1. Spirit Fanfics >
  2. Replay >
  3. Sombras do passado

História Replay - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


União flasco
Boa leitura

Capítulo 4 - Sombras do passado


                         Levi

Depois do sorvete resolvemos ir ver um filme, Mikasa falou que ia pedir outro sorvete, pediu uns trocados a Petra e foi, fomos escolher um filme, mas como estamos no passado todos os filmes em cartaz eram super velhos para min.

Por algum motivo notei que Hugo não estava ali com todos assim como Mikasa, por isso não pensei duas vezes e resolvi ver se estava tudo bem com Mikasa.

Segui ela discretamente, a vi parada em frente uma loja de roupas de bebês, ela ficou encarando a vitrine com um olhar triste, meu coração doeu tanto com a cena por falta de Raquel e Arthur, mas algo me tirou a atenção de Mikasa..

Era Hugo olhando uma vitrine de consoles e jogos, afastado e de costas para Mikasa, seu casaco estava amarado na cintura.

Não me parece conhecidencia.

...

Depois de uns minutos eu esperava Mikasa sair do banheiro, ela foi depois de sair de frente a loja de roubas de bebê, se bem conheço ela estava prestes a chorar, eu queria mesmo dar um abraço nela..

Enquanto eu esperava sentado em um banco um pouco longe da entrada para o corredor do banheiro feminino, vejo Hugo, que aparece do nada, e entra no corredor do banheiro feminino, estranho totalmente e me levanto indo em direção ao corredor do banheiro feminino.

Porém vou devagar e olhando para os lados, com certeza me traria problemas se eu fosse pego tentando entrar no banheiro feminino..

Mas algo me enche de coragem..

"Me solta!"

Ouço isso e entro com tudo no corredor, reconheci imediatamente a voz de Mikasa, e senti um arrepio percorrer meu corpo inteiro, quando finalmente olhei para aquele corredor vi uma das piores cenas da minha vida..

Mikasa sendo presa na parede por Hugo, enquanto ele coloca a mão na nuca dela e cheira seu pescoço, ela parece estar de olhos fechados enquanto se debate.

— Se não para agora vai se arrepender seu filho da puta! — Mikasa grita extremamente brava enquanto faz força para afasta-lo.

O desgraçado estava tão entretido que nem me notou ali, aproveitei isso e sai correndo empurrando ele para longe de Mikasa, com as mãos no impacto ele voa longe.

Fico de frente com Mikasa e coloco meus braços na parede sem a tocar, a olhar ali encolhida com medo me encheu de raiva, entro viro meu olhar para o desgraçado no chão, e então noto que ele não estava mais ali, quando olho para a saída do corredor o vejo correndo para fora, melhor assim!

Olho para frente e vejo Mikasa ainda com medo, fico menos tenso e me a próximo de sua orelha e falo calmamente

— Sou eu Mikasa...pode ficar tranquila — terminando de falar a vejo abrir os olhos e sorrir de alívio

E aquele sorriso fez meu coração quase explodir de alegria, é aquele sorriso que eu adoro.

— Obrigada Levi — Diz Mikasa me abraçando com força — Eu tava com medo, e sentindo uma impotência horrível de um muleque desse consegui fazer isso, não gostei desse cara desde a primeira vez que o vi! — ela diz com a cabeça virada para meu pescoço, assim podendo sentir sua respiração calma ali.

— Sim eu percebi como você agia com ele, esse nojento — Falo retribuindo o abraço e alisando suas costas levemente.

Paramos o abraço e nós encaramos, de repente comecei a viajar nos lábios rosados naturalmente de Mikasa, senti falta de seus beijos, de sua respiração em minha pele.

Quando estávamos nos aproximando para darmos um beijo uma senhora surge no inicio do corredor do banheiro, e então corremos para o banheiro feminino e entramos juntos em uma cabine.

— Ai meu Deus... — Mikasa fala em um sussuro — se nós ver vai me achar uma tarada! Uma adolescente tarada! Não posso acabar com a minha reputação!

— Tambem vão me achar um tarado! Esqueceu que é o banheiro feminino?! Então fica quieta! — falo sussurando e tapando sua boca com a mão.

Assim esperamos ouvir o barulho da porta da cabine fechando e então saímos correndo do banheiro e daquele maldito corredor.

Quando finalmente saímos começamos a rir, éramos realmente adolescentes novamente.

— vamos ir ver o filme com o pessoal? — pergunto a olhando parando de rir.

