História Repentance - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hansol "Vernon" Chwe, Xu Ming Hao "THE8"
Tags Verhao
Visualizações 13
Palavras 3.900
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - II- Festa!


Não seja idiota! Suas escolhas
não são só "suas escolhas!"
Olha a merda que você 
está fazendo!


— Mas não vai dá problema em ir a uma festa para pessoas da faculdade e do último ano? Não chegamos ainda no último ano e muito menos na faculdade! — Vernon pergunta com receio.


— Lógico que não! Terá muitas pessoas e além do mais estamos com os convites.


— Boo vai com a gente? — Vernon pergunta.


— Não, ele não concordou! Disse que é perigoso! Ele realmente é muito careta... — Chan reclama logo após se perder em seus pensamentos mordendo os lábios.


— Talvez ele tenha razão! Se divertiram muito sem mim? — Vernon pergunta com um bico nos lábios deitando na cama de Chan.


— Como? — Chan pergunta se despertando de seus pensamentos.


— O filme! Qual filme que vocês assistiram? — Vernon pergunta chateado.


— Eu... Eu nem sei! Foi Seungk... Boo que escolheu, eu até dormi! Muito chato! Você não perdeu nada! E você? Eu ia te falar para ir à biblioteca que assim você lia alguns livros e o tempo passava mais rápido. O que você fez para não morrer de tédio? — Chan muda de assunto um pouco nervoso.


Vernon sente suas bochechas queimarem ficando em um tom avermelhado — Eu... Acabei dormindo na mesinha do jardim... — Ele afunda o seu rosto no travesseiro de Chan complemente envergonhado.


— E pelo visto ainda está com soninho! — Disse Chan se jogando na cama apertado o outro em seus braços.


Vernon se encolhe se aconchegando nos braços de Chan tapando o seu rosto. Ele estava com muita vergonha e não queria que o amigo visse ele nesse estado.


— Mais é muito bebê gente! — Chan diz admirado bagunçando um pouco o seu cabelo deixando um beijinho na bochecha do outro deixando o menino cada vez retraído de vergonha.


— Eu não sou um bebê, bebês não sabem andar! — Vernon retrucar com raiva deixando um imenso pico nos lábios.


— Aham... Sei! — Vernon lhe encara sério então Chan resolve mudar de assunto. — Vamos, vamos! Eu não quero perder essa festa. — Disse Chan se levantando batendo palmas.

Vernon se espreguiça na cama se sentando fazendo uma cara de cansado levantando os braços.

Chan já entendeu o que menino queria então solta uma risada. Ele vira as suas costas e Vernon sobe ficando em sua cacunda.

— Realmente bebês não sabem andar! — Diz Chan rindo após escutar Vernon bufar em resposta.

(...)

Casa de Choi Seungcleol às 22:47

— Aumenta essas palmas! Eu não estou ouvindo! — Diz Seungcleol levantado a garrafa de vodka quando quase tomba o microfone.

Choi Seungcleol é uns dos universitários e responsáveis por fazer a festa de boas-vindas para as turmas do último ano do colegial que vão continuar suas vidas acadêmicas nos Campus da Universidade escolhendo alguns dos cursos oferecidos.

O diretor não poderia te escolhido melhor pessoa para fazer esse evento! O espírito festeiro e sua popularidade finalmente estava servindo para algo de útil. Pois sua turma só lhe causava problemas, um ou três que se salvava daquela grupo.

Enquanto isso Vernon observa atentamente cada detalhe daquele local. A música alta, as pessoas dançando, algumas se pegando e o cheiro de bebida que estava em todos os lugares.

Vernon olha para os lados a procura de Chan mas ele não está em lugar nenhum. Então ele começa a andar entre a multidão para procurar o amigo. Ele se sentia um pouco tonto pelo efeito da bebida, mas ele queria que queria provar um líquido azul que o garçom estava servindo.

Ele sente o seu corpo se chocar com alguém e a palavra "desculpa" já sai dos seus lábios repetidamente.

