhos. Ele se lembrava das coisas que fez ao garoto.

 

*Flashback on*

 

Naruto tinha cerca de 3 anos. Hiruzen via o garoto correndo em sua direção e já fechava a cara.

 

– Jiji, jiji! Vamos brincar, por favor! – dizia, com um grande sorriso no rosto.

 

– Agora não, Naruto. Eu estou ocupado.

 

– Mas...

 

– Nada de mas, apenas vá embora.

 

Naruto faz uma cara triste.

 

– Ta bom, jiji...

 

...

 

Naruto estava com cerca de 4 anos agora.

 

– Jiji, onde estão meus pais? – perguntava Naruto, sentado na bancada da cozinha de sua casa.

 

– Não faça perguntas desnecessárias, garoto. – dizia, com desgosto – Já disse milhares de vezes que você não precisa saber de nada disso.

 

Naruto se levanta da bancada e começa a se segurar na perna de Hiruzen.

 

– Eu tenho direito de saber, jiji! Me conte, eu imploro!

 

Hiruzen o chuta para longe.

 

– Você não precisa saber de nada! Como castigo por essa atitude, irá ficar sem dinheiro esse mês.

 

– M-mas como eu vou comer, jiji? – dizia Naruto, com dificuldade.

 

– Arrume seu jeito. – diz Hiruzen, saindo do local.

 

*Flashback off*

 

De repente, um toque na porta é ouvido e o Sandaime diz para que entre, mesmo com dificuldade.

 

– O que quer, Danzou?

 

– Agora que Uzumaki Naruto morreu, sugiro que façamos uma busca severa pela Akatsuki.

 

Na Akatsuki...

 

O clima ainda estava bastante pesado na base da Akatsuki. Todos estavam abalados com a morte do membro e com ódio de Sasuke. Itachi mal saia do quarto pra comer, e quando saia, era forçado por Obito, que ficava repetindo várias vezes que o Naruto não iria querer isso.

 

Deidara não estava muito diferente, tinha crises de choro e ansiedade quase todo momento. Sasori cuidava de Deidara dia e noite. Era cansativo, mas queria ajudar o namorado de todas as maneiras possíveis.

 

Pain estava completamente puto, por meio de exames realizados por Kabuto, soube que ao estudar o seu Rinnegan, Orochimaru colocava substâncias em seu corpo sem que percebesse, assim, danificando seu corpo e o deixando mais fraco. Havia pensado na possibilidade de reviver Naruto com o Rinne Tensei no Jutsu, mas com seu corpo nessas condições, ele poderia morrer facilmente.

 

Neste exato momento, Pain, Konan e Sasori estavam reunidos na sala, precisavam resolver urgentemente a situação de Uchiha Sasuke.

 

– Não acha que devemos matá-los logo de uma vez? – perguntava Sasori, sem paciência – Já tentamos diversos métodos para tirar informações, mas nada adianta!

 

– Acalme-se, Sasori. – dizia Pain – Vamos arrumar um jeito de tirar informações deles, pode ter certeza.

 

– Mas como faremos isso, Pain? – perguntava Konan – Não consigo pensar em nenhuma outra forma de pegar informação...

 

– ... – estava sério, mas pensativo.

 

De repente, Itachi passa por eles, indo na direção da cela de Sasuke.

 

– Oe, Itachi! Para onde você vai? – pergunta Sasori.

 

O moreno o ignora. Ele parecia um tipo de fantasma, estava um pouco pálido, magro e fedendo a bebida; estava em um estado deplorável.

 

– Itachi...? – diz Konan

 

...

 

A sala estava escura e silenciosa, Sasuke estava dentro de sua cela com uma camisa de força. De repente, ele começa a ouvir passos no corredor e a porta sendo aberta.

 

– Quem está ai? – pergunta Sasuke, mas não obtém resposta – Eu exijo que me responda!

 

– Você não está em posição de exigir nada, Sasuke. – uma voz familiar é ouvida – Se eu quiser, posso te matar agora mesmo.

 

Itachi liga a luz e se revela para Sasuke, deixando o mesmo confuso e surpreso. O maior pega uma cadeira próxima, coloca na frente da cela do Uchiha mais novo e se senta nela.

 

– O que faz aqui, seu maldito?! – grita Sasuke – Quer que eu te mate, igual matei meu irmão?!

 

Itachi solta uma breve risada e olha para Sasuke, ativando o seu sharingan.

 

– Não pense que matou o Naruto por ser mais forte que ele. – se inclina e coloca um cotovelo na sua perna, apoiando sua cabeça. – Você poderia ser facilmente morto por qualquer um dessa organização.

 

– Haha, alguém nesse seu estado deplorável acha que pode me matar? Não seja um arrogante de merda, Uchiha Itachi! – grita, chegando bem perto da grade.

 

Itachi solta outra risada e se aproxima da grade, segurando bem forte o rosto de Sasuke.