— vamos, apesar do nojento do Hugo estar lá, faço questão de estar lá só para dar um chute no saco daquele desgraçado na minha primeira oportunidade!

— Você tinha dito que não gostou dele desde que viu ele né?

— sim, porque?

— É que vi vocês conversando e tal, quer dizer que você prefere morenos não é? — falo convencido a olhando.

— Ah vai tomar no cú Levi — Fala revirando os olhos e rindo enquanto seguiamos em direção ao cinema.

— Calma ai, oque tem demais, morenos e morenas são mais bonitos mesmo! — falo andando ao seu lado.

— Se não fossemos divorciados diria que esta me cantando. — Ela diz andando.

— Oque? Até parece! To amando minha liberdade! — Falo cruzando os braços sorridente ainda andando.

—Imagino, eu também... chegamos... Perai? — Ela olha em volta e para. — Que droga, eu já vi todos esses filmes...

— bom lembrar, estamos no passado..

— Que saco, faz anos que não curto um cinema, e quando posso estar aqui é no passado, acho que seduzi um padre em outra vida — Ela diz irritadinha.

— Deve estar em alguma sessão já — Falo depois de rir da cara de irritadinha dela.

— Sim, que merda, espera... Oque fizemos no passado, no passado de verdade? Você lembra?

— HM... No passado de verdade vinhemos, mas apenas, eren, petra, Sasha, você e eu, você não tinha falando com o Jean no primeiro dia e o armin não quis vim..

— É verdade, sasha veio no meu colo, você do meu lado e o Eren do outro, e na frente a petra e a mãe dela.

— Então no passado real isso não aconteceu...

— Precisamos mesmo estudar..

— realmente, mas por agora devemos entrar, você lembra qual filmes vimos?

— Na real não, mas lembro que a Petra esquece de desligar o celular então podemos perguntar — Mikasa fala tirando o celular do bolso — Que celular velho, meu deus.

— Passado né.

— Eu já entendi Levi — Ela diz digitando sem jeito no celular de botões dela — errei, merda.

— Deixa eu tentar. — Digo pegando o celular da idade da pedra e tentando digitar.

— Oh, bom dia senhor e senhora Frank — Mikasa diz acenando passa um casal de adolescentes que passavam ali perto.

— Senhor e senhora? — A garota diz primeiro.

— Ah... — Mikasa trava na mesma hora ao ver a merda que havia feito. — Me enganei.. bem acontece né? Esse aqui é meu namorado, ele sabe como eu sou míope e tal, não é meu amor? — Mikasa diz segurando na ponta da minha blusa como fazia no passado real.

— Sim, me desculpe gente. — digo em resposta a garota e o garoto que nos dá um olhar estranho e vão compra ingressos dando de ombro.

— Valeu Mozão. — Mikasa diz com ironia e solta de minha blusa.

— Toma cuidado com isso, uma hora nos coloca em uma furada com esses deslizes em..

— Ah, é custume, sempre tenho que cumprimentar os pais do alunos e tal, mas qual diria que eu veria esses dois juntinhos assim.

— ué oque tem? Não são casados no futuro?

— Não, são divorciados. — mikasa diz seca.

Muito conveniente esse casal passar aqui exatamente agora, em destino?

— Oque vocês estão fazendo aqui? — Petra aparece visivelmente irritada.

— Tentando entrar em contato com você pra vir aqui — Digo mostrando o celular.

— Por que tá com o celular da Mikasa? E por que o celular tá no jogo da cobrinha?

— Ah... Tá? — olho para a tela do tijolo — me enganei. — coloco a mão no bolso e sinto meu celular da época. — esqueci que tava com meu celular — digo entregando o celular da mikasa pra ela.

— acontece né. — Mikasa diz rindo um pouco de mim e se aproximando de Petra. — Então em que sessão estão?

....

Mikasa

Acabamos assistindo um filme que já tínhamos visto mesmo, fazer oque, fiquei entre a Sasha e a Petra, e com os meninos do outro lado, graças a deus acabou logo já que chegamos na metade, porque além de velho o filme era um terror trash horrível.

Passamos algumas horas indo em lojas atoua só pra olhar, é comendo uma besteira aqui e ali, e quando já estava ficando escuro a mãe da Petra chamou para irmos embora logo.

— Mikasa perdeu a melhor parte do filme que saco, queria ver a cara dela na parte dos sustos!! — Sasha falava mais animada que o normal jogando o braço nós meus ombros bem folgada mesmo.

— Ah, isso não me assusta, que filme Trash horrível meu deus. — Falo brincando.