Quando ele se vira e olha para cima logo sente um arrepio em sua coluna por ver Jun em sua frente.

— Olha o que temos por aqui... Não sabia que permitiam que as pessoas da creche podiam entrar! — Jun diz de forma ironia.

— Desculpe, com licença... — Diz Vernon todo atrapalhando abaixando a cabeça e se virando para seguir outro caminho.

— Ei não seja indelicado! Vamos conversar! — Jun diz puxando o braço de Vernon forçando a lhe seguir.

Vernon tentava escapar mas Jun apertava mais o seu punho tirando as esperanças de Vernon de escapar disso.

Jun sobe com o Vernon e entra em uns dos quartos trancando logo em seguida.

— O que você quer Jun? — Vernon puxa o seu braço com força usando um pouco da coragem que tinha.

— Quero conversa! Não ouviu antes seu tapado, odeio repetir as coisas! — Diz Jun mexendo em seu cabelo.

— Conversar sobre o que? — Vernon pergunta.

— Minha garganta está seca, vamos beber! — Jun diz ignorando sua pegunta pegando uma garrafa dentro do frigobar do lado da cama e dois copos que estava em cima de uma mesinha.

— Eu não quero beber.

— Eu não te perguntei isso, toma! — Jun diz brutalmente enquanto derrama o líquido no copo dando a Vernon.

Vernon olha receoso para o líquido em sua mão e a cara seria de Jun enquanto espera ele tomar o líquido.

— O que você quer com The8? — Jun vai direito ao ponto.

— Nada! — Vernon é sincero.

— Nada? E por que ele fica tanto no seu pé? — Jun pergunta empurrando o líquido guela abaixo carregando uma expressão de rancor.

— Não sei, pergunta pra ele! — Vernon dá de ombros. Apesar de Vernon está se mostrando uma criança muito mal criada ele estava sendo sincero. Ele não sabia do porquê de The8 ficar tanto em cima de si.

— Você sabe que todas as declarações dele é mentira, certo? Que tudo que ele diz é só para te foder! — Ele diz colocando a garrafa em seus lábios tomando a bebida.

Apesar de Vernon sempre suspeitar disso ele não queria que fosse verdade, pois o seu coração batia forte pelo mais velho.

— É mentira! — Vernon diz com a voz um pouco chorosa tentando acreditar em suas próprias palavras.

— É mentira? Juras de amor é diversão da nossa turma, não é novidade que adoramos ver um coração partido e pessoas como você são nossos alvos favoritos. Vernon você não é o que ele precisa, você não vai conseguir suprir todas as necessidades sexuais dele, você não tem experiência, você sabe disso! Se ele realmente quisesse algo com você ele te fodia logo e não ficaria enrolando com migalhas.  — Jun diz sorrindo carregando todo o seu veneno.

Vernon guardava cada palavra que Jun dizia sentindo o seu coração se machucado.

— Que olhar é esse? Aah não... Eu não acredito que você se apaixonou! Você é patético garoto! Acha que realmente iria conseguir satisfazer The8? Você não é para ninguém da nossa turma, você nem bebeu o que lhe eu servi! Você não aguenta nada! — Diz Jun risonho.

— Eu aguento sim! — Vernon diz lotado de ódio. Apesar de Jun ter razão não queria se sentir fraco perante a Jun.

— É mesmo? Então toma para eu ver! — E assim Vernon engolhe sua bebida de vez fazendo uma careta sentindo o líquido queimar sua garganta.

— Olha só, não aguenta!

— Aguento sim! — Vernon retrucar pegando a garrafa da mão de Jun tomando ela de vez.

Após te engolido todo líquido ele se sente completamente tonto, perdendo completamente o chão. Jun lhe segura levando até a cama analisando o menino da cabeça aos pés procurando o que The8 viu nele.

— Eu não posso ser modesto. Patético você é, mas que você é fodivel com certeza! É uma pena que The8 esteja nessa época de Dom Ruan apaixonado, pois eu já tinha te fodido há muito tempo. O quanto gostoso você deve ser, em? — Jun puxa o queixo de Vernon para encarar nos olhos do garoto que está completamente tomado pelo álcool.