 

– Não me subestime, meu caro Sasuke. Se eu quiser, posso tornar a sua vida um inferno. – dá um sorriso – Poderia matar aqueles seus companheiros, sabe? Matar aquela garota que você gosta...Quem era mesmo? – faz uma falsa cara pensativa – Ah, é mesmo, a Sakura, né?

 

– Não se atreva a tocar na Sakura, seu imundo.

 

– Oh, parece que toquei na ferida, certo? – sorri de lado – Isso é bom, muito bom. – o solta e volta para a cadeira – Ai Sasuke, você realmente não sabe o quão prazeroso pra mim seria te matar agora.

 

– Já que você é tão forte assim, por que não me mata logo?

 

– Infelizmente não vim aqui hoje para fazer tal coisa, vim conversar com você, Sasukezinho ~ – provoca.

 

– Não me chame assim! – grita, enojado – Eu não quero ouvir uma palavra sequer vinda de você!

 

– Bem, não é como se você tivesse alguma escolha. – assume uma postura séria – Irei te contar algumas coisas sobre seu irmão hoje.

 

– Eu não quero saber nada sobre ele! Por qual motivo eu iria querer saber sobre quem matou minha família?

 

– Por qual motivo você acha que o Naru os matou?

 

– ... – respira fundo e tenta responder com calma – Ele disse que foi apenas por diversão.

 

– Haha – ri e Sasuke fica confuso.

 

– Qual a graça, seu lixo?

 

– Você realmente acreditou nessa desculpa idiota? Que tolo. – balança a cabeça – Mas bem, vamos começar do começo.

 

– ...

 

– Eu conheci seu irmão de uma forma não muito boa. Acredito que Shisui já tenha te contado uma parte, mas irei falar novamente. O Naru estava jogado em um beco escuro, estava todo ensanguentado e com diversos machucados pelo corpo. Vendo isso, levamos ele para casa e cuidamos dele.

 

– Que porra isso tem a ver comigo?

 

– Bem, acredito que você não saiba os causadores desses machucados. Eram os Anbus. O Naru havia ido pedir comida pro Sandaime e ele disse que cansou dele, o colocando em um orfanato. – dizia com calma na voz, mas sentindo muito odio por dentro – Depois que nos conhecemos, ficamos amigos e tudo mais. Mas teve um dia que ele foi enganado e tentaram lhe matar em uma floresta, mas eu e o Shisui chegamos a tempo. Mas como consequência disso, Shisui foi morto por um dos homens de Danzou.

 

Sasuke estava desacreditado, não foi Naruto que matou seu irmão?

 

– N-não é p-possível! Ele mesmo disse que havia matado o Shisui-nii-san... Pare de falar asneiras, Itachi!

 

– Você é mesmo burro, ein? – dá uma risada – Acha mesmo que o Naruto ia contar essas coisas pro irmão mais novo dele? Use mais a cabeça, Sasuke.

 

– ...

 

– Pois bem, depois disso tudo, nós começamos a treinar para vingar Shisui. Mas teve um dia que Pain apareceu para mim, me dando uma oportunidade de conseguir vingar o Shisui. Porém, havia uma condição. – suspira – Tinhamos que exterminar o Clã Uchiha. – começa a massagear suas temporas – Fizemos isso com maestria, mas o Naru não conseguiu te matar, ele te amava demais. Depois disso tudo, ele ficou doente.

 

– COMO ELE PODERIA ME AMAR? SE ELE ME AMASSE DE VERDADE, NÃO IRIA TENTAR ME MATAR DAQUELA MANEIRA! – gritava, deixando as lágrimas cairem.

 

– Sasuke, o Naruto era o ninja mais forte que eu conhecia, ele poderia te matar facilmente. – deixa uma lágrima cair – Foi por ele te amar que ele deixou que você o matasse para completar sua vingança. Se não fosse por isso, pode ter certeza que você não estaria aqui para contar história.

 

Sasuke estava abalado. Naruto o amava realmente? Deixou que o matasse para que completasse a vingança? Sua cabeça estava girando, seu coração doía, seus olhos ardiam e as lágrimas desciam pelo seu rosto.

 

– Se foi Pain quem obrigou vocês a fazerem isso, por qual motivo o Naruto continuou aqui? Ele poderia arrumar outra forma de ficar forte!

 

– Soubemos que o Pain foi manipulado por uma certa pessoa.

 

– Uma certa pessoa? Quem? 

 

– Alguém do meu passado. E bem, acho que logo logo iremos encontrar essa pessoa. – suspira – Acho que você entendeu. – se levanta – Se você colaborar com a destruição de Konoha, posso até pensar em não te matar. – sorri falsamente – Irei lhe dar um tempo para pensar.

 

Itachi vai na direção da porta e começa a sair.

 

– Itachi. – o mesmo o olha – Eu vou colaborar.

 

– Ótima escolha, Sasuke. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...