—Mikasa vou pedir minha mãe pra passar pela sua casa pra ficar mais perto pra você. — Petra me avisa enquanto nós aproximamos conversando até a mãe dela.

— Como foi o filme? — A mãe da Petra nós pergunta simpática e recebe quase que urro de parte dos garotos tentando explicar as mortes dos filme. — Entendi, entendi, que bom que gostaram, quem é o Levi aqui? — ela pergunta repentinamente oque atrai minha atenção.

— Sou eu, por que? — Levi pergunta levemente tenso.

Não acredito que alguém viu ele no banheiro feminino... Mas como saberiam o nome dele??

— Sua mãe tá na loja de música ali, ela tá preocupada por que você não avisou que viria, poxa deveria ter avisado! — Ela da uma leve chamada de atenção a ele.

— Desculpe senhora... Que lado disse? — Ele pergunta tenso.

— Ali.. — Ela diz e aponta, e Levi nem espera ela terminar de falar e vai naquela direção muito rapidamente e eu o sigo.

A mãe do Levi morreu em um acidente de carro algum tempo depois do nosso casamento, foi uma coisa muito difícil e o Levi que sempre foi extremamente apegado a ela nunca aceitou isso muito bem

e como estou receosa sobre a reação dele diante disso o segui, e tambem porque eu queria muito, muito mesmo ver aquela mulher incrível que pra mim era como uma mãe

Eu amo minha mãe, e ela me ama, mas graças as merdas que meu pai fazia ela foi quebrando até eu não a reconhecer mais, e foi uma carência de carinho que encontrei na mãe do Levi, com toda certeza Rachel Ackerman era uma mulher incrívelmente forte e carinhosa.

Levi chegou a porta da loja e olhou para dentro da loja como se procura-se alguém de forma dessesperada, me aproximei dele e coloquei a mão em seus ombros, e só então ele me notou ali

— Mikasa, eu nem parei pra pensar nisso... Ela, ela tá viva... — ele falou com a voz trêmula.

— Sim, isso é otimo Levi, mas... Calma sim? Vai assustar ela se ela te ver assim. — disse colocando a mão em seus ombros e olhando em seus olhos. — respira fundo, fica calmo, você tá tremendo.

— Mikasa eu... — Ele diz e respira fundo, os olhos cheios d:'agua, eu realmente estava precupada com aquilo.

Sempre no aniversário dela ele práticamente se isola, mas eu fico em cima em especial nesse dia, não consigo nem imaginar como deve ser doloroso pra ele, mas mesmo que estejamos divorciados eu quero continuar ajudando ele com aquilo.

— Levi? — aquela voz.

Aquela voz.

Caralho.

— M...mãe? — Levi diz virando seu rosto na direção da voz, e eu criei coragem e fiz o mesmo.

Ela estava linda, como sempre,

como no caixão dela,

Eu, perdi o chão, eu fiquei precupada com a reação do Levi mas não parei pra pensar em como eu iria reagir a ver ela denovo...

— Levi por que você não avisou que ia vir pro cinema? Nem pra mandar uma mensagem? Sabe como fiquei precupada quando cheguei em casa e seu tio falou que você não tinha chegado ainda?? — Ela diz irritada e com razão.

Levi andou, ou melhor, correu em direção a ela e deu um abraço nela, aquele abraço, o mais forte que já vi, aquele abraço soava como um

"Por favor nunca mais vá embora"

Meu coração quebrou ali mesmo, estava tão concentrada na cena que nem percebi a Sasha chegando

— Mikasa? Vamos? O Levi vai embora com a mãe dele. — Ela diz colocando a mão em meu ombro.

— Eu, vou embora com eles. — Falou olhando a cena.

— ah? Por que? — ela me pergunta confusa.

— Ah.. — falo meio sem jeito e coço o olho para limpar um início de lágrima e então me viro pra ela.

— Minha mãe mandou mensagem dizendo que tá numa loja específica que é perto da casa dele, então vou pegar carona tá bem? — Digo e me aproximo do Levi e Rachel antes que ela me pergunta mais alguma coisa, antes de chegar neles pude ouvir um "Ta bem então, até amanhã"

Mesmo sem jeito me aproximei com as mãos escondida nas costas e de forma tímida, eu definitivamente não sabia como agir.

— Com licença Dona Rachel, boa tarde... — digo quase que com a voz falha.

— Ah? Me conhece? — Ela pergunta simpática.