No andar de baixo a festa estava só começando e todos pareciam que se perderam de si mesmo em tamanha loucura. Os diretores já tinham ido embora e os jovens se sentiram completamente livres para serem eles mesmos. Uns dançavam em cima da mesa, outros já invadiram a piscina e tudo aquilo não iria acabar tão cedo.

Mas apesar de toda liberdade The8 estava se sentindo preso, preso em seus próprios pensamentos.

— Ei The8, o que tanto pensa? — Hoshi pergunta despertando o mais novo de seus pensamentos.

— Em nada! — The8 ajeita sua postura olhando para as pessoas dançando.

— E eu não sei dançar! Vamos logo, solta o verbo! — Hoshi ironiza de forma divertida.

— Cadê Seungkwan? — The8 pergunta. Seu coração estava em agonia, precisava dos conselhos do mais novo.

— Subiu com Mingyu. — Hoshi diz indiferente.

— É que eu não estou tão feliz assim de ir para faculdade.

— Por que? — Hoshi pergunta com os olhos arregalados.

Era algo para Hoshi ficar assustado. Hoshi, como todos lhe chamam já estava na faculdade e fez amizade com The8 logo após o menino te ficando perdido no campus lhe enchendo de perguntas sobre os cursos da faculdade.

Tudo que The8 queria era ir para faculdade e acabar de vez com a "Turma do The8" que ele não aguentava mais. Não fazia mais sentido em sua cabeça era estranho, mas ele não queria. Mas o que ele não sabia que era só a maturidade chegando.

— É que eu não vou poder mais vê-lo já estarei em outro campus. — Disse The8 chateado.

Vê-lo? Está apaixonado senhor Minghao? — Hoshi pergunta rindo.

— Não me chame de Minghao! — The8 exclama completamente sério.

— Não posso chamar por quê? É o seu nome! A tal pessoa lhe chama de "Minghao"? Chama ou geme?  —  Diz Hoshi tomado pelas suas gargalhadas.

— Ei, não fique bravo está bem?! Você vai mudar de "setor" e não de país! Poderá namorar normalmente. Pelo menos você se cura dessa psicopatia de ficar vigiando 24h, você tem cara que fica seguido a pessoa nos corredores. — Disse Hoshi.

— Talvez eu faça isso as vezes... — The8 admite.

— Às vezes? Quem é a pessoa? — Hoshi pergunta.

— Você não deve conhecer... Ele é mais novo sabe! — The8 diz coçando a cabeça.

— Trabalho com nomes! — Hoshi insiste.

— Caraca você é chato! O nome dele é Vernon! Satisfeito? — The8 diz irritado.

— Vernon? Vernon de Joshua?

— Sim... Você o conhece? — The8 pergunta surpreso.

— Lógico que sim! Joshua trata o menino como se fosse filho dele! Parece que tem 80 anos! A propósito eu vi ele aqui... — Hoshi diz pensativo.

— Vernon?

— Sim!

— Onde?

— Ele estava subindo com aquele seu amigo o Jun! — Hoshi fala tentando se lembrar.

— Jun? — Ele pergunta com os olhos arregalados.

— É! Por quê? — Hoshi pergunta querendo saber mais.

— Puta que pariu! — The8 xinga indo em direção às escadas.

The8 abre a primeira porta do corredor do primeiro andar e ver Jun sentado segurando um copo de vodka e ver que Vernon não está ali.

Sem mais delongas The8 se aproxima de Jun em passos largos segurando o mais velho pelo colarinho de sua blusa pressionando na parede.

— Cadê Vernon? — The8 pergunta lotado de ódio.

— Por que eu saberia?

— Não se faz de sonso! Eu sei muito bem que ele estava com você! Cadê ele? — Ele aperta mais o seu colarinho levantando um pouco o seu corpo pressionado na parede.

— Aah Vernon...! Aquele gostosinho? — Jun pergunta levando um soco na cara.

— Eu perguntei cadê ele?! — The8 diz soltando Jun jogando ele no chão.

Jun se levanta como se nada tivesse acontecido ajeitando sua postura.

— Você acha que ele só cederia à você? Otário é você que acha que é o supremo! Sinto muito por ter perdido a primeira vez dele... Na verdade eu não sinto! Ele é tão manhoso...! Uma delícia! — Diz Jun sorrindo e The8 apenas serra os punhos e respira fundo para não matar o outro.

Ele analisa o mais velho da cabeça aos pés e tenta controlar a suas provocações ao saber que ele estava mentindo. Ele é um puro provocador! The8 conviveu o suficiente para saber o que o garoto era ou não era capaz.

Mas ele sabia também que até sobre tortura ele não iria dizer o que ele queria saber, então ele resolve jogar o jogo de outro.

— Por que tanto drama Jun? Por acaso está com ciúmes? — The8 provoca lhe encarando da cabeça aos pés mordendo os lábios.

The8 não poderia negar que Jun era um gostoso do caralho, mas era uma penas que era só isso!

— Eu só quero entender porquê ele, logo um mestiço americano! — Jun diz lotado de ódio.

— O que você tem contra americanos? E que eu saiba você tem um pau, então não precisa tomar conta do meu em saber onde eu meto ele ou deixo de meter.

— Eu não estou nem aí onde você mete e não tenho nada contra americanos! — Jun diz com rancor.

— Estou vendo que não — The8 ironiza. — Vamos Jun, cadê Vernon?

— Você sabe que eu não vou dizer! Eu nem sei mesmo! — Jun diz cruzando os braços.

The8 entra em desespero pois não sabe o que esse doido poderia ter feito com o bebê dele. E estava rindo de novamente de como a vida estava brincando com ele sendo completamente irônica de novamente.

— Cadê você Joshua que sempre nos encontra? Ele está na festa como ainda não te viu? — The8 diz  se perguntando lembrando que até no inferno Joshua achava ele com Vernon estragando sempre os seus momentos.

— O que você disse? — Jun pergunta saído da sua postura.

— Jun se não for para ajudar cala a boca! — The8 exclama puxando o seu cabelo para trás tentando pensar em algo.

— Você disse Joshua? — Jun insiste.

— Sim! Joshua é o hyung de Vernon, ele sempre nos acha! Mas como sempre a vida é irônica, pois estamos em um mesmo local e eu ainda não ouvi nenhum escândalo dele! — The8 fala pensativo em voz alta.

— Você está falando de Hong Jisoo? — Jun tenta saber mais.

— Por que você quer tanto saber? Eu não sei o porquê de raios você ser assim com Vernon! Se você não fosse um ciumento do caralho eu não estaria... — The8 começa a reclamar mas Jun lhe interrompe.

— Vernon está no terceiro quarto desse corredor, ele está dormindo lá. Ele bebeu muito tentando me provar que é forte o suficiente para você! Eu não lhe toquei, só lhe assustei em palavras, agora me diz o que eu estou lhe perguntando! — Jun diz agoniado.

The8 fica paralisado observando a expressão de Jun que ele nunca viu.

— Sim é o seu nome em coreano, mas o pessoal chama ele de Joshua mesmo que é o seu nome nos EUA. — The8 responde observando o rosto sem expressão de Jun.

— E o que ele é de Vernon? — Jun pergunta engolido seco.

— Eles são amigos, mas como existe uma grande de diferença de idade e Vernon ainda é menor de idade Joshua ficou responsável pelo mais novo quando ele veio estudar aqui na Coreia. Por que você está me perguntando isso? De onde você conhece Joshua? — The8 pergunta completamente curioso.

— Eu não conheço de lugar nenhum! Agora vai embora! — Jun manda empurrando o garoto para fora do quarto trancando logo em seguida.

Deixado o outro completamente em dúvida.