— Ah, ela é a Mikasa, uma colega de sala mãe. — Levi diz extremamente de bom humor e sorridente como uma criança.

— Olá Mikasa, seu nome é muito bonito, e você também, se tiver vindo chamar o Levi desculpe, mas ele vai voltar comigo

— Ah muito obrigada.. mas eu queria muito pedir uma coisa...

Pude sentir o olhar de Levi sobre mim.

— Claro, se eu puder ajudar

— Pode me dar uma carona? Minha mãe está em uma loja perto da casa de vocês então...

— Ah, olha eu daria carona com o maior prazer, mas hoje eu vim de moto então realmente não dá, me desculpa...

Merda, merda, merda

— Não tudo bem, eu vou voltar de metrô, boa tarde, foi um prazer conhece-la — Digo e sorrio acenando rápido e me virando em direção a uma escada rolante.

Como diabos vou voltar de trem se nem com dinheiro eu tô?

— Calma ai. — ouço uma voz e uma mão no meu ombro.

— ah? — Olho e então vejo que é Levi.

— Oque ta fazendo aqui?

— Vou voltar com você.

— Por que? — pergunto sem entender, já que a mãe dele estava ali.

— É perigoso você voltar de metrô a essa hora, você é uma colegial esqueceu? — Ele diz sério enquanto desciamos a escada rolante.

— Levi, não se precupe comigo agora, é sua mãe você...

— Eu vou ver ela em casa hoje a noite... — ele diz olhando para baixo com um sorriso singelo.

— e ela não tava brava? Deixou você vir comigo?

— Sabe como ela é, acha que você é uma namoradinha minha.. — ele e me olha sorrindo e eu retribuo e começamos a rir muito.

— Acho que um pouco mais que isso né? — falo entre as risadas. — sua mãe é incrível.

— Sim, ela é..

...

Saímos do shopping e não precisamos andar muito até chegar a estação, quando estávamos na fila pra comprar tickets pro metrô eu me lembro de algo.

— Levi. — Digo e imediatamente seguro a blusa dele com força, era uma mania manhosa minha com ele.

— Ih, oque foi? — ele pergunta me olhando estranho.

— Você tá com quanto dinheiro? — pergunto e olho em seus olhos, e ele arrega-la os olhos na mesma hora.

— Puta que pariu Mikasa, até no passado dinheiro é um problema. — ele diz pegando a carteira e contando seu dinheiro.

— Então, da? — pergunto com medo.

Percebi que a resposta era não quando ele saiu da fila e eu o acompanhei.

— Oque vamos fazer... — Ele diz se sentando no banco e eu me sento ao seu lado.

— Desculpa por isso, você podia ter voltado com sua mãe. — Falo me sentando ao seu lado.

— Para, não é sua culpa, sou eu que nunca tenho dinheiro.

— Oque? Acho que isso tá ficando mais profundo do que devia — Falo e rio tentando deixar o ar mais leve.

— Idiota... — Ele fala e ri.

— Algum problema crianças? — Uma mulher jovem de cabelo preso em um rabo de cavalo se aproxima.

— Ah dona, perdemos um pouco de dinheiro e só um de nós tem como comprar um ticket... — conto na esperança dela nos ajudar.

— nossa, isso é ruim... está ficando tarde e perigoso por aqui.. vamos levantem, vou pagar pra vocês — ela diz e sorri.

— Sério? Muito obrigada Dona, é muito gentil da sua parte. — Levi a agradece e ficamos de pé.

— Por nada, aliás pode me chamar Hanji.

...

Graças a alma iluminanda da Dona hanji conseguimos comprar o ticket e estávamos esperando o metro, infelizmente ela já foi, mas eu com certeza iria me lembrar daqui, e dela, que é muito gentil e inteligente.

— Gostei dela

— Claro, ela pagou sua passagem, é o mínimo né — Levi diz me olhando de canto.

— Levi as vezes você é tão desnecessário — Digo olhando de canto tambem.

— Eu sei, chegou, vamos.

Essa mulher, definitivamente eu a verei denovo.

...

— Obrigada por ter me acompanhado Levi — Digo no portão da minha casa.

— Que isso, vim pra encher o saco mesmo.

— percebi.

Rimos e me despedi dele, e quando ia entrar eu vi algo que me fez parar e a Levi também.

— Mikasa, por que você demorou? Entra agora. — ouvi aquela voz grossa e que sempre me assustou.

Era meu pai.


Notas Finais


Esse cap é especial p mim, praticamente chorei com o Levi é isso


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...