The8 balança sua cabeça e vai até a terceira porta torcendo para que Jun não esteja mentido. Ele chega na frente da porta, girando a maçaneta e logo se depara com o Vernon deitado na cama dormindo.

The8 encosta a porta e corre em sua direção.

— Vernon? — The8 lhe chama, mas ele não responde.

— Vernon! — Ele chama novamente, mas nada!

— Meu amor, acorde! — The8 diz mas ele só se mexe um pouco.

— Vernon! — The8 sacode levemente o mais novo tentando acordar de qualquer forma.

Minghao respira fundo tentando pensar em algo que possa fazer. Vai que ele tenha bebido muito e está desacordado? Jun estaria morto! The8 pensava alimentando o seu ódio.

Ele se desperta quando escuta Vernon resmungado algo. Ele se aproxima e escuta novamente. Isso são gemidos? Minghao se perguntava analisando o garoto da cabeça aos pés.

Minghao balança a cabeça negando os seus pensamentos "Ele não sonha com essas coisas seu estúpido! Você acha realmente que um bebê como ele estaria tendo sonhos eróticos? Você não presta!" Minghao brigava consigo mesmo por pensar tamanha besteira.

— Vernon! — Ele tenta chamar mais uma vez.

— Minghao...? — Vernon pergunta confuso com a voz rouquinha coçando os olhinhos tentando ver o mais velho com mais clareza.

Minghao estava em sua típica jaqueta preta de coro, uma t-shirt branca por baixo, seus jeans rasgado e seus contudos.

As bochechas de Vernon ficam vermelhas enquanto ele se encolhe tentando tapa o seu volume que está entre suas pernas. Ele não sabia que poderia sonhar com esse tipo de coisa. Mas ele não queria te acordado!

Talvez seja pela bebida, ou pela sua imaginação fértil, mas ele estava desejando o mais velho novamente e queria beijar sua boca cheinha novamente e gemer enquanto ele chupava sua língua. Igual no sonho.

Era uma mistura de vergonha, medo, tristeza e desejo. Vernon estava se sentindo uma bagunça.

— O que houve? — The8 encara preocupado o rosto do mais novo cheio de lágrimas.

Vernon estava triste em perceber que tudo era um sonho, ele estava apenas dormindo, tudo que aconteceu era apenas uma imaginação. Ele ainda estava na festa e nada foi resolvido!

As palavras de Jun rolava em sua mente como uma canção de tortura, Vernon não queria que aquelas palavras fossem fatos.

Vernon não queria perder esse jogo, não queria sentir o seu coração machucado, ele sabia que poderia ser bom e estaria disposto a mostrar! O seu desejo precisava se suprido!

— Estou sentido sua falta! — Vernon diz todo manhoso indo para o colo do mais velho.

Minghao se assusta pela ação do mais novo, porém lembra que ele está bêbado e por isso não está em seu perfeito estado.

— Nos vimos mais cedo... E você nem respondeu o que eu tinha perguntado da doceria! — Minghao lembra do seu real motivo de te procurado Vernon no jardim da escola.

— Eu aceito sim... Agora por favooor! —  Vernon diz apressado enquanto se esfrega em Minghao procurando apalacar todo o seu desejo que estava lhe consumindo.

— Ei, vamos conversar primeiro! Para de se mexer! — Minghao segura a cintura do mais novo enquanto tenta não se derreter pelo bico que formou nos seus lábios pela sua ação.

— Com quem você veio aqui? — Minghao pergunta.

— Com o Chan. — Vernon responde e tenta mexer sua cintura, mas Minghao segura ela mais forte para impedir.

— Você veio escondido? — Minghao pergunta e Vernon confirma com a cabeça.

— O que Jun disse para você? O que ele fez com você?

— Ele me falou coisas ruins sobre você. — Vernon responde olhando para o seu colo.

— O que ele falou?

— Que tudo que você disse... É mentira e... Que você está brincando comigo! — Vernon diz sério olhando para os olhos de Minghao.

Minghao sente o seu corpo lotado de ódio. Como pode alguém inventar tantas coisas dessa forma? Ele daria um jeito em Jun! — Bebê não acredite no que ele disse está bem? Eu gosto muito de você, você não faz ideia de como! — Minghao diz sentindo o seu coração apertado. Pois Vernon é uma pessoa bastante desconfiada então se ele acredita que tudo que Jun disse é real, ele pode considerar que sua batalha está perdida.

O que Minghao não sabe é que Vernon também queria que aquelas palavras de Jun fosse mentira e ele estava batalhando muito para não ser tomadas por essas palavras.

Vernon já estava acostumado com Minghao por perto e viciado nas carícias que ele fazia, ele não queria perder nada daquilo, ele queria mais.

— Ei acredite em mim! — Minghao pede se aproxima de suas bochechas deixando vários beijinhos.

Vernon se encolhe um pouco pelos arrepios que o mais velho estava lhe proporcionar e por isso ele levanta o rosto, agarrando os fios do cabelo do mais velho empurrando para que os lábios de Minghao descesse mais um pouco.

Assim Minghao fez. Ele descer os seus lábios distribuindo vários chupões e beijos molhados, em reflexo Vernon geme em seu ouvido e se esfrega no mais velho querendo mais contato.

— Por favooor... — Vernon implora sem ao menos saber o que tanto pede. Ele estava agoniado com o seu corpo quente e os toques sutis de Minghao.

— Por favor o que? Hum? — Minghao morde os lábios olhando para garoto completamente perdido.

— Está quente! — É única coisa que Vernon consegui descrever.

— Porque está calor meu anjo. — Minghao respode tentando segurar suas risadas sutis.

Ele sabia que estava sendo mal com Vernon, mas ele não podia atender o pedido do mais novo. Vernon estava bêbado, ele não iria se aproveitar dessa forma.

— Vamos bebê! — Diz Minghao colocando ele sentado em seu lado e levando logo em seguida estendendo a mão.

— Eu não quero ir! — Vernon faz manha tentando puxar Minghao de volta para cama.

— Vamos, Joshua deve está preocupado com você! — Minghao puxa Vernon em sua direção e ele se desequilibra um pouco pelo o efeito do álcool em suas veias.

— Eu não quero ir para casa! Joshua não está lá! Eu vou ficar sozinho. — Vernon fala todo manhoso abraçando o mais velho, afundando o rosto em seu peito sentindo o cheiro do seu perfume.

— Você tem certeza? — Minghao pergunta desconfiando enquanto anda para fora do quarto.

— Sim! Você vai me deixar sozinho? — Vernon pergunta olhando nos seus olhos com um bico nos lábios.

— Ok! Mas vou ligar para ele! — Minghao avisa.

Eles chega no corredor e Vernon não consegue parar de olhar para o pescoço de Minghao e de algumas marcas que tinha deixando ali. Vernon estava disposto a ter o que tanto estava querendo, o seu pau estava precisando disso.

Então ele aproxima do pescoço de Minghao e começa chupar o seu pescoço.

— Vernon, para! — Minghao tenta empurrar mas Vernon continuar.

— THE8! — Vernon escuta alguém chamar Minghao, mas ele não deu importância. Ele só queria que Minghao desse ele logo o que ele queria.

Eles começaram a conversar, mas Vernon não consegui lhe ouvir. Ele só consegui dar atenção aquela pele macia que ele envolvia em seu lábio.

— Ele está bêbado The8! — A pessoa diz e The8 tenta empurrar Vernon novamente para longe do seu pescoço.

Vernon não percebeu que a tal pessoa já tinha ido embora. The8 desistiu de brigar com o Vernon está bêbado e a única coisa que ele está ouvindo são os seus desejos. Mas Minghao tinha uma missão quase impossível naquele momento. Ele devia resistir todas as manhas de Vernon, pois o universo como sempre estava sendo irônico com ele e ele não queria ver ninguém arrependido por um ato não pensando.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...